Cursos de Teologia, Capelania, Psicanálise Clínica, Psicologia Pastoral, Formação Pastoral, Coordenação de encontro de casais, Básico em Teologia, Médio em Teologia, Bacharel em Teologia.
Sábado, 01 de Junho de 2013

O fumo é um dos produtos de consumo mais vendidos no mundo. Até setecentos aditivos químicos talvez entrem nos ingredientes utilizados na fabricação de cigarros, mas a lei permite que os fabricantes guardem a lista em segredo. No entanto, constam entre os ingredientes metais pesados, pesticidas e inseticidas. Alguns são tão tóxicos que é ilegal despejá-los em aterros. Aquela atraente espiral de fumaça está repleta de umas 4.000 substâncias, entre as quais acetona, arsênico, butano, monóxido de carbono e cianido. Os pulmões dos fumantes e de quem está perto ficam expostos a pelo menos 43 substâncias comprovadamente cancerígenas (87% dos fumantes têm câncer de pulmão e 70% correm risco de apresentar doenças cardíacas).

A Bíblia tem a capacidade de nortear qualquer assunto, mas isto não quer dizer que fala claramente de todos os temas. O fumo é um exemplo. Contudo, há certos princípios bíblicos que podem ajudar a responder a pergunta acima.
1. O princípio do vício: Notadamente, é muito citado I Co 6.12 para situações que aparentemente não se têm respostas mais aprofundadas nas Escrituras. Se todas as coisas me são lícitas e nem todas me convém, preciso interpretar o sentido da continuidade do texto: “mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas” ou eu não deixarei meu corpo ser escravizado por sua própria vontade (éxousiazô). Parece-nos que esta situação se constitui o vício. O fumante é viciado. Não existe fumante social. É comprovada cientificamente a necessidade do corpo do fumante de manter e/ou aumentar os níveis das substâncias tóxicas do cigarro. Daí, a orientação bíblica é que não deixemos tal desejo ocorrer.
2. O princípio da glorificação de Deus: I Co 6.19-20 diz assim: “Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por preço. Agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo”. Que fumar é prejudicial à saúde física não se discute, mas também o seria da vida espiritual? Se alguém é Santuário do Espírito Santo de Deus, este conseguirá glorificar a Deus no seu corpo fumando? Paulo poderia responder assim: “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus” (I Co 10.31). Lembre-se: este princípio também se aplica a qualquer tipo de alimento. Afinal, deve-se evitar o excesso de alimentos que não sejam saudáveis ao corpo.
Infelizmente, há muitos cristãos de renome que fumam. Pessoalmente, compreendo que fumar se constitui um pecado que precisa ser abandonado pelos cristãos. Porém, devo enfatizar que uma pessoa não perde a salvação ao fumar, como não a perde se mentir. “Fumar não é menos perdoável do que qualquer outro pecado”. É um pecado que deve ser abandonado em tempo. Assim, com a ajuda do Santo Espírito de Deus que em nós habita, é possível confessar e abandonar qualquer prática pecaminosa que venha escandalizar nosso próximo.
Rev. Ângelo Vieira da Silva

 

publicado por institutogamaliel às 02:00


Escrito por MIchelson Borges
O que dizem as pesquisas científicas quando o assunto é homossexualidade? Tendo em vista alguns dados da realidade norte-americana (embora os mitos possam atravessar fronteiras), o blog Tough Questions Answered (Bill Pratt) apresenta aqui o resumo de um panfleto, escrito pelo Family Research Council, intitulado “Os Dez Maiores Mitos sobre Homossexualidade”. O panfleto é bem escrito e parece ser bem fundamentado, com abundantes citações de artigos científicos. Abaixo estão os dez mitos abordados no texto:
Mito 1: As pessoas nascem homossexuais.Fato: A pesquisa não mostra que alguém “nasce gay”, mas sugere, em vez disso, que a homossexualidade é o resultado de uma combinação complexa de fatores de desenvolvimento.Mito 2: A orientação sexual não pode mudar.Fato: Milhares de homens e mulheres têm testemunhado ter experimentado uma mudança na sua orientação sexual de homossexual para heterossexual. Pesquisas confirmam que tal mudança ocorre às vezes de forma espontânea, e às vezes como resultado de intervenções terapêuticas.Mito 3: Os esforços para mudar a orientação sexual de alguém de homossexual para heterossexual são prejudiciais e antiéticos.Fato: Não há evidências científicas de que os esforços de mudança criam mais danos do que o próprio estilo de vida homossexual em si. A verdadeira violação da ética ocorre quando é negada aos clientes a oportunidade de definir suas próprias metas para a terapia.Mito 4: Dez por cento da população norte-americana é gay.Fato: Menos de três por cento dos adultos norte-americanos se identificam como homossexuais ou bissexuais.Mito 5: Homossexuais não experimentam um nível mais alto de distúrbios psicológicos que os heterossexuais.Fato: Homossexuais experimentam consideravelmente níveis mais elevados de doença mental e abuso de substâncias do que os heterossexuais. Uma revisão detalhada da pesquisa mostrou que “nenhum outro grupo de tamanho comparável na sociedade experimenta patologias desse tipo em nível tão elevado e generalizado”.Mito 6: A conduta homossexual não é prejudicial à saúde física.Fato: Tanto por causa de padrões de comportamento de alto risco, como promiscuidade sexual, quanto por causa do dano ao corpo advindo de determinadas práticas sexuais, os homossexuais estão em maior risco de contrair doenças sexualmente transmissíveis e outras formas de doenças e lesões do que os heterossexuais.Mito 7: As crianças criadas por homossexuais não são diferentes das crianças criadas por heterossexuais nem sofrem danos.Fato: Um enorme conjunto de programas de investigação em ciências sociais mostra que as crianças se desenvolvem melhor quando criadas pelos próprios pais biológicos que estão comprometidos um com o outro em um casamento duradouro. Pesquisas específicas sobre crianças de homossexuais têm grandes problemas metodológicos, mas mostram diferenças específicas.Mito 8: Os homossexuais não são mais propensos a abusar de crianças do que os heterossexuais.Fato: A porcentagem de casos de abuso sexual infantil em que homens molestam meninos é muitas vezes maior que a porcentagem de homens adultos que são homossexuais, e a maioria dos que se envolvem nesse tipo de abuso se identificam como homossexuais ou bissexuais. [Nota explicativa do próprio folheto: Isso não significa que todos os homossexuais sejam molestadores de crianças. Ninguém jamais afirmou isso. Nem sequer significa que a maioria dos homossexuais o seja - não há nenhuma evidência para apoiar isso. Mas há evidências de que a taxa relativa de abuso sexual infantil entre os homossexuais é muito maior do que entre heterossexuais.]Mito 9: Homossexuais são seriamente desfavorecidos em razão de discriminação.Fato: As pesquisas mostram que os homossexuais, na realidade, têm níveis significativamente mais altos de escolaridade do que o público em geral, enquanto as conclusões sobre os rendimentos dos que fazem parte desse grupo são, na pior das hipóteses, muito variadas.Mito 10: As relações homossexuais são apenas as mesmas que a dos heterossexuais, exceto quanto ao gênero dos parceiros.Fato: Os homossexuais são menos propensos que os heterossexuais a entrar em um relacionamento sério, a ser sexualmente fiéis a um parceiro, mesmo que tenham um, e a ficar comprometidos por toda a vida. Eles também apresentam taxas mais elevadas de violência doméstica do que os casais heterossexuais casados.Peço que você leia o artigo inteiro para obter os detalhes por trás dessas afirmações, que são apoiadas por citações das pesquisas. O resumo é este: a ciência mostra que o estilo de vida gay é, em geral, destrutivo aos que vivem nele e não devemos, como sociedade, promovê-lo.Isso significa que cada pessoa gay vivencia os problemas citados na pesquisa? Obviamente que não. Estamos lidando com estatísticas e probabilidades, por isso há pessoas absolutamente gays que são exceções às conclusões da pesquisa. No entanto, o movimento de união gay pede um apoio estatal ao seu estilo de vida, e a única maneira de abordar essa questão é olhar em termos estatísticos a realidade daqueles que praticam esse estilo de vida.Fonte: Ler para Crer
publicado por institutogamaliel às 01:57


 Na sexta-feira (01/04/2011), dia da mentira, estreou em todo Brasil mais um produção espírita: “As mães de Chico Xavier”. Sob o danoso problema da saudade dos parentes falecidos, três mães buscam o conforto no principal médium brasileiro, Francisco Cândido Xavier. Em 2010 o filme “Nosso lar” estreou e, antes destes, muitos outros famosos como “O sexto sentido” e “Ecos do além”. É interessante observar como a tônica espírita ganha terreno no país e fora dele. Porém, por que o espiritismo atrai tanto as pessoas?

Creio que o amor familiar seja um dos motivos. Não são poucas as pessoas que participam de sessões espíritas desejando conversar com alguns dos seus entes falecidos mais queridos. Isto pode ser bem observado no filme “Chico Xavier” (2010). Afinal, um recado do além pode ser bem consolador em muitos casos dramáticos.

O cristianismo e misticismo brasileiros são campos férteis para o espiritismo. Utilizando-se de conceitos cristãos (Bíblia) ensinam seu caminho místico, como se espiritismo e cristianismo ensinassem a mesma verdade ou simplesmente se completassem mutuamente. Todavia, sabemos que não é assim. Qualquer homem gostaria de ouvir uma mensagem onde o inferno e o pecado original não existem; que há um caminho abarrotado de oportunidades de melhoramento e evolução diante de si. Mas, o princípio espírita não se adéqua as Escrituras.
É claro que preciso citar a curiosidade do homem como um dos fatores atraentes no espiritismo. O misticismo supracitado torna o brasileiro extremamente curioso e supersticioso. Terapias alternativas, por exemplo, são alvejadas em matérias da TV e dos jornais. Quem nunca ouviu falar do Dr. Fritz? Aquele que faz atendimento espiritual no Brasil através de um médium na Bahia?
A mídia continua muito favorecer a expansão do espiritismo no Brasil. Não são apenas os filmes aqui lembrados, mas também as novelas (A Viagem, Mandala, Renascer) e livros (Paulo Coelho e Jorge Amado).
Creio que a Liberdade de Culto, tão preciosa por um lado, proporciona o efeito colateral do crescimento do espiritismo. São mais de 5.000 casas, ou templos. São mais de 80 milhões de pessoas envolvidas com as correntes espíritas.
O que pensar de tudo isto? Ora, a Igreja ainda precisa lutar pela Verdade. Preparados para responder a qualquer um (I Pe 3.15), os santos devem batalhar por tudo que receberam do Senhor Jesus (Jd 3). A Palavra de Deus condena a consulta aos mortos (Is 8.19-20; Dt 18.9-12) e ressalta ser impossível ao homem a comunicação com os mesmos (II Sm 12.22-23). A mediunidade é abominação (II Re 23.24) e as adivinhações são obras das trevas (At 16.16). A Bíblia é clara ao demonstrar que depois da morte só há juízo:"E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo" (Hb 9.27).
 
publicado por institutogamaliel às 01:55


Via de regra, durante os estudos acerca dos anjos me deparo com "esquisitices" angelicais. A última foi acerca do "anjo massagista"; e não foi dentro de uma igreja evangélica.

O site coisado.com traz o desabafo da testemunha, que diz:
"Se alguém pensa que as besteiras gospel são restritas ao “mundo evangélico” vai se decepcionar. No movimento carismático católico, tipo nova canção, a coisa também é feia. Outro dia a pregadora disse no seu programa de rádio: “Eu vou pedir a Jesus que mande o seu anjo massagear aqueles que estão com dores na batata da perna.” Massagear a batata da perna? Fiquei pensando como é dura essa vida de anjo. Será que para ser anjo precisa agora fazer curso de fisioterapia, ou massagem Shiatsu, comprar uns óleos aromáticos e que tais? (ênfase minha)"EM TEMPO:Pois é... parece que o anjo massagista resolveu passar também na Igreja Batista da Lagoinha...
publicado por institutogamaliel às 01:48


Os anjos existem e servem a Deus continuamente. A compreensão bíblica deste tema é essencial diante de tantos enganos como os conceitos de “anjos cabalísticos” (conexão de anjos com signos) ou “anjos da guarda” (como protetores de criancinhas), por exemplo. Porém, você saberia dizer quantos anjos existem?
Ainda que a Bíblia não contenha nenhuma informação definida sobre o número dos anjos (Hb 12.22), nos dá algumas indicações. Moisés destacou a expressão miríades (multidão ou dez mil) para os anjos. O salmista indicava milhares (Sl 68.17), assim como Elias pôde ver (II Re 6.17). A Palavra de Deus designa a existência de exércitos ou milícias celestiais (Sl 103.20-21; Lc 2.13). Jesus confrontou uma legião de anjos reprovados (Mc 5.9, 15) e declarou que poderia ser auxiliado por mais de doze legiões, se precisasse (Mt 26.53). Finalmente, a revelação dada a João aponta a existência de milhões e milhões, milhares e milhares de seres angelicais (Ap 5.11).
É natural verificar pelas Escrituras que os “incontáveis” anjos criados por Deus são seres organizados. Eles precisam estar organizados de algum modo para serem os espíritos ministradores que as Escrituras descrevem (Hb 1.14). Assim, é importante entender que a Bíblia emprega certos nomes específicos para indicar diferentes classes de anjos.
Mesmo com poucas informações, a leitura da Palavra de Deus nos guiará a classe dos Querubins, que guardaram a entrada do paraíso (Gn 3.24) e observavam o propiciatório (Ex 25.18, 20; Hb 9.5). A visão do profeta Isaías revelou outra classe, a dos Serafins, que são representados simbolicamente: figura em forma humana, mas com seis asas, duas cobrindo o rosto, duas os pés, e duas para a pronta execução das ordens do Senhor (voava). Eles serviam em torno do Trono do Rei. Os apóstolos Paulo e Pedro apresentam nomes de poderes cósmicos pelo Novo Testamento sem, contudo, discutirem os pormenores. Somente interessa o fato que todos estão subordiandos a Cristo. Descrevem os Principados (Rm 8.38), as Potestades (I Co 15.24; Ef 3.10; Cl 2.10; Cl 2.15), Tronos (Cl 1.16), Domínios ou Soberanias (Ef 1.21; Cl 1.16) e Poderes (I Pe 3.22; Ef 1.21).
Além destes, dois anjos eleitos tem lugar especial nas revelações bíblicas. O primeiro é Gabriel que parece ter a função principal de servir como intermediário e intérprete de revelações divinas. Afinal, trouxe a Daniel a noticia do futuro de Israel, avisou Zacarias do nascimento de João Batista, declarou ao mundo a notícia do nascimento de Jesus Cristo, progressivamente. O segundo é Miguel, o único ser angelical descrito como Arcanjo (chefe dos anjos) na Bíblia. No livro do Profeta Daniel é retratado como Príncipe e ajundou o mensageiro celestial na luta espiritual contra as trevas (Dn 10.12, 21; Dn 12.1). No Novo Testamento Miguel é o anjo que contende com o Diabo acerca do corpo de Moisés (Jd 9) e quem o expulsa do céu, lugar onde não poderia mais acusar os cristãos. É maravilhoso destacar que o Arcanjo Miguel, o guardião de Israel, surge em Ap 12.7-9 como defensor da igreja; ninguém poderá condená-la (Rm 8.33). Aleluia.
 
Rev. Ângelo Vieira da Silva
Pastor da 1ª Igreja Presbiteriana de Resplendo
publicado por institutogamaliel às 01:37


“Porque aos seus anjos dará ordens a teu respeito, para que te guardem em todos os teus caminhos” (Sl 91.11).
Uma vez que se compreende a natureza dos anjos e como estas criaturas se organizam na realização dos propósitos divinos, é preciso compreender o ministério dos anjos. Destacarei a seguir o serviço prestado pelos anjos chamados bons, ou eleitos, de acordo com a Palavra de Deus. Creio que ao verificar o ministério dos anjos poderemos distinguir entre um serviço ordinário e outro extraordinário. Contudo, aqui veremos os destaques bíblicos que norteiam o ministério geral dos anjos eleitos.
A Escritura dá a impressão de que os anjos adoram a Deus, conquanto não possamos fazer idéia de como os anjos falam e cantam. Algumas expressões lançam luz sobre esta idéia. Em Jó 38.7, por exemplo, as expressões em destaque são alegremente cantavam e rejubilavam. A primeira aponta para um grito retumbante (ranan, heb.). A segunda para tocar sinal de trombeta (ruwa’, heb.). Jó 38.6 reforça a adoração audível dos anjos. “O lançamento dos alicerces e a colocação da édra de esquina eram momentos para celebração com música e alegria” (F. F. Bruce). Compare os textos acima com Ed 3.10-1 e Zc 4.7.
Creio que a Palavra de Deus também esclarece o serviço dos anjos em relação à Igreja. Eles são espíritos ministradores (Hb 1.14). Esta expressão (leitourgikos, gr.) se relaciona com a realização de um serviço sagrado. É por isso que também são chamados ministros (Sl 103.21; Sl 104.4). Eles estão presentes na vida da Igreja, pois, afinal de contas, eles guardam e livram o povo de Deus (Sl 91.11; Sl 34.7). O sentido de guadar (shamar, heb.) é manter vigilância com objetivo de proteger. O conceito de livrar (halats, heb.) é resgatar. Portanto, os anjos nos vigiam, protegem e resgatam conforme a vontade soberana de Deus, como no caso de Eliseu (II Re 6.16-17) e Daniel (Dn 6.22), permanecendo acampados (hanah, heb., por cerco) ao redor dos homens de Deus.
Os anjos eleitos são mensageiros com propósitos bem definidos por Deus. Eles anuciaram o desígnio do Eterno (Lc 1.19), suas advertências (Mt 2.13), instruções (At 10.3-6), encorajamento (At 27.23-25) e revelações (Dn 9.21-23). Não há razão para excluí-los de nossa vida, pois o próprio Deus os coloca como protetores de seus povo.
Em suma, deve-se entender que os anjos “são seres espirituais criados com juízo moral e alta inteligência, mas sem corpos físicos” (Wayne Grudem). Devemos lembrar que os anjos adoram, mas não devem ser adorados; os anjos servem, mas não devem ser servidos (Stanley Horton); “não devemos esperar neles, nem invocar seu auxílio” (Charles Hodge).
Rev. Ângelo Vieira da Silva 
Pastor da 1ª Igreja Presbiteriana de Resplendor
publicado por institutogamaliel às 01:35


Quer comentar? Porque eu cansei...
Fonte: Esboçando Ideias
 
publicado por institutogamaliel às 01:33


Namoro é uma fase muito bonita. É definida como o ato de galantear, cortejar, procurar inspirar amor a alguém. O namoro cristão, tenha a idade que tiver, deve ser uma convivência afetiva preliminar que amadurece e prepara o casal para o compromisso mais profundo. O contrário disso, longe dos princípios de Deus, pode resultar em uma experiência nociva e traumática. Observe alguns princípios que ajudam a manter o seu namoro dentro do ponto de vista de Deus.

1. Não namore por lazer: namoro não é passatempo e o cristão consciente deve encarar o namoro como uma etapa importante e básica para um relacionamento duradouro e feliz. Casamentos sólidos decorrem de namoros bem ajustados.
2. Não se prenda em um jugo desigual (II Co 6:14-18): iniciar um namoro com alguém que não tem temor a Deus e não é uma nova criatura pode resultar em um casamento equivocado. E atenção: mesmo pessoas que freqüentam igrejas evangélicas podem não ser verdadeiros convertidos ou não levarem o relacionamento com Deus a sério.
3. Imponha limites no relacionamento: o namoro moderno, segundo o ponto de vista dos incrédulos, está deformado e nele intimidade sexual ou práticas que levam a uma intimidade cada vez maior são normais, mas o namoro do cristão não deve ser assim, o que nos leva ao próximo mandamento.
4. Diga não ao sexo [antes do casamento]: Deus criou o sexo para ser praticado entre duas pessoas que se amam e têm entre si um compromisso permanente. É uma bênção para ser desfrutada plenamente dentro do casamento; fora dele é impureza.
5. Promova o diálogo e a comunicação: conversar é essencial, estabeleça uma comunicação constante, franca e direta e não evite conversar sobre qualquer assunto.
6. Cultive o romantismo: a convivência a dois deve ser marcada por gentileza, cordialidade e romantismo. Isso não é cafona, nem é coisa do passado e traz brilho ao relacionamento.
7. Mantenha a dignidade e o respeito: o namoro equilibrado tem um tratamento recíproco de dignidade, respeito e valorização. O respeito é imprescindível para um compromisso respeitoso e duradouro. Desrespeito é falta de amor.
8. Pratique a fidelidade: infidelidade no namoro leva à infidelidade no casamento. Fidelidade é elemento imprescindível em qualquer tipo de relacionamento coerente à vontade de Deus, que abomina a leviandade.
9. Assuma publicamente seu relacionamento: uma pessoa madura e coerente com a vontade de Deus não precisa e nem deve lutar contra seus sentimentos ou escondêlos.
10. Forme um triângulo amoroso: namoro realmente cristão só é bom a três: o casal e Deus. Ele deve ser o centro e o objetivo do namoro.
Deixe Deus orientar e consolidar seu namoro.
Viva integralmente as bênçãos que Deus tem para você através do namoro.
E seja feliz.
Fonte: Solteiros Cristãos
 
publicado por institutogamaliel às 01:30


O pregador batista norte-americano Billy Graham, que foi conselheiro espiritual de vários presidentes americanos e é considerado um dos mais influentes escritores cristãos, compartilha dez conselhos para os jovens acerca dos cuidados para que não venham cometer o ato sexual antes do momento “certo”, o casamento. Confira abaixo os conselhos dado por Graham:

1) Evite más companhias. Se você andar com maus elementosficará dominado por eles. A Bíblia diz: “Retirai-vos do meio deles, não toqueis em coisas impuras” (II Co. 6):
2) Evite o segundo olhar. Você não pode controlar o primeiro, mas pode evitar o segundo, que se torna cobiça.
3) Discipline suas conversas. Evite piadas e histórias com sentido duvidoso. “As más conversações corrompem os bons costumes” (I Co 15:33).
4) Tenha cuidado com a maneira de vestir-se. Deve ser um assunto entre você e Deus as roupas que usa. Uma jovem recém-convertida falou: De agora em diante vou vestir-me como se Jesus fosse o meu acompanhante.
5) Escolha cuidadosamente os filmes e programas de televisão que assiste.
6) Tome cuidado com o que você lê. Muito da literatura contemporânea apela ao instinto sexual.
7) Esteja em guarda com respeito a seu tempo de folga. Davi tinha o tempo em suas mãos, viu Beteseba e caiu em complicações.
8) Faça uma regra de nunca se envolver em namoro pesado. Jovens cristãos deviam orar antes de cada encontro. A moça que tem Jesus Cristo em seu coração possui um poder sobrenatural para dizer “não” aos avanços de qualquer rapaz. E o rapaz que conhece Jesus Cristo tem poder para disciplinar sua vida.
9) Invista grande parte de seu tempo lendo as Escrituras - “Guardo no meu coração a tua palavra para não pecar contra ti”. (Sl 119:11) – Memorize versículos e quando a tentação chegar, cite-os. A palavra de Deus é a única coisa à qual satanás não pode se opor.
10) Cultive Cristo em seu coração e vida. Deus o ama e uma forte fé Nele tem livrado a muitos homens e mulheres de cometer imoralidades (I Jo 2:14).
Por: Billy Graham (adaptado)
publicado por institutogamaliel às 01:28


1 - ORE, pois a oração é a prioridade do crente em toda e qualquer situação.
2 - Faça um ORÇAMENTO, pois ele o ajudará a planejar com antecedência o que você fará com o seu dinheiro. Crie uma planilha para começar.3 - Faça uma LISTA DE BENS, coloque todos eles relacionados isso o ajudará a saber se há alguma coisa que pode ser vendida para ajuda-lo no pagamento de dívidas. Geralmente temos guardado algo que não usamos mais.4 - Faça uma LISTA DE SUAS DÍVIDAS, ela o ajudará a saber na realidade o quanto você deve e para quem deve.
5 - Estabeleça um PLANO DE PAGAMENTO, eliminando primeiro as pequenas dívidas e depois as maiores que têm maior taxa de juros. Faça isso utilizando o dinheiro que supostamente sobrará da quitação das dívidas menores.
6 - Tenha uma RENDA EXTRA, use a sua criatividade de tente fazer alguma coisa para conseguir ganhar um pouco mais de dinheiro.
7 - NÃO FAÇA UMA NOVA DÍVIDA, às vezes para se conseguir uma renda extra alguns fazem novas dívidas. Mas este não é um caminho certo a se perseguir, quando queremos nos livrar de dívidas.
8 - Esteja CONTENTE com o que você tem e não ceda aos ataques da mídia e dos catálogos que dizem que você precisa disso ou daquilo. Você já tem o suficiente para sair da sua dívida e o que você almeja adquirir, com o tempo e sabedoria você terá, é só uma questão de paciência. Na verdade um bom conselho é que você não use mais o talão de cheques e nem o cartão de créditos nesta fase.
9 - Faça uma MUDANÇA RADICAL no seu estilo de vida, passe a fazer compras em lugares mais baratos, leve marmita ao invés de comer no restaurante, compre menos e economize ao máximo nas coisas que costumeiramente você não economizaria, apague a luz ao sair de um ambiente, desligue torneiras, etc... Estas atitudes irão fazer você enxugar os gastos de cada mês fazendo seu dinheiro render mais.
10 - NÃO DESISTA, seja perseverante e não se deixe esmorecer por não ver os resultados imediatamente, tudo na vida sempre é mais difícil no seu início, por isso permaneça no propósito, pois você tem um objetivo, sair das dívidas. Cada dia é um dia muito importante nessa batalha.
Fonte: Midia Gospel

publicado por institutogamaliel às 01:26


Achei muito interessante esta reportagem. Em 20 anos de pesquisa no instituto Gallup, o cientista político americano Marcus Buckingham (foto acima) entrevistou mais de 257 000 executivos de sucesso e mapeou suas habilidades, reunindo-os em um dos principais bancos de dados sobre comportamento profissional existente no mundo. Em 1999, Marcus tornou públicos seus estudos pela primeira vez, no livro Descubra Seus Pontos Fortes (Ed. Sextante). A obra marcou época ao contradizer a ideia geral vigente, de que os profissionais deveriam concentrar-se na reparação de pontos fracos para ter bom desempenho, e fez de Marcus uma fonte consagrada no assunto.

Agora, ele volta com novo projeto, um livro casado com um teste de avaliação do tipo assessment, chamado StandOut (em português, "destaque-se"), que está previsto para ser lançado em maio de 2012 no Brasil pela Editora Sextante. A obra é voltada para líderes que desejam investir em seu potencial e acelerar o desempenho da equipe. "há muitos perfis de liderança, tentamos destacar qual é o jeito de cada um", explica Marcus. Mesmo batendo na tecla dos pontos fortes há dez anos, ele segue lutando contra o hábito do mundo corporativo de olhar para os gaps dos funcionários e tentar corrigi-los — o certo seria investir profundamente nas competências de cada um.
Segundo Marcus, a insistência em melhorar as fraquezas é consequência do ensino nas escolas tradicionais, que incentivam o aluno a se sair bem em todas as disciplinas. "Mesmo que o estudante tenha uma série de notas A, ele continua se preocupando em melhorar nas matérias cujas notas foram F", disse Marcus à VOcÊ S/A. Essa preocupação excessiva com as fraquezas não ajuda o profissional a atingir
Alto desempenho. Alguns diretores de Rh concordam com a teoria de Marcus. "cuidar de melhorar pontos fracos é como dirigir olhando para o retrovisor", diz Antonio Salvador, vice-presidente de recursos humanos da hP no Brasil, que considera um desperdício de tempo o esforço de corrigir fraquezas.
"A eficiência da gestão de talentos depende de direcionar o talento certo para o lugar certo, na hora certa." A ideia do livro é fazer com que os profissionais conheçam suas habilidades naturais para melhorar seu desempenho.
O assessment avalia o gestor em nove pontos e então revela quais são os dois mais fortes. Em sua pesquisa, o autor identificou nove diferentes perfis de líderes (veja quadro na pág. ao lado). na edição americana, que custa 12,78 dólares na Amazon, o livro traz uma senha de acesso ao teste online (em inglês).
Segundo Marcus, não existe um perfil certo de líder: cada pessoa tem aptidão para determinada tarefa, o desafio é colocar a pessoa certa no lugar certo e dar liberdade para que ela faça as coisas da sua maneira. "Os melhores gerentes são capazes de identificar em alguém um lampejo de talento e, então, reposicionar essa pessoa de modo que ela possa utilizá-lo de maneira mais efetiva", afirma Marcus Buckingham.
Fonte: Voce S/A
 
publicado por institutogamaliel às 01:20


Segundo o site Medical Express a AFSSAPS, agência sanitária francesa (comparada à nossa Anvisa), aprovou a utilização de uma droga como medicamento eficaz para os alcólotras. Já utilizado para problemas nervosos, o chamado Baclofen obteve resultados clínicos positivos em certos pacientes, mesmo que não seja uma "cura" completa.
Este medicamento já existe há mais de meio século, criado para tratar casos epilépticos. Todavia foi só em 2008, a partir do lançamento da obra “Le Dernier Verre” (a última bebida) de Olivier Ameisen (cardiologista), que este assunto veio a ser discutido, já que o Baclofen foi utilizado em grandes doses para tratar o alcoolismo.
As estatísticas apontam 25% de eficácia. Será mesmo um remédio para o alcoolismo? Fiquemos atentos.
 
publicado por institutogamaliel às 01:17


 Por Carol Castro, da SuperInteressante (adaptado). Diz o ditado que “homem que trai o pipi cai” (e até é verdade, dá uma olhada aqui). Mas o problema pode ser mais sério ainda. Ter uma amante pode custar a vida dos homens que traem.
O aviso vem de uma pesquisa da Universidade de Florença, na Itália. Os pesquisadores revisaram estudos anteriores sobre as causas e efeitos da infidelidade e perceberam uma tendência mortal: homens que traem correm mais risco de sofrer infarto fatal.
Um dos estudos revisados veio de uma universidade da Alemanha. Os pesquisadores de lá avaliaram casos de infarto durante o sexo. E a maioria dos homens que morreram nessas situações estava traindo suas mulheres.
Em janeiro deste ano, o Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos Estados Unidos, fez estudo semelhante. Após analisarem as autópsias de mais de 5 mil homens, eles descobriram que, entre aqueles que morreram durante o sexo, 75% estavam com as amantes.
Os pesquisadores não sabem exatamente por que, mas desconfiam de vários motivos. Primeiro, os homens casados costumam se envolver com meninas mais novas... Sem contar a alimentação nada saudável: pizzas, hambúrgueres e aquela porcariada toda, que só vão gerar preocupação nelas anos mais tarde.
Dentro dessa conta de problemas, o homem ainda soma um sentimento de culpa. Quando eles ainda gostam da mulher, a chance de trair e ter um infarto é maior ainda. “Ele pode punir a si mesmo por trair esta parceira”, diz a pesquisadora Alessandra Fisher (aspas do Daily Mail). E eles ainda tendem a ficar mais estressados.
publicado por institutogamaliel às 01:15


Uma importante reflexão sobre o namoro, dentro e fora do casamento. A construção de um casamento começa no namoro. Sempre digo nas minhas palestras que, namorar é para casar e casar é para namorar. No mês dos namorados (junho), é muito oportuno refletir sobre casamento. Falar de casamento é falar de um modelo adulto de intimidade, de uma espécie de separação (deixa) e união (une-se) que faz parte do modelo adulto da nossa estrutura.
Procriação, sobrevivência da espécie, dependência e complementação no outro, fundem-se em um único intuito e conduzem o ser humano através dos tempos a uma economia sócio-comportamental ideal: a família.
Segundo o Dr. Carl A. Whitaker, para compreender o que significa casamento, é necessário ter alguma idéia do que é o ser humano, do que é o indivíduo antes de se unir a alguém e quais são os aspectos funcionais da união. Em sua participação no congresso internacional, realizado pela Sociedade Italiana de Terapia Familiar, em Roma-Itália, ele diz:
"É óbvio pensar que o ser humano sofre de uma deficiência, do ponto de vista biológico: sozinho, não tenho possibilidade de continuar no tempo, sou excluído. Sou um deficiente porque não tenho seios, nem vagina. Não posso me reproduzir. Essa deficiência faz parte do background funcional do intenso desejo pelo outro. Se eliminarmos, por um momento, o instinto de reprodução , perceberemos que o meu problema é ser incompleto. Faltam-me componentes que são parte da minha necessidade biológica. Consequentemente, o que está por trás do casamento é que eu sou um indivíduo em que falta alguma coisa".
Apesar das crises entre os casais, as estatísticas epidemiológicas demonstram que as pessoas casadas vivem melhor, sob qualquer ponto de vista, do que as pessoas divorciadas ou viúvas. Isso vale para o índice de mortalidade, distúrbios psícossomaticos, drogas, alcoolismo, estado de defesas imunológicas, número de infartos, câncer, suicídios, etc.
Também nas pesquisas sobre satisfação da própria vida, sobre dedicação e sucesso profissional, as pessoas casadas têm resultados melhores do que as pessoas sem parceiros. Diante desta constatação, posso afirmar que o casamento ainda vale a pena.
O casamento pode ser uma das experiências mais gratificante na vida. Isto porque, casar é decidir amar alguém de forma muito especial e juntos construirem uma história digna de ser contada.
Como terapeuta de casais, minha esperança é que as pessoas compreendam que é possível permanecer casado e feliz, basta tomar as decisões certas. Feliz dia, mês, ano e vida de namorados!
Pr. Josué Gonçalves em Mundo Cristão
publicado por institutogamaliel às 01:13


Creio que para o cristão protestante honesto a masturbação é um pecado a ser abandonado. Creio que se deve orar para não cair nessa tentação. Agora, por que pedir a Jesus para tocar nas genitais? Há algum problema na genital? É pecaminoso ser um ser sexual? Claro que não! Sei que a oração foi realizada por um padre, mas acho que até mesmo católicos romanos não devem acreditar na promiscuidade dos seus órgãos sexuais. Tanto para protestantes como para católicos (mesmo com certas distinções), o sexo é uma bênção para ser desfrutada no ambiente do casamento. Fora dele, deve-se orar para não cair em tentação e agir, fugindo da aparência do "mal". Se ambas as ações não forem feitas, pedir a Jesus para tocar nos órgãos genitais não vai adiantar nada. Afinal, quem tocará é a própria pessoa. Veja o vídeo:

 
publicado por institutogamaliel às 01:10


Segundo o portal do jornal Bom Dia Brasil, quase 40% dos relacionamentos no Brasil não são formalizados. O Censo releva que o número de brasileiros que escolheram caminhos diferentes para estabelecer uma união cresceu 30% entre 2000 e 2010. Números mostram que o brasileiro está se casando menos - no papel e no religioso.

Nem véu e grinalda, nem papel passado. Paola e Vítor decidiram viver juntos há 12 anos, sem formalidades. Mais do que um comportamento, no caso deles foi necessidade.
“Não dá para casar sem uma festa. Eu acho que vale mais a pena você gastar estes R$ 40 mil, no caso para quem não tem casa, dar uma entrada em um apartamento. Para quem já tem casa, mobiliar ela, comprar o que você precisa: uma geladeira, uma televisão de primeira qualidade”, diz Vitor de Barros.
“Não dá para você tentar do nada se endividar”, afirma Paola de Barros.
O Censo releva que o número de brasileiros que escolheram caminhos diferentes do cartório e da igreja para estabelecer uma união cresceu cerca de 30% entre 2000 e 2010. De cada 10 relacionamentos do Brasil, quatro não são formalizados. E o dinheiro realmente tem pesado na decisão, segundo o IBGE.
“É mais viável, quando você quer se juntar a alguém, fazer em termos de união consensual por conta de uns preparativos para um casamento civil ou religioso exigem mais dinheiro, mais posse”, explica Ana Lúcia Saboia, coordenadora da pesquisa.
No mesmo período em que a chamada união consensual aumentou, o casamento civil e religioso teve queda. E entre os que ganham menos, o casamento sem formalidades tem mais adeptos.
Ao todo, 48,9% dos casais em que cada um recebe até meio salário mínimo vive em união consensual. Já entre os que ganham acima de cinco salários, o percentual cai para 19,7%.
A religião também pesa na hora de escolher como vai ser o relacionamento: 59,9% dos casais que dizem não ter religião escolheram a união consensual.
Para a antropóloga Mirian Goldenberg, não é só o dinheiro que determina o tipo de casamento. O Brasil está mudando, e uma nova sociedade abre espaço também novos comportamentos.
“As pessoas estão casando mais vezes ao longo da vida. Eu acho que é um sinal de mais escolhas, mais liberdade, de outras formas de enxergar as relações amorosas e dizer assim: ‘O contrato é entre nós. Não do que outras pessoas querem de nós’”, afirma.
O que parece não ter mudado é como a maioria dos brasileiros escolhe o parceiro. Alma gêmea – revelam os números do Censo - não tem a ver só com amor: 68,2% dos brasileiros estão unidos a alguém da mesma escolaridade.
“Os comportamentos mudaram muito. As pessoas estão podendo escolher muito mais. Mas os valores demoram para mudar”, afirma a antropóloga.
 
publicado por institutogamaliel às 01:08


Segundo o portal do jornal britânico Daily Mail, o Mail Online, um estudo publicado pela universidade de Plymouth no Reino Unido alertou que crianças estão se viciando em pornografia na Internet. A situação se torna preocupante fazendo com que despertem sua sexualidade de forma muito antecipada, o que acarretará problemas na vida adulta. O estudo relatou que o acesso à pornografia na web por crianças com idade a partir de 11 anos de idade se tornou prática comum, dando-lhes expectativas irreais sobre o sexo e tornando-as insensíveis a imagens sexuais.

A Associação Nacional dos Diretores solicita a adição de aulas para orientação sexual no ensino fundamental, para eles, as crianças estão crescendo em um “mundo sexualizado” e necessitam de orientação para lidar com questões como a da pornografia. Ainda segundo a associação os professores precisam responder ao fato de que as crianças tem recebido informações sobre sexo da Internet e a educação sexual contemporânea está irremediavelmente desatualizada para lidar com mundo “sexualmente aberto” ao qual as crianças são expostas hoje.Entretanto a União Nacional de Professores do Reino Unido discorda, os professores acreditam que o nível fundamental não tem maturidade suficiente para temas como pornografia. Abordar tal tema nas aulas seria um passo muito longo, as escolas devem falar sobre o assunto caso haja solicitação dos estudantes. Segundo os professores os adolescentes são bombardeados com pornografia desde cedo e que eles sabem lidar com assunto.De acordo com a BBC o Departamento de Educação do governo não quis comentar sobre a inclusão da orientação sexual para o ensino fundamental. Entretanto disse que cabe a cada escola a melhor forma de ministrar a matéria.

publicado por institutogamaliel às 01:06


Sou um pastor presbiteriano típico, como muitos outros de nossa nação cristã. Convertido, fui batizado e professei a fé. Chamado, vocacionado, fui aprovado pela igreja local e pelo respectivo Presbitério sendo enviado ao Seminário para me preparar melhor. Terminado os estudos teológicos, a árduos exames presbiteriais fui submetido e, benevolentemente, aprovado. O resultado foi a ordenação ao Sagrado Ministério da Palavra. A partir daquele dia era mais um Ministro do Evangelho na Igreja Presbiteriana do Brasil. Pastorei e estudei um pouco mais. Validei os créditos de Teologia. Pastorei e, hoje, sou mestrando em Ciências da Religião. Enfim, muitos viveram o que vivi. Aponto uma trajetória comum com a esperança de ser ouvido pelos meus companheiros. São reflexões pessoais sobre temas incomuns à tal distinta jornada. Quero enfatizar o jovem pastor formado há pouco tempo que já tem muito a desabafar.

"Desabafos", essa foi a palavra que escolhi para expressar os principais pensamentos e sentimentos que me embaraçam no exercício franco do Ministério da Palavra desde que me formei em Teologia, há quase sete anos. São tantas declarações, aconselhamentos, visitas, leituras, ultrajes, visões, gestos, perseguições, percepções do mundo ao redor que assustam qualquer jovem pastor que queira, sinceramente, se dedicar. Receio por onde iniciar, mas devo desabafar.Desabafo. No meu tempo (nem há 10 anos atrás!) havia uma legítima atmosfera pelo exercício pastoral fiel. Dela exalei, me preparei, estudei, formei e pastoreei desde então. Como num fenômeno climático devastador, a atmosfera mudou; os ares são outros. Não se pensa tanto em pastorear, "cuidar de", a não ser de si mesmo. As inspirações são a obtenção de títulos, as igrejas maiores, os grandes centros; como se isso fosse ajudar a "Maria" cheia de fé que jaz no esquecimento da congregação porque o Pastor simplesmente não pastoreia. Opa, não me julgue... Eu mesmo estudo e encorajo a todos ao caminho da busca pelo conhecimento. Minha crítica é focada em pastores desobrigados do Ministério que se escondem no slogan "meu dom é o de ensino". Ah, por favor! Não me venha com "xurumelas"!* Se és Pastor, és Mestre - ou deveria ser - é possível conceber a ideia de um Pastor que não ensine?Já me sinto afadigado por ver gente despreparada usar o pastorado como trampolim para um Mestrado, Doutorado, para as Capitais e os Reais. Fazem da Teologia o "carro-chefe" e nem mesmo leram completamente a Regra, uma única vez sequer. As igrejas? Só enfraquecem. Enquanto desejam ouvir uma mensagem bíblica que lhes seja relevante, os ditos pastores preferem doutrinar a Confissão, o Credo, a Sistemática - que são boas, mas não a primazia. Vigio, por mim. Não quero ser assim. Dona "Maria", precisas de mim?Desabafo. Nos dias de aspirantado** ouvi de um mentor que pastorearia em tempos difíceis. Profecia? Revelação Celestial? Não, foi pura percepção de uma realidade onde o Ministério é acusado de Profissão, onde o Pastor é ladrão e o Ladrão é pastor, onde o Protestante é travestido de Evangélico (no sentido pejorativo do termo), onde o Culto Solene adquire status de comércio e busca por prosperidade, onde a quantidade sem qualidade é melhor do que a qualidade com quantidade.Há dias em que penso em desistir, abandonar tudo. Seria apenas eu? Duvido. O pastor dedicado ao chamado genuíno sofre, é perseguido, incompreendido, cobrado como empregado. Se vê espreitado entre satisfazer o Senhor que o arregimentou ou amaciar o ego da liderança que o pagou. Enquanto ora para o Senhor abrir os olhos do pecador, vê ao seu redor a hipocrisia dos fariseus pós-modernos, cegos e guias de cegos. Todavia, lembro-me do Supremo Pastor. As nuvens escuras se desfazem. Tudo se dissipa. Os olhos são descerrados e a mente recorda: o Chamado. Sim, a vocação sustenta nestes dias maus. A convicção de que Deus chamou dá força para seguir em frente e, mesmo angustiados na alma, tentamos ser pastores segundo o coração de Deus. Afinal, Ele tem um propósito para cada um de nós neste Ministério. Tempos difíceis? Fato.Imagino quantos desabafos poderia descrever... muitos seriam! Mas, quem ouvirá ou lerá sobre eles? Quem os reproduziria ou os subscreveria? Penso em mim mesmo. Escrevo para mim, para me lembrar. Não posso me conformar. Será possível mudar esta realidade? Quem sabe, melhorá-la, pelo menos? Enquanto há vida, há esperança, devo rememorar. Os desabafos são a oportunidade de dizer o que muitos escondem, de revelar que somos apenas simples homens. Todos precisamos desabafar. Me resta registrar: quero trazer a memória o que me pode dar esperança.Rev. Ângelo Vieira da Silva* Expressão humorística bem conhecida.* Na Igreja Presbiteriana do Brasil, ser Aspirante é o primeiro passo no ingresso ao Ministério Pastoral.Texto retirado do blog Regulae Fidei - Regra de Fé http://revavds.blogspot.com/2013/01/desabafos-de-um-jovem-pastor.html#ixzz2UvEBC2SiBlog do Rev. Ângelo Vieira da Silva, Ministro Presbiteriano
publicado por institutogamaliel às 01:03


mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Últ. comentários
No seu site, vc esta citando o nome de MEU PAI, se...
Como não consegui encontrar um "Fale Conosco" no S...
Graça me Paz em Cristo amado. Esse termo devorador...
Edenilson da Silva (http://facebook.com/profile.ph...
Fumar é pecado? http://t.co/H7TH4xGGZ1
10 maiores mitos sobre homossexualidade http://t.c...
Porque o espiritismo atrai tanto??? http://t.co/hY...
O anjo massagista http://t.co/tvszR2eFR9
Organização Angelical http://t.co/rPCf0e8EgY
Ministerio Reobote (http://facebook.com/profile.ph...
arquivos
subscrever feeds