Cursos de Teologia, Capelania, Psicanálise Clínica, Psicologia Pastoral, Formação Pastoral, Coordenação de encontro de casais, Básico em Teologia, Médio em Teologia, Bacharel em Teologia.
Quinta-feira, 24 de Maio de 2012

A Marcha para Jesus do Rio de Janeiro teve início às 14h40 deste sábado, mas por volta das 14h o clima de empolgação já tomava conta da avenida presidente Vargas, centro do Rio. Ao som de sete trios elétricos, milhares de fiéis percorreram ruas e avenidas do Centro da cidade.
A marcha começou na Central do Brasil e se estendeu até a Cinelândia. Mais de 300 mil pessoas compareceram e formaram um grande exército de Deus.
De acordo com a organização do evento, evangélicos vieram em mais de 300 ônibus de vários bairros do Rio, da Baixada Fluminense e das regiões dos Lagos e Serrana.
Quando os trios começavam a deixar a avenida presidente Vargas, tomando a avenida Rio Branco, milhares de fiéis gritaram e profetizaram: “Governador, autoridades, é Jesus Cristo quem comanda essa cidade”.
Durante o percurso, membros de igrejas evangélicas fizeram discursos contra a corrupção, adultério, pedofilia e prostituição.
Após a chegada da Marcha na Cinelândia, um palco estava montado para dar início a grande festa de louvor e adoração. Os pastores Silas Malafaia, Marcus Gregório, Marco Antônio Peixoto e Abner Ferreira pregaram para a multidão que vibrava, num verdadeiro mar de alegria.
O prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes e o senador Lindbergh Farias estiveram no palco e juntos ao pastor Silas Malafaia se mostraram impactados com a bela manifestação de paz e fé.
As atrações gospel ficaram por conta de: Thalles Roberto, Jotta A, Davi Sacer, Renascer Praise, Ministério Apascentar, Comunidade Evangélica da Zona Sul, Régis Danese, Nani Azevedo, Jozyanne, Eyshila, Kainón, Gabriela Rocha e Ministério Gospel Night.
publicado por institutogamaliel às 04:40
tags:

Sexta-feira, 18 de Maio de 2012

Será que Walter Mercado está voltando, agora travestido de apóstolo???

Walter sandro Pereira da Silva recorda o dia em que o Arcanjo Miguel veio em seu auxílio pela primeira vez. Ele tinha 2 anos e meio e procurava desesperado a chupeta perdida. “Foi quando apareceu este ser dizendo que ela estava debaixo da cama e que eu devia procurar o Salmo 91.” Quando os pais encontraram o pequeno, ele tinha a chupeta na boca e a Bíblia na mão: milagre. “Nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua tenda. Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos”, dizia o premonitório texto bíblico. Hoje, sentado à cabeceira da mesa da sala de reuniões de sua Igreja Templária de Cristo na Terra, em São Paulo, a cargo de um crescente séquito de 10 mil “templários”, ele agradece a providência angelical, enquanto explica, entre ligações recebidas pelo smartphone, sua missão divina na Terra.
Por que abrir uma nova igreja, quando tantas outras disputam fiéis e denúncias Brasil afora é resposta que o apóstolo tem pronta. “Foi o Arcanjo Miguel que orientou.” Assim a igreja saiu do papel, mas não sem um percurso repleto de sacadas empresariais e, por que não, verdadeiros milagres (“pois não existe coincidência”) que fizeram desse pernambucano pobre de Gravatá o líder de uma seita-símbolo do sincretismo religioso nacional: compósito da lógica de bufê livre, da tolerância e da espiritualidade sem limites do brasileiro.
Mais velho de três filhos de um mestre de obras, Silva veio para São Paulo bebê e cresceu num ambiente católico sem arroubos religiosos. Isso até visitar sua cidade natal aos 13 anos, entrar em uma igreja evangélica e ouvir do arcanjo que deveria pregar. Virou evangélico. Anos depois, quando começou a vender seguros, descobriu o dom da retórica e passou a dar palestras motivacionais: deixe de fumar, emagreça, conquiste o amor. Com a mesma ênfase convencia qualquer um de qualquer coisa, tudo transmitido em um programa na Rádio Mundial. As pessoas saíam a suspirar, crentes, felizes da vida. Estudante de Psicologia, deixou os estudos e bolou sua versão de autoajuda, munido das dicas do arcanjo e de uma fórmula infalível: a pessoa pagava pela entrada na palestra, emocionava-se e na saí-da comprava o livro, o CD e o DVD.
Sincretismo e doação. A Igreja Templária de Cristo mistura Reiki, ioga e passes espíritas 
Por dez anos viveu assim. Mas faltava algo, insistia o arcanjo. Até o pregador conhecer gente que “sentia”, como ele, vir de algo maior – nada menos que a reencarnação dos Cavaleiros Templários, braço militar da Igreja Católica formado por monges com voto de pobreza que aceitaram a tarefa de proteger os cristãos dos muçulmanos, enquanto aqueles tomavam desses a Cidade Sagrada nas Cruzadas. Quando Jerusalém ficou para trás, templários foram queimados vivos pela Inquisição. “Somos a reencarnação deles.” As reuniões começaram como uma espécie de maçonaria, que aos poucos incorporou doses de Reiki (prática esotérica), ioga e passe espírita. Em 11 de novembro de 2011, quando Silva estava prestes a entrar no ar pelo canal UHF 58, novo milagre se deu. “O Arcanjo Miguel materializou-se e disse para eu abrir a igreja. Foi tão forte que tive uma crise de cálculo renal. Fui ao banheiro e ele veio e disse pra botar a mão na urina. Eu pus. E saiu uma pedra do tamanho de meio grão de feijão.” À meia-noite o programa foi ao ar já com o nome de Igreja Templária.
Sandro Silva, que se comunica com o Arcanjo Miguel desde os 2 anos e meio, e tem cerca de 10 mil seguidores A hierarquia nasceu naturalmente. Há um apóstolo (ele), cujo cargo é vitalício e só pode ser transmitido após um conclave. Há também um primeiro-ministro, quatro bispos, 20 ministros e 560 mestres, cada qual encarregado de cuidar de 70 -fiéis. O apóstolo vive “uma vida simples”, em uma casa em São Bernardo do Campo (o “solo sagrado”), com nove dos ministros, sua mãe e cerca de 80 cães e gatos – a igreja tem como tarefa tirar animais da rua. Apóstolos não se casam. O anel de ouro na mão esquerda, com três luas entrecruzadas (as três religiões), ganhou-o de um ourives que foi a uma de suas palestras e seguira o desenho sugerido pelo arcanjo.
Além do prédio no número 643 da Rua Leais Paulistanos, a igreja tem sedes no Rio de Janeiro, no Espírito Santo e em Minas Gerais. Estrutura crescente, que começou a ser erguida com auxílio de doações. Com 1,5 mil reais em moedas, o apóstolo comprou uma Kombi velha, com a qual os mestres vendiam batatas de porta em porta para arrecadar dinheiro.
Outros tempos. Hoje a igreja é mantida pelo “Carnê da Gratidão”, um boleto com depósito de 33 reais em uma conta do Banco do Brasil. “A pessoa não paga. Ela doa.” E ganha, de quebra, o número do celular de um dos mestres para ligar quando quiser, todo dia até as 2 da manhã. “Qual seu problema? Bem, às vezes Deus não cura agora para testar sua fé”, diz o mestre em uma das baias da sala onde cerca de 20 pessoas se revezam em três turnos para atender 3 mil ligações por dia no telemarketing. “A senhora gostaria de receber um CD do Arcanjo Miguel? Não, não é obrigada a pagar. Mas seu lado material vai render mais.” Ao lado, uma senhora corta boletos com uma guilhotina.
A casa do tesouro tem crescido. Um tour revela as 44 salas da igreja, nas quais a mesma cruz pátea impera, entre desenhos de Buda, faraós e santos católicos. Há dois auditórios e salas. Uma das salas de reunião é repleta de cristais a dividir espaço com uma armadura medieval, um sarcófago, São Jorge e a Virgem Maria. Ao lado fica o hospital de cura, onde macas se enfileiram à espera dos pacientes. “Teve uma mulher que chegou com a bexiga podre. Em um mês aqui, a bexiga dela se refez inteirinha.” Mas milagres mesmo se dão durante o “Vale de Sal”, evento que atrai 5 mil pessoas uma vez por mês. Toneladas de sal desenham uma trilha por onde as pessoas que têm problema espiritual caminham e passam mal. “Uivam, gritam, vomitam.”
Tanta peculiaridade trouxe inimigos. “Já cansei de sofrer ameaça de morte, pelo telefone, pela internet.” Mas o apóstolo segue sua vida exemplar. “Templário não ingere café, carne ou açúcar (só mascavo). Ioga e tai chi chuan são obrigatórios. Se bem que a minha ioga é na tevê”, diz, à mesa onde grava os programas. Se tudo der certo, e o arcanjo há de ajudar, em breve a igreja terá seu canal UHF (que custou 120 mil reais) para levar, “em cadeia nacional”, a mensagem do fim do preconceito. “Nós não temos nenhum.”

publicado por institutogamaliel às 07:47

Quinta-feira, 17 de Maio de 2012

Entre copos e copos de Amarula (ela bebe mais de duas garrafas em cada show), palavrões, gírias, “capelas” cantadas pela metade e muita gargalhada, Tatiana dos Santos Lourenço, mais conhecida por Tati Quebra Barraco, recebeu o iG para um bate papo.
Pouco antes de um show em São Paulo, com o mesmo repertório recheado de sexo, palavrão e letras de duplo sentido que a fizeram famosa em 2004, Tati falou sobre a vida nos palcos, no papel de mãe e no de avó.
Ainda com uma agenda intensa de apresentações – talvez não mais em festinhas particulares de famosos e do hi-society, mas em clubes alternativos e da periferia -, Tati conta que faz questão de investir nos estudos dos três filhos e do neto, algo que ela não teve. “E não tive porque não quis. Hoje me arrependo muito (de não ter estudado) porque não sei nem dar autógrafo. Quando me pedem, aviso que não sei escrever e falo: “é de coração, então não me pergunta o que tá escrito”.

As idolatradas tatuagens de Tati Quebra Baraco: no braço direito a palavra “Jesus Cristo”. No do esquerdo, a frade, “Tati, Sou Fiel”.
Confira a entrevista:
iG: É verdade que você virou evangélica?Tati Quebra Barraco: Que história é essa de que virei evangélica? De c* é rola! Na verdade tem umas pessoas da minha família que são crentes e em 2009 comecei a fazer culto evangélico na minha casa e as pessoas acham que eu virei cristã. Não vou na igreja, não virei crente, só faço culto. O que passa no meu coração, só Deus sabe.
iG: Como são os cultos?Tati Quebra Barraco: Meu culto é com muita comida. E quando eles vão embora, aí começa a festança. Sempre fiz e gosto muito de festas, com funk e cerveja, na humildade, com mais de seiscentas caixas de Skol.
iG: O que mudou na Tati Quebra Barraco depois que você começou a fazer esses cultos?Tati Quebra Barraco: A Tati Quebra Barraco é uma coisa e a Tatiana é outra. A diferença é que no palco eu quebro tudo e na vida pessoal eu cozinho, tenho responsabilidade com filhos, acordo às seis horas da manhã, levo as crianças pra escola. Sou casada há nove anos com meu marido que é segurança. Sou fiel… a Jesus Cristo.

No palco, Tati Quebra Barraco agita a galera chacoalhando o “popozâo”
iG: E você é fiel a ele?Tati Quebra Barraco: Sou a rainha da putaria e do funk. Fui mulher de muitos homens, mas de amor, só do meu marido. Não é à toa que cada filho tem um pai diferente. Minha filha vai fazer 19 anos, e já tem a neném, tenho um filho de 15 anos, que fica com minha mãe, Sônia, e a pequena de 8 anos, a Mila, vai pra outra mãe de criação, que cuidava dela porque eu trabalhava muito. Eu sou isso aí.
iG: Que regras você impõe para eles?Tati Quebra Barraco: Tipo assim, atrasou na escola, meto a porrada, não tem essa. Hoje pago escola particular, vai perder a hora? Não pode. O meu filho Iuri, me puxou, não gosta de estudar. Tenho que fazer algo por eles que eu não tive. Me arrependo muito, porque não sei nem dar autógrafo. Quando me pedem, eu aviso que não sei escrever e falo: “é de coração, então não me pergunta o que tá escrito”.
iG: E você deixa eles escutarem a sua música?Tati Quebra Barraco: Se eu não deixar vão escutar em outro lugar. Quero viver bem com minha família. Acho que a Mila, minha filha mais velha, vai cantar. Mas não funk, ela é de enrolar a língua (se referiu ao inglês), tocar violão.

Sem blusa, e só de colant, Tati Quebra Barraco se quebra no palco. “Tenho mais celulite na bunda, parece que eu fui fuzilada. Mas tudo bem, se não tiver, não é mulher”
iG: De onde vem sua inspiração?Tati Quebra Barraco: A minha inspiração veio depois de três meses sem quebrar o barraco. E quebrar o barraco é fuder. Aí comecei a brincar na comunidade (pausa para ela cantar “então é sóóóó´me comendooooo, vem, alisa meus coxãaaaao, mão nos meus peitinhuuuu, me chama de cachorra que eu faço au au). Eu tava gorda pra caralho naquela época, o cabelo assim né, no coco, pouca telha. Comecei a cantar tinha dezessete anos. Estou com 32, fui mãe com 13, avó com 29 e tô aí, quebrando tudo e mais um pouco.
iG: Qual artista internacional você admira?Tati Quebra Barraco: Se eu tiver que gravar com alguém, vou ser sincera: sou fã da Thalia (cantora mexicana). Amo a “Maria do Bairro”. Quando ela manda aquela jogada das costelas, quebra aqui, quebra lá… ai, só pai mesmo! Das duas às cinco horas da tarde não atendo telefone, não dou entrevista, não falo com ninguém. Começo vendo “Marissol”, depois “Pícara Sonhadora” e vem “Maria do Bairro” (reprises que passam uma seguida da outra no SBT). Gosto também da “Usurpadora”. Eu amo o México, tá? Um dia vou chegar lá. A Thalia é linda para caralho, nunca vi mulher pra barrar ela. Não tem Beyoncé certa praquela mulher ali. Um dia a gente se encontra… Não gosto muito de sonhar, não.
iG: Chegou a ficar rica?Tati Quebra Barraco: Eu comprei um apartamento no Tatuapé, no Anália Franco, mas me desfiz. Agora, eu rica? De cú é rola! É mentira. Moro perto da Cidade de Deus e é uma casa bacana. Me dei esse luxo. Fui nascida e criada lá, mas não sou muito querida por alguns, porque você sabe como é mulher, né? Abafa o caso! Eu tô bem sucedida e agora pretendo fazer pela minha família. Não vou falar muito em dinheiro, mas estou bem. Muito dinheiro é a Beyoncé, o Jay-Z, a Xuxa… O Silvio Santos, que caga é ouro, né? Esse tem.
iG: Qual foi sua maior extravagância em relação a dinheiro?Tati Quebra Barraco: Não me ligo em bolsa, essas coisas. Me ligo mais em festas e roupas. As festas que fiz foi pro meu ego, porque quando eu não era nada ninguém me convidava festa nenhuma. Foi um bom dinheiro.
iG: Você tem o pavio curto e sempre foi polêmica. Se arrepende de alguma coisa?
Tati Quebra Barraco: De algumas coisas sim, mas deixa pra lá. Da maioria, não. Hoje conto até dez antes de falar alguma coisa. Mas não aguento desaforo. Bastou olhar pra mim diferente… Aprendi a brigar, dar porrada, com meus três irmãos, sou a única mulher e minha avó é policial. Não tem como eu apanhar de mulher (gargalhadas). Se tiver que bater, bato, mas sou tranquila, não sou maluca.

Tati Quebra Barraco leva o público ao delírio com suas músicas com repertório recheado de sexo, palavrão e letras de duplo sentido.
iG:Tem algum medo?Tati Quebra Barraco: Tenho medo de assombração, não gosto de dormir sozinha.
iG: Você já foi convidada para participar de algum reality show? Aceitaria?Tati Quebra Barraco: Participaria sim, mas nunca fui chamada. Quer polêmica? Bota eu lá. Mas acho que eu não ganharia, apesar de que o futuro, só a Deus pertence. Eu entraria com tudo, só não entraria de maiô, entraria de fio dental e, paciência, até mesmo porque quem tá comendo aqui não tá reclamando (gargalhadas).
iG: E gostaria de ser atriz?Tati Quebra Barraco: Atuar não, porque meu mundo não é esse. Não querendo criticar ninguém, mas elas tão indo fu*** pra isso. Tem que dar pra um e pra outro só pra fazer uma pontinha. Minha vida não é essa. Igual quando comecei a cantar: as mulheres vêm, botam roupinha, tiram roupinha, e eu vim com a cara e com a coragem, feia pra car****, cabelo na telha e fiz mais sucesso. Isso que é importante, entendeu? Agora comecei a colocar shortinho porque antes não dava. Os homens iam correr porque a barriga tapava a xereca, tipo assim…
iG: Entre plásticas, lipos, implantes, são mais de 20 cirurgias que você fez. Você ainda faria mais alguma?Tati Quebra Barraco: Mexi em tudo o que você possa imaginar. Agora quero tirar um pouco de peito de novo. Quer saber por quê? Gosto de renovar! Eu não malho, e minhas pernas são de nascença, não é que nem “Mulher Fruta”, não. Tenho mais celulite na bunda, parece que eu fui fuzilada. Mas tudo bem, se não tiver, não é mulher, né? Eu não malho, não, só a vida dos outros (risos), que é muito importante porque malham a nossa. E minha dieta é mocotó, feijoada e rabada.

Com mais de vite plásticas Tati Quebra Barraco exibe uma das partes lipoaspiradas, a barriga. “Não malho e minha dieta é mocotó, feijoada e rabada”
iG: Qual foi a sua maior realização até hoje?Tati Quebra Barraco: A minha maior alegria foi cantar no Palácio de Berlim (Alemanha), em 2004. Pra mim foi pica! Teve crítica aqui porque não foram Ivete (Sangalo), Claudinha Leitte, fulano. Foi Tati Quebra Barraco, favelada, enfim. Mas Deus sabe o que faz. Cantei cheia de vergonha porque nunca tinha saído do Brasil, não tinha cachê nem em Nova Iguaçu (RJ) e fui parar em Berlim! Todo mundo gritava e eu pensei que estavam me xingando, mas aí descobri que pediam bis (risos).
Notícias Cristãs com informações do iG
publicado por institutogamaliel às 18:41

Quinta-feira, 10 de Maio de 2012

Finalmente, Obama confessa que é a favor do “casamento” gay. “Acabo de concluir que para mim pessoalmente, é importante ir em frente e afirmar que penso que as duplas de mesmo sexo têm o direito de se casar”, Obama disse nesta tarde numa entrevista para Robin Roberts, jornalista da ABC News.
Ninguém ficou surpreso com a declaração de Obama, pois seu governo, desde o início, vem promovendo e impondo a agenda gay com agressividade fenomenal. Em dezembro do ano passado, seu governo ordenou que todas as embaixadas e órgãos dos EUA no exterior fizessem da agenda gay prioridade absoluta. Essencialmente, o decreto de Obama transforma os EUA em uma poderosa agência policial mundial a favor do homossexualismo.
Obama acha mais seguro usar Jesus, não Maomé, para apoiar “casamento” gay
Antes de chegar à presidência, Obama era um senador esquerdista que apoiava publicamente o “casamento” gay. Mas desde a primeira eleição presidencial, ele tem se mantido em discrição e “silêncio”, dando a entender que mudou de ideia, embora suas ações descaradamente pró-homossexualismo deixassem claro que sua “mudança” era só de lábios.
O que parece ter arrancado Obama do armário da incoerência entre seus lábios e ações foi a vitória que o povo da Carolina do Norte obteve recentemente contra os supremacistas gays. Esquerdistas de peso como o ex-presidente Bill Clinton entraram na votação do estado americano que estava decidindo proibir ou não o “casamento” gay, a união civil gay e todo tipo de parceria gay.
Billy Graham, o maior evangelista do mundo, entrou na briga, e saíram perdendo Bill Clinton e todos os supremacistas gays. Diante do quadro lúgubre para os extremistas, Obama, num momento de muita emoção e revolta contra a derrota decisiva na Carolina do Norte, não se conteve e saiu do armário, determinado a mostrar para o público americano e mundial que o “casamento” gay é certo e que Billy Graham e o povo da Carolina do Norte estão errados.
Contudo, ele não deixou transparecer tal motivação. O que ele apontou como motivação foi sua “fé”, usando como exemplo a declaração onde Jesus diz que devemos tratar os outros como gostaríamos de ser tratados. Ele disse: “Pensamos acerca da nossa fé, que está na raiz de nossas convicções, não só de Cristo se sacrificando em nosso favor, mas também de nos amarmos uns aos outros”.
Mencionar Jesus hoje para apoiar qualquer ideia ou prática perversa não traz consequências. Mas Obama, o grande defensor do islamismo como “religião de paz”, jamais ousaria dizer que a base para seu apoio ao “casamento” gay é Maomé. O mundo islâmico inteiro se levantaria em brados e bombas.
Entretanto, ofender os cristãos, ou insultando Cristo ou usando o nome dEle profanamente para promover ideias e práticas contra a natureza dEle, é conduta normal de esquerdistas.
No passado, os homens que viviam em aberrações confessavam que a base de seus atos era Satã ou Satanás. Mas hoje, homens desse tipo perderam a vergonha, usando e abusando do nome de Jesus em defesa de suas pérfidas escolhas. Só não ousam usar e abusar do nome de Maomé ou do Corão com o mesmo objetivo.
Com sua confissão em reação à derrota esquerdista na Carolina do Norte, Obama se torna o primeiro presidente dos Estados Unidos a declarar apoio público ao “casamento” gay.
Com informações de LifeSiteNews.
Esperteza dele, mesmo sendo um islâmico nominal ele sabe que atribuir ao islã apoio ao homossexualismo ele iria sofrer com o terrorismo, cristãos são de paz, assim como os judeus que foram massacrados na segunda guerra mundial... é fácil atacar quem não quer se defender usando a violẽncia, mas o Juiz Supremo, nosso Deus, o julgará. 
publicado por institutogamaliel às 06:23



Está totalmente enganado quem pensa que o bullying está presente somente nas escolas. Esta trágica atitude, seja de nível físico ou psicológico, está aflorada em nossa sociedade, tanto na esfera pública como na particular. Infelizmente, no meio evangélico não é diferente. Lamentavelmente ainda existe uma guerra de discordâncias e comentários de caráter ofensivo entre os movimentos tradicionais e pentecostais. Por que existem tantas discussões e desavenças entre tais movimentos? Quem está com a razão teológica? Qual deles está vivendo uma espiritualidade sadia e bíblica? O fato é que existem falhas em ambos os movimentos, e certas rivalidades servem apenas para ferir o princípio da ética e da boa convivência. Alguns até encontram base bíblica para provar que seu movimento é melhor e o único aprovado por Deus, supondo que o outro é uma afronta às escrituras. Houve um tempo em que as diferenças eram tratadas de modo respeitável e ponderável, quando as pessoas tinham o direito de concordar e discordar umas das outras, mas a questão é que hoje muitos têm levado este assunto ao extremo, a um nível pessoal. Eu pergunto: será que no coração Deus existe uma certa acepção e classificação em relação a uma pessoa cuja fé é caracterizada pelos moldes do tradicionalismo ou pentecostalismo? Você que se diz pentecostal ou tradicional, como tem tratado aqueles que pertencem a um movimento diferente do seu? Com respeito, apatia ou desprezo? 
Precisamos tomar cuidado com certas declarações que fazemos a respeito daqueles que pertencem a um segmento diferente do nosso. Em Romanos 14:3 está escrito: “O que come não despreze o que não come; e o que não come não julgue o que come, porque Deus o recebeu por seu”. Você gostaria que outros lhe respeitassem? Dê a eles o devido respeito.  Como se sentiria se fosse criticado em sua fé por ser tradicional ou pentecostal? Magoado e ressentido, naturalmente. Meu querido, não se iluda, pois em ambos os movimentos existem pontos fracos e fortes, qualidades e defeitos. É fácil notarmos maus testemunhos de irmãos que pertencem tanto a um grupo como ao outro. Irmãos que compram e não pagam, que mentem descaradamente, que não honram com sua palavra, que vivem em adultério etc. Portanto, paremos de meninice, e cresçamos no corpo de Cristo. Sejamos sensatos e não deixemos que nossos ideais de fé e pensamento incitem a divisão e discordância entre irmãos. Não vale a pena digladiar por questões frívolas e orgulhosas. Isso só gera raiz de amargura no coração. Muitos utilizam uma expressão popular que diz: “Desta água nunca beberei”, mas já vi muitos comerem no prato que cuspiram. Pessoas que afirmaram: “Desta igreja nunca participarei”, ou “Nunca serei como tal grupo, pois nasci assim e vou morrer assim”, e hoje tiveram que retratar as palavras das quais um dia tiveram tanta convicção. Como as coisas mudam, não é mesmo? É tempo de amadurecimento e arrependimento.
Vamos cultivar o amor uns para com os outros acima de tudo. Salmos 133:1 diz: “Oh! Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos!” Gostaria de encerrar aqui com um breve texto de Paulo a respeito da igreja em Corinto.“Quando, pois, alguém diz: Eu sou de Paulo, e outro: Eu, de Apolo, não é evidente que andais segundo os homens? Quem é Apolo? E quem é Paulo? Servos por meio de quem crestes, e isto conforme o Senhor concedeu a cada um. Eu plantei, Apolo regou; mas o crescimento veio de Deus. De modo que nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento. Ora, o que planta e o que rega são um; e cada um receberá o seu galardão, segundo o seu próprio trabalho. Porque de Deus somos cooperadores; lavoura de Deus, edifício de Deus sois vós. Segundo a graça de Deus que me foi dada, lancei o fundamento como prudente construtor; e outro edifica sobre ele. Porém cada um veja como edifica.Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que foi posto, o qual é Jesus Cristo.” (1 Coríntios 3:4-11). Quem você é no corpo de Cristo? Tradicional, pentecostal ou “tradicostal”Vamos deixar a intolerância e o bullying denominacional de lado e olhar somente para Jesus. Somente nele teremos condição de amar e respeitar a espiritualidade do nosso próximo em Cristo.
publicado por institutogamaliel às 06:08
tags:

Quarta-feira, 09 de Maio de 2012

Hoje recebi um e-mail de um irmão, fazendo um questionamento sobre o "devorador". A seguir, descrevo o questionamento e a resposta:


A paz do Senhor!

   Pastor Flávio, tenho uma dúvida será que o Sr. poderia me ajudar? O Devorador é um anjo ou Demonio, pergunto porque pelo que vejo foi deus que enviou e é ele que repreende, 

Malaquias Cap 3, qual o seu parecer?

Att


Caio Flávio Peres
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Graça e paz, amado!

Antes de responder sua pergunta, como teólogo que sou, tenho por obrigação de consultar o que a bíblia fala a respeito do termo “devorador”, em que textos e quais os contextos.

Vejamos:
  • ·         Deles comereis estes: a locusta segundo a sua espécie, o gafanhoto devorador segundo a sua espécie, o grilo segundo a sua espécie, e o gafanhoto segundo a sua espécie. Levítico 11:22
  • ·         E por causa de vós repreenderei o devorador, e ele não destruirá os frutos da vossa terra; e a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos. Malaquias 3:11
  • ·         O que deixou o gafanhoto cortador, comeu-o o gafanhoto migrador; o que deixou o migrador, comeu-o o gafanhoto devorador; o que deixou o devorador, comeu-o o gafanhoto destruidor. Joel 1:4
  • ·         Restituir-vos-ei os anos que foram consumidos pelo gafanhoto migrador, pelo destruidor e pelo cortador, o meu grande exército que enviei contra vós outros. Joel 2:25
É bastante frequente, em nossas igrejas, ouvir o argumento de que o cristão deve dar o dízimo, sob pena de ser amaldiçoado e destruído, financeiramente, por um demônio conhecido como "devorador". Sobretudo, a despeito da famierada teologia da prosperidade que tem sido apregoada, utilizando-se de meios de comunicação em massa.

Mas, existe um demônio chamado "devorador"?

Visto que o trecho de Malaquias 3:11 é utilizado como apoio à teoria da existência desse ser perverso, o melhor meio para respondermos a essa pergunta é analisar o significa do termo "devorador", nesse versículo.

Trazei todos os dízimos à casa do Tesouro, para que haja mantimento na minha casa; e provai-me nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós bênção sem medida. Por vossa causa, repreenderei o devorador, para que não vos consuma o fruto da terra; a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos. (Malaquias 3:10,11)

Utilizando um hermêutica saudável, logo fica claro que o termo "devorador" foi utilizado como recurso  para designar as pragas que assolavam as plantações daquela época: gafanhotos ou larvas.

O profeta Joel, por exemplo, classifica alguns gafanhotos como devoradores:

O que deixou o gafanhoto cortador, comeu-o o gafanhoto migrador; o que deixou o migrador, comeu-o o gafanhoto devorador; o que deixou o devorador, comeu-o o gafanhoto destruidor.(Joel 1:4)

O texto de Malaquias, nos ensina, dessa forma, que Deus prometeu que repreenderia todas as pragas destruidoras de plantações, caso o dízimo fosse entregue.

Mas alguém pode perguntar: não poderíamos extrair um significado espiritual, mais profundo dessa passagem, de forma que pudéssemos enxergar, no inseto devorador, a figura de um demônio?

Sabemos que a Bíblia é repleta de linguagem simbólica. Temos metáforas, parábolas, tipologia, etc. Sabemos, porém, que a linguagem simbólica predomina em alguns gêneros literários específicos, entre eles, a profecia e a poesia.

Acredito que, pela literalidade da passagem estudada, não há condições de ligar a figura do devorador a um demônio.

Também existem objeções teológicas contra essa afirmação de que um demônio fica à espreita do crente, pronto para minar as suas economias, caso pare de dar o dízimo:

Como primeira objeção, a palavra de Deus nos afirma que o Senhor Jesus Cristo nos deu autoridade sobre os demônios: Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome, expelirão demônios..." (Marcos 16:7). Talvez alguém diga que esse tipo de demônio não dá para expulsar quando o crente está em uma situação de desobediência. Sabemos, porém, que o nome de Jesus Cristo tem poder, e que até falsos cristãos são capazes de expulsar demônios usando o Seu nome. No juízo final, muitos dos que irão para o inferno utilizarão a desculpa de que expulsaram muitos demônios; apesar disso o Senhor dirá "não vos conheço". Se há, portanto, algum demônio querendo arruinar a vida do crente, creio que, pelo poder da fé, ele seja capaz de expulsá-lo.

Não considero prudente utilizar os exemplos de Paulo e Jó para comprovar que os demônios, podem sim, atormentar o crente. Eles não foram atormentados por serem desobedientes, mas por serem obedientes. Além disso, no caso de Paulo, o mensageiro de Satanás que o esbofeteava bem poderia ser a representação das perseguições que ele sofria, levadas a efeito por homens que eram instrumentos de Satanás.

Como segunda objeção, particularmente, tenho dificuldades em entender que um cristão fique debaixo de maldição por não dar um dízimo. A Palavra de Deus declara a bendita condição daqueles que são filhos de Deus: eles são a bendita descendência espiritual de Abraão, estão assentados nas regiões celestiais, são sacerdócio santo, são novas criaturas, foram resgatados da maldição da lei, foram transportados do reino das trevas para o Reino de Deus; todas as coisas contribuem para o seu bem, etc.

Eu não acho plausível que Deus, depois de ter feito tanta coisa por nós, permita que uma maldição recaia sobre nossas vidas só porque não damos o dízimo. E o caso daquele que dá o dízimo num mês e no outro não dá? Ele é abençoado num mês e amaldiçoado no outro? Estou persuadido de que, para que o crente perca a sua condição de abençoado, há um longo caminho de desobediência para trilhar. Enquanto ele não chegar ao fim mortal desse itinerário de apostasia, o Deus dos céus continua a considerá-lo como um abençoado.

A essa altura você deve estar pensando, o Pr. Flávio certamente não é dizimista, caso contrário não estaria dizendo todas essas asneiras.

Engano seu. Dou graças a Deus por que sou dizimista. Mas não fui persuadido a ser dizimista por causa de alguma ameaça divina que me deixou aterrorizado, a ponto de dizer: "ai meu Deus, se eu não der o dízimo o devorador vai acabar comigo!"

Acredito que a maioria dos dizimistas tem outros motivos para contribuir para a causa do Senhor. Assim como Abraão e Jacó, os servos do Senhor dizimam impulsionados por um imenso sentimento de gratidão por todos os benefícios que eles têm recebido do Senhor. A maioria dos crentes que conheço não entregam o dízimo por medo, mais entregam com coração voluntário e grato. Esse gesto, na maioria dos casos, é acompanhado por um sentimento de profundo amor para com Deus.

Finalizando, portanto, quero dizer que nossos pastores poderiam utilizar argumentos melhores para persuadir os crentes a darem o dízimo:

Em primeiro lugar, poderiam ressaltar a bondade de Deus em nossas vidas. Ele nos salvou, nos transformou, nos deu uma família, um emprego, saúde. Nada mais justo retribuir a todos esses benefícios em prol da obra do Evangelho.

 Em segundo lugar, os pastores poderiam ser mais transparentes na administração dos recursos financeiros oriundos de dízimos e ofertas. Há igrejas em que o pastor não presta contas, e quando um membro pede para ter acesso aos dados financeiros, recebe a resposta de que quem dá o dízimo cumpre uma obrigação diante de Deus e não precisa depois ficar sabendo para onde foi à contribuição. Como os cristãos se sentirão impulsionados a dizimar numa situação como essas? A Igreja, pelo código Civil, é regida pelas normas que se aplicam a associações, significando, portanto que todo membro é um administrador dos bens da igreja. Ninguém vai continuar dando dízimo se perceber que os bancos da igreja continuam quebrados, que os banheiros são sujos, etc. 

Certamente existem outras maneiras de persuadir aos crentes a darem o dízimo que não seja esse recurso terrorista. Sei que falar sobre dízimo sempre é algo muito delicado, pois gera sempre intensas discussões. Há muito debate sobre a licitude ou não da cobrança do dízimo.

O meu objetivo foi incutir, na mente de meus leitores, apenas esta idéia: se quiser pedir aos crentes que dêem o dízimo, peça direito e sem violentar o texto bíblico.

Pr. Flávio Nunes


publicado por institutogamaliel às 06:09


2012 - O fim do Mundo?

Sem dúvida, o homem moderno tem muito conhecimento e um horizonte amplo. Por exemplo, sabemos da fragilidade de nosso pequeno planeta e como ele gira no espaço... Preocupamo-nos com a poluição ambiental e com maneiras de evitar doenças. Mesmo assim, sentimo-nos ameaçados e temos medo daquilo que nos parece sinistro ou obscuro, de grandes mudanças e surpresas negativas. Tememos ser atropelados pelos acontecimentos...
Será que em 2012 devemos esperar por uma acúmulo de catástrofes inimagináveis? Terremotos, mega-erupções solares, tsunamis, tornados, impactos de meteoros, uma colisão com o misterioso planeta Nibiru, deslocamento dos polos magnéticos terrestres... Haverá constelações extraordinárias e alinhamentos de planetas fora do comum quando nosso sistema solar cruzar o “Equador galáctico”, liberando muita energia cósmica? Haverá um colapso do tempo? Uma nova e superior esfera de consciência? Ou: será que as experiências do acelerador de partículas de Genebra provocarão um buraco negro em 2012, desencadeando o fim do mundo e tragando as pessoas para o abismo?
Esse medo coletivo latente é usado e abusado pelos cineastas, autores e repórteres: fala-se do malfadado calendário maia com seus 13 ciclos Baktun e de antigos hieróglifos egípcios, de oráculos romanos e de visões de pajés dos habitantes primitivos dos Estados Unidos como os Hopi e Cherokee, o antiquíssimo i-ching chinês entra em pauta juntamente com misteriosos desenhos rupestres... Nostradamus obviamente não pode faltar, como também não pode faltar uma pitada de profecia “bíblica” dos profetas Ezequiel e Zacarias, misturada com visões apocalípticas. Para completar, os que amam teorias conspiratórias (lamentavelmente, inclusive cristãos) esquentam o clima com suas idéias de dominação mundial e com especulações sobre os tempos finais (veja Jeremias 10.2). Infelizmente, com suas explicações aleatórias e arbitrárias eles difamam e diluem a seriedade e a veracidade da profecia bíblica!
Mas a Bíblia, hoje propagada e disponível no mundo todo, fornece informações claras e precisas. É ali, na própria Bíblia, que encontramos os verdadeiros guardiões da revelação divina. Ela é a única fonte de informação e orientação digna de confiança (veja 2 Pedro 1.19-21).
As profecias bíblicas não nos deixam na mão. Elas são bem mais do que um anúncio prévio de coisas que irão acontecer ou a proclamação de juízos apocalípticos. O mais importante que a Bíblia tem a dizer sobre o futuro é anunciar a volta de Jesus, o Rei do Universo. Na Sua primeira vinda Ele veio como Salvador de cada um de nós e pagou o preço dessa salvação com Sua própria vida. Agora Ele espera pacientemente pela resposta das pessoas. Mas apenas até que o prazo esteja esgotado! “Então, se verá o Filho do Homem vindo numa nuvem, com poder e grande glória” (Lc 21.27).
Desde o nascimento de Jesus muitos povos outrora grandes e poderosos já desapareceram – restaram apenas as sombras de sua glória passada em museus e ruínas como as pirâmides egípcias, o Coliseu romano, a Acrópole grega, Machu Pichu no Peru ou os restos de templos maias no México. Entre esses povos havia somente superstição e idolatria. Mas a Bíblia fala do centro verdadeiro e legítimo de nossa adoração, que é igualmente Aquele que dá sentido à nossa existência pessoal: Jesus Cristo!
Quando Ele vier, será como terrível Juiz para você? Ou como o tão esperado Salvador? Vivemos em um mundo maduro para o juízo. Se o Deus da Bíblia existe de fato, então as coisas não poderão continuar assim por muito tempo. Mas será que não há mais esperança? A situação do mundo é sem saída?
Jesus Cristo veio para morrer pelos seus pecados. Ele ressuscitou dentre os mortos para garantir sua salvação. A Bíblia conclama homens e mulheres a darem meia-volta, da desobediência para a obediência a Deus, e promete perdão dos pecados a todo aquele que crer nEle (veja 2 Crônicas 7.13-14).
Um dia haverá, sim, um acúmulo de catástrofes inimagináveis; porém, não será o fim do mundo mas as “dores de parto” prenunciando a volta do Messias, Jesus (Lucas 21.25-26). “Vede que ninguém vos engane! Vigiai!” (Mateus 24.4; Marcos 13.5,37). Quando Cristo voltar, Ele virá para você como Salvador ou como Juiz?
publicado por institutogamaliel às 05:15
tags: ,

Segunda-feira, 07 de Maio de 2012


Pastores morrem cantando hino da harpa e emocionam bombeiros que os socorriam após acidente
Dois pastores evangélicos e um motociclista morreram num acidente envolvendo sete veículos, na manhã de ontem, na Rodovia do Contorno, trecho da BR 101 que liga Serra a Cariacica no Espírito Santo.
Os religiosos pertenciam à Igreja Assembleia de Deus e haviam saído de Alegre, município da Região Sul do Estado, rumo a uma convenção estadual da igreja em Nova Carapina II, na Serra.
Os veículos – cinco caminhões, uma moto e um automóvel Del Rey – bateram um atrás do outro. O engavetamento aconteceu às 8h15, no quilômetro 277, na Serra. Os pastores estavam no carro.
Tudo começou quando um caminhão freou por causa do intenso fluxo de carros no sentido Cariacica – Serra. Os veículos que vinham atrás dele frearam também, mas o último caminhão – de uma empresa de cerveja – não conseguiu parar a tempo. Com isso, os veículos que estavam à frente foram imprensados uns contra os outros.
Os pastores José Valadão de Souza e Nelson Palmeira dos Santos e o motociclista Jonas Pereira da Silva, 52 anos, morreram no local. Dois outros pastores, que também estavam no Del Rey, sobreviveram, e o motorista de um dos caminhões sofreu arranhões nas pernas. Nenhum dos outros caminhoneiros ficou ferido.
O proprietário e condutor do Del Rey é o pastor Dimas Cypriano, 61 anos, do município de Alegre. Ele saiu ileso do acidente e teve ajuda do motorista José Carlos Roberto, carona de um dos caminhões, para sair do veículo.
Seu amigo de infância, o pastor Benedito Bispo, 72, ficou preso às ferragens. Socorristas do Serviço Médico de Atendimento de Urgência (Samu) e bombeiros fizeram o resgate dele. O pastor teve politraumatismo e foi levado para o Hospital Dório Silva, na Serra.
A mulher de Benedito chegou a ver o marido sendo socorrido e teve que ser amparada por um familiar. Ela também seguia para a convenção num outro veículo. A rodovia ficou interditada durante vários momentos da manhã de ontem nos dois sentidos. O trecho só foi totalmente liberado no início da tarde.
O pastor Dimas Cypriano, que sobreviveu ileso ao acidente na manhã de ontem, no Contorno, contou que usava cinto de segurança e que ficou preso ao tentar sair. Ele dirigia o Del Rey e disse que precisou de ajuda para sair do carro. Mas depois continuou no local, acompanhando os trabalhos de resgate do colega, Benedito Bispo. Nas mãos, levava uma Bíblia que ficou suja de sangue. Mas isso não impediu que o pastor orasse durante o socorro.
O mais comovente do triste episódio, foi o relato dado por 2 pastores sobrevivente, e pelos bombeiros que tentavam tirar os pastores ainda com vida, que estavam presos nas ferragens.
As testemunha citadas acima, contam que os pastores Nelson Palmeiras e João Valadão, ainda com vida e presos nas ferragens, em meio a um mar de sangue que os envolvia, começaram a cantar o Hino 187 da harpa cristã:
Mais perto
Quero estar meu Deus de ti!
Ainda que seja a dor
Que me una a ti,
Sempre hei de suplicar
Mais perto
Quero estar meu Deus de ti!
Andando triste
Aqui na solidão
Paz e descanso
A mim teus braços dão
Nas trevas vou sonhar
Mais perto
Quero estar meu Deus de ti!
Minh’alma cantará a ti Senhor!
E em Betel alçará padrão de
Amor,
Eu sempre hei de rogar
Mais perto
Quero estar meu Deus de ti!
E quando Cristo,
Enfim, me vier chamar,
Nos céus, com serafins irei
Morar
Então me alegrarei
Perto de ti, meu Rei, meu Rei,
Meu Deus de ti!
Aos poucos suas vozes foram silenciando-se para sempre.
As lagrimas tomaram conta dos bombeiros, acostumados a resgatar pessoas em acidentes graves, porem jamais viram alguem morrer cantando um hino; como foi o caso dos pastores Nelson Palmeiras e João Valadão .
Fonte: Genizah Virtual / Gospel+
Via: Gospel Prime
publicado por institutogamaliel às 10:59
tags:


O promotor acredita que essas grandes concentrações de pessoas prejudica o trânsito e os moradores do bairro pelo ruído que é emitido

 
 
O Ministério Público Estadual de São Paulo abriu investigação para apurar a realização de eventos religiosos em vias públicas. Para eles é necessário limitar grandes encontros porque eles causam congestionamento no trânsito e emitem excesso de ruído.
Nesse domingo (6) a Igreja Mundial do Poder de Deus vai usar a Praça Campo de Bagatelle, na zona norte, para realizar o evento “Dia do Grande Desafio” que deve reunir cerca de 1 milhão de pessoas. Para receber essa quantidade de pessoas a Avenida Santos Dumont será interditada.
O promotor de Justiça Mauricio Antonio Ribeiro Lopes acredita que eventos como esse não podem acontecer sempre. “Vamos ceder espaço público todos os dias para uma determinada religião? Neste fim de semana, por exemplo, já teremos a Virada Cultural. É muita coisa.” No dia 1º de maio a mesma praça foi usada por centrais sindicais para comemorar o Dia do Trabalhador reunindo ali cerca de 50 mil pessoas.
O MPE abriu processo recentemente contra o Município de São Paulo, o Prefeito Gilberto Kassab (PSD) e contra o pastor José Wellington Bezerra da Silva pela realização do evento em comemoração aos 100 anos da Assembleia de Deus no Estádio do Pacaembu.
Em sua defesa Kassab alega que a legislação permite sim que o Estádio Municipal seja usado para eventos. “A legislação permite a utilização do Pacaembu para eventos. O importante é que as regras sejam respeitadas. E foram”, disse o prefeito que prometeu apresentar à Justiça “suas razões” para permitir não só esse evento como também outra concentração religiosa promovida no Pacaembu pela Igreja Universal do Reino de Deus.
Para o pastor Rubens Teixeira a ação do MPE de querer limitar apenas eventos religiosos pode ser na verdade uma perseguição contra os evangélicos brasileiros. “Se o Ministério Público Estadual de São Paulo quiser limitar todos os eventos em vias públicas: religiosos, sindicais, culturais, esportivos, etc, pode ser algo razoável. Contudo, querer impedir apenas eventos evangélicos é uma clara perseguição religiosa contra os brasileiros evangélicos”.
Teixeira lembra que muitos dos eventos que acontecem em vias públicas possuem fins comerciais, ou são esportivos, culturais e etc. “Porque estes não são questionados? Será que é verdade que o interesse econômico fala mais alto mesmo até em instituições que deveriam proteger direitos individuais? Por enquanto, se for uma medida que afetaria apenas eventos evangélicos e religiosos de um modo geral, estou acreditando que se trata de iniciativas desastradas e odiosas individuais de alguns membros do MPE que estejam se utilizando da investidura dos seus cargos públicos para fazer valer a sua vontade como cidadãos, o que já é um desastre”, diz ele em entrevista ao site Holofote.net.
publicado por institutogamaliel às 10:50



A Justiça de Santa Catarina condenou um pastor de igreja pentecostal ao pagamento de indenização de R$ 1,5 mil por danos morais a uma vizinha do templo, a quem ele chamou de “filha do diabo”. Segundo o Tribunal de Justiça do estado, as ofensas foram feitas na hora do culto, quando a mulher conversava no portão de sua casa com a filha e o namorado dela. O pastor ainda disse que a vizinha precisava “se tratar com Deus”.
O líder religioso alegou “legítima defesa da igreja e da própria fé que professa”. Disse, também, que a mulher sempre debochava dos frequentadores da igreja, mas não houve testemunha que confirmasse esse comportamento.
A sentença de 1º grau arbitrou a indenização em R$ 1,5 mil. Em apelação ao TJ, o pastor alegou “legítima defesa da igreja e da própria fé que professa” para justificar os impropérios. Disse que a moça costumeiramente debochava dos frequentadores da igreja e que sua atitude foi, em verdade, de defesa contra tais ataques. Nos autos, entretanto, nenhuma testemunha confirmou esse comportamento da vizinha da igreja.
“Tem-se que o réu (…), por ação voluntária, violou o direito de crença da autora, causando-lhe ofensa, por discriminação e por falta de solidariedade e fraternidade ao seu patrimônio ético. Por isso, tem o dever de indenizar a autora”, definiu o desembargador Monteiro Rocha, relator da matéria. A decisão, que manteve integralmente a sentença, foi unânime.

Notícias Cristãs com informações do TJSC

publicado por institutogamaliel às 05:50


mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Últ. comentários
Glória a Deus! É incrível como esses testemunhos t...
cada um é livre para pensar o que bem quiser, mas ...
Poxa, gostei demais do texto, pena que não achei a...
No seu site, vc esta citando o nome de MEU PAI, se...
Como não consegui encontrar um "Fale Conosco" no S...
Graça me Paz em Cristo amado. Esse termo devorador...
Edenilson da Silva (http://facebook.com/profile.ph...
Fumar é pecado? http://t.co/H7TH4xGGZ1
10 maiores mitos sobre homossexualidade http://t.c...
Porque o espiritismo atrai tanto??? http://t.co/hY...
arquivos
subscrever feeds