Cursos de Teologia, Capelania, Psicanálise Clínica, Psicologia Pastoral, Formação Pastoral, Coordenação de encontro de casais, Básico em Teologia, Médio em Teologia, Bacharel em Teologia.
Terça-feira, 03 de Abril de 2012

Veja
Pesquisa indica que mesmo a ingestão de apenas uma dose por dia já é o suficiente para expor as mulheres a uma maior chance de desenvolver a doença.

Basta uma dose de bebida alcoólica por dia para aumentar o risco das mulheres desenvolverem câncer de mama em 5%. A conclusão é de uma revisão de 113 estudos feita por pesquisadores da Alemanha, França e Itália, publicada nesta quinta-feira no periódico Alcohol and Alcoholism. Para mulheres que bebem mais — três ou mais doses por dia — o risco de contrair a doença aumenta em 50%.

"Os resultados indicam que mulheres com elevado risco de desenvolver câncer de mama (como as que têm casos na família) devem evitar bebidas alcoólicas ou consumi-las apenas ocasionalmente", afirmaram os pesquisadores.

Segundo o estudo, a relação entre álcool e câncer de mama foi estabelecida pela primeira vez na década de 1980. Acredita-se que o álcool aumente os níveis do hormônio estrogênio, aumentando o risco de câncer de mama. Pesquisas já demonstraram que o álcool está associado a cânceres conhecidos como “receptores positivos de estrogênio”, que necessitam do hormônio para crescer.

Para os pesquisadores, 2% dos casos de câncer de mama na Europa e na América do Norte estão relacionados com o baixo consumo de álcool, e 50.000 casos em todo o mundo se devem ao consumo pesado.

No Brasil, de acordo com estimativas do Instituto Nacional de Câncer (INCA), serão registrados 52.680 novos casos em 2012. Em 2008, ano com as últimas estatísticas disponíveis, morrem 11.969 mulheres em decorrência do câncer de mama.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)
publicado por institutogamaliel às 19:01
tags:


O Estado de São Paulo
Um estudo de prevenção cardiovascular que retirou 280 mil amostras de DNA, sangue, soro e urina de quase 6 mil trabalhadores espanhóis constatou que 70% dos fumantes apresentam alterações nas artérias.

A pesquisa, denominada Estudo da Saúde dos Trabalhadores de Aragón, é realizada há três anos entre o Instituto Aragonés de Ciências da Saúde (IACS) e o Centro Nacional de Pesquisas Cardiovasculares (CNIC), e tem como objetivo conhecer, desde seu início, a evolução das doenças cardiovasculares, explicou nesta sexta-feira, 30, seu coordenador, José Antonio Casasnovas.

O pesquisador disse que o estudo, o maior da Europa e que utiliza técnicas inovadoras, revela que aos 40 anos já começam a ser vistas alterações nas artérias, por isso que a arterioresclerose é "mais precoce" do que se pensava. No entanto, não se sabe se essas alterações são naturais, fisiológicas ou condicionarão uma doença, e isso deve ser analisado agora, acrescentou.

Dos participantes do estudo (trabalhadores da General Motors em Figueruelas, Zaragoza), 30% têm hipertensão, 25% obesidade e 3,5% diabetes, disse Montserrat León, do IACS e coordenadora clínica do projeto. Segundo León, das 500 mulheres estudadas nesse grupo 45% eram fumantes e entre os homens, 37%. A pesquisadora se referiu ao tabagismo como o principal responsável pelas doenças cardiovasculares. De fato, a pesquisa constatou que 70% dos fumantes tinham alterações arteriais, também evidenciadas nos diabéticos, disse Casasnovas.

Os voluntários, com idade média de 49 anos no caso dos homens e 40 no caso das mulheres, concederam entre duas e três mostras de DNA, sangue, soro e urina, foram pesados, tiveram a altura e o perímetro abdominal medidos, e foram avaliados para saber se tomavam medicação, sofriam de tabagismo, diabetes e obesidade, disse Casasnovas.

No entanto, ele se mostrou "surpreso" pelo fato de que nesta fábrica automobilística, graças à "ergonomia" implantada, o trabalho físico mais duro é levantar 4,5 quilos de peso com manipuladores, por isso que o consumo de calorias é a metade do que imaginava.

As doenças cardiovasculares são a causa de morte de quase a metade dos espanhóis, e entre 70 e 75% das causas de internações hospitalares. Daí a importância deste estudo, que será prolongado com o acompanhamento da saúde dos voluntários, ressaltou Martín Laclaustra, subdiretor do Biobanco do CNIC.

Neste centro estão guardadas 140 mil mostras dos trabalhadores que participam do estudo (cada uma com um microchip com todos os dados). Uma quantidade semelhante está a 80 graus abaixo de zero nos congeladores do Biobanco do Hospital Miguel Servet, em Zaragoza, que começou a funcionar em 2011.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)
publicado por institutogamaliel às 19:00
tags:


O hábito de fumar pode ampliar o risco de desenvolver esquizofrenia em pessoas saudáveis que possuam variantes genéticas para o transtorno mental. A descoberta está em um estudo publicado esta semana pela revista Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS).

Boris Quednow, do Hospital Universitário de Psiquiatria em Zurique, na Suíça, e colegas identificaram que em pessoas com tais variantes um marcador neurobiológico para a esquizofrenia se mostrou mais presente entre fumantes do que naqueles que não fumam.

Os pesquisadores investigaram a relação entre variantes do gene TCF4 (“fator de transcrição 4”), cuja presença é conhecida por aumentar o risco de desenvolver esquizofrenia, com o déficit de processamento de informações associado ao transtorno. O TCF 4 é uma proteína com papel importante na formação cerebral.

O grupo avaliou 1.821 voluntários saudáveis e encontrou 21 mutações para o gene TCF4. Portadores de quatro dessas variantes apresentaram alterações no processamento de informações sonoras, conforme verificado por exames de eletroencefalografia.

Quando os resultados foram ajustados de acordo com o hábito de fumar, os cientistas observaram que, entre os voluntários com as variantes de risco do gene TCF4, os fumantes apresentaram maiores déficits no processamento de informações. Os déficits foram expressivos tanto para os fumantes leves como para os pesados.

“Como fumar altera o impacto do gene TCF4 na filtragem de estímulos acústicos, o hábito também pode aumentar o papel de genes específicos no risco de desenvolvimento da esquizofrenia”, disse Quednow.

De acordo com os pesquisadores, o tabagismo pode se associar com as mutações no TCF4 assumindo um papel importante no desenvolvimento de prejuízos no processamento de informações associado com a esquizofrenia.

“O hábito de fumar deve ser considerado como um importante cofator para o risco de esquizofrenia em pesquisas futuras”, disse Quednow.
Autor:
OBID Fonte: Agência FAPESP
publicado por institutogamaliel às 18:59
tags:


Breve história das drogas
A longa trajetória das substâncias psicotrópicas com o passar dos milênios 5400 - 5000 A.C.
Um jarro de cerâmica descoberto no norte do Irã, com resíduos de vinho resinado, é considerado a mais antiga evidência da produção de bebida alcoólica

4000 A.C.
Os chineses são, provavelmente um dos primeiros povos a usar a maconha. Fibras de cânhamo descobertas no país datam dessa época

3500 A.C.
Os sumérios, na Mesopotâmia, são considerados o primeiro povo a usar ópio. O nome dado por eles à papoula pode ser traduzido como "flor do prazer"

3000 A.C.
A folha de coca é costumeiramente mastigada na América do Sul. A coca é tida como um presente dos deuses

2100 A.C.
Médicos sumérios receitam a cerveja para a cura de diversos males, segundo inscrições em tabuletas de argila

2000 A.C.
Hindus, mesopotâmios e gregos usam o cânhamo como planta medicinal. Na Índia, a maconha é considerada um presente dos deuses, uma fonte de prazer e coragem

100 A.C.
Depois de séculos, o cânhamo cai em desuso na China e é empregado apenas como matéria-prima para a produção de papel

Século 11
Hassan Bin Sabah funda a Ordem dos Haximxim, uma horda de guerreiros que recebia, em sua iniciação, uma grande quantidade de haxixe, a resina da Cannabis

1492
O navegador Cristóvão Colombo descobre os índios usando tabaco durante suas viagens ao Caribe

Século 16
Américo Vespúcio faz na Europa os primeiros relatos sobre o uso da coca. Com a conquista das Américas, os espanhóis passam a taxar as plantações

Século 16
Durante a expansão marítima para o Oriente, os portugueses adotam a prática de fumar ópio

1550
Jean Nicot, embaixador francês em Portugal, envia sementes de tabaco para Paris

Século 17
O gim é inventado na Holanda e sua popularização na Inglaterra no século 18 cria um grave problema social de alcoolismo

Século 18
O cânhamo volta a ser usado no Ocidente, como planta medicinal. Alguns médicos passam a usá-lo no tratamento da asma, tosse e doenças nervosas

Século 19
Surgem os charutos e cigarros. Até então, o tabaco era fumado principalmente em cachimbos e aspirado na forma de rapé

1845
O pesquisador francês Moreau de Tours publica o primeiro estudo sobre drogas alucinógenas, descrevendo seus efeitos sobre a percepção humana

1850-1855
A coca passa a ser usada como uma forma de anestesia em operações de garganta. A cocaína é extraída da planta pela primeira vez.

1852
O botânico Richard Spruce identifica o cipó Banisteriopsis caapi como a matéria-prima de onde é extraída a ayahuasca

1874
Com a mistura de morfina e um ácido fraco semelhante ao vinagre, a heroína é inventada na Inglaterra por C.R.A. Wright

1874
A prática de fumar ópio é proibida em San Francisco (EUA). A Sociedade para a Supressão do Comércio do Ópio é fundada na Inglaterra, e só quatro anos depois as primeiras leis contra o uso de ópio são adotadas

1884
O uso anestésico da cocaína é popularizado na Europa. Dois anos depois, John Pemberton lança nos EUA uma beberagem contendo xarope de cocaína e cafeína: a Coca-Cola. A cocaína só seria retirada da fórmula em 1901

1896
A mescalina, princípio ativo do peyote, é isolada em laboratório

1898
A empresa farmacêutica Bayer começa a produção comercial de heroína, usada contra a tosse

1905
Cheirar cocaína torna-se popular. Os primeiros casos médicos de danos nasais por uso de cocaína são relatados em 1910. Em 1942, o governo dos EUA estima em 5.000 as mortes relacionadas ao uso abusivo da droga

1912
A indústria farmacêutica alemã Merck registra o MDMA (princípio ativo do ecstasy) como redutor de apetite. A substância, porém, não chega a ser comercializada.

1914
A cocaína é banida dos EUA

1930
Num movimento que começa nos Estados Unidos, a proibição da maconha alcança praticamente todos os países do Ocidente

1943
O químico suíço Albert Hofmann ingere, por acidente, uma dose de LSD-25, substância que havia descoberto em 1938. Com isso, ele descobre os efeitos da mais potente droga alucinógena

1950-1960
Cientistas fazem as primeiras descobertas da relação do fumo com o câncer do pulmão

1953
O exército norte-americano realiza testes com ecstasy em animais. O objetivo era investigar a utilidade do agente em uma guerra química

1956
Os EUA banem todo e qualquer uso de heroína

1965
O LSD é proibido nos EUA. Seus maiores defensores, como os americanos Timothy Leary e Ken Kesey, começam a ser perseguidos

1965
Alexander Shulgin sintetiza o MDMA em seu laboratório. Ao mastigá-lo, sente "leveza de espírito" e apresenta a droga a psicoterapeutas

Anos 70
O uso da cocaína torna-se popular e passa a ser glamourizado. Nos anos 80, o preço de 1 Kg de cocaína cai de US$ 55 mil (1981) para US$ 25 mil (1984), o que contribui para sua disseminação

1977
Início da "Era de Ouro" do ecstasy. Terapeutas experimentais fazem pesquisas em segredo para não chamar a atenção do governo

Década de 80
Surge o crack , a cocaína na forma de pedra. A droga, acessível às camadas mais pobres da população tem um alto poder de de pendência

1984
A Holanda libera a venda e consumo da maconha em estabelecimentos específicos - os coffee shops

1984
O uso recreativo do MDMA ganha as ruas. Um ano depois, a droga é proibida nos EUA e inserida na categoria dos psicotrópicos mais perigosos

2001
Os EUA dão apoio financeiro de mais de US$ 2 bilhões ao combate ao tráfico e à produção de cocaína na Colômbia

2003
O governo canadense anuncia que vai vender maconha para doentes em estado terminal. É a primeira vez que um governo admite o plantio e comercialização da droga

Fonte: Revista Galileu Especial nº3 - Agosto/2003
publicado por institutogamaliel às 18:57
tags:


Dependência Física
Consiste na necessidade sempre presente, a nível fisiológico, o que torna impossível a suspensão brusca das drogas. Essa suspensão acarretaria a chamada crise da "abstinência". A dependência física é o resultado da adaptação do organismo,independente da vontade do indivíduo. A dependência física e a tolerância podem manifestarem-se isoladamente ou associadas, somando-se à dependência psicológica. A suspensão da droga provoca múltiplas alterações somáticas, causando a dramática situação do "delirium tremens".
Isto significa que o corpo não suporta a síndrome da abstinência entrando em estado de pânico. Sob os efeitos físicos da droga, o organismo não tem um bom desenvolvimento.

Dependência Psicológica
Em estado de dependência psicológica, o indivíduo sente um impulso irrefreável, tem que fazer uso das drogas a fim de evitar o mal-estar. A dependência psicológica indica a existência de alterações psíquicas que favorece a aquisição do hábito. O hábito é um dos aspectos importantes a ser considerado na toxicomania, pois a dependência psíquica e a tolerância significam que a dose deverá ser ainda aumentada para se obter os efeitos desejados. A tolerância é o fenômeno responsável pela necessidade sempre presente que o viciado sente em aumentar o uso da droga.
Em estado de dependência psíquica, o desejo de tomar outra dose ou de se aplicar, transforma-se em necessidade, que se não satisfeita leva o indivíduo a um profundo estado de angústia, (estado depressivo). Esse fenômeno não deverá ser atribuído apenas as drogas que causam dependência psicológica. O estado de angústia, por falta ou privação da droga é comum em quase todos os dependentes e viciados.

Requisitos Básicos da Dependência
1 - forte desejo ou compulsão para consumir a substância;
2 - dificuldade no controle de consumir a substância em termos do seu início, término ou níveis de consumo;
3 - estado de abstinência fisiológica quando o uso cessou ou foi reduzido (sintomas de abstinência ou uso da substância para aliviá-los);
4 - evidência de tolerância, de tal forma que doses crescentes da substância psicoativa são requeridas para alcançar efeitos originalmente produzidos por doses mais baixas;
5 - abandono progressivo de prazeres ou interesses alternativos em favor do uso da substância psicoativa, aumento do tempo necessário para obter ou tomar a substância psicoativa ou para se recuperar dos seus efeitos;
6 - persistência no uso da substância, a despeito de evidência clara de consequências manifestamente nocivas, tais como dano ao fígado por excesso de álcool, depressão consequênte a período de consumo excessivo da substância ou comprometimento cognitivo relacionado à droga.

Uso de Droga em Adolescentes
Idade de início
Substância
Tempo para uso problemático
11 anos
álcool
2,5 anos
12 anos
maconha
1 ano
13 anos
cocaína
6 meses
14 anos
crack
1 mês


Perfil dos Usuários
81%
são de classe média
46,8%
cursam o nível superior
50%
mencionam apenas os efeitos positivos da droga
84%
já tiveram episódios depressivos após o uso
65,6%
acreditam que o ecstasy é seguro
15,6%
já tiveram problemas financeiros pelo uso do ecstasy
100%
usam a droga em grupo
100%
são usuários de outras drogas como maconha, cocaína e LSD

Dados Epidemiológicos
20% da população usam substâncias psicoativas no decorrer da vida;
15% no mínimo são portadores da doença da dependência química;
10% a 12% desses usam mais de uma droga concomitante;
A incidência de DQ é de 2 a 6 vezes maior no homem;
DQ evolui do álcool para drogas mais pesadas;
150 mil óbitos/ano por alcoolismo nos USA;
15% dos DQ cometem suicídio (20 vezes maior que na população).

Transtornos Psiquiátricos em Pacientes Dependentes de Álcool
- 218 pacientes alcoolistas x 218 pacientes não alcoolistas - Serviço Ambulatorial Universitário do estado de São Paulo;
- Prevalência em toda vida (LTP) de transtornos psiquiátricos: 70% população alcoolista x 26% população não alcoolista;
- Depressão maior em 50%;
- Personalidade anti-social em 30%;
- Fobias em 20%;
- Abuso/dependência de outras drogas em 19%.

Transtornos de Personalidade na dependência da Cocaína
- prevalência ao longo da vida de transtornos psiquáticos foi de 69%;
- 29% com transtornos afetivos e ansiosos
- 40% com transtornos de personalidade
- 31% sem transtornos

Saiba como Agir nas Emergências
Aprenda a conhecer os sintomas de overdose (intoxicação aguda) e saiba o que fazer quando uma pessoa exagerou no uso de drogas e pode estar precisando da sua ajuda:

Conheça os sintomas:
- Perda da consciência, coma ou sono repentino e/ou profundo
- Respiração lenta ou curta ou parada da respiração
- Sem pulso ou pulso fraco
- Lábios roxos
- Convulsões, movimentos involuntários, desmaios
- Palpitação, taquicardia, dor no peito

Saiba o que fazer:
- Chame o resgate ou ajuda médica para emergências, imediatamente.
- Nunca deixe a pessoa sozinha.
- Deite a pessoa de lado, tenha certeza de não haver comida ou vômito na garganta.
- Afaste o queixo do peito.
- Nunca dê outra droga para combater o efeito.
- Nunca ponha nada na boca da pessoa, incluindo água ou medicamentos.
- Se a pessoa estiver tendo uma convulsão segure a sua cabeça com cuidado para não bater no chão ou em algum móvel

Atenção: A mistura de qualquer droga com álcool ou outras drogas aumenta o risco de overdose, ferimentos, violência, abuso sexual e morte.

Vício sem Fim
Por que é possível se tornar dependente de jogos, chocolate, compras
e até mesmo sexo - Clique e confira

Loucos por Pílulas
Remédios para emagrecer, dormir ou combater a impotência geram uma mania pelo consumo exagerado de medicamentos, cada vez mais frequente nos países desenvolvidos

Loucos por Pílulas

Remédios para emagrecer, dormir ou combater a impotência geram uma mania pelo consumo exagerado de medicamentos, cada vez mais freqüente nos países desenvolvidos

Um engraçadinho certa vez definiu a principal diferença entre os seres humanos e o resto dos animais: o homem é um animal viciado em pílulas. A mania é, de fato, tentadora. Você está doente, real ou imaginariamente, e, através do mágico ato de engolir um comprimido com ajuda de um gole d´água, vai se curar - ou se prevenir de uma doença. A tentação é impossível de resistir.
A cada dia, milhões de seres humanos não resistem. Alguns até exageram, se entupindo de vitaminas além das necessidades do corpo (boa parte das quais termina na urina, sem ser aproveitada pelo organismo). Com isso, ajudam a movimentar um mercado farmacêutico que chega aos US$ 400 bilhões ao ano.
O ato de tomar um medicamento é tão influente que mesmo um comprimido sem droga ativa alguma, uma mera pílula de açúcar, pode produzir efeitos benéficos - é o chamado "efeito placebo", que ajuda a explicar a popularidade dos alternativos".
Quase toda família tem seu armário de remédios em casa. São comprimidos, na maior parte; mas também vêm na forma de líquidos ou inalantes, supositórios e injeções.
São os países ricos que engolem a maior parte desse arsenal: 88% das vendas de remédios são feitas nos EUA, Canadá, Europa e Japão. Os americanos são os mais vorazes. Quase metade das vendas foram feitas nos EUA - somado ao Canadá, chega-se a 51% dos remédios vendidos em todo o mundo no ano de 2002, segundo a empresa de consultoria IMS, especializada no mercado farmacêutico. As populações desses dois países, juntas, ficam em torno de 5% da população global.
"A mania ocidental por pílulas é, em grande parte, resultado da lei do menor esforço. Nada é mais simples do que ingerir um medicamento sem gosto e obter a "cura" ou alívio para alguma doença ou alguma situação desagradável", diz Rubens Baptista Júnior, médico do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. "Nada de dietas, exercícios, aquisição de hábitos de higiene ou prevenção".
O alto consumo de pílulas nos EUA se explica em parte pela sua economia; o país também consome energia, automóveis ou alimentos acima da média mundial. Outro aspecto importante é o cultural. Em nenhum lugar do mundo a propaganda - do alívio rápido e simples para os problemas - está tão arraigada como na cultura de massa dos EUA. "Essa característica só encontra rival no comportamento das classes média e alta brasileiras", diz o médico.

Solução mais fácil

Com isso, o paciente se habitua a receber pílulas para qualquer problema. A cultura já está entranhada no hábito dessas pessoas antes mesmo de elas abrirem a porta do consultório médico. Segundo Baptista Júnior, muitos pacientes costumam ir ao consultório esperando sair com uma receitinha na mão.
Em muitos casos da prática clínica - como o de certos casos de hipertensão arterial - é mais vantajoso para a saúde e para o bolso do paciente que ele não tome remédios, mas perca peso, adote caminhadas e diminua a quantidade de sal da dieta. Mas, como isso exige algum esforço (para o paciente e também para o médico, que deve acompanhar o caso), a solução do comprimido acaba sendo a adotada.
Muitos médicos acabam se rendendo ao desejo dos pacientes e receitam pílulas inócuas ou que não se aplicam ao caso examinado. "É muito comum que os pacientes reajam negativamente quando o caso não exige medicamentos: "Mas não vai receitar nem uma vitamina, doutor?", lembra Baptista.
Mais do que procurar remédios para curar doenças, hoje a indústria farmacêutica se preocupa com as chamadas "drogas de estilo de vida" e com aquelas para tratar doenças crônicas, para as quais o paciente terá sempre de recorrer. E, de preferência, doenças cujas vítimas sejam medidas aos milhões - e os lucros, em bilhões de dólares.
São medicamentos para obesidade, artrite, hipertensão, diabetes, estresse, impotência, depressão, entre outros. Além de problemas menos graves como calvície, celulite ou pêlo facial nas mulheres.
O grande vilão é o estilo de vida urbano, sedentário e com acesso a uma alimentação rica em gorduras. Doenças cardiovasculares estão entre as principais assassinas da humanidade. O próprio coração mata mais que vírus e bactérias nos países desenvolvidos e mesmo naqueles em desenvolvimento com razoável grau de saúde pública, como o Brasil.

A "polipílula"

De acordo com a cardiologista Tânia Martinez, chefe do Departamento de Aterosclerose da Sociedade Brasileira de Cardiologia, em 2000 foram registradas 260.555 mortes no Brasil em decorrência de doenças cardiovasculares, o equivalente a uma morte a cada dois minutos. "Se somarmos o total de óbitos gerados por enfermidades como a Aids e o câncer naquele ano, não atingiríamos metade dos números de mortalidade em decorrência de problemas cardiovasculares", afirma Tânia.
Isso ajuda a explicar o trabalho de dois pesquisadores britânicos, Nicholas Wald e Malcolm Law, do Instituto Wolfson de Medicina Preventiva. Eles bolaram uma "polipílula" que a respeitada rede britânica BBC não hesitou em chamar de "droga milagrosa".
A idéia é juntar em apenas um comprimido seis remédios diferentes - drogas para diminuir o colesterol, reduzir a pressão do sangue e prevenir ataques cardíacos.
Segundo Wald e Law, pessoas com mais de 55 anos que tomassem a pílula "milagrosa" diariamente teriam 80% menos chance de um ataque cardíaco ou derrame.

Doenças Esquecidas

A preocupação da indústria farmacêutica por drogas de "estilo de vida" causa um problema grave: para o resto do mundo, algumas doenças são negligenciadas, ou seja, não há interesse comercial em se descobrir novas drogas para o seu combate.
Os pesquisadores Patrice Trouiller, francês, e Piero L. Olliano, italiano, especialistas no estudo do desenvolvimento de novas drogas, estudaram as tendências da indústria farmacêutica. Os resultados são tristes para a maior parte da população mundial.
"Nós descobrimos que, de 1.393 novas entidades químicas comercializadas de 1975 a 1999, apenas 16 eram para doenças tropicais e tuberculose", dizem eles e seus colegas. Doenças como a de Chagas (tripanossomíase americana) ou do sono africana (tripanossomíase africana) estão no grupo das que são totalmente ignoradas.
Essas doenças negligenciadas correspondem a 12% do impacto de doenças no planeta. Já as doenças cardiovasculares, para as quais 179 novas drogas foram criadas, têm um impacto semelhante, de 11%. É um caso que ilustra bem o estado do mercado de pílulas.


Produção de pílulas contra disfunção erétil, parte das chamadas
"drogas de estilo de vida"

publicado por institutogamaliel às 18:55
tags:


Transtorno Psicótico
É um conjunto de fenômenos psicóticos que ocorrem durante ou imediatamente após o uso de substâncias psicoativas e que são caracterizadas por alucinações, ilusões, delírios e/ou idéias de referência, transtornos psicomotores e afeto anormal. O transtorno tipicamente se resolve, pelo menos, parcialmente, dentro de 1 mês e completamente dentro de 6 meses e, é influenciado pelo tipo de substância envolvida e pela personalidade do usuário. Há que considerar sempre a possibilidade de um outro transtorno mental estar sendo agravado ou preciptado pelo uso de substância psicoativa; ex. esquizofrenia, transtorno afetivo, transtorno de personalidade de tipo paranóide ou esquizóide.

Delirium Tremens
É um estado toxicoconfusional breve, mas ocasionalmente com risco de vida, que se acompanha de perturbações somáticas. É usualmente uma consequência de uma abstinência absoluta ou relativa do álcool, em usuários gravemente dependentes com uma longa história de uso. Os sintomas prodrômicos incluem insônia, tremores e medo, podendo haver convulsões. A clássica tríade de sintomas inclui obnubilação da consciência e confusão, alucinações e ilusões vívidas de todo o sensório e tremor marcante, (delírios, agitação, inversão do cilco do sono e hiperatividade autonômica, estão usualmente presentes).

Estado de Abstinência
É um conjunto de sintomas, de agrupamentos e gravidade variáveis, ocorrendo na ausência relativa ou absoluta de uma substância, após seu uso repetido, prolongado e com altas doses. A abstinência pode ser complicada por convulsões e delirium.

Abuso de Substância
O abuso de substâncias (álcool e maconha) é um problema comum em pacientes esquizofrênicos, atingindo até 60% destes; piorando com o progredir da doença a interferindo com a aderência do paciente ao tratamento. Uma hipótese importante para explicar comorbidade é que o abuso de substâncias poderia causar ou precipitar a esquizofrenia indivíduos vulneráveis.
Relação temporal entre o início da esquizofrenia e o abuso das substâncias:
27,5% dos pacientes tiveram problemas com drogas mais de um ano antes dos primeiros sintomas da esquizofrenia;
34,6% esquizofrenia e o abuso de substâncias começaram simultaneamente;
37,9% o abuso de substâncias começou após o primeiro sintoma da esquizofrenia.

Gestação
O uso de drogas durante a gravidez tem as seguintes implicações tanto para a mãe como para o feto em desenvolvimento:

A saúde da gestante
As mulheres grávidas com transtorno decorrente do uso de droga apresentam risco elevado para doenças sexualmente transmitidas (como infecção pelo HIV), hepatite, anemia, tuberculose, hipertensão e pré-eclâmpsia.

O curso da gestação
As mulheres grávidas com transtorno decorrente do uso de droga (dependendo do tipo) podem apresentar maior risco para abortos espontâneos, pré-eclâmpsia, placenta prévia e trabalho de parto precoce ou prolongado, além de complicações de outras condições clínicas que podem ser relacionadas ao uso de drogas (como hipertensão em dependentes de cocaína).
Desenvolvimento fetal
Algumas drogas, incluindo os opióides, cocaína e álcool, atravessam a placenta e afetam diretamente o feto. Isso pode ocorrer em qualquer estágio do desenvolvimento, mas é particularmente provável durante o terceiro trimestre, quando o fluxo sangüíneo materno fetal e as taxas de transporte placentário estão aumentadas. A placenta pode deslocar antes, um dos vários fatores causadores do número crescente de partos prematuros.
O feto pode apresentar risco mais elevado que a média para defeitos congênitos, problemas cardiovasculares, comprometimento do desenvolvimento e crescimento, prematuridade, peso baixo ao nascimento e óbito.
Após o parto, o neonato pode apresentar abstinência da droga. que pode ser de difícil reconhecimento, particularmente se o pediatra não conhece o diagnóstico da mãe.

Desenvolvimento da criança
Algumas substâncias (como o álcool) são associadas com efeitos negativos a longo prazo sobre o desenvolvimento físico e cognitivo.

Comportamento como pais
Além do tratamento para o transtorno decorrente do uso de drogas, as mães com esse distúrbio necessitam freqüentemente de educação e treinamento para exercer a maternidade, serviços sociais, aconselhamento nutricional, assistência na obtenção de privilégios de saúde e benefícios e outras intervenções que objetivem reduzir a possibilidade de maltratar ou negligenciar a criança.
(Fonte - NeuroPsicoNews - Sociedade Brasileira de Informações de Patologias Médicas 1999 - nº 13)

Overdose
Os traficantes da cadeia intermediária costumam dividir a droga pura mesclando-a com outras substâncias para aumentar o volume, diminuindo o seu grau de pureza. Um viciado que tem o mesmo fornecedor costuma injetar as mesmas quantidades de acordo com o potencial já conhecido; ocorrendo a troca do fornecedor, a nova partida poderá conter um grau de pureza consideravelmente superior ao esperado e para o qual o organismo não estava acostumado, ocorrendo aí a chamada overdose.
publicado por institutogamaliel às 18:53
tags:



Conceitos
Droga é toda e qualquer substância, natural ou sintética que, introduzida no organismo modifica suas funções. As drogas naturais são obtidas através de determinadas plantas,de animais e de alguns minerais. Exemplo a cafeína (do café), a nicotina (presente no tabaco), o ópio (na papoula) e o THC tetrahidrocanabiol (da maconha). As drogas sintéticas são fabricadas em laboratório, exigindo para isso técnicas especiais. O termo droga, presta-se a várias interpretações, mas comumente suscita a idéia de uma substância proibida, de uso ilegal e nocivo ao indivíduo, modificando-lhe as funções, as sensações, o humor e o comportamento. As drogas estão classificadas em três categorias: as estimulantes, os depressores e os perturbadores das atividades mentais. O termo droga envolve os analgésicos, estimulantes, alucinógenos, tranquilizantes e barbitúricos, além do álcool e substâncias voláteis. As psicotrópicas, são as drogas que tem tropismo e afetam o Sistema Nervoso Central, modificando as atividades psíquicas e o comportamento. Essas drogas podem ser absorvidas de várias formas: por injeção, por inalação, via oral, injeção intravenosa ou aplicadas via retal (supositório).

Intoxicação Aguda
É uma condição transitória seguindo-se a administração de álcool ou outra substância psicoativa, resultando em perturbações no nível de consciência, cognição, percepção, afeto ou comportamento, ou outras funções ou respostas psicofisiológicas.

Uso Nocivo
É um padrão de uso de substância psicoativa que está causando dano à saúde. O dano pode ser físico (como no caso de hepatite decorrente da administração de drogas injetáveis) ou mental (ex. episódio depressivo secundário a um grande consumo de álcool).

Toxicomania
A toxicomania é um estado de intoxicação periódica ou crônica, nociva ao indivíduo e à sociedade, determinada pelo consumo repetido de uma droga, (natural ou sintética). Suas características são:
1 - irresistível desejo causado pela falta que obriga a continuar a usar droga.
2 - tendência a aumentar a dose.
3 - dependência de ordem psíquica (psicológica), às vezes física acerca dos efeitos das drogas.

Breve história das drogas
A longa trajetória das substâncias psicotrópicas com o passar dos milênios.
Clique e confira!

Síndrome de Dependência
É um conjunto de fenômenos fisiológicos, comportamentais e cognitivos, no qual o uso de uma substância ou uma classe de substâncias alcança uma prioridade muito maior para um determinado indivíduo, do que outros comportamentos que antes tinham mais valor.
Uma característica central da síndrome da dependência é o desejo (frequentemente forte e algumas vezes irresistível) de consumir drogas psicoativas as quais podem ou não terem sido prescritas por médicos.

Codependência
Codependência é uma doença emocional que foi "diagnosticada" nos Estados Unidos por volta das décadas de 70 e 80, em uma clínica para dependentes químicos, através do atendimento a seus familiares. Porém, com os avanços dos estudos das causas e dos sintomas, que são vários, chegou-se à conclusão de que esta doença atinge não apenas os familiares dos dependentes químicos, mas um grande número de pessoas, cujos comportamentos e reações perante a vida são um meio de sobrevivência.
Os codependentes são aqueles que vivem em função do(s) outro(os), fazendo destes a razão de sua felicidade e bem estar. São pessoas que têm baixa auto-estima e intenso sentimento de culpa. Vivem tentando "ajudar" outras pessoas, esquecendo, na maior parte do tempo, de viver a própria vida, entre outras atitudes de auto-anulação. O que vai caracterizar o doente é o grau de negligenciamento de sua própria vida em função do outro e de comportamentos insanos.
A codependência também pode ser fatal, causando morte por depressão, suicídio, assassinato, câncer e outros. Embora não haja nas certidões de óbito o termo codependência, muitas vezes ela é o agente desencadeante de doenças muito sérias. Mas pode-se reverter este quadro, adotando-se comportamentos mais saudáveis. Os profissionais apontam que o primeiro passo em direção à mudança é tomar consciência e aceitar o problema.

Abstinência Narcótica
Independente de sexo ou idade, na gravidez ou não, sempre que se suspendem de forma abrupta os narcóticos, poderá eclodir numa pessoa viciada nestas drogas, uma sequência de sintomas que vão caracterizar a síndrome de abstinência narcótica.

As primeiras 4 horas de abstinência
- Ansiedade, comportamento de procura da droga

As primeiras 8 horas de abstinência
- Ansiedade, procura da droga, lacrimejamento, coriza intensa, bocejos frequentes, sudorese excessiva, adinamia, fraqueza geral

As primeiras 12 horas de abstinência
- Ansiedade, procura da droga, lacrimejamento, coriza intensa, bocejos frequentes, sudorese excessiva, adinamia, fraqueza geral, dilatação das pupilas, tremores musculares, ondas de frio, ondas de calor, ereção dos pelos cutâneos, dores ósseas, dores musculares

As primeiras 18-24 horas de abstinência
- Ansiedade, procura da droga, lacrimejamento, coriza intensa, bocejos frequentes, sudorese excessiva, adinamia, fraqueza geral, dilatação das pupilas, tremores musculares, ondas de frio, ondas de calor, ereção dos pelos cutâneos, dores ósseas, dores musculares, insônia, náusea, vômitos, muita inquietação, aumento da frequência respiratória, pulso rápido, aumento da profundidade da respiração, aumento da pressão arterial, hipertermia (febre), dor abdominal

As primeiras 24-36 horas de abstinência
- Ansiedade, procura da droga, lacrimejamento, coriza intensa, bocejos frequentes, sudorese excessiva, adinamia, fraqueza geral, dilatação das pupilas, tremores musculares, ondas de frio, ondas de calor, ereção dos pelos cutâneos, dores ósseas, dores musculares, insônia, náusea, vômitos, muita inquietação, aumento da frequência respiratória, pulso rápido, aumento da profundidade da respiração, aumento da pressão arterial, hipertermia (febre), dor abdominal, diarréia, ejaculação espontânea, perda de peso, orgasmo espontâneo, sinais de desidratação clínica, aumento dos leucócitos sanguíneos, aumento da glicose sanguínea, acidose sanguínea, distúrbio do metabolismo ácido-base

Síndrome de abstinência no recém-nascido
Costuma ocorrer após 48 horas do parto de uma gestante viciada em narcóticos com as características:
- Febre, tremor, irritabilidade, vômitos, hipertonicidade muscular, insuficiência respiratória, convulsão, choro agudíssimo, muitas vezes pode ocorrer a morte do recém-nascido
(Fonte: Salvar o Filho Drogado, Dr. Flávio Rotman, 2ª edição, Editora Record)

Gírias utilizadas por usuários de drogas
queimar um - fumar
mocosar - esconder
caretaço - livre de qualquer efeito da maconha
sussu - sossego
rolê - volta
pifão - bebedeira
rolar - preparar um cigarro
cabeça feita - fuma antes de ir a um lugar
chapado - sob o efeito da maconha
bad trip - viagem ruim, com sofrimentos
nóia - preocupação
marofa - fumaça da maconha
tapas - tragadas
palas - sinais característicos das drogas
larica - fome química
matar a lara - matar a fome química
maricas - cachimbos artesanais
pontas - parte final da maconha não fumada
cemitério de pontas - caixinha ou recipientes plásticos usados para guardar as pontas
pilador - socador para pressionar a maconha já enrolada dentro da seda
dichavar o fumo - soltar a maconha compactada em tijolos ou seus pedaços e separar as partes que lhe dão gosto ruim
sujeira - situação perigosa
dançou - usuário que foi flagrado fumando
mocós - esconderijos de droga
"pipou uma vez, está fisgado"
(Fonte: Anjos Caídos, Içami Tiba, 6ª edição, Editora Gente)

Exames toxicológicos e detecção de drogas
Quais tipos de exames toxicológicos existentes? Eles detectam qualquer droga?
A partir de quando eles dão positivo? - Saiba mais...

Como as Drogas Circulam no Corpo



As drogas circulam de maneira previsível pelo corpo e ganham maior velocidade e alcance a partir do momento em que entram na corrente sanguínea.
O sangue circula dos tecidos para o coração através das veias. Do coração, ele parte para os pulmões para adquirir oxigênio e liberar o dióxido de carbono. O sangue volta, então, para o coração através das artérias, carregando consigo a droga.


As drogas podem der administradas oralmente, aspiradas pelo nariz ou inaladas até os pulmões. Podem também ser injetadas através da pele, de uma camada de gordura, músculo ou dentro de uma veia (via intravenosa). A injeção intravenosa é a via que produz os efeitos mais rápidos.






(Fonte: Como agem as drogas, Gesina L. Longenecker,PH.D. Quark books. Ilustrações de Nelson W.Hee)
publicado por institutogamaliel às 18:44
tags:


Tabagismo demanda custo elevado para empresa e para o fumante. Estima-se que 8% da totalidade dos custos com saúde são provocados pelo tabagismo, associado a perda de produtividade e elevada taxa de absenteísmo. Mas o pior disto tudo é o prejuízo ao próprio fumante, pois sobre ele recai a perda de qualidade de vida e sobrevida.

Muitas empresas oferecem aos seus funcionários programas de tratamento tabagismo com custo que variam de R$ 1000,00 a 3000,00 por funcionário. Ocorre que muito desses programas frustram a empresa e os empregados, pois as taxas de abandono e recaída são muito elevadas.

Se você é gestor de RH da sua empresa e esta pensando e oferecer algum programa de assistência ao tabagismo em 2012 , obrigatoriamente deve conhecer o PAF- Programa de Assistência ao Fumante. Primeiro e único software direcionado ao tratamento do tabagismo do mundo.


O PAF permite o controle absoluto dos tratamentos. Você sabe quantos funcionários estão no Programa, quantos pararam de fumar, alem de inúmeras outras informações disponíveis de forma ética, sem revelar a identidade do paciente.

publicado por institutogamaliel às 18:42
tags:


Intitulamos “droga” qualquer substância e/ou ingrediente utilizado em laboratórios, farmácias, tinturarias, etc.; um pequeno comprimido para aliviar uma dor de cabeça ou até mesmo uma inflamação, é uma droga. Contudo, o termo é comumente empregado a produtos alucinógenos ou qualquer outra substância tóxica que leva à dependência como o cigarro e o álcool, que por sua vez têm sido sinônimo de entorpecente.

As drogas psicoativas são substâncias naturais ou sintéticas que ao serem penetradas no organismo humano, independente da forma (ingerida, injetada, inalada ou absorvida pela pele), entram na corrente sanguínea e atingem o cérebro, alterando todo seu equilíbrio, podendo levar o usuário a reações agressivas.


O que leva uma pessoa a usar drogas?


Pesquisas recentes apontam que os principais motivos que levam um indivíduo a utilizar drogas são: curiosidade, influência de amigos (mais comum), vontade, desejo de fuga (principalmente de problemas familiares), coragem (para tomar uma atitude que sem o uso de tais substâncias não tomaria), dificuldade em enfrentar e/ou aguentar situações difíceis, hábito, dependência (comum), rituais, busca por sensações de prazer, tornar (-se) calmo, servir de estimulantes, facilidades de acesso e obtenção e etc.

Artigos de "Drogas"

publicado por institutogamaliel às 18:38
tags:


Dois anos atrás Michael Glatze provocou ondas de choque em toda a elite homossexual quando declarou publicamente que ele havia abandonado sua vida como proeminente ativista homossexual, se tornado cristão e abraçado a “sexualidade humana normal”.

Contudo, depois de ser vítima de intensas críticas e zombaria após sua conversão, Glatze decidiu “se retrair”, “ficar em silêncio” e “se preparar” por um tempo, mas agora diz que se sente compelido a dar seu testemunho de novo. Numa entrevista com LifeSiteNews.com (LSN), Glatze disse que, longe de ter voltado a seu velho estilo de vida (como muitos de seus críticos da comunidade homossexual disseram que ele faria), ele está “extremamente feliz, e apto a ter uma vida muito boa, normal e saudável”.

Glatze começou a se identificar como homossexual com a idade de 20 anos. Depois disso ele fundou uma popular revista homossexual para jovens — Young Gay America — com pouco mais de 20 anos, e se tornou uma fonte para os meios de comunicação nacionalmente reconhecida em questões homossexuais aos 30 anos.

Durante esse tempo, porém, ele começou a ter dúvidas sobre a homossexualidade, e em 2005, depois de uma década trabalhando no movimento homossexual, ele desistiu de tudo, decidindo que era “errado e imoral”. Pouco antes de deixar sua posição na revista, conforme ele relatou em 2007 quando revelou pela primeira vez acerca de sua conversão, ele escreveu em seu computador de escritório: “Homossexualidade é morte, e eu escolho vida”.

Depois de anunciar sua conversão, Glatze diz que foi “duramente criticado por pessoas que não me conheciam ao ponto em que eu precisava me retrair, para entender melhor tudo o que eu estava discutindo”.

“A fúria que vem dos indivíduos ‘gays’ contra pessoas como eu pode ser cruel e vil, e pode machucar”, ele disse para LSN. “Eles não param por nada para fazer me sentir envergonhado por minha atual posição acerca da homossexualidade, e tentar me fazer duvidar do que experimentei em minha vida”.

“Cheguei ao ponto em que decidi ficar em ‘silêncio’, e recusar ofertas para falar, e me preparar”, disse ele.

Desde então ele diz que “está confiando em Deus, e somente em Deus”. “Venho adorando viver uma vida relativamente normal”, disse ele. “Vou à igreja. Tenho namorado moças. E, continuo a entender as ramificações do pecado homossexual de forma cada vez mais profunda, e à medida que encontro outros presos nesse pecado, aprendo mais sobre a natureza humana, e observo minhas próprias experiências — comparando-as com o modo como eu poderia ter respondido ou reagido em certas situações apenas alguns anos atrás”.

Agora pronto para compartilhar seu testemunho de novo, ele diz que insiste em fundamentar sua identidade em Deus, em vez de se definir de acordo com sua condição de “ex-gay”. “Não quero ser algum tipo de porta-voz que faz essa questão parecer exagerada acerca de mim”, ele explicou.

“Há inúmeras pessoas que saíram do estilo de vida homossexual com êxito, largaram os hábitos do pecado homossexual e que têm vidas felizes e saudáveis”, ele continuou.

Ele diz que foi edificado por “muitos, muitos e-mails de pessoas de várias partes do mundo que se identificaram com meu testemunho… que me incentivaram a prosseguir nesta caminhada, que estão felizes, que abandonaram a homossexualidade, deixando-a bem para trás, que têm filhos e que têm belas esposas”.

“Parte do problema em ‘divulgar o testemunho’ é que estamos realmente apenas falando sobre a experiência humana normal”, disse ele. “Não é o tipo de coisa onde você sente a necessidade de investir horas de sua vida, correr e gritar ‘Gente, vocês precisam respirar o ar!’”

A verdade é “óbvia”, explicou ele. “A heterossexualidade é a sexualidade humana normal, enquanto a homossexualidade é um desvio. Essas são coisas óbvias. O que é tão inovador é o modo como os ativistas estão tendo sucesso em turvar a realidade”.

“Penso que enquanto os meios de comunicação perpetuarem o mito de que a homossexualidade não pode ser curada… quero continuar a espalhar a mensagem da verdade em oposição a essa mentira”, disse ele, “sustentado pelo fato de que estou mais feliz, mais confiante e muito mais saudável — e muito, muito menos gay — desde 2007 e os anos anteriores”.

Fonte: Life Site News / Gospel+
Traduzido por Julio Severo

publicado por institutogamaliel às 18:33
















publicado por institutogamaliel às 18:28


Meu nome é Matt Moore. Eu nasci em Shreveport, Louisiana, em junho de 1989. Eu nasci de novo em setembro de 2010. Esta é minha história.

Eu tive uma infância bastante normal para os primeiros anos da minha vida, com exceção de algumas coisas. Mas mesmo em meio a essas coisas, eu ainda iria definir a minha infância como o normal é que milhões de crianças encontram as mesmas situações que mais tarde iria jogar na pessoa que eu seria como um jovem adulto. Eu odeio que estas coisas caem na definição de normal, mas, infelizmente, eles fazem nesta era corrupto em que vivemos

Algumas das coisas que estou prestes a revelar neste escrito eu nunca ter escrito ou falado publicamente sobre. Por favor, tenha paciência comigo se a escrita não flui eloquente. Como algumas dessas coisas que eu simplesmente não sei como colocar eloquente. Eu não pensei sobre algumas dessas ocorrências muito desde que eles ocorreram, mas o mais que Deus revela-me a verdade e origem dos sentimentos homossexuais que eu tenho, mais difícil é manter o bloqueio deles fora da minha mente. Mesmo neste momento enquanto digito estas palavras, eu estou lutando contra o desejo de fechar-se completamente as minhas emoções e entorpecer-me como eu te dizer isso. Eu sempre fui bom nisso ... transformar a emoção "switch" off. Mas eu não quero viver mais assim. Eu quero que você, mesmo através destas palavras escritas, para sentir o que sinto e se conectar com mim de uma forma real. Eu oro para que Deus abra seu coração para ser capaz de fazer isso. E eu rezo para que através de fazê-lo, você será capaz de se relacionar comigo e minhas lutas de uma forma que pode ajudar e fortalecê-lo.

Para o melhor da minha memória, eu tinha a idade de 4 ou 5, quando eu estava exposta à pornografia pela primeira vez. Obviamente eu não optar por abrir-me até ele, mas por causa de ações de outro, eu era. Ele ia buscar-me para vê-lo com ele. Lembro também que várias vezes eu iria jogar um "jogo" com esta pessoa que implicou me despi-lo, enquanto ele estava dormindo ... ou fingia ser. Acho que deve ter sido reencenando o que eu tinha visto nos vídeos que tinham visto. Nunca houve qualquer tipo de abuso sexual entre mim e essa pessoa, só o que acabo de descrever acima ocorreu. Depois de assistir a pornografia e jogar esses "jogos", também me lembro de pelo menos uma vez algo semelhante aconteceu com o filho do amigo da minha mãe de que tinha a minha idade. Nós dois estávamos em torno de 5 anos de idade, e um dia no meu quarto enquanto eu lhe disse que ele deveria tirar suas calças durante um minuto. Assim ele fez, e ficou ali parado. Eu olhei para ele. Eu nem sabia o que era desejo ou o sexo era. Mas senti-lo. Após cerca de um minuto, ele puxou as calças para cima.

Na idade de 5 anos de idade, eu não só tinha sido predados, mas também se tornar um predador. O desejo pecaminoso que havia sido despertado em mim já estava derramando de mim na vida dos outros. Rezo para que a criança que eu só falava de ter encontrado Cristo e é curado de qualquer dor que eu possa ter causado a ele. Eu sei que eu tinha apenas cinco anos, mas eu ainda odeio o fato de que minhas ações jovem pode ter sido responsável por alguém que seria levado para uma vida de destruição sexual.

[Esta parte seguinte, eu só estou revelando, porque sei que minha mãe me apoia nas coisas que faço em nome de Jesus e não se escandalizar em menor se pelo menos uma pessoa é ajudado meus os seus erros e as lutas também]

Quando eu tinha uns seis anos de idade, meus pais se separaram. Minha mãe imediatamente perseguido um relacionamento. Outro relacionamento, com uma mulher. Esta mulher vivia basicamente com a gente, como eu me lembro de dormir sobre o tempo todo. Eu, claro, foi protegido a partir do conhecimento que ela e minha mãe eram românticos em seu relacionamento. Mas eu tinha um sentimento inato de que havia algo mais do que isso. Eu não iria ser informado sobre a plenitude do que realmente estava acontecendo até que eu tinha 13 anos, quase sete anos depois. Mas eu não estava surpreso. Nada inadequado que aconteceu entre mim ea namorada da minha mãe ou qualquer coisa assim, nem me foi exposto a qualquer tipo de comportamento sexual entre eles. Mas agora olhando para trás, acredito que houve algum tipo de presença demoníaca sobre ela e que a situação (eu sei que não é politicamente correto falar sobre demônios no mundo de hoje. Mas é uma realidade, se optamos por reconhecê-lo ou não). É a única maneira que eu possa explicar sabendo o que estava acontecendo sem realmente saber.

Você vê, eu nem sabia o que "gay" ou "homossexualidade" significava até um par de anos mais tarde, quando meu pai sentava-se e explicar-me. Mas eu já tinha uma consciência espiritual, eu acho que você diria. Eu tinha "sentimentos" que eu não poderia realmente explicar em palavras, devido a uma falta de conhecimento, mas os sentimentos eram muito reais e foram afirmados pelo conhecimento que eu adquirir daquela conversa com meu pai. Eu sabia naquele momento que eu era um desses "gays". (Foi também neste momento me dei conta que tinha acontecido com minha mãe e outra mulher. Minha mãe rapidamente saiu do estilo de vida gay, em questão de meses, e foi se casou novamente e teve mais filhos).

De série sobre terceiro ao sexto ano, eu não acho sobre a homossexualidade muito. Ele nunca passou pela minha cabeça. Eu me lembro que eu brincava com as meninas mais do que os meninos e era bastante desconfortável em torno de outros meninos, mas não havia nada muito de natureza sexual em meus pensamentos durante esses anos. Quando a puberdade bateu em pleno andamento, tudo mudou. Comecei a desenvolver paixões por outros caras que eu estava com amigos na escola média. Eu definitivamente sabia que era errado, mas a minha percepção de "errado" foi definido pela cultura eu estava cercado por. Na minha mente, me ter uma queda ou ser atraído por outro homem estava errado, porque todo mundo disse que era e porque todo mundo estava tendo sentimentos em relação a membros do sexo oposto, não do mesmo sexo.

Na minha caloiro e no segundo ano do ensino médio, a intensidade dos meus sentimentos homossexuais cresceu. Comecei a ter mais amizades com rapazes do que eu tinha no ensino fundamental e médio, desde que eu jogava futebol. Minha atração por outros homens foi reforçada. Eu era grande em ser amigos com as meninas, mas nunca teve qualquer emoções mais para eles, para além das de amizade. Ao mesmo tempo, era mais difícil para mim ser amigo dos caras porque as emoções além da amizade que começam a se manifestar. Mas eu tornei muito bom em suprimir esses sentimentos e fazer o que eu precisava fazer para ser percebido como algo normal. Bem, para não ser percebido como gay.

A próxima ocorrência vou falar de que eu também não revelaram como conhecimento público. Quando a maioria das pessoas perguntam, digo-lhes que a minha primeira experiência sexual com um rapaz estava na faculdade. Mas isso não é verdade.

Quando eu tinha 16 anos um dia eu fui ao shopping. Se você nunca foi ao banheiro no shopping há uma boa chance que você já viu a escrita nas paredes e barracas, as pessoas colocando seus números de telefone com mensagens explícitas. Bem, neste dia eu vi um desses "convites" e eu guardei o número no meu telefone. Eu definitivamente não ligue para o número, eu era muito tímido e com medo de fazer isso. Mas eu fiz o texto homem. Para um par de semanas, nós o faríamos texto periodicamente. Gostaríamos de falar sobre coisas de natureza sexual, não para sua surpresa, tenho certeza. Um dia durante o verão, eu estava fora metros de corte e eu simplesmente não conseguia ficar com a ideia de ter sexo fora da minha mente. Então eu comecei a texto esse cara porque ele era o único caminho pelo qual o que eu queria tanto fazer poderia acontecer. Eu não sabia que qualquer outro povo gay. Durante todo o dia fiquei brincando com a idéia, e quanto mais que eu brincava com a idéia mais meu coração começou a corrida e minha adrenalina começou a bombear.

Ele me ligou, eu respondi, conversamos, e eu estava assim. O disco inteiro sobre o seu trailer, eu não podia acreditar no que estava fazendo. Eu sabia que era perigoso e arriscado, mas o meu enorme desejo de fazer sexo fechar todos os outros pensamentos lógicos. Eu puxei em seu caminho da unidade, subiu em sua varanda, e ele abriu a porta e entrei.

É difícil explicar como me senti saindo de sua porta. Numb provavelmente seria a palavra melhor ajuste para descrever o que eu estava experimentando. Eu estava entorpecido e em choque com o que eu tinha feito. Eu tinha esses pensamentos, pensamentos lascivos, para os anos ... mas me realmente ter sexo com outro homem realmente levou-a para um nível totalmente diferente e meu "homossexualidade" tornou-se mais realista para mim do que jamais teve antes. Eu não acho que me sentiria desse jeito! Eu pensei que ficaria extasiada. Eu pensei que eu estaria satisfeito.

Quando cheguei em meu caminhão e foi embora, as emoções me atingiu como uma avalanche. Eu estava tão envergonhado e enojado pelo o que eu tinha feito. Comecei a clamar a Deus ... Eu não sei por quê. Eu realmente nunca tinha reconhecido a Deus muito antes, mas meu primeiro impulso foi pedir a Ele que me perdoe e me mudar. Eu queria que Deus me faz em linha reta. Então eu me tornei o que eu pensava que era um "cristão" no dia seguinte. Eu parei de xingar, tentou parar de pensar em caras, e comecei a ouvir música cristã. Esta foi uma fase de curta duração que desapareceu em um par de meses.

Você vê, eu não estava chegando a Deus, porque eu sabia que era um pecador e precisava de seu perdão através de Cristo. Eu estava vindo somente a Deus, porque eu queria que ele me faz em linha reta. Eu não queria Deus. Eu queria ser reta.

Quase dois anos depois que eu terminei o ensino médio e foi para a faculdade, quase uma hora de distância de onde eu cresci. Foi no meu primeiro ano de faculdade que eu iria fazer sexo de novo, com duas pessoas diferentes. Ambos esses caras eram "no armário". Essa foi a melhor opção para mim, porque eu não estava em forma ou moda querer vir publicamente sobre ser gay. Nós tínhamos um acordo mútuo para não falar com ninguém sobre o que aconteceu entre nós. Embora eu estivesse aceitando cada vez mais dos meus sentimentos homossexuais, eu ainda não estava pronto para fazer todos os outros a ser aceita por eles.

Depois do meu primeiro ano de faculdade, eu me mudei de volta para casa. Eu praticamente fora reprovado devido ao meu excesso de bebida e festas. Saí quase todas as noites da semana, o que não deixa muito tempo para ficar sóbria e ir para a aula. Depois de viver de volta para casa cerca de um ano, eu decidi me mudar para Baton Rouge. Pouco depois de se mudar para lá, na verdade, o primeiro dia eu me mudei para lá, me encontrei com um cara que eu havia conhecido no Facebook e que "ligado". Ao contrário do que esses antes, desenvolvi sentimentos muito fortes para esse cara. Eu gostava dele mais do que eu já tinha gostado ninguém na minha vida! Na minha ingenuidade, eu assumi que ele realmente gostava de mim também desde que ele queria ligar comigo o tempo todo. Eu conjurou todas essas idéias na minha imaginação sobre estar em um relacionamento real com ele e ser feliz, blá blá blá. Ele aparentemente não sentem da mesma maneira porque o mais que eu faria texto dele, menos ele iria me texto. Ele iria conduzir-me absolutamente insano. Quero dizer, a implicância maior animal de estimação do meu está a ser ignorado! Isso realmente machuca meus sentimentos. Mas apenas cerca de uma semana mais tarde eu conheci outro cara, no Facebook, mais uma vez. Basicamente, a primeira situação se repetiu com esse cara também. Eu estava tão deprimido. Acabei de sair do trabalho um dia, tenho todas as minhas coisas de onde eu morava e se mudou de volta para casa para Shreveport.

Porque eu tinha provado do sexo e do que eu pensava era "romance", eu queria mais. Passei muito tempo em sites de relacionamento gay. Eu me conectei com um cara que era muito atraente e viveu duas horas ao sul de mim em Alexandria. Trocamos números e começou a ter texto e chamadas telefônicas durante a noite. Eu ainda não tinha conheci esse cara e já estava muito intrigado com ele. Um fim de semana eu disse todos os meus amigos e minha mãe que eu estava indo para Natchitoches sair com meus amigos (que é onde eu passei meu primeiro ano de faculdade), mas eu estava realmente viajando para Alexandria para passar o fim de semana com esse cara. Dentro de uma hora de estar em sua casa, as coisas tomaram um rumo sexual. Saímos à noite para um bar gay, que passou a ser a minha primeira experiência na cena noturna gay. Eu simplesmente adorei.

Para os fins de semana seguintes, eu dirigiria até lá e fazer as mesmas coisas. Os sentimentos que eu tinha para esse cara eram mais poderosos do que qualquer das anteriores. Fiquei obcecado com ele. Ele honestamente era tudo que eu pensei a partir do momento que eu acordei até a hora que eu fui dormir. E eu fico deprimido quando ele não estava me dando a atenção que eu queria. Eu, então, descobrir que ele também estava brincando com seu ex-namorado. Assim que terminou encontro dentro de um par de meses.

Você vê, eu queria de 24 horas de atenção. Eu queria alguém para estar encantado com o pensamento em mim e no amor com cada parte de mim ao ponto de que eles nunca quis parar de falar comigo ou separar de mim. Eu tinha um desejo de minha alma que Deus havia colocado lá para si mesmo, mas eu estava pervertendo que desejo e dirigi-la para as pessoas em vez de meu Criador.

Por esta altura eu já tinha um amor substancial para o álcool. Eu uso a palavra "amor" ao invés de dependência, porque eu realmente amo isso. Estar embriagado foi quando eu era o mais feliz. E agora que eu tinha experimentado a emoção da noite gay de vida, eu queria mais do mesmo. Comecei a ir para o bar gay na cidade onde eu morava. Eu tinha dito algumas das minhas amigas que eu era gay, então eles me acompanham nas noites que eu iria aventurar para fora do clube. Dentro de um mês eu estava no bar gay 4-5 noites por semana, ficando extremamente bêbado todas as noites e se divertindo muito. Eu estava recebendo tanta atenção de outros caras gays e eu prosperou em que a atenção, isso me fez sentir magnífica sobre mim ... que eu nunca havia sentido antes. Eu senti como se tivesse algum tipo de poder naquele lugar. Fui aceito por todos, estimado pela maioria, e, finalmente, senti como se tivesse começado a viver a vida que eu merecia viver. Eu saí do armário diante de todos que eu sabia, família incluída. Todo mundo estava tão favoráveis ​​a mim e incentivou o estilo de vida que eu estava vivendo, com exceção de meu pai. Mas ele finalmente começou a chegar a um acordo com ele. Minha família sabia que eu não tinha sido feliz, sempre, e só queria me encontrar a felicidade.

Infelizmente, fui expulso do bar gay depois de cerca de 4 meses, quando eles descobriram que eu estava usando uma identidade falsa. Eu não tinha idade legal ainda, 21.

Eu rapidamente encontrei um outro cara no Facebook (que eu não gostava de ser furado), que viveu há cerca de uma hora de distância. Gostaríamos de terminar namoro de um par de meses durante a minha "suspensão" do bar gay, mas a relação terminaria de forma abrupta e mal. Toda vez que eu coloquei meus sentimentos em outra pessoa que iria voltar para me esmagado e destruído. A única maneira que eu sabia como lidar com isso e se sentir melhor era começar a sair novamente. Eu não poderia ir para o bar gay por mais alguns meses até que eu fizesse 21 anos, mas eu freqüentava os outros bares da cidade com a minha identidade falsa cada fim de semana.

Em junho de 2010 eu finalmente virou 21 anos. Eu não consigo nem explicar em palavras o quanto eu estava animado. Na verdade, eu orava a Deus semana antes do meu aniversário de "não, por favor deixe-me morrer antes de completar 21 anos e ir para o bar gay mais uma vez!". Eu tive uma grande festa em minha casa para comemorar esta ocasião especial na minha vida, e quando o relógio bateu meia-noite, eu me dirigi na cidade. Agora que a lei não podia me segurar, eu estava livre para voltar para a cena gay que eu perdi oh-tão.

Minha bebida tornou-se mais excessiva nas semanas e meses que virão. Eu comecei a desmaiar durante o meu tempo nos bares. Eu não iria passar, mas eu iria perder a consciência do que estava acontecendo e perder a memória completa de períodos curtos de tempo. Eu já tinha me ganhou uma reputação promíscuo, e tinha orgulho disso. Mas meu comportamento começou a se intensificar e em um ritmo muito rápido. Uma noite, em particular, no final de junho, eu me lembro de estar no bar gay em torno de quatro horas ou mais após a maioria das pessoas havia deixado. Eu vi esse cara e começou a falar com ele, provocante (como muitas vezes eu fiz). Ele acabou me levando para casa, que eu não me lembro, e como estávamos na minha cama a minha consciência foi restaurado para mim e eu me lembro dele me olhando e me dizendo que ele era positivo. HIV positivo. E eu olhei para ele e lhe disse: "Eu não me importo." Nós perseguido nossas atividades.

O dia seguinte era o mais próximo que minha mente já vagou em direção a pensamentos suicidas. Eu estava dominado pelo medo de que eu havia contraído esta doença fatal dele e que iria estragar todos os aspectos da minha vida. Eu estava com medo, ninguém iria me querer mais e que meus dias de festa acabaria. Eu estava com medo de estar doente. Eu estava com tanto medo.

Naquela noite fui comer com minha Haylee amigo que tinha recentemente se tornado um cristão. Começamos a falar sobre Deus e Jesus e tudo, e eu lembro de olhar para ela sobre a mesa enquanto comíamos e dizendo a ela: "Sei que se eu morresse agora que eu iria para o inferno. Mas eu não posso dar o meu estilo de vida e eu não posso desistir de meus amigos. " Eu não disse isso em raiva. Eu não estava zangado com ela ou sobre qualquer coisa que ela estava dizendo para mim. Era apenas a realidade do meu estado espiritual e mental. Eu estava morto espiritualmente.

Nos próximos meses o meu consumo de álcool basicamente triplicou. Eu não sei como meu corpo era capaz de lidar com álcool tanto sem desligar, além da graça de Deus que já estava na minha vida. Os curtas black-outs começou a durar mais, muito mais tempo. Gostaria de escurecer e não tenho lembrança de cerca de doze horas - quatro horas a cada noite que eu fui, o que foi 3-4 noites por semana. Gostaria de fazer sexo com estranhos, acordar em quartos de hotel em toda a cidade sem se lembrar de como cheguei lá, me encontro encalhado na beira da estrada, etc

Minha bebida era extrema. Meu desejo era mais extremo. Ambos os pecados foram consumindo me ........... e eu estava adorando cada minuto disso. Foi divertido para mim. Eu era grato por ter o "fora de controle" banner colocado em mim por meus amigos. Foi a minha reputação, e eu gostava de viver até ele.

Na realidade, eu só não sabia quem eu era. Beber e estar fora de controle eram coisas que eu era boa, então me esforcei para a perfeição nessas actividades.

O fim de semana antes do Dia do Trabalho 2010 eu estava em uma noite de sábado como de costume. Esta noite foi particularmente especial, porque eu tinha um grande grupo de meus amigos heterossexuais vai comigo para o bar gay que não vão regularmente. Era sempre grandes pessoas com que eu conheci em meus motivos pisoteando. Bebi tanto esta noite como eu normalmente fazia, mas por algum motivo eu não estava desmaiando como de costume. Eu continuei bebendo e mantidos de beber, mas algo estava diferente. Eu estava na dança andar cerca de 3 horas, e um pensamento me ocorreu. Era quase como uma voz, falando para mim.

Foi ", Matt, o que você está fazendo?"

Eu não entendia o que estava acontecendo, mas de repente senti um pouco envergonhado de mim mesmo. Foi estranho, para dizer o mínimo. Eu parei de dançar e acabou deixando o bar logo depois disso. Mal sabia eu que essa seria a última noite que eu nunca iria entrar num bar gay.

Ao longo dos próximos dias eu estava pensando em Deus. Isso era estranho, porque os pensamentos de Deus raramente ocorreu em minha mente, e quando o faziam eram fugazes. Eu nunca tinha realmente sentei e ponderou sobre ele. Eu, particularmente, realmente comecei a pensar sobre ele depois de um amigo meu me mandou uma P4CM (Paixão por Cristo Ministérios) vídeo apenas dois dias após a ocorrência estranha no bar. O homem no vídeo estava basicamente dizendo que a maioria das pessoas chegam a Deus só quando eles querem alguma coisa dele ou quiser algo fixo. E então, logo que o problema vai embora, eles vão longe demais. Ele estava discutindo o perigo de essa mentalidade, à luz do fato de que não sabemos quando o dia ea hora é que vamos deixar esta terra e entrar em um dos dois lugares eternos, céu ou inferno. Eu tinha ouvido mensagens como isso muitas vezes antes, mas esta foi a primeira vez que meu coração estava realmente impressionado com ele. Acho que foi no dia seguinte que eu tenho no meu chão e pediu a Jesus para me salvar .... de mim mesmo.

Ele o fez.

Para o primeiro par de semanas que eu digo aos meus amigos cristãos (eu tinha dois deles, que tinha acabado de ser salva de um ano antes eu era) que eu não sabia se ser gay era certo ou errado, mas eu não ia se preocupar com isso no momento. Eu ia buscar a Deus e, então, deixe que Ele me mostre o que Ele queria me mostrar. Lá no fundo eu sabia que a homossexualidade era errado, mas eu ainda não era a tal ponto que eu poderia dizer isso em voz alta ... especialmente para as pessoas que me conhecia muito bem durante anos. Mas, eventualmente, eu era capaz de dizer-lhes que a homossexualidade era errada e que eu sabia que tinha de negar esses sentimentos e não entregar a eles.

Eu realmente nunca pensei, "Eu quero que Deus me curar da minha homossexualidade", para surpresa de muitas pessoas. Quer dizer, eu sabia que era errado e que era pecado, mas meu objetivo não era (e não é) em primeiro lugar para ser "curado". Meu objetivo era (e é) a conhecer a Deus. Isto era tão diferente de minha fase cristã na High School. Esse foi real. Intrinsecamente eu sabia que conhecer a Deus seria a solução para todos os meus problemas.

Foi cerca de um ano e meio desde que o Espírito Santo começou sua obra em mim. E tem sido um pedaço de um passeio. Deixando o estilo de vida não foi tão difícil para mim, como eu sei que pode ser para os outros. Eu queria que Jesus mais do que eu queria aceitação daqueles que costumava ser meus amigos. Agora, não me interpretem mal, eu não parar de falar com eles ou bloquear seus números. Mas, como eles viram que eu não ia sair mais, eles lentamente deixei de querer falar comigo. E depois de me tornar mais público com o que Deus fez na minha vida e meu ponto de vista em direção a Ele e ao pecado agora, eles realmente não queria ter nada a ver comigo. Eu recebi algumas mensagens desagradáveis ​​e tenho ouvido algumas coisas desagradáveis ​​as pessoas têm dito sobre mim através da videira, mas não se compara com o tesouro que eu tenho agora, em Cristo. Eu conhecer a Deus! Recebo a procurá-lo constantemente! E mais do que isso, Ele me procura constantemente. Minha vida inteira eu olhei em todos os lugares errados para a atenção eo amor que eu desejava, mas graças a Deus que na Sua bondade soberana Ele abriu meus olhos e coração e me atraiu perto de Si mesmo a fim de que eu iria ver como Ele verdadeiramente magnífica é. Nada se compara com estar em um relacionamento real e próspera com Jesus Cristo. Nada.

Eu ainda lutam com tentações homossexuais e tem que lutar contra o pecado insiste em uma base diária. Mas é tão imensamente vale a pena lutar! Devido à ação do Espírito Santo em meu coração, eu sou capaz de ver claramente que os sentimentos homossexuais que tenho são uma perversão do dom do sexo que Deus deu à humanidade. Eu sou capaz de ver e crer, sem sombra de dúvida, que me idolatrar minha libido sobre o Deus que eu foi criado para adorar causado tanta destruição em minha vida (eu fiz o teste para o HIV, a propósito, duas vezes. As duas vezes foram negativo, louvado seja Deus!). Eu sei que as coisas que aconteceram na minha infância estavam fora do meu controle, mas por causa do meu quebrantamento própria depravação e eu ainda escolhi para me fazer e os meus desejos mais importante do que Jesus Cristo.

(Na mesma nota, eu preciso dizer que eu não realizar qualquer tipo de ressentimento ou rancor no meu coração para alguém da minha infância que pode ter desempenhado um papel no desenvolvimento dos meus sentimentos homossexuais. Todos nós somos pecadores necessitados de graça e perdão. E todos nós o pecado de maneiras que afetam outras pessoas. O perdão é tão, tão importante!)

Eu também sou bastante consciente de que eu confundir as pessoas. Eles não entendem por que eu iria negligenciar o que se sente tão natural para mim, porque um livro de 2.000 anos diz que é que é errado. Em primeiro lugar, eu não faço isso simplesmente porque um livro diz que é errado ... Eu nego meus desejos pecaminosos, porque Deus me diz que é errado. Deus ordena que eu me arrependesse não do meu pecado porque Ele é um ditador do mal, mas porque Ele é um Pai amoroso que sabe que o meu pecado vai me destruir de várias maneiras. Mentalmente, emocionalmente, fisicamente e, finalmente, eternamente. Se você não acha que a homossexualidade machuca ninguém, basta verificar as estatísticas. Confira o número de assassinatos entre a comunidade gay. Confira o índice de dependência entre os homossexuais. Confira a média de vida de um homossexual masculino. Sério, só no Google. Você pode ver por si mesmo.

Uma pergunta que muitas vezes o rosto é "como você sabe que a Bíblia é verdadeira?" Cerca de um ano atrás, eu iria normalmente em um derramamento de apologética sobre as evidências da autenticidade da Bíblia e sobre a quantidade de manuscritos que temos do Novo Testamento, ao contrário de outras obras famosas da antiguidade que não é mesmo um pouco questionados. Mas é realmente muito mais simples do que isso. O Espírito Santo de testemunhas de Deus para os filhos de Deus que eles são seus e Ele fala com eles e lhes dá certeza de coisas que são verdadeiras, justo e certo. O Espírito Santo também testemunhas para os espíritos dos que crêem em Cristo, que as Escrituras são verdadeiras. Jesus começou a tantas declarações em Seu ministério terreno com a frase: "Está escrito .." Se cremos em Jesus, devemos crer que Ele acreditava. E Ele acreditava que as Escrituras eram verdadeiras. Portanto, eu também

É pesado para seguir a Jesus e à Sua vontade? Nem um pouco. Ela me traz mais alegria do que posso expressar em linguagem humana. Mas é difícil às vezes? Sim. Mas a alegria não se perde em meio à dificuldade. A santificação não é sempre agradável, na verdade, raramente é. Que o Espírito Santo começa em nós no momento da conversão é um processo que vai continuar por toda a nossa vida neste mundo, se somos verdadeiramente Seu. Deus não apenas salvar alguém e deixá-los sozinhos. Ele trabalha neles continuamente, a fim de purificá-los da sujeira do mundo e torná-los santos, tanto para sua alegria e sua glória.

"Pois é Deus quem opera em vós tanto o querer e trabalhar para a sua boa vontade" - Filipenses 2:13.

Eu posso, na verdade, dizer com segurança que quanto mais eu continuar girando longe dos meus desejos homossexuais, a menos de força eles se tornam. Meus sentimentos homossexuais definitivamente diminuído desde a noite de Deus começou a desenhar-me para si, em setembro de 2010. Eles estão completamente fora? Não, eles não são. Será que eles nunca ser completamente desaparecido? Eu não sei. Mas uma coisa eu sei, eu confio no meu Deus. Eu confio que tudo o que Ele está fazendo é para o meu bem (Romanos 8:28). E eu sei isso tão bem, não importa o que eu espinhos podem sofrer na minha carne, nesta vida, eles não são nada para ser comparado com a alegria incessante e prazer que fluam em e através de mim quando eu passo na glória com Jesus Cristo.

Eu não quero de forma alguma insinuar que eu tenho isso completamente e ter superado completamente a minha luta com o pecado, porque eu não tenho. Um verdadeiro cristão é na batalha contra o pecado todos os dias da sua vida inteira. A principal coisa que eu luto com o ainda mais é a pornografia, mas mesmo isso está mudando. Eu não entendo a mesma satisfação que eu usei para a partir dele. Meu estômago realmente transforma no local de homossexuais "relações". Mas também sei que se eu continuar a vê-lo e endurecer meu coração para a convicção do Espírito Santo, vou começar a ver as coisas novamente através dos olhos de minha carne pecaminosa e não através dos olhos do Espírito. E isso eu não quero. Mas eu não tenho medo. Eu confio no meu Salvador para terminar o que Ele começou em mim, como Ele prometeu.

"E eu estou certo disso, que aquele que começou boa obra em você vai trazê-lo à conclusão no dia de Jesus Cristo." - Filipenses 1:6.

Para quem está lendo isso, se você receber qualquer coisa de qualquer coisa que eu disse, por favor, veja só: Nós fomos criados por um Deus bom, que é cheio de misericórdia e compaixão. O problema é que somos maus. E por causa de nossos pecados, vemos Deus como alguém que quer ditar todas e quaisquer coisas que fazemos. Mas, na realidade, Ele é nosso criador e Ele sabe o que nos trará mais satisfação. Seus comandos estão lá para levá-lo para a maior alegria possível. Eu sei que a sua carne e Satanás está dizendo a você de forma diferente agora. Eles estão dizendo que você é quem você é e Deus criou você gay e quer que você seja gay. Mas eu lhe asseguro, não o fez. Deus quer que você seja santo. Deus quer que você veja o seu estado de pecaminosidade, agarrar a Cruz de Seu Filho, e afastam-se do seu pecado. Por favor, abra seus olhos para ver a verdade e parar de entorpecente-se com mentiras. Não importa o que você fez ou onde você está em sua vida, você pode ter certeza que se você confia sua vida em Jesus e se afastar do seu pecado, então todo o furor de Deus tem para a sua rebelião foi exigido em a cabeça de Seu Filho.

Deus está com uma mão se estende a Sua oferta para você através do Seu Filho Jesus Cristo, e com a outra mão está segurando a sua ira. Mas por favor, sabe, um dia as duas mãos vai cair. Justiça terá lugar.

"" Porque Deus amou o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele. Quem nele crê não é condenado, mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do Filho único de Deus. E este é o julgamento: a luz veio ao mundo, e as pessoas amaram mais as trevas do que a luz porque as suas obras eram más. Para todo aquele que faz coisas ruins odeia a luz e não vem para a luz, para que suas obras não sejam reprovadas. Mas quem pratica a verdade vem para a luz, para que ele possa ser visto claramente que as suas obras têm sido realizadas em Deus. "- João 3:16-21

Matt Moore
Mmoore0689@yahoo.com~~V
www.facebook.com/mattmoore0689
www.moorematt.com

publicado por institutogamaliel às 18:25


publicado por institutogamaliel às 18:18
tags:




Conheça o testemunho de Anderson e o poder libertador de Deus, através da TV Novo Tempo, Anderson conheceu Jesus.

É um lindo testemunho.

publicado por institutogamaliel às 18:17
tags:


Recordo-me com clareza das noites em que acordava com as brigas dos meus pais e da profunda tristeza que sentia. Meu pai perdia todo o dinheiro no jogo e passava as noites fora de casa, no entanto, era uma pessoa calma e eu sempre o amei muito, mas minha mãe era amarga, dava-nos pouca atenção e tinha o costume de quebrar as coisas dentro de casa. Foi em meio a estes acontecimentos que no meu interior começou a nascer um sentimento de aversão pela minha mãe. Brotou em mim o desejo de machuca-la tanto quanto ela me machucava, porém, era tímida e não tinha coragem de enfrentá-la. Tinha então mais ou menos onze anos de idade.
A vida continuava o seu curso e, eu, permanecia presa em minhas frustrações e derrotas, até que na escola passei admirar os cabeludos, os roqueiros, viciados em drogas, pois eles me pareciam pessoas fortes, corajosas, destemidas, logo, decidi ser como eles e fui em busca da coragem, da força que supostamente imaginei encontrar nas drogas. Passei a freqüentar as danceterias, entre os quatorze e quinze anos, lá bebia muito a ponto de ficar caída na rua a noite toda. Contudo, bebedeira é algo deprimente e não dá “status”, então passei a fumar maconha e esta deixava-me sonolenta, sentia-me lerda e desejei algo mais forte, que produzisse efeito contrário, que despertasse meu cérebro, por isso, propositadamente, envolvi-me com um rapaz que usava ácido e anfetaminas (drogas de farmácia) e tomava uma média de dez comprimidos por dia, havendo, porém dias que ingeria trinta drágeas. Enquanto isso, em casa, o meu relacionamento com a família piorou, brigas horríveis passei a ter com eles, então voltei para Santo André e fui morar com minha avó, entretanto, a simples mudança de lugar não contribuiu para o fim do meu vício.
Continuei a fazer uso de “bolinhas” e rapidamente entrei para a turma dos “Piratas” que era formada por uns vinte roqueiros do bairro que além de usarem drogas, faziam pequenos furtos como toca-fitas de carros, cantinas de escolas, bares e até mesmo a secretária da Igreja Católica do lugar, foi surpreendida com o furto de suas máquinas de escrever e de xerox, mas apesar de alguns atos injustos praticados por mim, nunca fui presa pela polícia, sedo somente revistada por ela.
Como sempre, a insatisfação se fez presente e a turma passou a usar drogas injetáveis (prefiro não dizer os nomes), as quais destilávamos e aplicávamos nas veias dos braços com agulha grossa que fazia um rombo nas mesmas e depois de três ou quatro “baques” (injeções de drogas) a veia sumia e por isso acontecer, passávamos a injetar nas veias das pernas e dos pés. Quando as veias finas estouravam, o líquido injetado fazia inchar e muitos de nós ficávamos com feridas nos locais das aplicações. Uma vez, minha mão ficou dias e dias parecendo uma bola de tanto que inchou. Confesso que tive muito medo. Além disso, um integrante da turma, depois de um “baque” não voltou mais ao normal. Passei, então, a ter medo de enlouquecer, de perder algum membro do meu corpo, mas. Ainda assim, ansiava pela morte. Tinha uma válvula do meu coração entupida e quando alguém tomava um “baque” em minha frente, passava mal e eu tomava um bem mais forte, e enquanto sentia o líquido entrando em meu corpo fechava os olhos e o imaginava percorrendo por toda minha corrente sangüínea. As vozes das pessoas ficavam cada vez mais distante e eu só desejava a morte que não vinha e eu me perguntava se Deus existia. Por que Ele me poupava?
Continuei no submundo da vida, passando semanas na rua, sem comer sem banho e quando o sangue provocado pelos “baques” constantes que me injetava, escorria pelo meu braço, pingando no tênis, tentava impedi-lo limpando-o na calça e dormia em qualquer beco, cômodo, debaixo de marquises, até que passamos a usar cocaína, a arrumar brigas pesadas com a turma dos “Carecas” e dos “Punks”, roubávamos, ouvíamos rock pesado. A overdose chegou em nosso meio, um da turma morreu dessa forma, outro, morreu em uma briga, mas a morte de um amigo (não quero citar nomes), um rapaz calmo, quieto, meu amigo, chocou-me muito, foi morto a facadas pelo novo integrante da turma. Isto se deu enquanto estava internada em uma Clinica Psiquiátrica. Quase enlouqueci, eu que nunca tinha parado para questionar seriamente minha vida, minha turma de “amigos”, agora perguntava-me onde estava o companheirismo, a amizade entre nós, já que alimentávamos a idéia de mudar o mundo tão duro e notei, naquele momento, que éramos iguais a ele. Continuei internada na Clinica e tomava tantos medicamentos permanecendo dopada quase que o tempo todo. Conseqüentemente, tive uma crise que durou dias e dias, fiquei toda torta, minha mão colou debaixo de meu queixo, foi horrível... mas, ainda assim, saí de lá e voltei às drogas.
A minha vida continuou sem sentido e parti para a segunda internação, desta vez em São Paulo, no Hospital Psiquiátrico de Vila Mariana. Lá passei dias impregnados pelo desespero, tomava remédios fortes, conversava muito com os médicos, contudo, presa ao vício continuava. Porém, foi neste momento tão difícil, diante daquele meu estado tão lastimável que vi como minha mãe ficou abalada. Até então, pensara o contrário. Sempre achei para ela eu não existia.
A vida começou a ter um certo significado para mim com essa nova descoberta, até um amigo apareceu dizendo haver “Casas de Recuperação Evangélicas” e depois de algum tempo de espera, fui enviada para a “Missão Ebenézer” em Praia Grande, SP. Uma obra de evangelização e recuperação de Toxicômanas, mas eu não sabia direito como agiam os “crentes” e fui com um certo receio. Lembro-me de uma noite, quando lá já me encontrava alojada, em que acordei amedrontada com aquele povo orando em voz alta e tentei ir embora, achando que era um bando de fanáticos, no entanto, fiquei fascinada com o amor que presenciei, na atitude daqueles que dão a vida para ajudarem outros a levantarem-se das cinzas e serem transformados pelo amor de Deus em novas criaturas. Muitas pessoas falam de amor, poucas se dispõem a viver o amor.
O amor de Deus desceu sobre minhas mágoas e tristezas com ungüento suave. A verdade que salva, penetrou em minha alma e vi o amor de Deus por mim, através da morte na cruz e do sangue vertido de Cristo, o Cordeiro de Deus que purifica o homem e a Ele me entreguei.
É com alegria que declaro ser hoje, dirigida por Deus, aquela que caminhava a esmo já não existe mais, pois Deus fez de mim uma pessoa transformada e vitoriosa em Cristo Jesus. Caminhar com Ele é extremamente bom, conheço, agora, a alegria verdadeira e se antes ansiava pela morte, hoje anseio pelo dia em que me encontrarei com o meu Senhor e Salvador, Jesus Cristo.

Depoimento de uma ex-dependente Química recuperada


Amigo leitor...

Agora não mais escravos, mas verdadeiro filho de Deus

Aqueles que não tem uma vida de vício, nunca experimentaram o que é viver na escravidão das drogas, não poderão entender o significado destas palavras que podem transformar profundamente vidas, assim como aqueles que encontram a libertação das drogas.
Não mais escravos das drogas, nem da prostituição, não mais de assaltos, roubos, cheques falsificados. Sou liberto!
Não mais mentiras, enganos, falsidades, não mais necessidade de envergonhar familiares, de machucar os entes queridos. Não mais escravos. Estou liberto!
Estou liberto das drogas
Não mais escravos!! Escravo: Que, ou aquele que está inteiramente sujeito a outrem, ou a alguma ciosa .
Uma palavra que nos lembra da escravatura, mas acabou! Acabou sim. Não só a escravidão de negros acabou, mas também a escravidão das drogas para aqueles que buscarem uma saída e encontraram.
Por isso que é gratificante ouvir dizer:
Agora não somos mais escravos.
Podem todos aqueles que estão nas drogas dizerem estas palavras? Não !!!
Felizmente muitos procuraram e passaram por um processo de libertação das drogas, e isto foi possível pois há um caminho: Missão Ebenézer. É só querer
Nós da Missão Ebenézer somos privilegiados de ver o que pode acontecer com vidas que chegam em nossa entidade perdidas no tempo, sem alvo, com sede de uma nova vida, no entanto, escravos das drogas.
Mas como é bom saber que por trás de tudo isto existe um Deus que pode todas as coisas e que está pronto a ajudar aquelas vidas que buscam libertação. As que realmente buscaram nova vida saíram de nossa entidade libertas e prontas a se reintegrarem à sociedade.
No depoimento acima, a ex-dependente também é uma das muitas que foram libertadas das drogas e compartilhou seu depoimento neste informativo.
Edifique-se, amigos leitores, pois Deus transforma verdadeiros escravos das drogas em verdadeiros Filhos de Deus.

Com Carinho

Pr. Reinaldo Pagani
publicado por institutogamaliel às 18:13
tags:


Os casais Afro-Americanos são mais propensos que os outros na partilha da fé e no orarem juntos em casa.

Factores que têm estado associados a uma felicidade maior no casamento, de acordo com um estudo divulgado dia 10 de Agosto de 2010

No que é descrito como a primeira grande observação sobre qualidade de relacionamentos nas várias raças e etnias, investigadores relatam uma relação significativa entre a satisfação do relacionamento em brancos, hispânicos e Afro-Americanos. O estudo está publicado na edição de Agosto do Journal of Marriage and Family (Jornal de Casamento e família).

Confirmando a veracidade do ditado, os casais que oram juntos permanecem juntos, diz o co-autor do estudo W. Bradford Wilcox, director do Projecto Nacional da Universidade da Virgínia, e "os casais Afro-Americanos são os mais propensos a terem uma identidade espiritual partilhada como casal."

O estudo revelou que nos casamentos 40 por cento dos negros que participam regularmente nos cultos têm um parceiro que faz o mesmo em comparação com 29 por cento dos brancos não hispânicos e 29 por cento dos hispânicos.

O mais forte causador da diferença nos casais são as actividades espirituais, como a oração ou a leitura da Bíblia em casa. "Orar em conjunto como casal é algo muito íntimo para os que são religiosos", disse Wilcox. "Acrescenta um outro nível de proximidade no relacionamento".

Estas descobertas corroboram o casamento de Sade e Charles Dennis que vivem em Bowie. “O nosso relacionamento com o Senhor definitivamente é a cola que nos tem mantido juntos", disse Sade, 34, autor e artista.

Às vezes, o casal ora pelo telefone quando Charles lhe liga do seu emprego como contabilista. Outras vezes Sade acorda Charles e lê-lhe um devocional do seu BlackBerry. Em momentos de divergência, quando um não consegue ver o ponto de vista do outro, interrompe e diz: "Vamos orar", disse Sade.

"A oração é o maior reconciliador ", disse ela.

Na tempestade da vida diária, a oração é também um momento para nos ligarmos, disse ela. "Nós oramos por cada etapa importante,” disse ela. "Nós sentimos realmente que Deus é terceira pessoa neste casamento. Sou eu, Charles e o Senhor".

fonte:ucbportugal.pt

publicado por institutogamaliel às 18:08
tags:


O jornal O Estado de São Paulo, em sua edição de 6 de outubro de 1999, noticiou a respeito da aglomeração de pessoas nas lojas lotéricas em decorrência da ansiedade dos brasileiros em ganhar na Mega Sana. Na ocasião, a matéria afirmava que: Apesar da fama do brasileiro deixar tudo para a ultima hora, o prêmio acumulado de R$ 60 milhões da Mega Sena esta fazendo com que algumas pessoas se convertam à organização e antecipem as apostas. Alem da ansiedade por escolher logo as dezenas que podem garantir uma boa vida, muita gente tem medo de voltar a enfrentar as filas que caracterizam as semanas anteriores, principalmente nas horas que antecederam os sorteios.

Os que arriscam a sorte

A palavra sorte não significa apenas bom resultado, mas também anseio pela ajuda de divindades que possam oferecer a vitória tão desejada. Os termos jogatina e aposta são, às vezes, usados com respeito às atividades que envolvem risco ou esperança de lucro. Geralmente, se definem como a maneira de arriscar, voluntariamente, uma grande soma de dinheiro por meio de aposta, parada ou lance em um jogo ou em qualquer outro tipo de atividade que envolva sorte.
Um ditado popular muito usado por pessoas dadas aos jogos de azar é: quem não arrisca, não petisca. Com isso, justificam suas fezinhas em varias modalidades de jogos, como por exemplo, o popular jogo do bicho, o bingo a Tele Sena e a loteria esportiva. Ultimamente, a sorte está sendo lançada, com mais freqüência, na mega sena. Quando é anunciado pelos meios e comunicação que a sena está acumulada por alta de ganhadores, os brasileiros formam filas intermináveis nas casas lotéricas a fim de tentar a sorte e ganhar a bolada. Nessa tentativa, as pessoas gastam o que podem e o que não podem. Muitos começaram a jogar na Sena nessas ocasiões de importâncias acumuladas e hoje o jogo já se tornou um vicio. Aquilo que começou como uma brincadeira já se tornou parte na vida da pessoa que não consegue passar uma semana sem fazer sua aposta. A sena oferece a oportunidade de enriquecer rapidamente, e muitos sonham com o que fariam com o dinheiro caso botasse a mão na bolada que o jogo oferece. Dizem de si para si: Alguém tem de ganhar e esse alguém pode ser eu. Já imaginou o que eu faria com os milhões de Reais na mão?

Os fins justificam os meios?

Certos lideres políticos justificam os jogos de azar com a alegação de que muitas obras sociais são realizadas com o dinheiro arrecadado dos jogos. Entretanto, deve-se notar que os governos, ao promoverem as loterias, apelam para uma das qualidades humanas mais baixas: a ganância. Na verdade, estão contribuindo para a corrupção, e não para a melhora da vida humana. Não se pode ignorar que a maioria dos apostadores é composta por pessoas pobres, que, na ânsia de ganhar, arriscam o leite e o pão de seus filhos. Com isso, prejudicam os que lhes são caros. Alem disso, a ganância que envolve a jogatina é uma das causas primaria de grande parte dos crimes e da violência que estão associados com serias operações.

O que diz a Bíblia?

Embora reconheçamos que a Bíblia não dá nenhuma base para qualquer regra rígida contra cada tipo de aposta, ela nos ajuda a ver que a jogatina é um serio mal que resulta no asfaltamento do homem de Deus. Vejamos os ensinos que extraímos das Escrituras sobre os jogos de azar:
  • A bíblia não trata claramente a respeito desse assunto. O único caso que pode ser classificado como jogatina ocorreu quando os soldados romanos lançaram sortes para decidir quem ficaria com a túnica de Jesus. Depôs de o crucificarem, repartiram entre si as suas vestes, tirando a sorte (Mt 27.35).
  • Alguns interpretes da Bíblia apontam Is 65.11-12 como prova de que ela condena especificamente os jogos de azar. Deve-se ter presente, entretanto, que o texto refere-se à deusa Fortuna, a quem os apostadores caldeus recorriam em busca de ajuda. Quando qualquer israelita buscasse a ajuda dessa deusa, estava, na verdade, praticando um ato abominável diante de Deus ao preparar um banquete para o citado ídolo. Deram culto a seus ídolos, os quais se lhes converteram em laço, pois imolaram seus filhos e sua filhas aos demônios (Sl 106.36-37).
  • A jogatina, amiúde, induz a preguiça. Incentiva as pessoas a conseguirem algo sem troca de nada, alem de levá-las a mentir e/ou a defraudar, a fim de obterem o que desejam sem trabalhar. A Bíblia incentiva o homem a ganhar o seu próprio pão com o suor do seu rosto. É justamente isso que Deus ordena em Gênesis 3.19: No suor do teu rosto comeras o teu pão... Paulo recomendou: Se alguém não quiser trabalhar, não coma também. Porquanto ouvimos que alguns entre vos andam desordenadamente, não trabalhando, antes fazendo coisas vãs (2 Ts 3.10-11). Contestando essa atitude, Salomão aconselhou: Viste um homem diligente na sua obra? Perante reis será posto; não será posto perante os de baixa sorte (Pv 22.29).
  • Encontramos na Bíblia advertências contra o amor ao dinheiro. Ainda o sábio Salomão aconselhando a respeito desse apego inútil, afirmou: O que amar o dinheiro nunca se fartara de dinheiro; e que amar a abundancia nunca se fartara da renda: também isso é vaidade. Doce é o sono do trabalhador, quer coma pouco quer muito; mas a fartura do rico não o deixa dormir (Ec 5.10-12). E o apostolo Paulo, por sua vez, declara em 1Tm 6.10: Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.

Causa do tropeço

Sendo Deus o Criador do mundo e de todo o ser criado como afirma a Bíblia:
Os céus proclamam a gloria de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos (Sl 19.1)

devem os cristãos admitir sua condição de apenas administradores dos bens mais importantes que os Senhor lhes concedeu: vida e saúde para conseguir, por meios lícitos (ou seja, o trabalho honesto), os bens materiais de que tanto precisam. São responsáveis diante de Deus pelo uso do dinheiro e devem constantemente lembrar-se da admoestação que o próprio Deus nos faz:
Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão, e o vosso suor naquilo que não pode satisfazer? (Is 55.2).

Os cristãos devem ter isso em mente sempre que forem tentados a fazer uma fezinha nos jogos de azar. Os maus frutos da jogatina são tão notórios que, em muitos lugares, os praticantes do jogo do bicho são tidos como maus elementos e encarados com desdém.
Não é a toa que o cristão deve evitar o vicio dos jogos de azar:
Não vos torneis causa de tropeço nem para judeus, nem para gentios, nem tampouco par a igreja de Deus (1Co 10.32).
publicado por institutogamaliel às 18:07
tags:


Os entorpecentes afeta o sistema nervos provocando, euforia, excitação, dissociação de idéias, ilusões, alucinações, êxtase, impressão de energia exagerada e outros.

Vício: é uma forma de doença psicológica.

O viciado é um doente, ele precisa de tratamento para se curar.

Droga: É qualquer substância que altera o estado psicológico do indivíduo.

Drogadição é a viciação em drogas.

Os grandes grupos de drogas:

a) Drogas criminógenas: Elas colocam o usuário na marginalidade. Ex.: Maconha, Heroína.

b) Drogas alucinógenas: Elas leva o usuário a alucinação. Ex: Maconha, LSD, STP, Pentabarbital, etc.

Alucinação é uma falsa percepção sensorial experimentada pelo nervo óptico, quando na realidade não existe nenhum estímulo externo. Além, das drogas e doenças mentais, demônios também causam alucinação nas pessoas.

c) Drogas erógenas: Provocam incontrolável excitação sexual, ou impotência sexual. Ex: Metedrina, etc.

d) Drogas egógenas: Suscitam egotismo, arrogância, valentia, prepotência e falsa capacidade de uso da força. Ex.: Álcool, Maconha, STP, DMT, etc.

5) Entorpecentes - Viciados em narcóticos morrem cedo. Nenhuma tragédia poderia ser maior para um jovem do que tornar-se viciado em entorpecentes.

Os entorpecentes afeta o sistema nervos provocando, euforia, excitação, dissociação de idéias, ilusões, alucinações, êxtase, impressão de energia exagerada e outros.

Uma vez descoberto que seu filho é viciado o melhor remédio é encarar o problemas de frente sem se envergonhar ou condená-lo por esta atitude. Só há uma possibilidade de cura para o vício de narcóticos ou outro pecado qualquer, e essa está no sangue de Jesus Cristo, o filho de Deus. Graças a Deus Ele pode quebrar as algemas do pecado e libertár-nos pelo seu poder.

6) Bebida - Um copo, todavia, é, em muitos casos o começo. Ouvimos repetidamente está declaração falsa: "Só um copo não faz mal". É comprovado pelos registros médicos que o álcool enfraquece a mente e o físico. E tem feito uma ceifa onde quer que seja usado, através de: acidente de carro, contendas, doenças, etc.

A Bíblia tem muito a dizer sobre essa questão da bebida. Paulo faz-nos esta clara exortação: "E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda..." Ef. 5.18; no livro de Provérbios 23.29-35, encontramos a descrição daquele pobre, desorientado e confundido beberrão.

A maneira mais simples e mais fácil de resolver a questão da bebida é fugir da primeira taça que lhe foi oferecida. Uma vez que aceitamos a Cristo devemos nos embriagar do Espírito Santo em quem não foi contenda e saciar-nos a nossa sede bebendo da fonte da água da vida que jorra par toda eternidade.

7) Cigarro - Pesquisa recentemente realizadas pelos pesquisadores da Sociedade Americana de Câncer, foram impressionantes e assustadoras. Concluíram que toda espécie de fumo encurta a existência, sendo que o cigarro é de todos o mais perigoso, e o risco aumenta na proporção da quantidade consumida. O risco de adquirir câncer dos pulmões é 15 vezes maior do que os não fumantes.

Sabemos que não nos tornamos ciente pelos que fazemos ou deixamos de fazer, mas pela fé que há em Jesus Cristo. Mas uma vez que aceitamos a Cristo devemos viver de maneira limpa e elevada, para glória dEle. Somente dessa forma podemos preencher as qualificações para sermos seus embaixadores. (II Cor. 5.20).

publicado por institutogamaliel às 18:03
tags:


O compromisso do casamento importa em o cônjugue abrir mão do direito exclusivo ao seu próprio corpo e conceder esse direito a outro cônjugue. Isso significa que nenhum dos cônjugues deve deixar de atender os desejos sexuais normais do outro .

Tais desejos dentro do casamento são naturais e providos por Deus, e evadir-se da responsabilidade maritais do outro cônjugues é expor o casamento às tentações de satanás no campo do adultério. (ICo. 7.3)

“Mas, se alguém não tem cuidado dos seus e principalmente dos da sua família, negou a fé e é pior do que o infiel.” (I Tm. 5.8)

* Companheirismo e complementação mútua do casal. Gn. 2.18, 24.

Deus criou primeiramente o homem, vendo que não era bom que ele vivesse só, criou uma adjuntora para viver ao seu lado, sendo companheira amável e ajudadora.
Desde o princípio, Deus estabeleceu o casamento e a família que dela surge, como a primeira e a mais importante instituição humana na Terra. A palavra de Deus diz em I Co. 11.11: “Todavia, nem o varão e sem a mulher, nem a mulher, sem o varão, no Senhor”.

* Prazer amoroso do casal. Ec. 9.9.

* Preservação da pureza moral na família e na sociedade (I Co 7.2)

A imoralidade sexual é terrivelmente abominável diante de Deus. Mais do que qualquer ato pecaminoso, profana o corpo, que é o templo do Espírito Santo.Por isso Paulo admoesta: “Fugi” da imoralidade sexual. Sabendo que o nosso corpo é morada pessoal do Espírito Santo, nosso corpo nunca de ser profanado por qualquer impureza ou mal, provenientes da imoralidade, nos pensamentos, desejos, atos, filmes, livros ou revista. Pelo contrário, devemos viver de tal maneira que glorifiquemos e agrademos a Deus em nosso corpo.

* O marido ideal (inclusive obreiros)

Toda família necessita de um dirigente. Por isso, Deus atribui ao marido a responsabilidade de ser cabeça da esposa e da família. Sua chefia deve ser exercida com amor, mansidão, consideração pela esposa e família. A responsabilidade do marido, que Deus lhe deu, de ser “cabeça da mulher” inclui:

1) Provisão para as necessidade, espirituais e domésticas da família. Gn. 3.16,19; I Tm. 5.8.

2) O amor, a proteção, a segurança e o interesse pelo bem estar dela, da maneira que Cristo ama a Igreja. Ef. 5.25-33.

3) Honra, compreensão, apreço e consideração pela esposa. Cl. 3.19; I Pe. 3.7.

4) Lealdade e fidelidade totais na vivência conjugal; Mt. 5.27,28; Ef. 5.31.

* A esposa ideal (inclusive esposa de obreiro)

A esposa tem a tarefa, dada por Deus, de ajudar ao marido e submeter-se a ele “no Senhor”. Seu dever para com o marido inclui:

1) O amor (Tt. 2.4)

2) O respeito (Ef. 5.31; I Pe 3.1 e 2)

3) A ajuda (Gn. 2.18)

4) A pureza (Tt. 2.5; I Pe. 3.2)

5) A submissão (Ef. 5.22; I Pe. 3.5)

6) Um espírito manso e quieto (I Pe. 3.4)

7) E o ser uma boa mãe (Tt. 2.4)

8) E a dona de casa (I Tm. 2.15; 5.14; Tt. 2.5)

As mulheres podem exercer uma influência transformadora, desde que estejam prontas a entregar seu caminho e sua vontade a Deus para confiar a Ele o controle de seus pensamentos, suas afeições e sua existência. A mulher sabia e piedosa faz do seu lar um lugar de refúgio, de paz e de alegria. Ao passo que a mulher imprudente se descuida da sua casa e família. (Pv. 14.1).

* Propagação, proteção e formação do gênero humano, através dos filhos, no lar. Gn. 1.28 Deus deu ao homem e a mulher o encargo de serem frutíferos, de dominarem sobre a Terra e o reino animal. Foram criados para constituírem lares para a família. Esse propósito de Deus, declarado na criação, indica que ele volta-se para a família que o serve, e que a criação de filhos é algo de máxima prioridade no mundo.

* Estabelecimento de novos lares, isto é, novas famílias. (Mt. 19.5)

CONCLUSÃO: Os jovens que pensam em casar-se, devem considerar qual será o caráter e influência do lar que vão fundar.
Antes de assumir as responsábilidades que o matrimônio envolve, o moço e a moça devem estar preparados para enfrentar os deveres e fardos da vida conjugal. Um lar só poderá ser próspero se ambos estiverem preparados espiritualmente. Através do casamento “no Senhor” o mundo pode ver o relacionamento entre Cristo e sua Igreja.

'Se você gostou deste post, obrigado por compartilhá-lo: "
publicado por institutogamaliel às 18:01
tags:


jovens abraçadosNamoro Cristão: Conselhos para não cair no pecado

Conselhos para um casal de namorados. Publico aqui uma carta que escrevi a um casal de namorados que serviam no Ministério de Música da igreja e que estavam em vias de cair na tentação da fornicação.Penso que pode ser a história de muitos jovens.

Eis o texto:

Vocês dois são pessoas especiais para Deus, que O servem numa obra muito importante e aí fico pensando primeiramente no prejuízo para o Reino.

Se isso acontecer vocês estarão desautorizados e sem autoridade para continuar a servir no ministério de jovens, pois vocês foram vencidos.

Não que não possa haver restauração e perdão, mas veja o exemplo de Sansão, o herói de Deus, o guerreiro de Deus, que foi vencido pelo sexo e tornou-se um bobo da corte, e somente no fim de sua vida, depois de muita vergonha e tristeza acabou por escolher a morte do que continuar a ser objeto de diversão e palhaço do inimigo.

Saibam que vocês não estão sós, muitos são os jovens que estão no mesmo barco que o de vocês. Há alguns que voltam para casa envergonhados, vencidos , cabisbaixos, com sentimento de culpa.

Eles se lembram de Jesus, da Palavra, da igreja , da santa ceia, das orações, e adoecem em suas almas.

Então eu acredito que a primeira vez é importante não acontecer , porque se assim for as coisas ficarão ainda mais difíceis.

Agora quero enumerar algumas coisas extraídas do livro “O Prazer da Espera” de Jim Burns e também outros autores, para ver se assim consigo ajudá-los, mas de qualquer forma, eu compreendo vocês, amo mesmo não os conhecendo e vou orar para sejam vitoriosos.

Por que esperar? Esse é o título do capitulo que quero me deter.

Muitas pessoas boas cometem o erro de avançar o sinal antes do casamento. Apesar de a Bíblia ser clara sobre o assunto da relação sexual antes do casamento ( fornicação), Deus é misericordioso e paciente e nos ama incondicionalmente.

Posso também entender como o impulso sexual de duas pessoas saudáveis e que se amam pode provocar um intenso desejo para a união sexual. Entretanto , estou ainda mais convencido de que o desejo de Deus é que as pessoas evitem a relação sexual antes do casamento, e que obedecer a suas instruções no que se refere ao assunto é o melhor para o relacionamento.

C.S.Lewis ( homem de Deus) disse: “ A verdade é que sempre que um homem se deita com uma mulher, queiram eles ou não, uma relação transcendental se estabelece entre eles, a qual será motivo de alegria ou sofrimento para sempre”.( Alguns chamam de laço de alma). Haverá uma ligação entre ambos para sempre, pode até se casar com outro , mas aquele laço de alma ficou.

Não acho que exista algo mais íntimo ou pessoal do que os dois compartilharem os corpos, emoções e espíritos na união sexual.

Abaixo vai algumas perguntas e indagações para que vocês dois discutam juntos, e elas ajudarão a meditar e chegar a uma decisão cuidadosa quanto a esperar ou não. Tenham em mente que escrevi as questões considerando a ambos como cristãos desejosos de crescer verdadeiramente na fé cristã.

1- Para algum de vocês , o significado da relação sexual no casamento será diminuído por ela já ter ocorrido antes de se casarem? Se a resposta for sim, o relacionamento será prejudicado por amargura e ressentimentos.

2- Suas consciências os tem incomodado durante ou depois do ato sexual ou mesmo do “quase lá”.? Vocês acham que poderia ser o Espírito Santo desafiando-os?

3- Ambos estão comprometidos um com o outro? Verdadeiramente?

4- Vocês estão convencidos de que um é a pessoa certa para o outro, como companheiros para o resto da vida?

5- O que vocês acham que a Bíblia tem a dizer sobre a relação sexual antes do casamento? Aqui estão alguns versículos que devem ser examinados. At.15:20; I Co 6:13, 18-20; Ef 5:3; 1Ts 4:1-8 e 1Pe 2:11.

6- Ambos parecem desejar o melhor de Deus para suas vidas. A relação sexual afetará o serviço a Deus e sua comunhão com ele?

7- A relação sexual causará danos de alguma forma ao seu inter-relacionamento ?

8- Ela poderá prejudicar a comunicação entre ambos e mesmo provocar a perda da confiança?

9- A relação sexual ajudará, impedirá ou não afetará o relacionamento espiritual entre vocês?

10- Vocês pensaram na possibilidade de uma gravidez e em como fazer para que isso não aconteça?

11- Que razões os levariam a um ato sexual? Elas são puras?

Afirmo que até dar respostas a vocês não é difícil , o difícil será vocês praticarem o que é certo, mas também penso que Deus ainda tem seus heróis entre os jovens.

Segundo o excelente livro “Sexo,amor e paixão: como realmente saber?’, de Ray Short, no capítulo “Ser ou não virgem”, o autor escreve que a ciência constatou nove fatos relacionados ao provável efeito sobre o seu relacionamento conjugal, do sexo praticado antes do casamento:

Fato 1: O sexo antes do casamento tende a separar os casais, Fato 2: muitos homens não gostam de se casar com mulheres que tenham tido relações com outra pessoa, Fato 3: As pessoas que praticam sexo antes do casamento tendem as ser menos felizes no relacionamento conjugal.

Fato 4: As pessoas que praticam sexo antes do casamento estão mais propensas ao divórcio.

Fato 5: As pessoas e os casais que tenham tido relacionamento sexual antes do casamento possuem maior inclinação a manter casos extraconjugais.

Fato 6: A experiência pré-conjugal pode iludí-lo e levá-lo a casar-se com uma pessoa que não é a certa para você.

Fato 7: As pessoas e os casais que mantêm uma relação íntima pré-conjugal parecem alcançar a satisfação sexual mais cedo, após o casamento. Entretanto:

Fato 8: No decorrer de seu relacionamento conjugal, provavelmente se sentirão menos satisfeitos com sua vida sexual, entendida num sentido mais amplo.

Fato 9: Hábitos sexuais insatisfatórios antes do casamento podem acarretar, mais tarde, a deterioração do relacionamento sexual entre os cônjuges.

Mais uma coisa, mesmo que vocês não tenham dúvidas neste instante, que vocês foram feitos um para o outro e não tenham dúvidas de que um dia vão se casar e naturalmente não querem pensar de outra forma, deixe-me fazer o papel do diabo (acusador): Larry Richards diz: “Um estudo mostra que os garotos acreditam haver encontrado o seu amor verdadeiro pelo menos cinco vezes na fase que compreende o período entre o ginásio e o segundo ano da faculdade” Deus nos dotou de uma sexualidade e depois Ele disse não. Será que ele é masoquista ? Gosta de ver a gente sofrer ?

Não, mil vezes não. Deus quando diz não Ele tem os seus motivos, e esses motivos são sempre no sentido de Proteção e Provisão, veja:

-Proteção contra a gravidez indesejada e provisão de gravidez desejada e saudável,
-Proteção contra a infelicidade no casamento por causa da desconfiança, e provisão de um casamento onde os dois confiam plenamente um no outro;
-Proteção contra o casamento precipitado onde a chance de separação aumenta muito e provisão para um casamento no momento certo, com uma estrutura mínima necessária para ser um sucesso.

-Proteção contra as doenças sexualmente transmissíveis, e provisão de uma vida com saúde.

- Proteção contra o aborto, e provisão de filhos bem vindos e benditos.

-Proteção contra o prejuízo espiritual oriundo da desobediência, e provisão de crescimento espiritual pela obediência.

O relacionamento amoroso deve trazer pelo menos quatro coisas boas:

-Crescimento espiritual
-Saúde emocional
-Saúde física ( isento de doenças sexuais)

-Promoção pessoal enquanto ser humano.

E de tudo isso, que falamos, fuja das situações de perigo e lembre-se passar muito tempo perto do abismo, pode colocá-los lá no fundo um dia.

Procure fazer as coisas sempre em grupo e fuja das oportunidades, porque de outra forma vocês serão vencidos e poderá haver muita tristeza e acusações.

Seja um vencedor, um herói de Cristo, e não um palhaço do diabo como foi Sansão.

Lembre-se, que algumas coisas de nossa vida, serão motivo de alegria ou de tristeza para o resto de nossas vidas. Escolha bem.

Um forte e demorado abraço. Pr Ismael R.

publicado por institutogamaliel às 17:56
tags:


Com o dia dos namorados se aproximando é comum as igrejas fazerem eventos para comemorar uma data tão especial para os casais. Separei algumas dinâmicas que cabem para a data, sempre é tempo de aprender algo mais sobre o casamento e essas dinâmicas são uma forma divertida e descontraída para se ensinar e claro aprender. Espero que gostem das idéias !!

Dinâmica 1 : COMO ESTA SEU CASAMENTO ?

material:
1 banana bem bonita e não muito madura
1 agulha prepare antes da reunião começar para que os casais não vejam .
pega -se a banana e com ajuda da agulha faça um furo na casca da banana até que você perceba que transpassou o miolo da banana e encostou no outro lado da casca sem furar o outro lado da casca em e nesse furro faça movimento vai e vem para poder corta a banana isso você vai fazer em toda a banana de um espaço entre um furro e outro para que a banana quando aberta saia em rodelas a polpa . é assim você vai fazer isto e quando você for fazer a dinâmica você ira perguntar para os casais com esta seu casamento ?

Olhem essa banana que linda não é você ver algum machucado nela ela esta com aparência de que esta com algum problema ?
e peça para eles responderem, eles responderam que não então você pega e vai descascando a banana devagar para que vai se caindo rodelas de banana , e você fala para eles:
Então queridos olha só agora com esta a banana que se aparentava linda por forra só que por dentro esta toda cheia de pedaços , e você pergunta novamente?
E como estão com o casamento de vocês lindo perfeito com a banana alguns minutos atras ou assim como esta agora?
E comentar com eles que muitos casais vivem um casamento assim mostrando aos outro que são lindo maravilhos e até mesmo perfeito, que não necessitam de ajuda nenhuma será que hoje vocês não estão precisando de alguma ajuda em seu casamento? e complemente com suas palavras essa dinâmica da um momento de reflexição para todos pensarem pois muitos acham que não precisam de ajuda de ninguém para resolverem seus problemas com sua esposa , esposo , filhos será que não precisamos mesmo? espero que gostem dessa Dinâmica

Dinâmica 2: DEMONSTRANDO OS SENTIMENTOS

Material:um urso de pelúcia.

Porcedimento: formar um circulo com todos os casais e passe o urso de mão em mão, e pedir para a pessoa que estiver com o urso nas mãos falar em voz alta o que tem vontade de fazer com o urso . e ir passando um por um e falando, quando chegar no ultimo , pedir para a pessoa que faça o que disse que gostaria de fazer com o urso para eles fazerem com seu Conjuguê .
OBJETIVO DA DINÂMICA:
Mostrar aos casais que muitas vezes não mostramos ao outro nossos sentimentos por ele esta dinâmica é bem descontraida serve de motivação para os casais.

publicado por institutogamaliel às 17:55
tags:


“E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito” (Ef 5.18).

Apesar do sentido pejorativo, o termo “drogas” vem do grego pharmakeia, e significa farmácia, ou drogaria. Na Bíblia, a palavra está sempre associada à feitiçaria ou às atividades demoníacas. Há nas Escrituras várias referências que condenam os vícios e seus funestos resultados (Pv 20.1; 21.7; 31.4; Is 5.22; 28.7; Ef 5.18). Deus condena terminantemente todo tipo de vício, inclusive as drogas.

I – Princípios bíblicos contra o uso



1. Bebidas alcoólicas em geral. A Bíblia é categórica e irredutível: “Não vos embriagueis com vinho em que há contenda…” (Ef 5.18). Paulo, aqui, não se refere apenas ao efeito entorpecente do vinho, mas a embriaguez de modo geral provocada por qualquer tipo de bebida. Ele estava plenamente consciente de que o cristão jamais deve se embriagar. Trata-se de um princípio divino.
2. A abrangência do princípio. Se Efésios 5.18 se refere a um princípio bíblico geral contra as bebidas entorpecentes, podemos depreender que o mesmo texto também condena o uso desnecessário e abusivo de outras substâncias nocivas ao organismo.

II – Por que as pessoas se drogam?

1. Razões alegadas pelos viciados. Segundo o Pastor David Wilkerson, fundador do Centro Desafio jovem de Nova Iorque, EUA, há muitas razões pelas quais os jovens usam drogas. Vejamos:
a) Como símbolo de independência;
b) Para fugir da infelicidade do lar;
c) Por curiosidade;
d) Para ser aceito num grupo de jovens mais “avançados”;
e) Por causa da influência do grupo;
f) Fuga de problemas emocionais;
g) Por medo de ser tachado de covarde por seus “amigos”. As drogas se apresentam como uma ilusória “válvula de escape”, mas as suas conseqüências são fatais (Pv 23.29-35; 1 Co 3.17).

2. Os ardis de Satanás. O Diabo sempre teve interesse em devorar a juventude através de seus ardis (1 Pe 5.8). Os jovens devem dizer não às drogas e, consequentemente, a Satanás. É bastante oportuna a advertência de Salomão em Ec 12.1. III – Por que a Bíblia condena as drogas?

1. Porque é um pecado contra o corpo. Assim como a prostituição é um pecado deliberado contra o corpo (1 Co 6.18-20), também o são as drogas (1 Co 3.17). Muitos dizem que têm o direito de fazer o que quiserem com seu corpo. Embora pensem que isso seja liberdade, de fato estão escravizados por seus próprios desejos. Quando nos tornamos cristãos, o Espírito Santo passa a habitar em nós. Sendo assim, nosso corpo não mais nos pertence. É propriedade do Criador, e não podemos violar os padrões de vida estabelecidos por Ele.

2. Porque causam sofrimento ao usuário e ao próximo. Apesar de o viciado ser o principal prejudicado pelas drogas (Pv 5.22,23), os familiares sofrem bastante com a situação. Além do cuidado natural, a família acaba gastando o que tem e o eu não tem com dispendiosos tratamentos. Há viciados que roubam dinheiro e objetos de casa para trocar por drogas. Outros se tornam agressivos (Pv 4.17; 23.29-35) ou deixam de trabalhar e sustentar a família. Pior ainda, há os que entram para o mundo do crime (Pv 20.1).

3. Porque sustentam o mundo do crime. As drogas movimentam um gigantesco esquema de atividades ilícitas que envolvem desde o contrabando até formas cruéis de assassinatos, corrupção e abuso de poder. E quem sustenta tudo isso é o usuário de drogas (Is 55.2).

4. Porque afastam o homem de Deus. É incontestável o fato de que as drogas afastam o homem dos caminhos do Senhor (1 Co 6.10; Gl 5.21; 1 Pe 4.3). IV – Vivendo sem drogas

1. A prevenção. O que devemos fazer para alertar as pessoas sobre o perigo do vício das drogas?

a) Mostrar os exemplos negativos. Precisamos mostrar aos jovens a situação e o sofrimento de quem já está enfrentando o problema, direta ou indiretamente (Pv 4.14-17; 5.22, 23).
b) Ensinar os princípios da Palavra de Deus. Um jovem bem instruído nos caminhos do Senhor rejeitará o vício mais facilmente (Pv 3.1-8; 4.23-27).
c) Mostrar as advertências da Palavra de Deus. Em Pv 23.29-35, a Palavra nos adverte claramente sobre o perigo das bebidas alcoólicas. O texto fala do efeito da bebida que é comparado à picada de uma serpente que envenena sua vítima. Os efeitos do álcool, e das drogas de modo geral, são demoníacos e destruidores (Pv 23.29, 33, 34, 35).

2. O tratamento.
a) Tratamento espiritual. Não há como livrar uma pessoa das drogas sem antes cuidar de sua vida espiritual.
b) Tratamento convencional. Em muitos casos, o viciado precisa ser levado para uma clínica especializada a fim de ser desintoxicado (Mt 9.12). Há muitas igrejas que mantêm centros de recuperação de viciados.
c) Cuidado constante. Às vezes, mesmo após deixar o vício, alguns, infelizmente, retornam a ele (Pv 26.11; 2 Pe 2.22). Não são poucos os casos de “ex- viciados” que vêm para a igreja, se casam como moças crentes e até são aceitos no quadro de obreiros, mas, tempos depois, abandonam a família e a igreja para retornar às drogas. Alguns têm um fim trágico.

CONCLUSÃO Somente através de graça redentora de Cristo é que se pode viver sem droga ou qualquer tipo de vício que ofenda aos homens e a Deus (At 24.16). Caso você tenha problemas com drogas ou conviva com algum viciado em sua família, o Todo-Poderoso pode libertá-lo agora mesmo! (Jo 8.32; 16.24; Sl 37.5).

Fonte: Casa Publicadora das Assembléias de Deus

publicado por institutogamaliel às 17:53
tags:


O QUE É DROGA?

Drogas são substancias capazes de alterar o funcionamento do organismo humano. Dependendo da natureza e composição das mesmas elas podem agir em determinados locais ou no organismo como um todo. Toda droga tem seus efeitos, porém eles não se manifestam da mesma maneira em todos os organismos, especialmente porque cada droga tem sua contra-indicação.

DROGAS LÍCITAS E ILÍCITAS
Há dois grandes grupos de drogas, que não as agrupam segundo as suas características, mas segundo as convenções e exigências sociais. São eles o grupo das drogas lícitas e o grupo das drogas ilícitas.As drogas são substâncias capazes de produzir alterações nas sensações físicas, psíquicas e emocionais. Sendo assim, energéticos, café, refrigerantes, chocolates, dentre muitos outros alimentos, contêm substâncias que podem ser consideradas drogas pois alteram de alguma maneira as sensações de quem as ingere. Estas, porém, se ingeridas em quantidade moderada não representam nenhuma ameaça para o ser humano. Se, no entanto, são demasiadamente utilizadas por alguém, podem causar uma leve dependência e problemas de saúde futuros.Elas são utilizadas para diversos fins desde a antiguidade. Podem ser utilizadas para curar doenças ou obter prazer. Entre as drogas lícitas estão os medicamentos em geral (os quais só são permitidos sob prescrição médica), o álcool e o cigarro, além dos alimentos já citados.
As drogas lícitas são aquelas legalizadas, produzidas e comercializadas livremente e que são aceitas pela sociedade. Os dois principais exemplos de drogas lícitas na nossa sociedade são o cigarro e o álcool. Outros exemplos de drogas lícitas: anorexígenos (moderadores de apetite), benzodiazepínicos (remédios utilizados para reduzir a ansiedade), etc.

Já entre as principais drogas ilícitas , ou seja, são drogas cuja comercialização é proibida pela legislação. Além disso, as mesmas não são socialmente aceitas. estão a maconha, a cocaína, o ecstasy, o crack, a heroína, etc. Existem ainda outras substâncias que causam dependência, mas que são vendidas livremente para outros fins como a cola de sapateiro e o hypnol. Há diversas outras drogas que também são utilizadas da mesma maneira e algumas delas ainda nem são conhecidas pelo ministério da saúde e pelas autoridades judiciais.Drogas lícitas são aquelas permitidas por lei, as quais são compradas praticamente de maneira livre, e seu comércio é legal. Drogas ilícitas são as cuja comercialização é proibida pela justiça, estas também são conhecidas como “drogas pesadas” e causam forte dependência.

OBS: É importante ressaltar que não é pelo fato de serem lícitas, que essas drogas são pouco ameaçadoras; a alerta é da Organização Mundial da Saúde (OMS). Segundo o órgão, as drogas ilícitas respondem por 0,8% dos problemas de saúde em todo o mundo, enquanto o cigarro e o álcool, juntos, são responsáveis por 8,1% desses problemas. Nesse sentido, muitos questionam a aceitação, por parte da sociedade, das drogas lícitas, uma vez que as mesmas são prejudiciais para a saúde e também causam dependência nos usuários. Assim, o critério de legalidade ou não de uma droga é historicamente variável e não está relacionado, necessariamente, com a gravidade de seus efeitos. Alguns até mesmo afirmam que esse critério é fruto de um jogo de interesses políticos, e, sobretudo, econômicos.
Classificação das Drogas



As drogas podem ser classificadas de acordo com sua atuação no Sistema Nervoso Central (SNC)
01.Perturbadoras: perturbam o funcionamento do SNC
02.Estimulantes: aceleram o funcionamento do SNC
03.Depressoras: deprimem o funcionamento do SNC

DROGAS PERTUBADORAS DO SNC:
01.Naturais (maconha, cogumelos, cactus, caapi, chacrona, lírio, datura (trombeteira), etc
02.Sintéticos (LSD, Ecstasy)
03.Anticolinérgicos

- O que são?
As drogas perturbadoras produzem alteração do nível de consciência e podem induzir a delírios e alucinações. À exceção dos anticolinérgicos, não têm utilidade médica e são chamadas de alucinógenas. Há dois mil anos já integravam cerimônias religiosas dos nativos da América.
- Reações:
Pânico com alto grau de ansiedade e medo. É a chamada "bad trip", ou viagem ruim. O usuário também vê imagens simples, linhas ou traços de objetos, como se fossem luzes ou figuras geométricas vistas nos cantos dos olhos, ou rastros de luz seguindo objetos em movimento. Experiências emocionais complexas, como tristeza, ansiedade ou idéias paranóicas podem se repetir por alguns dias ou semanas após a ingestão.
- Dependência:
As drogas perturbadoras do SNC não causam dependência física. Portanto, não provocam sintomas de abstinência. Mas causam dependência psicológica.
- Efeitos:
Causam sensações subjetivas de aumento de atividade mental e do sentido da audição
Alteram o nível de consciência
Diminuem a capacidade de diferenciar-se do meio ambiente
Levam à introspecção
Alteram as imagens corporais
Induzem percepções sensoriais anormais (ilusões e alucinações)
Aumentam as pupilas, a temperatura do corpo e a pressão arterial.


As Drogas Perturbadoras Naturais:
01. Maconha:
Trazidos ao Brasil pelos escravos africanos, os feixes da Cannabis sativa eram usados para fazer cordas. O nome maconha se origina do rearranjo das letras c-a-n-h-a-m-o.
Seu princípio ativo é o Tetrahidrocanabinol (THC), cujo uso habitual pode determinar alterações que dependem do estado emocional do usuário. Normalmente, a maconha causa:
- aumento da percepção dos sentidos, perturbação da noção de tempo, perturbação da memória de fixação e dificuldade para calcular espaço e distância.
- confusão entre fantasia e realidade, sensação de relaxamento, acessos de euforia e de riso incontrolável, aumento da libido, desconfiança e perda do senso crítico.
- tremores finos das extremidades do corpo, redução da força muscular, taquicardia, náuseas, boca e garganta secas e irritação com vermelhidão dos olhos.
Os efeitos iniciam-se alguns segundos depois de fumar, atingem seu ápice em 30 minutos e desaparecem 2 a 4 horas depois. A síndrome amotivacional - perda do interesse e desmotivação generalizada - pode estar presente nos usuários da maconha.
Fumada geralmente em grupos, com o cigarro passando de mão em mão, a fumaça extremamente aquecida da maconha provoca transformações malignas nos pulmões, mais graves do que a fumaça do tabaco. O metabolismo se dá no fígado e nos pulmões e a substância se deposita nos tecidos gordurosos do cérebro e testículos. O depósito nos testículos provoca azoospermia (redução do número de espermatozóides) ou aumento de células anormais de esperma, causando esterilidade temporária. A fertilidade se normaliza com a interrupção do uso da droga.
02. Haxixe:
É a resina que a planta Cannabis sativa secreta para proteger o broto. É aproximadamente 10 vezes mais potente do que a maconha. Apresenta-se como pasta sólida, moldada em pequenas bolotas e vendida assim para consumo. Como a maconha, o haxixe é fumado.
Efeitos do uso da Cannabis sativa (maconha e haxixe)
- euforia, sensação de relaxamento, aumento da libido, alteração da noção de tempo e distância, aumento do apetite, interação social diminuída, prejuízo da memória recente, prejuízo na realização de tarefas múltiplas, desconfiança, tremores finos, queda da temperatura, redução da força muscular, boca seca, olhos vermelhos, náuseas, cefaléia, queda da pressão arterial.
03. Santo Daime:
A seita Santo Daime ou Culto da União Vegetal, e outras seitas, são encontradas no Norte do país, sendo inexpressivas no Sul. O Santo Daime tornou-se famoso pela "conversão" de alguns artistas. A caapi e a chacrona (chamadas também de Ayahuasca) são usadas juntas em forma de chá durante os rituais. As alucinações produzidas pela bebida são chamada de "mirações".
04. Datura:
A planta datura, também conhecida como cerca viva ou trombeteira, é usada na forma de chá. Outras plantas alucinógenas encontradas com facilidade são a saia branca e o lírio.
05. Cactus e cogumelos:
Os cactus e os cogumelos são encontrados na América Central. Usados na forma de chá ou mastigados, produzem alucinações com temas religiosos e por isso são usados em comemorações e rituais sagrados.

As Drogas Perturbadoras Sintéticas:
01. LSD:
O ácido lisérgico teve sua época de abuso na década de 60, durante o movimento hippie. É vendido na forma de pó, solução, cápsula ou comprimido. Sem cor nem sabor, também é vendido em cubos de açúcar ou em pedaços de papel absorvente. Pode ser usado por via oral ou injetado na veia.
O LSD é um potente alucinógeno. O usuário acredita que pode voar ou andar sobre as águas. As alterações dos sentidos distorcem cores, formas e contornos; sons podem adquirir forma ou cor. Causa grande ansiedade. Os efeitos se iniciam 40 a 60 minutos após a ingestão, atingem o pico em 90 minutos e duram de 6 a 12 horas. Tontura, fraqueza e uma série de alterações fisiológicas são substituídas por euforia e alucinações.
02. Ecstasy:
Também conhecida como a "droga do amor", apesar de não ter efeito afrodisíaco como se apregoa. Seu outro nome é MDMA - MetilenoDioxoMeta Anfetamina, droga considerada ilícita desde 1985. Além de efeito estimulante, tem também efeito alucinógeno, o que é duplamente perigoso. Com estômago vazio, os efeitos aparecem 20 a 60 minutos depois de ingeridos os comprimidos e podem durar entre 6 e 8 horas. O usuário apresenta intensa felicidade, loquacidade, sensação de segurança e leveza, melhora da receptividade social, aumento da sensualidade, aumento da temperatura corporal (até 42 graus), intensa sede (por desregulação do sistema diurético) e sensação de eletrificação da pele. A combinação da droga com a música determina vontade de tocar as pessoas. A dança produz um estado de transe similar ao experimento em rituais tribais ou em cerimônias religiosas primitivas.
03. Anticolinérgicos:
São substâncias que bloqueiam as ações da aceticolina (um neuro-transmissor cerebral). produzem efeitos sobre o psiquismo e em diversos sistemas biológicos quando usados em doses elevadas. Desencadeiam alucinações e delírios persecutórios, que dependem da personalidade de cada usuário e de sua condição física. Induzem à sensação de bem estar, sentimento transitório de alívio, causando visão borrada e sensibilidade à luz. Os efeitos podem durar por 2 a 3 dias. Também produzem efeitos somáticos como dilatação da pupila, boca seca e palpitações. Os batimentos cardíacos podem chegar a 150 por minuto.
Os anticolinérgicos de abuso mais comuns são os medicamentos usados para tratamento da doença de Parkinson, comercialmente vendidos como Artane e Akineton.
Seus efeitos são: agitação psicomotora, ansiedade, boca seca, dificuldade para engolir, visão borrada, fotofobia, pele seca e quente, distensão abdominal, retenção urinária, ritmo cardíaco aumentado, hipertensão arterial, mania de perseguição.

Drogas Estimulantes do SNC:
As drogas estimulantes têm como principal efeito o aumento da atividade mental, com conseqüente estado de alerta exagerado, diminuição do apetite e insônia.
Principais drogas estimulantes: Cocaína, Nicotina, Anfetaminas e Cafeína.
Os estimulantes causam inquietação, insônia, ataque de pânico, alto nível de irritabilidade, desconfiança, paranóia, alucinações, confusão mental, depressão, letargia e anormalidades nasais.
01. Cocaína:
A cocaína é uma susbtância natural extraída das folhas de uma planta encontrada exclusivamente na América do Sul. Foi muito usada para fins médicos, principalmente como anestésico tópico em cirurgias oftalmológicas, do nariz e da garganta.
A cocaína pode chegar ao consumidor na forma de um sal, o cloridrato de cocaína (também chamado de pó, neve, branquinha e dezenas de outros nomes), ou de uma base, o crack. O pó é solúvel em água e pode ser aspirado ou dissolvido para uso endovenoso. As pedras de crack se volatizam e são fumadas numa espécie de cachimbo.
Um produto grosseiro obtido nas primeiras fases de preparação, a pasta de coca, contém muitas impurezas e é fumada em cigarros chamados bazucos.
A cocaína causa dependência psicológica. O termo "fissura" denomina o desejo de repetir a droga para sentir novamente os efeitos "agradáveis", e não para diminuir ou abolir os efeitos desagradáveis da abstinência.
A cocaína vendida nas ruas é normalmente misturada com outras substância para render mais ao traficante, o que a torna extremamente impura. As misturas mais comuns são feitas com açúcar, gesso, lidocaína, maizena e pó de mármore. Uma overdose pode provocar a morte por aumento da pressão arterial, taquicardia, fibrilação ventricular, parada cardíaca e convulsões.
Efeitos: A ação mais óbvia é a estimulação do Sistema Nervoso Central. O "baque" é uma sensação de prazer difícil de descrever, que associa intensa euforia e idéia de poder, redução da fadiga com aumento da energia, redução da necessidade de sono, aumento das sensações sexuais, menos apetite, estado de excitação e hiperatividade com aceleração do pulso, aumento do ritmo respiratório, febre, pressão arterial acentuadamente aumentada, tremor nas mãos e agitação psicomotora.
Psicose Cocaínica: caracteriza-se pelo aparecimento de idéias delirantes (de perseguição) e alucinações tácteis (sensação de bichos caminhando sob a pele). Se a droga é suspensa a sintomatologia desaparece em poucos dias. Segue-se um período de intensa sonolência e quadro depressivo que pode durar várias semanas.
02. Crack:
O crack é um sub-produto da cocaína, obtido a partir da cocaína não refinada (pasta básica), acrescida de uma substância básica, geralmente o bicarbonato de sódio.
É vendido na forma de pequenas pedras porosas, de um branco sujo, amarelado. Pouco solúvel na água, se volatiza e pode ser fumado em cachimbos de fabricação caseira. Uma pedra não rende mais do que duas horas de sensações. A ação acontece em aproximadamente 8 segundos, produzindo frenética euforia e intensa excitação. Quando a pedra se esgota, sobrevém a exaustão, o corpo amolece e o usuário entra em sono profundo.
Droga de uso simples e barata, é de fácil acesso para menores carentes.
O crack diminui o apetite, provoca agitação psicomotora, euforia, desinibição, taquicardia, dilatação da pupila, aumento da pressão arterial e transpiração. Eventualmente aparecem alucinações visuais ou tácteis. A dependência acontece em poucos dias. O usuário crônico apresenta cefaléias, tontura e desmaios e pode morrer de infarto agudo do miocárdio, numa overdose. É mais potente e prejudicial do que a cocaína inalada ou injetada.
03. Nicotina:
O cigarro é a droga lícita de maior consumo no mundo. Não por acaso é também a droga de maior expressão econômica. O Brasil é o sexto produtor mundial de fumo, produzindo cerca de 170 bilhões de cigarros por ano. Também é o maior exportador de fumo, responsável por 275 mil toneladas ao ano que movimentam cerca de R$ 7 bilhões. Mais de 70% seguem para o governo na forma de impostos. Aproximadamente 30% dos brasileiros são fumantes.
Tanto patrimônio envolvido determina uma campanha de vendas agressiva por parte das indústrias. Sistematicamente, a indústria do fumo vem manipulando quimicamente o cigarro, quer pela produção do fumo supernicotinado, quer pela adição de amônia. Usada para realçar o sabor, na realidade a amônia determina liberação de maiores quantidades de nicotina do tabaco. A nicotina é o agente responsável pela dependência física, provoca alterações importantes em diversos órgãos do corpo e induz à manutenção do hábito.
Normalmente o jovem inicia o uso por curiosidade. Mas recebe intensas pressões sociais, culturais e psicológicas que reforçam o uso e o estabelecimento da dependência.
Efeitos: A nicotina determina sensações de prazer, melhoria subjetiva da memória, aumento da vigilância e melhoria de desempenho no trabalho. Altera, contudo, a liberação de hormônios psicoativos, com aumento de lipoproteínas, substâncias responsáveis por aumento da pressão arterial, isquemia do miocárdio, aumento da freqüência cardíaca, vasoconstrição dos vasos, além da dependência física.
O monóxido de carbono é responsável pela redução da capacidade de oxigenação do cérebro e dos músculos. Outras substâncias presentes, tais como os aldeídos, o ácido cianídrico, os radicais livres (oxidantes) e os hidrocarbonetos aromáticos policíclicos, entre outros, são os responsáveis pelas alterações orgânicas graves que vão se desenvolvendo à medida que a dependência ao cigarro prossegue. Alterações pulmonares (enfisema, insuficiência respiratória, bronquite, maior vulnerabilidade às infecções), complicações circulatórias em geral, aumento da predisposição para diversos tipos de câncer (da boca, da laringe, da faringe, etc) fazem parte das graves repercussões do fumo para o organismo humano.
04. Anfetaminas:
São substâncias sintéticas, poderosas estimulantes do Sistema Nervoso Central, que determinam a diminuição do apetite, aumento da energia e redução do sono. São comumente usadas como boletas, que mantém o indivíduo "ligado", insone, com o apetite diminuído e a sensação de uma energia inesgotável. Provocam ainda aceleração da fala e inquietação.
As anfetaminas são muito usadas pelos motoristas de caminhão e por estudantes.
O "rebite" - seu nome popular - visa manter o usuário acordado. O principal uso médico é para o tratamento da obesidade, na forma de moderador de apetite. Porém, o peso perdido reaparece pouco depois da interrupção da droga.
Efeitos: As anfetaminas desenvolvem importante tolerância (necessidade de aumento da dose para obtenção do mesmo efeito) e dependência física discreta, o que contraria a idéia de que estas drogas não podem ter seu uso interrompido de imediato. A dependência psicológica é bastante intensa. É comprovada a existência de psicose induzida por anfetaminas. O usuário se torna extremamente desconfiado, apresenta pupilas dilatadas, taquicardia, aumento da pressão sangüínea, agressividade, irritabilidade e paranóia. Esta psicose pode se confundir com um quadro esquizofrênico agudo.
05. Cafeína:
Trata-se de uma substância química encontrada em plantas de chá e nas sementes do café. Afeta os sistemas circulatório e respiratório quando ingerida em doses elevadas. Pode ser encontrada em alguns medicamentos para enxaqueca e em refrigerantes. A dependência física pode ser discreta em usuários que abusam da substância.

Drogas Depressoras do SNC
As principais drogas depressoras do Sistema Nervoso Central são: álcool, barbitúricos, ansiolíticos e hipnóticos, opiáceos ou narcóticos (morfina, codeína, meperidina, propoxifeno e heroína), colas, solventes e aerossóis.
01. Álcool:
Historicamente, é a droga legal mais difundida na sociedade. Depressora do SNC, é uma substância com altíssimo potencial de abuso. Leva os indivíduos, independente do nível sócio-econômico-cultural, a comprometimentos que vão desde simples intoxicação a quadros clínicos e psiquiátricos graves, acompanhados de desagregação social.
Apesar de ser reconhecido como doença - à medida que o usuário perde a capacidade de escolher entre beber e não beber - o alcoolismo ainda não tem suas causas completamente conhecidas. Mas considera-se que o somatório de fatores biológicos, sociais e psicológicos desencadearia a patologia que, durante anos, desafiou profissionais e levou à formulação de inúmeras teorias.
02. Barbitúricos:
Derivam do ácido barbitúrico e já tiveram maior importância na medicina. São usados no tratamento da insônia e das epilepsias. Seu maior efeito é sedativo e não para alívio da dor. Provocam sonolência, diminuição da tensão, com sensação de calma e relaxamento, dificuldade de raciocínio e de concentração. São drogas perigosas porque sua dosagem terapêutica é muito próxima de sua dose letal. A associação com o álcool duplica o efeito depressor de ambos e pode matar. São exemplos famosos as mortes dos astros Janis Joplin, Marilyn Monroe e Elvis Presley.
Os barbitúricos determinam dependência física e psicológica. A síndrome de abstinência (falta da droga) é importante, marcada por insônia rebelde, ansiedade, tremores, irritação, convulsões e delirium, que podem levar à morte por parada respiratória. A gravidade da crise de abstinência requer obrigatoriamente tratamento médico e hospitalização.
Efeitos: Fala arrastada, dificuldade de concentração, descoordenação motora, marcha cambaleante, aprofundamento do sono até o coma e redução dos movimentos respiratórios até a parada respiratória.
03. Ansiolíticos:
São drogas depressoras que determinam a eliminação da ansiedade e alguns efeitos somáticos que ela pode causar. São chamadas de tranqüilizantes. Suas propriedades farmacológicas são de ação tranqüilizantes, relaxamento e anticonvulsivante.
Efeitos: Diminuição da ansiedade, indução do sono, relaxamento muscular e diminuição das convulsões. Segundo os especialistas, essas drogas perdem eficácia após 1 a 2 meses de uso diário. Sua prescrição é somente para casos graves de ansiedade e durante 2 a 3 semanas. Podem causar sedação acentuada com sonolência e vertigem, dificultam os processos de aprendizagem e memorização e prejudicam as funções motoras, comprometendo o uso de maquinários e a condução de veículos.
04. Hipnóticos:
São substâncias essencialmente usadas nas diferentes formas de insônia (dificuldade para conciliar o sono, despertar precoce, etc.). Entre as desvantagens, alteram o padrão natural do sono e perdem eficácia se utilizados todas as noites por mais de duas semanas. São drogas freqüentemente presentes nas tentativas de suicídio. Possuem alto potencial de dependência física e psicológica.
05. Opiácio ou Narcóticos:
São drogas derivadas de uma planta, a papoula. Os opióides com efeito analgésico também são conhecidos como narcóticos ou drogas hipoanalgésicas. Elas agem sobre o controle da dor, inibem o reflexo da tosse e diminuem a motilidade intestinal. Causam depressão generalizada do Sistema Nervoso Central, com sonolência, alteração da consciência, redução dos movimentos respiratórios e dos batimentos cardíacos, eriçamento dos pêlos corporais, contração das pupilas e confusão entre fantasia e realidade.
Os opiáceos provocam intensa dependência física, grande tolerância e uma dolorosa e violenta síndrome de abstinência. O abstinente fica apático, sofre náuseas, vômitos, fica hipotenso, com respiração fraca, hipotérmico, com pele fria e azulada, sente calafrios, cãimbras, corrimento nasal, lacrimejamento, inquietação, irritabilidade e insônia. Esse estado pode durar de 8 a 12 dias. A evolução da síndrome vai comprometendo os níveis de consciência até o coma.
Há vários tipos de Opiáceos, que podem ser usados de formas diferentes:
Opiáceos naturais: morfina (o mais potente analgésico conhecido) e codeína (produz acentuada depressão das funções cerebrais);
Opiáceos semi-sintéticos: heroína (obtida por acetilação da morfina) e metadona (para tratamento de dependentes de morfina e heroína);
Opiáceis sintéticos: analgésicos (meperidina, propoxifeno, buprenorfina) e antidiarréicos (difenoxilato).
A heroína é injetada endovenosamente. O ópio é fumado e pode ser cheirado. Os medicamentos derivados podem ser injetados ou usados via oral.
Efeitos: turvação do funcionamento mental; alteração do humor; euforia; sensação de flutuação e distanciamento; confusão mental; pupilas contraídas; rubor sobre a pele; movimentos respiratórios lentos; movimentos intestinais lentos; contrações musculares.
06. Colas, solventes e aerossóis:
São substâncias inalantes com efeitos psicoativos. A inalação de substâncias com tais características remonta à antiga Grécia. Clorofórmio, éter e gás hilariante vêm sendo usados desde 1800. O abuso de solventes teve seu ápice nos anos 50; os aerossóis e a cola, na década de 60, usados no aeromodelismo. A composição dos produtos é variada, algumas vezes múltipla e, muitas vezes, desconhecida. O tolueno e o benzeno são os componentes fundamentais das colas e solventes (tiners, tintas, etc), enquanto os hidrocarbonetos halogenados (fluorcarbonos) são os propelentes habituais de sprays e aerossóis. Também os derivados de petróleo (acetona, fluidos de isqueiro, gasolina, chumbo tetraetila e benzeno), as soluções de limpeza, líquidos de refrigeração (gás freon), corretivos tipográficos, removedores de manchas, clorofórmios, éter, etc. Um produto bastante conhecido no Brasil é o "cheirinho da loló", usado por adolescentes, preparado à base de clorofórmio e éter, para fins unicamente de abuso. Como sua composição exata é desconhecida, casos de intoxicação aguda podem apresentar complicações e são de difícil atendimento médico.
A inalação objetiva produzir um estado psicológico anormal e agradável para o usuário. A via inalatória garante acesso quase instantâneo ao cérebro. Alguns autores dizem que a principal diferença entre intoxicação alcoólica aguda e por solventes está de fato de que na última podem ocorrer alucinações. O uso causa euforia e os efeitos começam em poucos segundos, com duração aproximada de 15 a 45 minutos. O usuário repete as aspirações várias vezes para manter a euforia e a hilariedade. Apresenta distúrbios de conduta, com hiperatividade motora, tonturas, tosse, muita salivação, perturbações auditivas e visuais, sensação de instabilidade, lacrimejamento, corrimento nasal e irritação das vias respiratórias. Nos usuários mais pesados, encontram-se vermelhidão e escoriações ao redor da boca (nos cheiradores de cola).
O uso contínuo causa ainda confusão e torpor mental, perda do autocontrole, visão embaraçada, visão dupla, cólicas abdominais e cefaléia, ocorre deterioração do estado de consciência, redução acentuada do estado de alerta, com marcha hesitante, fala pastosa, descoordenação motora e ocular e em casos extremos ocorre estado de coma associado a convulsões e atividade onírica marcada por sonhos bizarros.
Efeitos: euforia; tontura; vertigem; sensação de estar flutuando; desinibição do comportamento; irritação ocular; visão dupla; confusão mental; desorientação; alucinações visuais e/ou auditivas; redução do estado de alerta; marcha vacilante; inconsciência; convulsões.


Com exceção das drogas que são utilizadas para fins medicinais, as demais em nada contribuem para o crescimento e desenvolvimento das pessoas como seres humanos.


CLASSIFICAÇÃO DOS USUÁRIOS DE DROGAS
Segundo a Organização Mundial de Saúde, os usuários de drogas podem ser classificados em quatro categorias:
· não usuário: nunca usou droga;
· usuário leve: utilizou drogas no último mês, mas o consumo foi menor que uma vez por semana; · usuário moderado: utilizou drogas semanalmente, mas não todos os dias no ultimo mês;
· usuário pesado: utilizou drogas diariamente durante o último mês.


CONSEQUÊNCIAS DA DROGA

Além dos prejuízos no âmbito da saúde do indivíduo, que são irreparáveis e muitas vezes incontroláveis, há um prejuízo imensurável no que diz respeito à vida social, familiar, emocional e psicológica da pessoa. Por esse motivo, é preciso uma campanha de conscientização constantes, além de ser extremamente necessário o atendimento de famílias carentes para que elas possam ter condições de manterem-se e não caírem em doenças como a depressão que levam naturalmente ao uso das drogas. A condição social do indivíduo é influente e contribui para o uso ou não das drogas, pois na maioria das vezes estas são consideradas uma fuga da realidade que essas pessoas enfrentam, e por isso se torna tão freqüente o seu uso.Um outro fator importante é a formação individual que cada um deve receber enquanto ser humano. Esse é um dos principais motivos de jovens do mundo inteiro recorrerem às drogas, o fato de se sentirem sozinhos ou perdidos, sem muitas experiências de vida e sem boas referências para descobrirem que caminho querem seguir. Essa batalha não é simples e não se resolve apenas com informações básicas como estas a respeito do uso de drogas, mas já é um começo. Temos que encarar que qualquer pessoa pode cair nessa “cilada” e que para evitarmos maiores danos temos que ser exemplos de pessoas que não precisam fazer uso desses artifícios para ser bem-sucedidos pessoal e profissionalmente.

TIPOS DE PREVENÇÃO

Definidos a população-alvo, suas necessidades, os objetivos e as metas, pensar-se-á nos tipos de intervenção preventiva baseados nos três níveis de prevenção, tradicionalmente enfocados na medicina, a saber:
Prevenção primária - quaisquer atos destinados a diminuir a incidência de uma doença numa população, reduzindo o risco de surgimento de casos novos;
Prevenção secundária - quaisquer atos destinados a diminuir a prevalência de uma doença numa população reduzindo sua evolução e duração;
Prevenção terciária - quaisquer atos destinados a diminuir a prevalência das incapacidades crônicas numa população, reduzindo ao mínimo as deficiências funcionais consecutivas à doença.
Prevenção primária
A prevenção primária pretende intervir antes que surja algum problema, no sentido de ser um conjunto de medidas que visam uma educação para a saúde. Aqui destacam-se três pontos essenciais:
Esta intervenção tem que ser precoce - tem que se aplicar a crianças através do oferecimento de atividades prazerosas, criativas e educativas;
Ela deve estar inserida em uma visão mais ampla da educação para a saúde, a fim de tornar atraente as regras para uma vida saudável;
Ela tem que se apoiar em "educadores naturais", em primeiro lugar os pais e também os professores.
Em resumo, a prevenção primária é o programa que objetiva evitar a ocorrência do problema-alvo, isto é, diminuir a incidência prevenindo o uso da droga antes que ele se inicie.
A intervenção primária destina-se a duas faixas:
Jovens - enfatizando medidas como a conscientização e sensibilização para os problemas da infância e da adolescência em todos os seus aspectos (fisiológicos, psicológicos e sócio-culturais). Visa, portanto, a todos os jovens e não somente àqueles considerados como de alto risco.
Adultos - fornecendo conhecimentos básicos, provocando e favorecendo uma reflexão maior sobre os problemas abordados, bem como um maior engajamento e participação dos "educadores naturais".
Prevenção secundária
Aplicada aos problemas do consumo de drogas, a prevenção secundária é um prolongamento da prevenção primária, cada vez que esta não alcançou os objetivos pretendidos. Consiste em intervenções para evitar que um estado de dependência se estabeleça.
É definida como uma intervenção especializada, endereçada àqueles que já manifestaram sinais de uma certa dificuldade com os psicotrópicos, em razão de um consumo indevido.
Como exemplo, podemos falar sobre o adolescente que está em dificuldades (pessoais, familiares, sociais etc.) ou que já está consumindo drogas, seja por curiosidade ou de maneira intermitente. Neste caso, apesar dele não ser um dependente, existe um risco maior dele investir na droga.
Faz parte deste nível de intervenção uma variedade de técnicas: aquisição de conhecimento mais adequado à respeito das drogas; conscientização da pessoa em relação ao seu comportamento; suas reações às diversas circunstâncias; o significado das coisas que lhe acontecem e dos gestos que usa para determinadas situações.
A prevenção secundária visa, pois, diminuir a prevalência do problema-alvo, buscando impedir a progressão do uso uma vez iniciado.
Prevenção terciária
Aplicada às drogas, a prevenção terciária tem como objetivo essencial evitar a recaída, visando a reintegração do indivíduo na sociedade, possibilitando-lhe novas oportunidades de engajamento na escola, nos grupos de amigos, na família, no trabalho etc.
Pressupõe-se que, no caso de uso de drogas, a dependência já esteja instalada. Neste caso, a prevenção terciária atuaria antes, durante e depois do tratamento.
Antes do tratamento, a intervenção visa auxiliar o indivíduo a formular um pedido de ajuda e o favorecimento de uma relação terapêutica efetivamente privilegiada;
Durante o tratamento, visa auxiliar para que não se rompa um processo terapêutico ou de ajuda já iniciado, bem como desdramatizar a situação sem, contudo, minimizá-la;
Depois do tratamento, visa uma ação conjugada com uma instituição voltada para a reinserção social.
A prevenção terciária objetiva, assim, diminuir as conseqüências de um uso já continuo e intenso sendo, em geral, estratégias voltadas para a reabilitação e reinserção social do indivíduo.


Em Cristo : Rodrigo Chiappetta Nascimento
publicado por institutogamaliel às 17:46
tags:


Gal. 5:20; Ef. 5:18; Apocalipse 9:21; 18:23; 21:8; 22:15

Os vários meios de comunicação têm esclarecido o perigo do uso das drogas e de suas conseqüências tanto físicas quanto sociais para o usuário e seus familiares.E todos assistimos, chocados, como famílias inteiras têm sido destruídas devido ao consumo e tráfico de drogas. Basta assistir os noticiários na TV ou ouvir no rádio para constatarmos que se trata de uma crise mundial e pode ser considerado um dos flagelos apocalípticos, pois atinge a todas as classes sociais no mundo inteiro; ricos e pobres são igualmente atingidos por essa epidemia social. Quantos lares destruídos!
Quantas vidas jovens ceifadas!Mas o que a Bíblia diz a respeito?
Sobre o uso de drogas tal como a conhecemos não encontramos nada muito explicito, mas nos textos de Apocalipse verificamos que as palavras “feiticeiro” e “feitiçaria” foram traduzidas do grego como “pharmakeia”, de onde se origina a nossa palavra farmácia, cujo significado literal é “manuseio de substâncias químicas,orgânicas e inorgânicas”. O termo “pharmakon” significa “droga”, porque as drogas
desempenhavam papel importante na feitiçaria e vieram a ser associadas à prática das artes ocultas, como em muitos lugares ainda hoje usam“incensos” e “chás”, os quais levam a pessoa ao estado de “transe” ou “êxtase”, isto é “ficar fora dos sentidos”.

Deve-se considerar que para a época em que os textos foram escritos, a feitiçaria realmente estava, em grande parte, associada ao misticismo, face ao desconhecimento da química como ciência, tal como a temos hoje. Assim, uma boa tradução para Apoc. 21:8 seria: “quanto aos covardes, os incrédulos, os depravados,
os assassinos, os que cometem imoralidade sexual, os idólatras, os mentirosos e os “quemanipulam substâncias de forma ilegal (pharmakoi=feiticeiros). Esses, “ficarão de fora” (Apoc.22:15) e em 1ª Coríntios 6:9, o apóstolo Paulo identifica outros que também não herdarão o Reino de Deus, a saber: “... imorais, adúlteros, homossexuais passivos ou ativos, ladrões, avarentos, alcoólatras, caluniadores, trapaceiros”. Em
Romanos 1:26 o apóstolo Paulo acrescenta à categoria, mulheres que praticam o homossexualismo. EmGálatas 5:20, a feitiçaria (pharmakeia), é listada entre as obras da carne e sabemos que muitas vidas jovens têm sido escravizadas pelo vício das drogas. O álcool é droga, assim como o fumo, que criam dependência. São drogas “permitidas pela sociedade e pela legislação”, entretanto, têm causado, no mundo
inteiro, mais mortes e deformações físicas do que as guerras. Provérbios alerta que a bebida fermentada provoca brigas (20:1) e associa a embriaguez à pobreza (23:20,21), à contenda (23:29,30) e à injustiça (31:4,5). O texto de Isaías 28:7 é uma séria advertência às lideranças da igreja e aos cristãos emgeral, que devembuscar encher-se do Espírito e não de bebida alcoólica. “Não se embriaguem com vinho, que leva à libertinagem, mas deixem se encher pelo Espírito” (Ef.5:18). Por que a droga é pecado grave?
Porque ela destrói a coisa mais perfeita e sublime que Deus criou, a família e o corpo humano “que não é para a impureza, mas para o Senhor” (1ª Cor. 6:13/20).

Rev. Enoc Teixeira Wenceslau
publicado por institutogamaliel às 17:45
tags:


Para melhor compreenção das pessoas que não tem contato com a Palavra de Deus a pesquisa Bíblica, foi feita na Bíblia (NTLH) Nova Tradução na Lingagem dos dias de Hoje, além de Bíblias de estudos.

ALCOOL E DROGAS


O que a Bíblia diz sobre as bebidas e drogas?

1 Coríntios 6:12,13
Algém pode dizer: "Eu posso fazer tudo o que eu quero." Pode sim mas nem tudo é bom para você. Eu poderia dizer: "Posso fazer qualquer coisa." Mas não vou deixar que nada me escravize. Outro vai dizer: "O alimento existe para o estômago, e o estômago existe para o alimento." Sim, mas Deus acabará com os dois. O nosso corpo não existe para praticar imoralidade, mas para servir o Senhor; e o Senhor cuida do nosso corpo.

1 Coríntios 6:9,10
Voçês sabem que os maus não terão parte no Reino de Deus. Não se enganem, pois os imorais, os que adoram ídolos, os adultéros, os homossexuais, os ladrões, os avarentos, os bêbados, os caluniadores e os assaltantes não terão parte no Reino de Deus.

1 Coríntios 6:19,20
Será que vocês não sabem que o corpo de vocês é o templo do Espírito Santo, que vive em vocês e lhes foi dado por Deus, pois ele os comprou e pagou o preço. Portanto, usem o seu corpo para a Glória dele.

1 Coríntios 3:16,17
Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo”

Provérbios 20:1
Quem bebe demais fica barulhento e caçoa dos outros; o escravo da bebida nunca será sábio.

Efésios 5:18
Não se embreaguem, pois a bebida levará vocês a desgraça; mas enchan-se do Espírito de Deus.

Provébios 31:5
Quando eles bebem,não lembram das Leis e esquecem os direitos dos que são explorados.

Provérbios 23:29,31
Quem é que grita de dor? Para quem são as tristezas? Quem é que vive brigando e se queixando? Quem é que tem olhos vermelhos e ferimentos que podiam ter sido evitados? É aquele que bebe demais e anda procurando bebidas misturadas.

Isaías 5:22
Ai dos que são campeões de beber vinho, que vencem apostas de misturar bebidas alcoólicas.

Deus proibe estas coisas, não para privá-lo, mas para que possa desfrutar dos prazeres verdadeiros e mais bonitos.

Atenciosamente: Rafael Araujo
publicado por institutogamaliel às 17:44
tags:



Nos dias de hoje, o sexo vem sendo banalizado pelo ser humano. Existe uma grande pressão sobre os jovens para que, a cada dia, se relacionem sexualmente mais cedo.
Você já notou como o sexo está no imaginário das pessoas? Parece até que tudo, na vida, gira em torno do prazer sexual. As propagandas, em sua maioria, usam-no para chamar a atenção. Explora-se o assunto em novelas, livros, revistas, filmes, músicas... E os programas humorísticos? Suas piadas sempre enfocam o sexo, seja de forma direta, seja subjetivamente. Parece que as pessoas pensam em sexo o tempo todo.
É preciso entender que Deus não criou o sexo para ser usado sem qualquer regra ou apenas para dar prazer, sem nenhuma responsabilidade. Ele quer que sintamos prazer por meio do sexo, mas dentro de um relacionamento autorizado por Ele: o casamento. Entre pessoas que se amam.

O sexo nunca foi em si mesmo, pecaminoso. Deus o estabeleceu para ser desfrutado na relação matrimonial antes que o pecado entrasse no mundo (Gênesis 2.21-25). Todas as coisas vivas no universo devem sua vida ao princípio do sexo: animais e seres humanos, que dependem da união entre macho e fêmea — excetuando-se, é claro, as reproduções assexuadas entre certos tipos de insetos e plantas.

Em provérbios 5.18. Está escrito: "Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade" Este texto refere-se ao lado físico do amor e prova que o sexo, quando praticado dentro dos princípios da Bíblia Sagrada, além de prazeroso, tem a aprovação de Deus. "Digno de honra entre todos seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula; porque Deus julgará os impuros e adúlteros".(Hebreus 13-4).

Aqueles que não valorizam a Bíblia Sagrada orientam os jovens e adolescentes a se relacionarem com quem e quando quiserem.

Sexo com qualquer pessoa e sem nenhum limite é tudo o que a natureza carnal deseja (Gálatas 5.19-21) Contudo, veja qual é a vontade de Deus: "... a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição;... Porquanto Deus não nos chamou para a impureza, e sim para a santificação. "(1 Tessalonicenses 4.3-7)

O pecado está em valer-se do sexo para prostituir-se: "Fugi da prostituição. Qualquer outro pecado que uma pessoa cometer é fora do corpo; mas aquele que pratica a (prostituição) imoralidade peca contra o próprio corpo. Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós, o qual tende da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos?" (1 Coríntios 6.18.19)

Apesar de o mundo ser contrário à vontade de Deus, você deve valorizar o que a Bíblia diz: " E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” (Romanos 12.2.)

Não vivam como vivem as pessoas deste mundo, mas deixem que Deus os transforme por meio de uma completa mudança de mente. Assim vocês conhecerão a vontade de Deus, isto é, aquilo que é bom, perfeito e agradável a Ele.

Texto adaptado de Ciro Sanches
publicado por institutogamaliel às 17:40
tags:



Victoria descobriu que estava grávida de Pedro Henrique quando tinha apenas 14 anos


Aumenta o número de meninas que engravidam no País, segundo relatório do Unicef, contrariando a tendência de queda da taxa de natalidade entre as brasileiras

Era feriado da Proclamação da República, 15 de novembro. Em vez de sair com os amigos, Victoria Pereira Rocha, 14 anos, aproveitou o dia de folga para ir até a farmácia sem levantar suspeitas e esclarecer uma dúvida que a atormentava havia um mês, desde que sua menstruação atrasou. Com o teste de gravidez em mãos, fez o exame em casa, escondido da mãe. Quase caiu para trás quando viu surgir os dois tracinhos vermelhos no bastão branco: como temia, estava grávida. “Eu sempre falava que não queria ter filhos”, diz Victoria. Nove meses depois, nascia Pedro Henrique. Victoria e seu filho fazem parte de uma triste estatística revelada pelo relatório Situação da Infância Brasileira 2011, divulgado na semana passada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). Em cinco anos, contrariando a queda da taxa de natalidade (21,9% em dez anos no País), subiu em 6% o número de filhos de meninas com menos de 15 anos. A cada hora, são mais de três partos de grávidas nessa faixa etária no Brasil. “Isso nos preocupa”, disse à ISTOÉ a representante do Unicef no Brasil, Marie-Pierre Poirier. “Temos uma lei no País que fala que toda relação sexual até os 14 anos tem presunção de estupro. Nem era para essa relação sexual ter acontecido.”

Esse crescimento apontado pelo relatório foi detectado apenas nas menores de 15 anos. Entre as adolescentes mais velhas, com 16 anos ou mais, a tendência é inversa – diminuiu 14% no mesmo período. “Isso mostra que falta uma atuação específica junto a esse público mais novo”, afirma Maria Helena Vilela, diretora do Instituto Kaplan. “Existe um descompasso, pois as meninas têm acesso ao sexo cada vez mais cedo, mas ninguém conversa com elas sobre o assunto.” Para os pais, elas ainda são muito crianças, e, nas escolas, o assunto só é pauta a partir do ensino médio. O resultado são casos como o de Victoria: na primeira vez em que ela pisou num consultório de ginecologista, já estava grávida. “Minha mãe nem sabia que eu tinha perdido a virgindade”, conta. Mesmo sem ter ido ao médico, ela já fazia uso de uma pílula anticoncepcional por recomendação de amigas. Ficou grávida porque se esqueceu de tomar o comprimido todos os dias.
Para cuidar de Anna Clara, Letícia teve de deixar o sonho da universidade para mais tarde

Na equação da gravidez na adolescência, falta assistência justamente no período em que mais surgem dúvidas. Não que essas meninas não saibam como evitar filhos. Assim como Victoria, grande parte delas conhece os principais métodos contraceptivos e até sabe onde consegui-los. Acabam, porém, cedendo ao companheiro, que pede que elas não usem nenhuma proteção. “O início da adolescência é um período de muita insegurança, o que gera uma dificuldade imensa de negociação com o parceiro, especialmente porque ele geralmente é mais velho”, diz Albertina Duarte, coordenadora do Programa de Saúde do Adolescente da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo. Contrariando a tendência nacional, o Estado reduziu os casos de gravidez entre garotas com menos de 15 anos. O segredo, segundo Albertina, tem sido trabalhar a autoestima das adolescentes.

A descoberta da gravidez é só a primeira situação difícil para essas meninas que irão se tornar mães. O bebê em desenvolvimento dentro de um corpo recém-entrado na puberdade está suscetível a uma série de problemas. “Há mais casos de baixo peso ao nascer e de partos prematuros, também aumentam-se as chances de infecção e diabetes gestacional ou pré-eclâmpsia”, enumera o ginecologista e obstetra Marco Aurélio Galletta, responsável pelo setor de gravidez na adolescência do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP).

Superada a gestação, começam as complicações sociais. “Essas meninas perdem a oportunidade de vivenciar as relações próprias da adolescência por ter de assumir a maternidade”, diz Maria do Rosario Figueiroa, do Programa de Atenção à Saúde da Gestante Adolescente do Hospital das Clínicas de Pernambuco. Sobem também as chances de um segundo filho ainda na tenra juventude. Quase metade dessas garotas volta a ser mãe de dois a três anos depois da primeira gestação. “Já tivemos uma paciente de 17 anos com três filhos”, conta a ginecologista Ezaltina Monteiro, do Hospital Materno-Infantil Presidente Vargas, em Porto Alegre. Outra dificuldade é conciliar a maternidade com os estudos. Das mães com idade entre 10 e 17 anos, 76% estão fora da escola. Entre as adolescentes nessa faixa etária, mas sem filhos, o índice é de apenas 6%. Algumas, como Victoria, conseguem seguir aos trancos e barrancos. Outras, como Letícia Manta, hoje com 16 anos, abandonam os estudos e se tornam donas de casa. A garota, que engravidou aos 15, mora com a filha, Anna Clara, de seis meses, e o namorado, de 22 anos. “Quero voltar a estudar e fazer pedagogia”, diz. Por hora, porém, a vida de Letícia é amamentar, lavar fraldas e cozinhar.

Rachel Costa
publicado por institutogamaliel às 17:38
tags:


Você já reparou que em sua igreja têm aquelas moças que estão perdendo a glória de Deus, elas sabem as pernas que têm, o corpo que têm e colocam aquelas roupas nada convencionais de propósito, só para chamar a atenção dos homens.

Existem muitas moças brincando de ser crentes; será que essas pessoas podem ser como o profeta Elizeu, que quando passava na rua, aquela mulher sunamita apontava pela janela e dizia: -Alí vai um homem de Deus!
Moça, será que quando você passa na rua o povo aponta e diz: -Alí vai uma mulher de Deus, ou você é confundida no meio de uma multidão de moças segundo o conselho dos ímpios?
Essas moças, na igreja são uma bênção, mas fora, são um verdadeiro instrumento de satanás ( VEJA TAMBÉM: USADOS POR SATANÁS SEM PERCEBER).
Na escola não dão testemunho de crente, são confundidas e contadas como qualquer uma, são como Naamã, por fora todo mundo só via o chefe do exército da Síria, mas quando ele chegava em casa e tirava sua roupa, estava revestido de lepra.
publicado por institutogamaliel às 17:37


Certas pessoas vivenciam alguns acontecimentos na vida mais cedo do que outras, mas nesses 3 casos que seguem esse "mais cedo" foi bem mais intenso.



A pergunta que fica é: Quais são os fatores que realmente influenciam determinados comportamentos? Genética? Meio Social? Fatores Internos? Espiritualidade? Tudo isso? Acompanhe e pense:

Mãe com 11 anos, avó com com 23!


Dona de casa romena acredita ser a mais jovem avó do mundo. O tablóide britânico The Sun relata que Rifca Stanescu teve sua primeira filha, chamada Maria, aos 12 anos. Apesar de não querer que a filha seguisse seu exemplo, Maria aos 11 anos deu a luz a Ion. Stanescu tinha apenas 23 anos quando se tornou avó. “Estou feliz em ser avó, mas queria mais para Maria”, disse ela.
Rifca casou com um vendedor de jóias Ionel Stanescu quando tinha 11 anos e ele 13. O jovem casal fugiu da aldeia de Rifca por esta recear que o seu pai a quisesse casar com outro rapaz da sua aldeia.
A família de Rifca perdoou-lhe quando nasceu a filha, e assim que a família do marido pagou um dote para a dela, o que fez com que a sua mãe, Maria, fosse bisavó aos 40 anos.
Atualmente, Rifca está com 25 anos e seu neto com dois

Transsexual mais jovem do mundo




Kim Petras, que nasceu Tim, começou o tratamento para mudança de sexo aos 12 anos e se converteu no transsexual mais jovem do mundo depois de passar por uma operação de mudança de sexo à idade de 16 anos; Quando fez 14 anos, já estava oficialmente registrada como uma garota, o que tornou-a em uma personagem em seu país.
A cirurgia realizada em segredo e paga pelo serviço de saúde alemão foi autorizada após psicólogos confirmarem que “sem dúvida ele era uma menina no corpo de um menino”.

Criança de 3 anos treina para ser a mais jovem tatuadora do mundo


Ruby Dickinson tem apenas quatro anos, mas ela já está deixando sua marca no mundo com tatuagens. A criança pode ser a mais nova artista do mundo das tatoos. Enquanto as outras crianças só pensam em balanços, videogame e playground, Ruby tem aulas de tatuagem após creche. Ela também pratica com um kit de brinquedo na loja de tatuagem de seu pai. O pai acredita que sua filha se tornará um “Van Gogh das tatuagens” num futuro próximo. Hoje, o desenho preferido de Ruby é a aranha.

Fonte: Lista10, Mdig, g1
publicado por institutogamaliel às 17:26
tags:


Toda mulher sábia edifica a sua casa; mas a tola a derruba com as próprias mãos. Pv. 14.1

A sua casa é extensão do seu interior, daquilo que você é! Uma mulher desleixada vai morar numa casa desleixada também, uma mulher criativa vai habitar em um espaço criativo e moderno. Existem mulheres que moram em lugares bagunçados e sem personalidade alguma, sempre falo que se a sua casa interior estiver bagunçada assim também será a sua morada exterior. Descobri que sempre podemos ter uma desculpa para não realizarmos as coisas na nossa vida, mas hoje em dia não há desculpa para se ter uma casa agradável e charmosa, existem muitas variedade no mercado que vão de móveis caríssimo até móveis simples mas igualmente bonitos, sem falar de peças que você pode encontrar até em lojas de móveis usados, há ainda as peças decorativas que você traz para sua residência imprimindo personalidade a ela, um jarro de flor, um porta retrato, umas almofadas, mesinhas de centro e de canto ou um quadro na parede são detalhes que trazem vida a nossa casa e que muitas vezes encontramos em lojas por preços bastantes acessíveis, existem até aquelas mulheres super-criativas que fazem para sua casa suas próprias peças decorativas, pintam seu quadros, fabricam cerâmicas, costuram suas próprias almofadas, demais não é mesmo? Mas nem todas tem esse tempo disponível, vale a pena buscar nas lojas peças decorativas que são a sua cara, tem de todos os preços. Outro dia entrei em uma loja de variedade e encontrei lindos portas retratos por preço bem baratos em relação aos que tinha visto no shopping e com a mesma qualidade. A mulher deve cuidar da sua casa buscando fazer deste local um ambiente agradável e bonito para sua família e todos que chegam.

Não importa se você mora num lugar simples, com certeza devemos morar numa casa conforme o nosso padrão de vida, viver de aparência é uma vida cheia de ansiedade e medos, não faça essa escolha para você, conheço mulheres que morar em uma casa linda mas que está cheia de dívidas e por isto nem dorme de noite, são estressadas e mal humoradas e percebo que mesmo que as casa é maravilhosa agente não tem vontade de ficar muito lá. No entanto, mesmo se o seu salário é bem restrito você pode usar a criatividade! Isto mesmo! Criatividade é tudo quando não se tem dinheiro. Vamos lá comece hoje! Mas não se esqueça a maior beleza de um lar é quando se tem paz, alegria e amizade dentro de casa então cultive também esses sentimentos sendo mais paciente com as pessoas que convive com você se esforçando para olhar as qualidades e não para os defeitos.


Fonte: http://www.gospelmais.com.br
publicado por institutogamaliel às 17:26


Como ser uma esposa aprovada por Deus? Veja o que a Bíblia ensina às esposas.



1 – Seja submissa ao seu marido

Base bíblica: “Mulheres, sujeite-se cada uma a seu marido, como ao Senhor, pois o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja, que é o seu corpo, do qual ele é o Salvador” (Ef. 5.22).

O que isso quer dizer? Não quer dizer que os maridos não devam ouvir suas esposas ou subjulgá-las. Submeter-se é entregar a liderança do lar e do casamento ao marido. Estar ao seu lado (depois de conversarem, é claro) naquilo que não ferir a ética e os princípios cristãos e confiar que Deus irá honrar esse dever bíblico da relação conjugal. Quando me refiro a ética e aos princípios cristãos estou me lembrando de alguns mandamentos como por exemplo, “não roubar”, “não mentir”, “não adulterar” e outros mais.

Praticando: Se em alguma coisa houver discordância entre você e seu marido e não ferir a ética e os princípios cristãos diga para seu marido: “Querido eu não concordo com essa decisão, mas crendo na Palavra de Deus que diz que devo ser submisso a você, estarei ao seu lado”.

2 – Satisfaça seu marido sexualmente

Base bíblica: “O marido deve cumprir os seus deveres conjugais para com a sua mulher, e da mesma maneira a mulher para com o seu marido” (1Co 7.3).
O que isso quer dizer: Como afirmamos no número anterior, o que Paulo está dizendo é que tanto o homem como a mulher têm o dever de satisfazer o outro sexualmente. Você esposa deve saciar seu marido na área sexual. Lembre-se que o homem dá um grande valor ao sexo. Ele precisa saciar seu apetite sexual com você, esposa!

Praticando: Procure conhecer um pouco mais sobre os aspectos psicológicos da sexualidade masculina. Procure conversar com seu marido sobre o assunto a fim de satisfazê-lo nessa área.

3 – Agrade seu marido

Base Bíblica: “Mas a casada preocupa-se com as coisas deste mundo, em como agradar seu marido” (1Co 7.34)
O que isso quer dizer? Agradar é fazer o que outro gosta. Lembre-se desse conselho: “Mime seu marido, jamais seus filhos”.
Praticando: Procure descobrir de que seu marido gosta no campo da gastronomia. Faça aquele prato favorito. Faça-lhe um mimo. Você vai fazê-lo feliz e a felicidade retornará para você também.
4 – Respeite seu marido

Base bíblica: “Como Sara obedecia a Abraão e o chamava de senhor” (1Pd 3.6).
O que isso quer dizer: A idéia aqui é de respeito. Além de ser submissa (1Pd 3.1-6), Sara respeitava seu marido, tratando como senhor.


Praticando: Não precisa chamar seu marido de “senhor”, mas é preciso, com atitudes e palavras, respeitá-lo. Se você é uma esposa crente e seu marido incrédulo, até mesmo um alcoólatra, você precisa respeitá-lo. Fazendo isso você o impressionará com a vida cristã e Deus a honrará e ganhará seu marido para Cristo. Creia nisso!

5 – Procure se embelezar para seu marido

Base bíblica: “A beleza de vocês não deve estar nos enfeites exteriores…mas no ser interior” (1Pd 3.3,4).
O que isso quer dizer: Não significa andar desleixada. Lembra da noiva descrita em Cantares de Salomão? Era linda! (Ct 1.15). Mas o que Deus quer de você, antes de tudo é a beleza interior, é a docilidade, tranqüilidade, a esperança que devem morar no coração de toda esposa.
Praticando: Procure se dirigir ao esposo com docilidade e com tranqüilidade. Peça para que Deus faça brotar essas virtudes no seu coração.

Por: Gilson Bifano
Fonte: www.padom.com


publicado por institutogamaliel às 17:24


Lembre -se que a prioridade é você

Muitas mulheres, após o casamento, se dedicam tanto à limpeza e à arrumação da casa, que acabam esquecendo de cuidar de si própria. Esposas precisam entender que a prioridade são elas, depois a casa. É claro que não há marido que goste de chegar em casa e ver tudo de perna para o ar, mas pior do que isso é encontrar uma esposa descabelada, com cheiro de cebola e uma camisa de malha masculina. É como jogar um balde de água gelada nas emoções dele, e destruir qualquer possibilidade de um clima romântico.

O livro de Gênesis 12:11 relata Abrão elogiando a grande beleza de Sara. Quando Abrão estava prestes a entrar no Egito, disse a Sara, sua mulher: "Ora, bem sei que és mulher formosa à vista."

Jesus deixou um alerta que se encaixa perfeitamente para essa situação: . . . porque os filhos do mundo são mais hábeis na sua própria geração do que os filhos da luz. (Lucas 16:8)

É certo que exceções existem em qualquer situação, mas não é muito comum encontrar mulheres no mundo secular se vestindo com desleixo, ou com os cabelos mal arrumados, sem batom ou de unhas mal feitas e sujas. A mulher de Deus precisa filtrar aquilo que é bom para a sua vida. Reter o que vai lhe trazer benefício e destruir tudo aquilo que pode comprometer a sua comunhão com Deus.

Existem mulheres que acham que para serem mais espirituais precisam ser bastante "simples", ou quase apagadas. Mulheres casadas que querem ser espirituais de verdade prestem atenção o que diz a PALAVRA DE DEUS: "Também a mulher, tanto a viúva como a virgem, cuida das coisas do Senhor, para ser santa, assim no corpo como no espírito; a que se casou, porém, se preocupa com as coisas do mundo, de como agradar ao marido. (1 Coríntios 7:34).

É dessa maneira que a casada vai santificar o seu marido. Aí há um mistério revelado dentro da Palavra, que muitas mulheres ignoram. A casada que não tem como prioridade o marido, está desobedecendo ao Senhor.

Para entender melhor a questão da vaidade, no Velho Testamento esta palavra aparece 62 vezes, porém, essa vaidade é a mesma que fez Lúcifer, cair. A vaidade de tentar roubar a Glória de Deus, de inflar o próprio ego. Nada tem a ver com o se cuidar, com o zelo pela aparência. Uma mulher que se cuida é sabia, porque seu esposo sempre terá orgulho de estar ao seu lado em qualquer lugar. -

O homem é atraído pelo que vê, isso é fato. No Velho Testamento o termo "formosa à vista" é encontrado seis vezes. (Gn 12:11, Gn 24:16, Gn 26:7, Dt 21:11, II Sm 11:2, II Sm 14:27). As mulheres, porém, são atraídas pela sensação de segurança.

A vaidade só se torna um pecado quando se procura a beleza como um troféu. "Não confie na vaidade, enganando-se a si mesmo; pois a vaidade será a sua recompensa." (Jo 15:31).

Há diferença em se arrumar com elegância, usando roupas bonitas, bem combinadas, colocando-se formosa para seu namorado, noivo ou marido. Não há nada de errado nisso. Ser formosa à vista não significa ser vulgar. Isso nada tem a ver com a vulgaridade de mostrar o corpo.

Na dúvida, executivas e aeromoças são ótimos pontos de referências. Se engana a mulher que pensa que para se vestir bem precisa gastar rios de dinheiro. Hoje é possível se vestir muito bem e barato. Muitas revistas de moda dão dicas incríveis de combinação para todos os ambientes.

O que a Bíblia observa como doutrina é que: Não haverá traje de homem na mulher, e não vestirá o homem vestido de mulher, porque qualquer que faz isto é abominação ao Senhor teu Deus. (Dt 22:5) Por essa razão, quanto mais feminina, mais "formosa à vista" você será.

Toda mulher sábia edifica a sua casa; a insensata, porém, derruba-a com as suas mãos. (Pv 14:1). Isso se refere a todas as áreas do casamento

por Nilbe Shlishia

Fonte: Agência Unipress Internacional


publicado por institutogamaliel às 17:23
tags:


O valor da intercessão materna é muito maior do que podemos imaginar.

Meus olhos ardiam em lágrimas enquanto seguiam minha filha de 24 anos passando pela divisão de imigração do Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Ela estava embarcando no primeiro de alguns vôos para uma longa viagem que a levaria ao Oriente Médio para estudar a língua árabe. Depois de muitas horas, estaria chegando a um mundo completamente desconhecido, uma realidade sobre a qual eu pouco sabia e nunca experimentara.

Em pé, naquele lugar, em um espaço totalmente ocupado pelos familiares dos vários passageiros, percebi que também estava ocupando um lugar especial no tempo. Dei conta de que eu fazia parte de uma linhagem de mães que, no decorrer de pelo menos três gerações em minha família, deixaram suas filhas se lançar ao desconhecido. Minha avó, no auge da Segunda Grande Guerra, vivenciou a saída da minha mãe de seu lar na Polônia. Trinta anos depois, quando eu estava com 17 anos, minha mãe deixou-me sair de casa para iniciar a caminhada rumo ao meu chamado missionário para a América Latina.

E agora, lá estava eu, 30 anos depois, assistindo à minha filha primogênita e solteira dar um passo na direção de um contexto que tinha como sua única certeza a incerteza. E o fio que me liga à minha filha é o mesmo que, lá atrás, ligou-me à minha mãe, e à mãe dela a ela: a oração.

Qual é o valor da oração de uma mãe? Creio que seu valor é inestimável, pois somos membros de uma comunidade de fé que se estende além do tempo e penetra o mundo inteiro, apesar das incríveis diferenças culturais. Pensando assim, podemos listar vários motivos pelos quais a oração é tão preciosa.

Há valor para quem é o objeto das orações

Minha infância está repleta de descrições da fé da minha avó e histórias de livramentos milagrosos que minha mãe e seus irmãos experimentaram.

Enquanto lavava louça ou dobrava roupas, minha mãe descrevia situações impossíveis da guerra para as quais, humanamente falando, não havia saída. Mas, como resposta aos pedidos da minha avó pela misericórdia do Senhor, ele providenciou escapes de bombardeios, de doenças (como tuberculose), de ocupações inimigas e de calúnias.

Foram os testemunhos que minha mãe relatou-nos que, mais tarde, me deram a coragem de que eu precisava para dar meus próprios e ousados passos de fé. E enquanto as respostas às orações nas grandes crises impressionaram-me quando menina, foram os relatos da fidelidade de Deus até nas pequenas lutas - como provisão diária da alimentação ou oportunidades para servir vizinhos angustiados - que me ensinaram como meu Pai celestial é mais do que capaz de cuidar bem de mim, de minha família e dos outros.

Mais tarde, já como mãe, freqüentemente recordava dos vários desastres dos quais fui poupada devido à intercessão fiel de minha mãe. De quantas conseqüências negativas fui livrada, por falta de juízo, imaturidade ou teimosia, porque minha mãe estava clamando diante de Deus em meu favor! Sem dúvida, os filhos são muito abençoados quando suas mães oram por eles.

Há valor para nós, mães, quando oramos.

Para quem tem filhos vivendo em circunstâncias fora do nosso controle (está é a realidade para todas as mães, algumas mais, outras menos), existe a tendência de insistirmos com Deus para que as coisas nas vidas deles sejam do jeito que pensamos ser o melhor. Queremos que eles sejam saudáveis, alegres e estejam seguros. Pode acontecer de nos encontrarmos instruindo Deus sobre como as vidas deles devem ou têm que ser. É somente quando nos prostramos diante do Senhor em oração que percebemos que esta atitude de insistência, de exigência, é, de fato, pecado.

Quando nosso filho estava com de dez anos (em 1991), esteve às portas da morte devido a uma meningite. Eu insistia com Deus para curá-lo, pois, do contrário, nossos amigos e familiares incrédulos diriam que Deus tinha sido cruel ao tirar a vida do filho de missionários (sempre temos justificativas!) Pensei que estava zelando pela reputação de Deus diante do mundo. Quando reconheci que minha oração não era um pedido, mas uma exigência disfarçada, pedi perdão e encontrei a paz e a força que precisava para encarar os dias difíceis de intermináveis exames médicos e do tratamento hospitalar.

Nosso filho sobreviveu. Aprendi, porém, que quando exijo que Deus faça alguma coisa - qualquer coisa -, estou me colocando acima dele e, desta maneira, agindo de forma errada.

"Aprendi que quando exijo que Deus faça qualquer coisa, estou me colocando acima dele e, desta maneira, agindo de forma errada"

Quando oramos, quando desnudamos nossos corações diante dele, enxergamos quão manipuladores e controladores somos capazes de ser. Aí, também reconhecemos quão gracioso ele é para perdoar nosso orgulho de pensar que somos nós, e não ele, quem sabe o que é o melhor. Quando as mães oram há valor para a comunidade da fé.

Minha família está espalhada por três continentes. Não passa um dia sequer que não acorde pensando no bem-estar do meu filho e da minha filha, os dois agora jovens adultos, e na minha mãe que, este ano, deverá completar 80 anos. Imagino como meus filhos estão indo nos estudos, nas amizades, no relacionamento com Deus e também na lida cotidiana de minha mãe idosa.

No entanto, não carrego estas preocupações sozinha. Pertenço a uma comunidade de fé com a qual meu marido e eu dividimos nossos fardos. Os irmãos da igreja perguntam-nos regularmente se temos notícias da "filhota" no Oriente Médio, se o "garoto" nos Estados Unidos conseguiu emprego para trabalhar após a formatura que está se aproximando e se a "mãezinha" continua trabalhando e ativa em suas atribuições na igreja. E mesmo quando não tenho notícias animadoras para compartilhar, sempre sou abençoada ao conversar e orar com aqueles que me amam e, por tabela, também amam os meus queridos.

No Conselho de Missões da nossa igreja local, há uma grande ênfase na oração específica por nossos missionários. Temos famílias trabalhando entre os povos indígenas, implantando igrejas no Rio Grande do Sul e no Nordeste, cuidando de órfãos em Moçambique, trabalhando na Espanha e Ásia etc. Todo mês, a primeira parte da reunião é dedicada totalmente à oração pelos missionários, suas famílias e seus ministérios. Os homens e as mulheres que fazem parte deste conselho, do qual também meu marido participa, são tão impactados pelo amor de Deus e pelas necessidades do campo quanto os missionários pelos quais intercedem. Realmente, quando oramos com outros do Corpo de Cristo, é como se nossas preocupações se tornassem também deles.

Então, qual é o valor da oração de uma mãe? De fato, é inestimável pois, à medida que oramos, estamos abrindo mão de nossos filhos, de nossa família e de tudo que temos nesta vida, descansando na providência de Deus e, assim fazendo, ganhamos Cristo. "Mais do que isso, considero tudo como perda, comparado com a suprema grandeza do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor, por quem perdi todas as coisas. Eu as considero como esterco para poder ganhar Cristo e ser encontrado nele, não tendo a minha própria justiça que procede da Lei, mas a que vem mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus e se baseia na fé" (Filipenses 3.8-9).

Que melhor herança existirá para podermos passar a nossos filhos, netos e bisnetos do que vivenciar diante deles a dádiva da vida eterna em Jesus, com sua alegria abundante e paz que excede todo o entendimento?

Sugestão de leitura Oração, de Jorge Linhares (Getsêmani)

Estefânia Kraft é missionária do Serviço de Evangelização para a América Latina. Mora no Brasil há 15 anos com seu marido, Lourenço. São integrantes do Projeto Brasil 2010, movimento de implantação de igrejas no país.

Fonte: Lar Cristão


publicado por institutogamaliel às 17:22
tags:


Mulheres que fazem história


A história que Deus está escrevendo é feita através da história de pessoas que não possuem muitas qualificações. A história de Deus é uma loucura para o mundo e é sobre a história de quatro mulheres na vida de Jesus que queremos contar.


I. Uma História de Justiça - Tamar (Gn 38)

A. Esta história não tem nenhuma relação com o contexto. No Cap. 37 José tem um sonho e no Cap. 39 José foi vendido ao Egito por causa dos seus sonhos.

B. O texto fala da prática do Levirato, cf Dt 25.5-10. Se um homem morre sem o seu herdeiro, o próximo irmão deve casar-se com a viuva para um herdeiro ao irmão morto. Seu marido Er que era perverso veio a morrer. Onã não queria deixar um filho para Er, também morreu. Judá prometeu então o seu filho que ainda era novo: "Então, disse Judá a Tamar, sua nora: Permanece viúva em casa de teu pai, até que Selá, meu filho, venha a ser homem. Pois disse: Para que não morra também este, como seus irmãos. Assim, Tamar se foi, passando a residir em casa de seu pai" (11).

C. Neste período morreu a esposa de Judá.

D. Judá toma Tamar como uma prostituta cultual (sagrada) e, depois, informado de que ela está grávida, disse: "Tirai-a fora para que seja queimada". Foi neste momento que ela apresentou os pertences de Judá dizendo que o dono dos mesmos era o pai de seu filho.

E. "Mais justa é ela do que eu". E ela concebeu gêmeos: Perez e Zera.

F. Esta história é uma crítica da moralidade. Aquele que tem tudo e boa reputação na comunidade pode todas as coisas. Tamar, que não pode ser louvada pela sua atitude, não encontra nenhum meio legal de fazer valer os seus direitos. Ela comete o pecado que "as pessoas de bem" condenam, mesmo que elas tenham cometido o mesmo pecado que agora condenam (W. Brueggemann).

G. Tamar mostra que a velha justiça que sanciona a opressão em nome da propriedade não serve para nada. Ela é a sombra Daquele que virá trazendo um nova justiça.

H. De Tamar nascem Acã, aquele que destroi a comunidade e Jesus Cristo, o construtor de uma nova comunidade. A comunidade onde a justiça é marca registrada.

I. "Todavia, um dos anciãos me disse: Não chores; eis que o Leão da tribo de Judá, a Raiz de Davi, venceu para abrir o livro e os seus sete selos" (AP 5:5).


II. Uma História de Fé - Raabe (Js 2, 6; Sl 87.4, 89.10; Hb 11.31; Tg 2.25)

A. 2.1: "De Sitim enviou Josué, filho de Num, dois homens, secretamente, como espias, dizendo: Andai e observai a terra e Jericó. Foram, pois, e entraram na casa de uma mulher prostituta, cujo nome era Raabe, e pousaram ali".

B. Sabedora de que Israel haveria de invadir Jericó, o texto afirma: "Ouvindo isto, desmaiou-nos o coração, e em ninguém mais há ânimo algum, por causa da vossa presença; porque o SENHOR, vosso Deus, é Deus em cima nos céus e embaixo na terra".

C. SALMOS 87: [1] Fundada por ele sobre os montes santos, [2] o SENHOR ama as portas de Sião mais do que as habitações todas de Jacó. [3] Gloriosas coisas se têm dito de ti, ó cidade de Deus! [4] Dentre os que me conhecem, farei menção de Raabe e da Babilônia; eis aí Filístia e Tiro com Etiópia; lá, nasceram.

D. Hb 11.31: " Pela fé, Raabe, a meretriz, não foi destruída com os desobedientes, porque acolheu com paz aos espias"

E. Tg 2: [24] Verificais que uma pessoa é justificada por obras e não por fé somente. [25] De igual modo, não foi também justificada por obras a meretriz Raabe, quando acolheu os emissários e os fez partir por outro caminho?"

F. Raabe é uma simples mulher, que perdida em seus delitos e pecados, encontra uma porta aberta. Uma porta que daria a ela um novo futuro e uma nova vida. Agarra-se a esta porta com fé.


III. Uma História da Providência - Rute

A. Rute 1:15: "Disse Noemi: Eis que tua cunhada voltou ao seu povo e aos seus deuses; também tu, volta após a tua cunhada. [16] Disse, porém, Rute: Não me instes para que te deixe e me obrigue a não seguir-te; porque, aonde quer que fores, irei eu e, onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus. [17] Onde quer que morreres, morrerei eu e aí serei sepultada; faça-me o SENHOR o que bem lhe aprouver, se outra coisa que não seja a morte me separar de ti".

B. Rute é uma estrangeira que agarra-se a Noemi e ao Deus de Noemi porque sabe que é melhor caminhar ao lado daqueles que conhecem a Deus, mesmo que passando por circunstâncias adversas, do que seguir aos deuses do passado.

C. Rute vem a casar-se com Boaz e nasce um filho: "As vizinhas lhe deram nome, dizendo: A Noemi nasceu um filho. E lhe chamaram Obede. Este é o pai de Jessé, pai de Davi".

C. Nesta história vemos que Deus está providenciando em todos os emaranhados da vida. Na viuvez, na fome, na incerteza do futuro, vemos a mão de Deus governando o destino daqueles que fazem parte do seu projeto: a vinda do Messias ao mundo.


IV. Uma História de um Mundo Novo - Maria

A. Lucas 1:26 "No sexto mês, foi o anjo Gabriel enviado, da parte de Deus, para uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, [27] a uma virgem desposada com certo homem da casa de Davi, cujo nome era José; a virgem chamava-se Maria.
[28] E, entrando o anjo aonde ela estava, disse: Alegra-te, muito favorecida! O Senhor é contigo. [29] Ela, porém, ao ouvir esta palavra, perturbou-se muito e pôs-se a pensar no que significaria esta saudação. [30] Mas o anjo lhe disse: Maria, não temas; porque achaste graça diante de Deus. [31] Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem chamarás pelo nome de Jesus. [32] Este será grande e será chamado Filho do Altíssimo; Deus, o Senhor, lhe dará o trono de Davi, seu pai; [33] ele reinará para sempre sobre a casa de Jacó, e o seu reinado não terá fim. [34] Então, disse Maria ao anjo: Como será isto, pois não tenho relação com homem algum? [35] Respondeu-lhe o anjo: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te envolverá com a sua sombra; por isso, também o ente santo que há de nascer será chamado Filho de Deus".

B. Maria, uma simples jovem, que recebe de Deus a mais extraordinária das notícias e responde a esta invasão da sua vida com estas palavras: "Aqui está a serva do Senhor; que se cumpra em mim conforme a tua palavra. E o anjo se ausentou dela".

C. Ela é a bem-aventurada entre todas as mulheres. Ela é a mãe do nosso Senhor Jesus Cristo.

D. Maria é a serva de Deus que reconhece no Senhor a sua soberania e entrega-se totalmente aos mistérios divinos. Ela sabe que Deus faz todas as coisas certas.


V. Quatro Mulheres

Tamar - aquela que espera que justiça seja feita.
Raabe - aquela que crê na fidelidade de Deus.
Rute - aquela que crê nas providências de Deus.
Maria - aquela que crê que Deus sabe o que está fazendo.


VI. Aprendendo com estas mulheres

A. Aprendemos que Deus não olha para as nossas fraquezas ou limitações.
B. Aprendemos que as nossas fraquezas ou limitações não impedem que Deus nos use para o mover da sua história no mundo.
C. Aprendemos que para fazer parte da história de Deus é preciso um ato de fé, um gesto de coragem, uma atitude determinada. É preciso romper com o convencional e crer que Deus é soberano em todas as coisas.


Conclusão

Estes momentos foram decisivos na história do nascimento de Jesus Cristo.
Hoje, as mulheres que são herdeiras de Tamar, Raabe, Rute e Maria, continuam escrevendo a história de Deus no mundo através de suas vidas dedicadas ao Senhor Jesus Cristo.

Fonte: Desconhecida

Via: FILADÉLFIA - http://filadelfiaaigreja.blogspot.com/


publicado por institutogamaliel às 17:21
tags:


"Pensava que ser bonita era algo inalcançável para uma mulher comum como eu."

Por Shea M. Gregory


Quando eu era uma menininha, pensava que agente ficava em uma fila no céu para requerer a nossa vida.

Imaginei um anjo grande com imponentes asas me dizendo: “você irá se tornar uma mulher. Muito bem, o que você gostaria de ter? Pernas bonitas? Fama? Dinheiro?

Inocentemente, respondi a ele, “se for possível, senhor, eu queria ter... uma personalidade peculiar”. Então, sem tempo para reconsiderações – zap! – eu nasci e aqui estou.

Uma vez eu perguntei ao meu irmão se ele me achava bonita, ele me olhou por trás da partitura e disse para eu sair. “Darnell, é sério”. Então, comecei a choramingar. “Eu sou bonita?” A única forma de me tirar dali era me respondendo, ele tomou fôlego, olhou nos meus olhos e começou a tocar.
“Seu rosto está bem”, disse enfim. “Você tem uma personalidade única. Você está bem”.

“O que significa isso?”, minha voz cresceu. “O que você está dizendo, é que sou uma gorda que age como uma idiota?”.

“Não foi isso o que eu disse”, falou calmamente e voltou a tocar.

“Não é isso o que você disse? É exatamente isso o que você disse!”, aí eu cuspi nele. “Você disse que nenhum homem vai me querer porque eu sou feia e estúpida. Eu quero ver você jurar então!”

Bem, esta foi minha vida. Eu sempre lutei contra complexos de feiúra e inadequação. Minhas amigas tinham boa aparência, tinham belas pernas, e dentes bonitos. Elas me convidavam para a gente se reunir. Eu me reunia era na bandeja de fruta de Natal. Elas se tornaram rainhas de festa e líderes de torcida, enquanto eu me afundava cada vez mais, sonhando ser modelo, esperando acordar bonita.

Até que um dia conheci Jesus. Uma amiga tinha me convidado para ir à igreja. Enquanto eu cantava em coral com outras pessoas, fui tomada por um sentimento de culpa e indignidade. Como esse Deus sobre quem eu estava cantando podia amar uma gorda feia como eu? Mas durante o culto descobri que Deus verdadeiramente me amava – exatamente como eu sou.

Naquele dia aceitei o amor e o sacrifício de Deus por mim. Por várias vezes tive a certeza de que Ele me amava mais do que eu podia imaginar e que eu era bonita do modo que mais importava – por dentro.

Mas meus sentimentos negativos não desapareceram imediatamente. Às vezes, eles surgiam intensamente, mas eu lutava para expulsá-los, encontrava com as minhas amigas Diana e Leona para almoçar, por exemplo.

Eu tinha trinta e poucos anos, tendo minhas primeiras experiências sexuais, solteira, e doente. Aquele não foi um bom dia. Nós almoçamos num restaurante local e o tema da conversa logo mudou para homem.

“E então, como o Eugenio está?”, perguntou a Diana.

Leona gesticulou a mão. “Oh, por favor, não”, ela respondeu.

“Você não tem mais visto ele?”, perguntei.

“Garota, isso foi há duas semanas”, ela respondeu. “E não estávamos apaixonados, estávamos só nos conhecendo”.

“Oh”, dissemos Diana e eu juntas.

“Não, mesmo.”, enfatizou Leona, e começou a listar os homens que ela conheceu recentemente.

“O que eu queria saber é quando e onde você conheceu esses caras?”, perguntou Diane.

Leona olhou seriamente, como se não estivesse gostando daquilo ali. Eu já estava na borda da minha cadeira, pronta para fazer algumas anotações. Na primeira oportunidade, eu corri pro banheiro e anotei tudo em um papel de banheiro. Ela pegou um pedaço do seu sanduíche e o comeu com concentração.

“Por favor , responda a pergunta”, pensei comigo. Estava segurando minha respiração. Meu pensamento pendia entre a resposta da Leona e o bife no prato. Ela demorou muito. Peguei e coloquei seu prato no outro lado da mesa. “Conta tudo!”, falei.

Leona se irritou como se eu estivesse querendo machucar seus sentimentos, até que ela virou seus olhos. Ela nunca teve aquele olhar antes. Era feio. Meu olhar exalava inveja. Isso expôs meu desespero e meu anseio, sentimentos que toda mulher cristã necessita para crescer. Eu já estava cansada de ser uma pessoa de hábitos estranhos. Eu queria um homem.

“Onde estão os homens? Como arranjar um?”, cochichei.

Leona lambeu os beiços, mas me mantive firme. Sem informação, sem sanduíche.

Eu venci.

“Vocês sabem como isso é”, ela disse, “você sai para a rua e um homem te convida para sair”.

“Hum”, respondi. Obviamente, eu morava no bairro errado. Olhei para Diane. Ela lembrou que estava de boca cheia e fechou.

“Vocês sabem como são essas coisas”, continuou Leona. “Hoje em dia você não pode sair andando por aí que um homem pára pra falar com você”.

“Não, Leona”, disse, “eu não sei como são essas coisas”.

“Ah, vocês sabem sim”, ela insistiu.

Eu reparei em Leona. Ela estava toda bonita da cabeça aos pés. Seus movimentos eram suaves e naturais, sua voz macia e sutil. Seu cabelo estava todo no lugar, e suas roupas caiam muito bem. Eu tentei lembrar a última vez que fui ao salão e pensei no sutiã velho que eu estava usando, preso com um alfinete. Achei muito inadequado.

“Os homens te chamam pra sair toda vez que anda na rua?” perguntei a Diane, enquanto voltávamos pra casa.

“Não”.

“Nem a mim. Você acha que eu deveria mudar de rua?”

Minha amiga me olhou com atenção. Aquele olhar me lembrou muito meu irmão.

Ao nos despedirmos, tive uma idéia. Isso me surgiu do nada, como uma vontade de comer chocolate. Eu corri para casa e entrei no quarto, me despi, e fiquei ali, nua na frente do espelho. Depois do choque inicial, eu examinei meu corpo por cada ângulo que se possa imaginar, procurando encontrar minha melhor parte. “Se eu conseguir acentuar o que tenho de melhor, serei chamada para sair a todo tempo”, pensei comigo. Contudo, finalmente me vesti, prestando um favor à humanidade.

Com a auto-estima abalada, curvei minha cabeça e estava pronta para me jogar na cama em desespero, quando vi minha bíblia perto do travesseiro. Eu abri no Salmo 139, “por modo assombrosamente maravilhoso me formaste”, versículo 14.

“Eu sei Deus, mas...”, comecei a protestar. Depois, as palavras de 1 Samuel 16 me vieram à mente, “O homem vê o exterior, porém o SENHOR, o coração”.

Fiquei pensativa por alguns momentos, depois, hesitante. Levantei e tornei a me reparar no espelho. “Bem Senhor”, eu disse olhando para o meu nem tão perfeito corpo, aquela ampla imagem, “a tua palavra diz que eu sou especial, então devo ser mesmo”. Fiz uma pequena oração de agradecimento e fui fazer a melhor coisa que poderia fazer naquele momento. Fui fazer compras.

Leona está casada agora. Ela diz que estava simplesmente andando na rua. “Vocês sabem como é o centro da cidade, você passa por uma loja e os rapazes saem, eles te chamam para sair; te chamam para casar. Então, um dia...”

Eu andei por aquela rua centenas de vezes e nenhum dono de loja ou balconista me perguntou alguma coisa, nem mesmo que horas eram. Foi difícil, mas acostumei o meu ser a encarar a realidade. Eles deviam estar ocupados com clientes quando eu passava por lá. Com certeza, eles nunca tinham lido 1 Samuel antes.

Perguntei ao meu irmão recentemente. “Darnell, eu sou bonita?”

Ele sorriu. “Você é uma pérola preciosa, uma linda e adorável mulher”, ele disse.

Você não tem idéia do quanto nós melhoramos nesses anos.


Copyright © 2009 por Christianity Today International

(Traduzido por Yuri Nikolai)

Fonte: Cristianismo Hoje
http://www.cristianismohoje.com.br
publicado por institutogamaliel às 17:20
tags:



X é uma mulher sofrida. Casada há muitos anos, ela sofre os maus tratos de um marido que bebe descontroladamente e depende dela para tudo, inclusive para seu próprio sustento. Disse-me que está cansada. "Vai ser assim pelo resto da vida?", perguntou ela em tom de desespero.

Outra mulher é jovem, recém saída da lua de mel. Disse-me que não reconhece no marido o moço com quem se casou. "De repente, ele só quer saber de trabalhar, trabalhar. Parece que nem pensa mais em mim. Antes, conversávamos horas seguidas, por telefone ou em pessoa. Agora, ele gruda na televisão quando chega em casa e eu fico querendo conversar, sem ter com quem."

Uma mulher solteira chora por não ter encontrado alguém que a ame e a eleja como sua companheira. Outra, casada, chora porque sente-se mais solitária agora que é casada do que quando era solteira.

Relacionamentos! Não podemos viver sem eles e não conseguimos viver bem com eles.

Os problemas entre as pessoas começaram assim que o primeiro casal escolheu afastar-se dos propósitos de Deus e seguir seu próprio caminho. O clima de harmonia, companheirismo, compreensão e aceitação enlevada das diferenças que havia entre eles foi vergastado pelo vento frio do medo, da vergonha, das acusações e das desculpas. E foi essa a herança que eles legaram a todos os seres humanos que vieram depois deles.

Entretanto, não foi assim que fomos feitos para viver. Nosso coração anseia profundamente pelo amor e pela apreciação de que precisamos para nos tornar pessoas completas, realizadas. O que nos leva ao relacionamento mais íntimo que existe, o casamento, é a esperança de que o outro seja quem vai nos dar tudo isso. Esses anseios profundos se manifestam na vida das pessoas na forma de um vazio, uma inquietação, um senso de solidão que as leva na direção do outro, na esperança da plena satisfação dessas necessidades. Não há nada errado com esses anseios. Deus nos criou assim, para viver a dois, e Seu plano não mudou depois que o pecado tomou conta da vida dos seres humanos. O que mudou com o pecado é a maneira como buscamos satisfazer as nossas necessidades básicas como seres humanos.

Compelidos por elas, buscamos uma maneira de forçar outra pessoa igualmente carente a nos dar aquilo que queremos, usando para isso todo tipo de manipulação. Cobramos, criticamos, corrigimos, isolamos, gritamos, choramos. E quando nada disso funciona, achamos que a solução é abandonar o barco e procurar a satisfação em outro relacionamento.

Problemas nos relacionamentos começaram com o primeiro casal e já eram bem conhecidos quando Jesus viveu na Terra. Por isso, quando alguns fariseus tendenciosos questionaram o Mestre qual seria o motivo válido para o divórcio, Ele respondeu à pergunta rementendo-os ao princípio de tudo, ou seja, à intenção criadora de Deus.

"Não tendes lido que o Criador, desde o princípio, os fez homem e mulher e que disse: Por esta causa deixará o homem pai e mãe e se unirá à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne?" (Mt 19:4-5)

Citando o livro de Gênesis, Jesus mostrou aos seus questionadores que a solução para os problemas do casamento não se encontrava na lei do divórcio, mas, sim, na compreensão e aplicação daquilo que Deus planejou para a vida a dois. Somos chamados a ministrar um ao outro o grande amor e a graça de Deus pelas pessoas através da nossa feminilidade e masculinidade. Fomos especialmente capacitados para isso, mas, como no jardim do Éden após o pecado, a nossa maneira diferente de ser, hoje distorcida, nos separa em vez de prover a forma mais perfeita de intimidade entre dois seres humanos.

Já disse um autor, muito sabiamente, que "o amor e o casamento são os meios mais poderosos de que o Pai celestial dispõe para transformar suas criaturas insensatas em filhos e filhas. Mas, em muitos casos, as conseqüências imediatas são tão diversas das desejadas e esperadas que muita gente tem dificuldade em acreditar que Ele está de alguma forma promovendo o seu bem. E essa dúvida seria razoável se o objetivo final das coisas fosse o casamento. Mas o objetivo final é vida ? que possamos nos tornar filhos de Deus, após o que todas as coisas correrão seu curso grandioso e natural".

Sim, o casamento é uma ferramenta poderosa nas mãos de Deus para nos transformar em filhos e filhas. Devido à própria proximidade que esse relacionamento produz, é dentro dele que vamos sofrer as maiores dores, as mágoas mais profundas que alguém possa nos causar. É dentro dele que nos tornamos mais conhecidos, e por isso mesmo, mais vulneráveis. Mas Deus já sabia de tudo o que enfrentaríamos e veio ao nosso encontro na nossa vulnerabilidade, ensinando o melhor caminho para revertermos a situação que hoje vivemos e provendo um exemplo claro para seguirmos. Esse exemplo, tanto para os maridos quanto para as esposas, é o próprio Senhor Jesus.

Em 1 Pedro 3:1-7, temos instruções bem simples e claras tanto aos maridos quanto às esposas. Ao se dirigir a cada um dos dois, o apóstolo começa usando a palavra "igualmente": "Mulheres, sede vós igualmente submissas a vosso próprio marido?" e "Maridos, vós, igualmente, vivei a vida comum do lar com discernimento?." (O grifo é meu.) Ora, igualmente a quê ou a quem?

No trecho que antecede essas ordens (o verbo está no imperativo, portanto é uma ordem, não um pedido ou sugestão), o autor está falando de Jesus: "Porquanto para isto mesmo fostes chamados, pois que também Cristo sofreu em vosso lugar, deixando-vos exemplo para seguirdes os seus passos" (2:21). Jesus sofreu calado, sem revidar, sem fazer ameaças. Mas não apenas isso. Ele se entregava nas mãos daquele que julga retamente" (2:23).

Esse é o segredo da atitude de Jesus. Ele sabia que Deus o defenderia e cuidaria Dele. E é o Seu exemplo que temos para seguir, tanto maridos quanto esposas. A mais triste e difícil situação que alguém possa estar vivendo no casamento é um instrumento nas mãos de Deus para moldá-lo e transformá-lo. Ele não promete restaurar todos os relacionamentos, mas promete que, se nos entregarmos em Suas mãos, Ele mesmo nos defenderá e ajudará (Isaías 50:7-9).

Como o exemplo de Jesus serve de orientação para os maridos? É só ver a maneira como Ele sempre tratou as mulheres com quem se relacionou ? com dignidade, respeito, compreensão, firmeza e carinho. Em uma palavra, Ele as tratava como iguais, igualmente responsáveis diante de Deus por suas ações. Assim, Ele não passava a mão em suas cabeças quando estavam erradas, não! Antes, lhes ensinava a buscar o que tinha realmente valor. Conhecendo sua preocupação natural com as coisas do dia a dia, como acontecia com Marta, Ele apontou o lugar do importante antes do urgente. As pequenas obrigações podem roubar às mulheres o privilégio de estar cultivando as coisas do Espírito.

A samaritana, uma mulher sofrida, de vida no mínimo atrapalhada, Jesus tratou com toda a dignidade. Foi a ela que Ele primeiro se revelou como o Messias prometido, conversando com ela sobre coisas profundas e importantes, no pleno conhecimento de que ela, uma mulher rejeitada por todos, tinha capacidade para entender as verdades espirituais de que lhe falava.

Jesus não condenou a mulher apanhada em adultério, mas tratou-a como uma pessoa responsável por suas prórias decisões, perdoando-a e exortando-a a mudar de vida.

Jesus entendia perfeitamente as mulheres. Afinal, Ele as fez como são. Sabe que elas foram feitas diferentes dos homens de propósito - e um propósito bom. Ele quis que existíssemos como homens e mulheres, diferentes mas complementares. Também entendia as distorções que o pecado causou em Suas criaturas. Por isso Ele as tratou sempre com respeito, compaixão, compreensão e firmeza, perdoando seus pecados, levando seus fardos, aquietando suas ansiedades e as encorajando a ser tudo o que as fez para ser, oferecendo-Se para lhes saciar a sede com um amor perfeito e eterno.

Essa é a compreensão que o apóstolo Pedro exorta o marido a ter quando lhe diz que deve viver dentro de casa com discernimento, com compreensão dessas verdades. E tem mais. Ele avisa os maridos que, se não tratarem suas esposas como co-herdeiras da graça de Deus, suas orações serão interrompidas! Trata-se, pois, de uma questão de ordem espiritual.

O apóstolo Paulo diz aos maridos que amem suas esposas como Cristo amou a igreja, dando Sua vida por ela (Ef 5:25). O verbo amar, usado pelo apóstolo Paulo, vem do grego agapao que significa afeto benevolente, amor doador, sempre voltado para o bem da pessoa amada. Amar assim é agir em favor do outro mesmo sem receber nada em troca. Essa é a palavra usada para falar do amor do Deus que é amor. Deus ama porque Ele é amor! Não se trata, portanto, de um amor natural ao ser humano pois nós não somos amor. Antes, precisamos dele como algo essencial à nossa natureza. Então, como o marido pode amar assim a sua esposa?

Quando o amor sobrenatural de Deus encher seu coração, ele estará capacitado a olhar para a esposa pelos olhos amorosos do Senhor.

O amor que Jesus teve para com a igreja tinha um objetivo claro: santificá-la, purificá-la, torná-la gloriosa, sem mancha nem ruga, porém perfeita. Olhe só o potencial do amor do marido na vida da esposa! É o amor que provê para as necessidades dela, tanto físicas quanto emocionais e espirituais. É o amor que a protege contra ataques e acusações externos e muitas vezes até mesmo de suas próprias características femininas distorcidas pelo pecado. É o amor que a liberta para ser tudo que Deus a fez para ser, promovendo seu aperfeiçoamento como pessoa. É o amor que honra e edifica.

A mulher que for amada dessa forma sentir-se-á como uma rainha e tratará seu marido como um rei.

E às esposas, que exemplo Jesus deu? A ordem que as esposas recebem de serem submissas a seus maridos pode parecer mais dura do que a dada aos maridos, mas realmente não é. Se pensarmos bem, amar com o amor agape significa dar a vida pelo outro. E submeter-se a alguém significa dar a vida pelo outro. E o exemplo das duas coisas é o Senhor Jesus. Ele não nos pede nada que já não tenha feito por nós.

Jesus é a demonstração perfeita do que é submissão. Ele mesmo nos diz o que ser submisso significava para Ele: "Por isso o Pai me ama, porque eu dou a minha vida para a reassumir. Ninguém a tira de mim; pelo contrário, eu espontaneamente a dou. Tenho autoridade para a entregar e também para reavê-la. Esse mandato recebi de meu Pai" (Jo 10:17-18). Se Jesus não tivesse optado por entregar Sua vida por nós, ninguém O teria podido matar. E Ele diz que o fazia espontaneamente. Essa é chave da verdadeira submissão.

Ninguém pode obrigar uma esposa a ser submissa, nem dando com a Bíblia na cabeça dela, porque a verdadeira submissão é interior, é uma atitude do coração. É também uma questão espiritual, pois depende de uma confiança total em Deus para entregar-se em Suas mãos.

Mas é claro que vamos descobrir bem depressa que, mesmo sabendo todas essas coisas, nosso coração vai se revoltar muitas vezes contra o que Deus nos ordena fazer como maridos e esposas. "Ah, essa não! O Senhor não conhece a minha mulher!" "O Senhor deve estar brincando! Sabe o que acontecerá se eu abaixar a cabeça para ele?"?.. E assim por diante.

Quantas vezes, como esposa, submeter-me ao meu marido parecia uma agressão contra mim mesma, uma negação de quem eu era. Até que descobri que o exemplo de Jesus tinha um segredo. Ele não apenas sofreu calado, engolindo todas as afrontas e abaixando a cabeça diante de autoridades que tinha poder para pulverizar com um olhar. Antes, pôde ser-lhes submisso porque "se entregava nas mãos daquele que julga retamente." Estava fazendo o que Deus lhe pedira, de coração, porque sabia que podia confiar em Seu Pai. E era o próprio Pai quem O capacitava a obedecer, num entrosamento perfeito de vontades e propósitos: "Eu nada posso fazer de mim mesmo; na forma por que ouço, julgo. O meu juízo é justo porque não procuro a minha própria vontade, e, sim, a daquele que me enviou" (João 6:30).

Quando permitimos que o Espírito que em nós habite nos ensine a viver com a mesma atitude de Jesus, Ele usará todas as circunstâncias pelas quais tivermos de passar para nos moldar à imagem do Senhor Jesus. Não é ao meu marido que estou sendo submissa, mas a Deus. Se para isso eu tiver de entregar algumas coisas que me são muito importantes, tenho de pensar em Jesus e no que Lhe custou a obediência ao Pai ? a própria vida.

Assim, é à entrega da vida um pelo outro que somos ensinados a viver no relacionamento conjugal. Por ser o lugar que permite a maior intimidade possível entre os seres humanos, é também onde seremos mais fortemente provados em nossa obediência a Deus. Mas quando, como Jesus, nos entregamos nas mãos Daquele que julga retamente, podemos obedecer tranqüilamente e deixar as conseqüências com Ele.

Fonte: Site de Wanda Assumpção
publicado por institutogamaliel às 17:19
tags:


Se o casal tem uma vida em harmonia, vale à pena tentar resolver o problema

Tem sido frequente a procura de terapia por casais com esta queixa: perguntam se é saudável manter um casamento onde não há atração sexual pelo parceiro. Tudo é bom na vida a dois: são amigos, adoram viajar juntos, criam os filhos com harmonia, têm uma vida social gostosa, dividem as tarefas de casa, possuem planos em comum... mas não existe sexo.

Essa é uma questão bastante delicada e de difícil acesso, já que ninguém gosta de admitir que não sente mais atração pelo cônjuge. Se for da parte de ambos, até fica mais fácil. Muitas coisas podem estar em jogo: como o casal conduz a vida sexual? Conseguem conversar abertamente a respeito de suas preferências e suas queixas ou calam-se, fechando-se em seu mundo próprio, com medo da reação do parceiro? Ambos estão satisfeitos com a vida sem o sexo ou apenas um deles não se importa?

Afinal, essa vida corrida que levamos muitas vezes nos confunde, pois o cansaço e a correria do dia-a-dia não nos permitem ficar o tempo que gostaríamos à vontade com o parceiro, ou mesmo sair para fazer programas gostosos e estimulantes para a vida íntima do casal, enfim, somos tragados pelos afazeres em geral, pelo excesso de responsabilidades, pelas horas passadas no trânsito ou pela criação dos filhos.

E será que tudo isso justifica a ausência do sexo no casamento? Quando os casais me perguntam se isso é normal no decorrer do casamento, devolvo a pergunta com outra: vocês estão incomodados com essa situação ou está tudo bem? Porque há quem não se importe com o sexo, casais que ficam muito bem mantendo relações apenas esporadicamente, e aí, quem pode julgá-los ou criticá-los? Passada a paixão inicial, é esperado mesmo que a frequência sexual diminua. O comportamento anormal é quando a relação sexual acaba por completo.

Uma relação de casamento envolve outros aspectos além do sexo, como companheirismo, apoio mútuo, amizade, projetos em comum, sentir-se bem na companhia do parceiro, confiança, estímulo profissional e pessoal entre eles, harmonia familiar, admiração e respeito, entre outras coisas. Percebendo essa relação, muitos me perguntam: "bem, se não há sexo então é uma relação de amizade?" Isso não é verdade na maioria dos casos.

Cada relação é única, cada história construída envolve aspectos diferentes a serem levados em conta. Então, não nos apeguemos ao que as pessoas consideram ser certo ou errado, mas sim ao que faz mais sentido para nossa história pessoal.

Se você está num casamento onde tudo é gostoso, mas falta o sexo, está em suas mãos decidir o que fazer. Às vezes é apenas uma questão de olhar mais para isso, voltar a cuidar dessa parte que foi esquecida, reacendê-la com vontade, investir na intimidade do casal que ficou em segundo plano.

De repente vai se surpreender com o que pode encontrar! Bem, se sente que a ligação entre vocês já esfriou ao ponto de não fazer mais sentido, está sofrendo apenas para segurar algo que já acabou - e o sexo é um sinal disso -, então vale a pena procurar ajuda. Lembre-se de que você é responsável pelas escolhas que faz em sua vida. Podemos escolher permanecer no conhecido ou nos arriscar em novas experiências. Boa sorte!

Fonte: Minha Vida
publicado por institutogamaliel às 17:18
tags:



Você já sentiu ciúmes de algum colega de trabalho do seu companheiro? Saiba que 9 entre 10 pessoas confessam que, em algum momento, já sentiram uma pontinha de ciúme só de pensar que o maridão (ou a esposa) trabalha com aquela bonitona. O ambiente profissional é onde passamos a maior parte do nosso tempo. Exatamente por isso é muito comum que os laços de amizade se estreitem entre colegas de trabalho.

Não é surpresa que por isso aconteça, vez ou outra, de o cônjuge se sentir um pouco enciumado, já que seu companheiro acaba compartilhando de momentos diários com seus colegas, como almoços, visitas a clientes, reuniões até tarde e até happy hour.

A importância de entender que esses momentos são necessários para o convívio profissional de seu companheiro é enorme. Atenção: antes de continuar, preciso explicar que não estou isentando os espertinhos de plantão que aproveitam dessas desculpas para trair seus companheiros. Salvo essas exceções, é cada vez mais comum que alguns profissionais utilizem de momentos sociais para estreitar o relacionamento com seus colegas de trabalho e inclusive com clientes, fornecedores e colegas de profissão. Entender e respeitar esse direito do seu companheiro é o mesmo que ajudá-lo em seu desenvolvimento profissional e preservar o seu próprio relacionamento amoroso.

Se você puder participar de alguns desses momentos, como no caso de happy hour, aproveite para também se aproximar dos colegas do seu companheiro. Será ainda mais fácil entender que a relação entre eles é profissional e nada mais. Por outro lado, faça o mesmo com as suas relações profissionais. Marcar encontros em cafés, bares, ou festinhas de aniversário é extremamente saudável para o fortalecimento da relação entre pessoas que convivem diariamente. Faça isso por você e não implique quando seu companheiro fizer o mesmo.


-------
* Virgínia Magalhães é jornalista, responsável pelas áreas de marketing, comunicação e assessoria de imprensa da DeBernt Entschev Human Capital. Escreve sobre carreira para o Meia Fina sempre às 4as. feiras.

Fonte: Meia Fina
publicado por institutogamaliel às 17:17
tags:


(Para Casados e Solteiros)


Muitas vezes um casamento vai bem, e acaba abalado por causa de um relacionamento inesperado com uma terceira pessoa. Começa de maneira inocente e agradável, torna-se cada vez mais envolvente. Por fim, traz complicações e desgraças para muita gente.


Não foi um acidente ou "um grande amor que surgiu". Foi um relacionamento do qual o casamento deveria ter sido protegido. Não seja ingênuo pensando que isto só acontece com os outros. Muita gente boa já caiu exatamente por ser ingênua assim. Lembre-se de 1 Coríntios 10.12. Por isso, proteja eu casamento... Eis algumas dicas:


Tenha bom senso com suas companhias

Evite gastar tempo desnecessário com alguém do sexo oposto. Muitos casos surgem por não se agir assim. Um executivo precisa de aulas particulares de inglês e contrata uma jovem professora. Contrate um homem. Não significa que cada contato com alguém do sexo oposto seja porta para o adultério. Significa evitar oportunidades para cair. Companhia contínua cria intimidade. Intimidade com o sexo oposto traz problemas.


Tome cuidado com as confidências

A pessoa mais íntima de alguém deve ser seu cônjuge. Segundo a Bíblia, são “uma só carne”, isto é, uma só pessoa. Se há aspectos de seu relacionamento que você não pode compartilhar com esposo(a) e compartilha com alguém do sexo oposto, a coisa está ruim. As pessoas tendem a se solidarizar com quem sofre e a proximidade emocional se torna perigosa. Um homem que se queixa de sua esposa para outra mulher está traçando um caminho perigoso. Isto vale para quem faz e para quem ouve confidências.


Evite momentos a sós

Decida não ter momentos privados com alguém do sexo oposto. Se um(a) colega de trabalho pedir para ter um almoço com você, convide uma terceira pessoa. Se necessário, não se constranja em compartilhar os limites que você e seu cônjuge concordaram ter no seu casamento. É melhor ser visto como rude que vir a cair em pecado.


Vigie seus pensamentos

Cuidado com o que pensa. Se você só se detém nos defeitos de seu cônjuge, qualquer outro homem ou mulher parecerá melhor. Faça uma lista das coisas que inicialmente lhe atraíram em seu cônjuge. Aumente o positivo e diminua o negativo. Evite filmes, conversas, sites e literatura que apologizam o adultério. Lembre de Colossenses 3.2.


Evite comparações

Um homem trabalha com uma mulher perfumada, maquiada, bem vestida. Em casa encontra a esposa, com criança no colo, cabelo desfeito, banho por tomar. Uma mulher encontra um homem compreensivo com quem pode se abrir, e se sente mais à vontade com ele do que com o esposo. Ignoraram situações e contextos diferentes. Foram iludidos pelo irreal. Lembre-se do pródigo: o mundo lhe era fascinante, mas terminou num chiqueiro. As aparências iludem, porque o mundo em que vivemos em casa é o real. O mundo de relacionamentos fora de casa é sempre artificial.


Evite a síndrome do retorno

É a idéia de que a vida sentimental e sexual caiu na rotina, e agora, a pessoa “renasceu”. Já vi inúmeros casos assim: “Eu renasci”, ou “Eu me senti jovem de novo”. Não banque o adolescente. Você é um adulto com responsabilidades e com uma pessoa com quem partilha a vida. Construa sua vida com seu cônjuge. Se sua vida conjugal se “fossilizou”, há outros caminhos. Revigore-a com seu cônjuge. Há pessoas que sempre se fossilizam e pulam de relacionamento em relacionamento, procurando o que não produzem. Temos o que produzimos.


Ponha seu coração no seu lar

A solidez do casamento vem pelo tempo que os cônjuges gastam juntos. Conversas, risos, passeios, programas comuns. Se você não sai com seu cônjuge, marque datas para os próximos meses. Vocês devem ter um ao outro como o melhor companheiro. Mantenham o clima de namoro: querer estar junto com a pessoa. Orem juntos. Dificilmente duas pessoas que oram juntas brigarão entre si. Sejam parceiros espirituais.


Invista em seu cônjuge

O marido da mulher virtuosa é conhecido quando se levanta em público (Pv 31.23). A idéia é que ele está bem vestido e vê o caráter dela pela roupa dele. Uma boa esposa é um bom tesouro (Pv 18.22). De bom tesouro cuida-se e evita-se perdê-lo. Marido: mulher bem tratada é um grande investimento; o retorno emocional é garantido. Mulher: marido bem tratado é um grande investimento; o retorno emocional é garantido.


Busque ajuda

Havendo problemas, busque ajuda. Primeiro em Deus. Lembre-se de Tiago 1.5. Busque orientação de pessoas mais experientes ou de seu pastor. Evite que o problema se avolume. Evite conselhos de gente que não tem o que dizer. Os amigos de Roboão lhe deram maus conselhos (1Rs 12.6-12). Nesta busca de ajuda, evite por mais lenha na fogueira. Evite também raiz de amargura (Hb 12.15). Busque ajuda e não um juiz a seu favor.


Conclusão

Bons casamentos não acontecem por acaso. São produto de muito trabalho e da graça de Deus. Boa parte do trabalho é investimento emocional no relacionamento conjugal. “Vender a alma” para o cônjuge. Mas investir sem proteger é problemático. É preciso levantar cercas contra os problemas externos, porque os internos são mais vistos e os dois os vivenciam. Não permita brechas. Não dê armas ao inimigo.


Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho (www.isaltino.com.br)

Publicação do Jornal Ágape de Limeira-SP – 2ª quinzena de janeiro/2011


Fonte: Internaltas Cristão
publicado por institutogamaliel às 17:16
tags:



Por mais que a chegada de uma criança traga felicidade, a vida de qualquer casal sofre uma avalanche de mudanças – em especial aos pais de primeira viagem. O bebê que acaba de chegar requer atenção, energia, afeto e cuidados específicos o tempo todo. Ao fim do dia pai e mãe estão exaustos -e ainda terão uma madrugada de mamadas que os espera. Como nessa fase a ligação entre a mãe e o bebê é mais forte do que nunca, é natural que o homem, em algum momento, sinta-se excluído, mesmo que nem se dê conta disso.

Para alguns, a compreensão do instinto materno e a certeza de que a fase caótica é passageira ajudam a enfrentar essa nova fase: a prole. Outros têm um pouco mais de dificuldade. Até sentem um pouquinho de ciúme do filho e saudade da antiga silhueta da mulher, mas passa logo. Porém, há recém-papais que se irritam o tempo todo –e sentem-se culpados por isso, já que deveriam esbanjar felicidade. Começam a sentir um cansaço extremo e um pessimismo inexplicável, além de desânimo em relação a qualquer atividade do dia a dia. É a (ainda) pouco falada depressão pós-parto masculina dando as caras.

De acordo com a mestre em psicologia Dorit Verea, diretora da Clínica Prisma – Centro de Tratamento Intensivo para Transtornos Emocionais, de São Paulo, a depressão pós-parto sempre foi estudada como um transtorno unicamente feminino, por questões prioritariamente biológicas. “Porém, as influências psicológicas e sociais que acometem as mães também podem acometer o pai. A doença é caracterizada por uma tristeza profunda que pode aparecer nos três primeiros meses pós-parto e é mais comum em pais de primeira viagem”, explica.

Em um momento em que todas as atenções estão voltadas à criança –e à mãe, em segundo lugar– o homem acaba negligenciado, assim como são subestimadas as suas emoções. No entanto, a doença merece atenção, pois, quanto antes for diagnosticada, mais rapidamente será curada (veja os sintomas na tabela abaixo). Em alguns casos, a essa depressão provoca pensamentos mórbidos ou suicidas e até mesmo o abandono do lar, pela dificuldade de lidar com a situação.


Depressão pós-parto atinge um a cada cinco homens

Ainda pouco falada, a depressão pós-parto masculina existe e precisa de acompanhamento

No caso das mães, as razões da depressão pós-parto podem estar associadas à alteração hormonal, condição psíquica materna, gestação múltipla (situação em que há maior exigência do casal), fertilidade assistida, bebês internados em UTI neonatal etc.

Já no caso dos homens, a ansiedade em prover uma boa vida para a criança, o aumento das responsabilidades e o suporte que se deve dar à esposa estão entre as principais causas do problema.

De acordo com a psicóloga do Einstein, (Sociedade Beneficente Israelita BrasileirA)Dra. Ana Merzel Kernkraut, a depressão pós-parto entre os homens é verificada principalmente do final da gestação até o primeiro ano de vida da criança. O estudo inglês aponta também que aproximadamente 21% dos pais podem sofrer com sintomas de depressão até o primeiro aniversário da criança.

"Na maioria dos casos, percebe-se um agravamento da situação entre o terceiro e o sexto mês de vida do bebê, que tem muito a ver com a convivência e com a nova relação familiar que se estabelece, além da rotina de vida do bebê - despertar noturno para cuidar da criança, maior número de tarefas em casa, além do compromisso profissional", afirma.

De acordo com a psicóloga, outra razão para o desencadeamento da doença nos homens é a mudança na qualidade do próprio relacionamento com as esposas. "Até o nascimento do bebê, a relação contava com apenas duas pessoas. Com a chegada de um terceiro, a atenção passa a ser dividida e o fato pode gerar um problema entre o casal", avalia.

"As mulheres, nesse período, geralmente têm a sua atenção principal voltada para o bebê. Para que não haja desconforto, vai depender da maturidade do casal ultrapassar essa fase de acomodação. Para os homens com esposas com depressão pós-parto, a sobrecarga de responsabilidades também pode ser muito difícil e agravar o problema", explica.

De acordo com o estudo, pais jovens são os mais afetados pela chegada do bebê – geralmente na faixa dos 15 aos 24 anos, assim como aqueles com quadros de depressão anteriores e de classes menos favorecidas.

Os principais sintomas de depressão pós-parto nos homens são: irritabilidade, tristeza, falta de vontade de se relacionar com o outro, choro, falta de apetite e dificuldade de relacionamento com os filhos, inclusive com o recém-nascido.

"A doença geralmente é entendida pela sociedade como uma rejeição à criança, mas não devemos generalizar. Muitas vezes é uma dificuldade de relacionamento que se apresenta e não uma rejeição", afirma a psicóloga.


Diferença entre homens e mulheres

A sobrecarga da mulher com a chegada de um bebê é bastante conhecida e a própria depressão pós-parto na mãe já é mais compreendida pela sociedade. No geral, a responsabilidade do pai é menos valorizada e, por isso, o seu sofrimento pode ser até maior.

"Como ainda é um assunto sobre o qual se conhece menos, um desempenho satisfatório do homem continua sendo cobrado no trabalho, em casa, na vida social, mesmo se ele estiver com um quadro depressivo", esclarece a Dra. Ana Merzel Kernkraut.


As razões por trás da depressão pós-parto na mulher

Caso você tenha vivenciado por alguma das situações a seguir estará propensa a ter depressão pós-parto.

• Um casamento difícil
• Depressão não relacionadas com a sua gravidez
• Ter poucos amigos e familiares desabafar
• Crônica síndrome pré-menstrual
• Eventos estressantes da vida em sua gravidez ou após o nascimento

A causa exata da depressão pós-parto em uma mulher ainda não é conhecida. Há uma grande mudança em seus níveis hormonais durante a gravidez e após o parto.

As alterações hormonais podem causar alterações químicas no cérebro que desempenha um grande papel para causar a depressão pós-parto.


Sobre a depressão pós-parto masculina

1) As Causas

A depressão pós-parto masculina pode ser o reflexo de um medo silenciado de não conseguir cuidar da família (principalmente financeiramente); do futuro; da mulher não voltar à forma física ou não lhe dar mais atenção... “Essa fase suscita várias perguntas na cabeça dos homens: será que vou ser um bom pai? Como educar meu filho? Será que ele gostará de mim? Esse tipo de preocupação pode dar um empurrãozinho para o estresse e a ansiedade, somados a inseguranças, medos... Quando tudo isso foge ao controle, a depressão pode entrar em cena”, avisa a psicóloga Dorit Verea.

É importante ressaltar que existem situações que predispõem ao problema. “Nos casais em que a mulher é acometida da depressão pós-parto, seja o estado psicótico seja o estado depressivo, existe maior chance de o homem reagir com o mesmo problema”, afirma o psicólogo e terapeuta sexual Oswaldo Rodrigues Martins Jr., diretor do Instituto Paulista de Sexualidade (Inpasex), que completa: “Quem já teve fases ou períodos depressivos anteriores, terá mais chances de reagir depressivamente nesta fase.”

2) Peça ajuda

A conversa com amigos e parentes é útil. Por outro lado, cuidado. "Há momentos em que cada um dá um palpite, o que pode piorar a situação. Apenas escute as experiências e converse sobre os seus sentimentos com alguém que vai saber ouvi-lo”, sugere a psicóloga e consultora motivacional Roseana Ribeiro, do Rio de Janeiro.

“Filho é para sempre e a sensação inicial é que nunca mais a preocupação vai lhe deixar em paz. Nada melhor do que o tempo para ajudar a entender que não é bem assim”, pondera. Em suma, dividir os sentimentos é positivo, mas se notar que é necessário mais do que um ombro amigo para conversar, não hesite em procurar ajuda profissional.

"O importante é não permitir que os sintomas persistam. Todo tratamento é mais fácil e rápido no começo”, ressalta Roseana. Uma psicoterapia direcional e de breve período, com duas consultas semanais, é o ideal. O uso de medicação depende das características individuais e psiquiátricas de cada paciente, assim como a duração do tratamento.

3) O papel dela

Em geral, a mulher pode ajudar – e muito – o seu parceiro que não está bem mantendo o alto-astral e mostrando (com exemplos) ao marido que ele requer auxílio especializado. Porém, como os afazeres com o bebê ocupam boa parte de seu tempo, nem sempre a mulher nota o que está acontecendo, por mais sensível que seja.

Amigos e parentes são fundamentais nessa hora, principalmente mantendo as antenas bem ligadas para apatia, desleixo (barba por fazer e roupas sujas, por exemplo) e dificuldade com atividades do cotidiano. Mas dividir o problema com a mulher é bom. Mesmo que ela não tenha notado, não significa que não se importe. Exponha seus sentimentos.

4) Autoconhecimento

Como não é possível, ainda, desprezar a possibilidade de a depressão pós-parto atingir homens com conflitos mal resolvidos relacionados com a companheira e consigo como filho de seu próprio pai, a psicóloga Dorit Verea aconselha aproveitar esse momento complexo para se conhecer melhor.

"Quando estamos numa crise, estamos mais abertos para mudanças. É uma grande oportunidade de resolver conflitos antigos que podem estar atrapalhando a vida da pessoa há anos”, destaca. “Como prevenção, aconselho os candidatos a papai a acompanhar, ao lado da mulher, cada etapa da gravidez. É na rotina de exames, nas conversas com médicos e com outros pais que eles, sem perceber, vão se preparar para o que vem pela frente.”

5) Depoimento de quem viveu

Foi sem avisar que a depressão pós-parto masculina apareceu na casa do empresário carioca Matheus Maggiori, de 31 anos. “Eu queria estar feliz. Na verdade, estava feliz, porque sempre sonhei em ser pai, mas tinha dificuldade em demonstrar, em lidar com as noites mal-dormidas, com o choro do meu filho, com as dores da minha mulher... Só pensava em sumir, em ter de volta a vida de antes”, confessa.

Para o empresário Matheus, foi uma conversa franca com o melhor amigo do trabalho que lhe abriu os olhos. “Ele me disse que eu deveria ir ao médico, pois estava me achando inquieto, nervoso, desatento. Abri o jogo com minha mulher e ela me incentivou a buscar ajuda. Hoje estou curado e curtindo muito as brincadeiras com meu filho de quatro anos”, salienta.


SINAIS DE ALERTA E TRATAMENTO

Procure ajuda médica se mais de três dos sintomas abaixo perdurarem por duas semanas:

• Falta de apetite

• Distúrbios do sono

• Crises de choro

• Falta de atenção

• Lapsos curtos de memória

• Angústia por sentir-se inseguro como pai

• Ansiedade e nervosismo

• Perda da libido

• Luto pela perda da liberdade Falta de interesse (ou prazer) pelas atividades cotidianas

• Pensamentos mórbidos ou suicidas

• Impaciência, irritabilidade e mudanças bruscas de humor

• Dores de cabeça, distúrbios digestivos e dores crônicas

• Aumentar o ritmo de atividades com a finalidade inconsciente de escapar da vida doméstica

"A figura paterna tem um papel muito grande para o filho homem e o estudo mostra também que os bebês do sexo masculino são mais afetados se o pai sofrer com depressão pós-parto".


Psicose pós-parto

Existem também o risco de psicose pós-parto, estimado entre 2 e 4 a cada 1000 partos. Muito mais grave que a depressão, na psicose a perda de contato com a realidade que pode incluir alucinação, delírios, fala desorganizada, humor instável, medo patológico e comportamentos violentos contra si e contra os outros. Pode ser necessario a internação.


Dicas para os pais

Fiquem atentos às alterações de comportamento, como maior irritabilidade, falta de vontade de estar em casa, de auxiliar no cuidado do bebê, entre outras.

Procure um médico para conversar sobre o que está sentindo.

Não menospreze seu sentimento, pois é importante que haja o diagnóstico e tratamento para que você se sinta melhor.


Fontes

• uol - http://estilo.uol.com.br/
• Explicaki - http://www.explicaki.com/
• Albert Einstein (Sociedade Beneficente Israelita BrasileirA) - http://www.einstein.br/
• Wikipédia - http://pt.wikipedia.org/
publicado por institutogamaliel às 17:14
tags:


1) O que vem a ser a virgindade?

2) Porque tem crescido o número de adolescentes e jovens que tem tido experiências sexuais tão cedo?

3) Quando a Bíblia fala a respeito da virgindade, ela se dirigi ao homem também?

1) O que vem a ser a virgindade? R: Virgindade ?Estado de pessoa virgem, isto é que nunca praticou um ato sexual, estando puro, intacto, que nunca foi usado;inexplorado. 2) Porque tem crescido o número de adolescentes e jovens que tem tido experiências sexuais tão cedo? R: Conforme pesquisa que realizei durante um ano entrevistando jovens mães (adolescentes e jovens) cheguei a conclusão que existe ainda uma lacuna quando o assunto em pauta é virgindade. Entendo que a família tem a maior porcentagem de responsabilidade em educar e ensinar os filhos, porém a Igreja também tem uma parte na responsabilidade em orientar o jovem, pois a Bíblia Sagrada nos revela claramente a respeito da virgindade, e o porque de ser virgem e o que fazer para guardar-se para o matrimônio. A escola também tem uma boa porcentagem na responsabilidade em passar para o jovem a respeito da virgindade, no entanto vemos não só a escola, mas o Governo e algumas entidades e veículos de comunicação, como as novelas; onde tanto o sexo entre adolescentes como ser mãe independente é normal.

Ao invés de ensinar ao jovem a manter-se virgem até o matrimônio, evitando assim doenças, uma gravidez indesejada ensinando-os a fazer segundo a palavra de Deus, como diz as Escrituras Sagradas; todavia vemos estes ensinando os jovens a como usar o preservativo. Temos consciência que por de trás desta ? preocupação da mídia, existe uma preocupação muito maior em todo este processo de comercialização, que por sinal é bem lucrativo, do que se preocupar como será o futuro destes jovens nos quais entram tão cedo para o mercado do sexo?.

3) Quando a Bíblia fala a respeito da virgindade, ela se dirigi ao homem também?

R: sim. Se analisarmos as Escrituras Sagradas, veremos o apóstolo Paulo dirigindo-se aos homens solteiros, no capítulo 7, respectivamente nos versículos 1e 8 na carta aos Corintios:?...,é bom que o homem não toque em mulher; más por causa da impureza cada um tenha a sua própria esposa; bom seria se os solteiros e viúvos fossem como eu, todavia aos que não conseguem dominar-se, bom é que se casem, pois é melhor casar do que se abrasar?. Entendemos que Paulo exorta o homem solteiro a cuidar das coisas que pertencem ao Santuário de Deus, como também ele mesmo o fez, todavia se for para o homem andar em fornicação, prostituição, antes, seja melhor casar-se e ter uma esposa, pois é melhor casar do que se abrasar.

Tanto na época em que Paulo escreve aos Corintios como nos dias de hoje, muitas pessoas acham que podem andar em adultério, fornicação e continuarem a oferecer sacrifícios agradáveis a Deus, e o Senhor Jesus os receber.Todavia a fornicação, a impureza e o adultério fazem partes das obras da carne, como está registrado na carta aos Gálatas, no capítulo 5: ?Andai no Espírito e jamais satisfareis à concupiscência da carne. A respeito das quais eu (Paulo escreve inspirado pelo Espírito Santo de Deus) vos declaro, como já outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam?.

4) Porque o homem valoriza a virgindade no matrimônio?

R: Segundo pesquisas recentes, é grande a porcentagem de homens que procuram para constituir um lar, mulheres virgens.Muitos homens senten-se inseguros, outros por outro lado teen ?medo? de seu desempenho sexual ser comparado com o de outro, e outros ainda teen medo de após terem relações sexuais com a parceira, não satisfazerem-na a ponto de ela procurar outro que lhe satisfaça.Todavia o homem cristão valoriza a virgindade não por tais motivos fúteis, más por ser conhecedor da palavra de Deus, a qual ensina que a mulher virgem é comparada á noiva de Cristo, na qual é pura, santa e imaculada, de um só esposo.(ll aos Corintios 11; 2).

5) A virgindade está fora de moda?

R: Para responder a esta pergunta, vejamos primeiramente o que significa o termo moda: ?costume ou estilo, em geral efêmero, aceito e imitado por um grupo ou meio social em certa época ou lugar?.

A Bíblia nos diz que devemos ser não imitadores de tais modismos efêmeros, pois com a mesma intensidade que aparecem, com o passar do tempo, desaparecem, dando lugar para novos conceitos.

Todavia a Bíblia nos revela na carta aos Efésios (cap 5; 1) para que sejamos imitadores de Deus, no qual é Santo e imutável. Passam-se séculos, porém sua palavra continua a mesma.

Logo; podemos entender que a virgindade não pode ser comparada com o termo ?moda?.

6) Virgindade tem a ver com a cultura de um povo?

R: podemos dizer que cultura de um povo é a herança social que um indivíduo adquiri do grupo em que vive (costumes, tradições, vestuário, alimentação, e etc).Portanto cada sociedade transmite ás novas gerações o patrimônio cultural que recebeu de seus antepassados; todavia há um processo de mudança social que acaba influenciando as informações que foram recebidas de geração em geração,mesmo porque acontece a miscigenação entre os povos, dando início a uma nova cultura.Entendemos então que os usos e costumes mudam conforme a cultura da época; no entanto a doutrina que a Bíblia Sagrada nos revela é imutável, inabalável, inalienável, chegando inclusive a ser o único Livro conhecido mundialmente; no qual afirma que: ?a mulher se deixe a conhecer somente ao seu marido?, isto é que tenha relações sexuais somente depois de consumado o matrimônio monogâmico.

7) Os casais que se guardaram virgens para o matrimônio se arrependeram após o casamento, por não terem tido outras experiências?

R: Não. Durante um ano entrevistei casais de várias classes sociais que se casaram virgens e 98% de 100 entrevistados, disseram que não se arrependeram, e que não se sentiram em desvantagem em relação aos que haviam tido experiências antes do matrimônio; mesmo porque o casamento significa união, ajuste entre duas partes, onde ambos irão apartir daquele momento iniciar uma nova fase de vida; desfrutando não só dos móveis, da casa, e do enxoval que serão usados pela primeira vez,más também do sexo, e juntos, estarão dividindo suas experiências e anseios, e a cada dia surgindo uma nova descoberta.

8) Existe um ?tabu? quanto a se manter virgem solteira?

R: Existe uma diferença entre liberdade e libertinagem.Somos chamados por Deus para sermos livres, todavia as pessoas que não teen base Bíblica, confundem liberdade de ação com libertinagem.Para alguns grupos que vivem dissolutamente, e são escravos da mídia, concordam quando a mesma dá ênfase para o adultério, homossexualismo, lesbianismo, e sexo entre adolescentes e jovens, exposto nas novelas, em filmes, revistas, e etc, achando que ser virgem é um fato ultrapassado.

No entanto aquele que segue os conselhos que o salmista, inspirado por Deus escreve no Salmo 1:?Bem aventurado o varão que não anda segundo o conselho dos ímpios,nem se detem no caminho dos pecadores, nem assenta na roda dos escarnecedores.Antes tem o seu prazer na lei do Senhor e na sua lei medita de dia e de noite.? A mulher e o homem que não andam segundo o que estes ?tais? grupos com atitudes perniciosas pensam,e sim buscam na palavra de Deus as respostas para os seus problemas, estes serão bem sucedidos,mesmo porque não estão firmados na mídia, que com a mesma intensidade que aparecem, desaparecem, más sim em Cristo, no qual é o mesmo ontem, hoje e eternamente.


9) Porque a Bíblia compara a mulher virgem com a noiva de Cristo?

R: Por que a noiva de Cristo, que é a Igreja, para ser arrebatada com Jesus, tem que estar pura, santa, imaculada e sem mancha, conhecedora de um só esposo, que é Cristo para que não seja contaminada com vãs doutrinas.Da mesma maneira sejam também as mulheres virgens, conhecedoras de um só esposo.Referências: O Evangelho de São Mateus 25; 1 ao 13 , 2º. aos Corintios 11; 2, Levítico 21;14.


10) Perante a Bíblia, como ficam as mulheres que embora não são mais virgens, no entanto tem desejo de casar-se e constituir um lar, e ter uma vida com Cristo?
R: Apartir do momento em que houve arrependimento e confissão, há remissão do pecado.Podemos ler na carta aos Romanos, no capítulo 8, precisamente no versículo 1:?Agora,pois,já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus?.Também na carta aos Corintios capítulo 5 e versículo 17 leremos: ?Aquele que está em Cristo nova criatura é, as coisas velhas já se foram e eis que tudo se faz novo?.

Ao lermos as passagens que retratam a peregrinação de Cristo na terra; veremos com certeza Jesus falando com mulheres adúlteras, ladrões, prostitutas, pessoas enfermas; enfim vemos Jesus perdoando e ?sarando? os corações feridos, dando-lhes oportunidade para iniciar uma nova fase de vida, desta vez em santidade.O caso da mulher pecadora, que se encontra no Evangelho de Lucas, cap.7 e versículos 36 ao 50; nos retrata a história de uma mulher na qual todos a discriminavam por ser ela pecadora, porém esta mulher foi até Cristo,com o coração quebrantado,e Jesus perdoou seus pecados.Vemos casos similares como ?A mulher Samaritana?; ?A mulher adúltera? e outros nos quais vemos Jesus imputando-lhe seus pecados e dando-lhes oportunidade de terem uma nova vida, sem acusações, sem ressentimentos, sem medo do porvir.


Fonte: Sexo Cristão
publicado por institutogamaliel às 17:13
tags:


Para que os dois estejam preparados para enfrentar as tentações, cada um deve cumprir com seu papel quanto ao ato conjugal, como convém aos filhos de Deus. (I Coríntios 7.2-5).



Busquem a realização mútua, vivam a plenitude dessa bênção sexual.

“Nem sempre o problema está no instrumento. Às vezes, é o músico que não tem habilidade”.
”Por melhor que seja o instrumento, se estiver desafinado, não será possível extrair dele um som agradável. Assim são as mulheres, podem ser bonitas, ter um corpo exuberante e ser inteligentes, porém, se, emocionalmente, estiverem desafinadas, o relacionamento sexual não será com qualidade”.

“Como podemos ter intimidade se não somos íntimos?”

“O ato conjugal entre um casal cristão que se ama é como o encontro das águas de um rio que andou quilômetros para achar o seu mar. A fonte do rio é o amor, e a água do mar, a realização”.

(Marlene Guerrato)

O você que acha de um casal que se relaciona sexualmente uma vez no inverno, outra no verão, outra na primavera e outra no outono?

O casal deve dar o devido valor ao sexo no casamento. Não pode ser mais e nem menos. O sexo não é tudo no casamento, mas tudo pode ser afetado quando não há realização sexual. Uma pergunta muito comum entre os casais: quando é que o sexo acaba no casamento? Essa pergunta merece algumas respostas:

1) Quando os dois não procuram desenvolver a intimidade com base no que cada um tem de melhor para oferecer;

2) Quando a familiaridade que pode gerar o desrespeito leva o casal a viver uma vida de agressões sutis que esmaga a alma, minando assim o desejo para os encontros sexuais. Quem é que se realiza sexualmente no casamento, se a alma está sendo esmagada pelo outro?

3) Quando há falta de criatividade do casal. Isso tem a ver com lugar, posições, forma, ambiente etc. Tudo dentro dos limites do bom senso e das Escrituras Sagradas. A rotina rouba a glória do ato sexual. Tudo o que é feito do mesmo jeito todos os dias perde a graça;

4) Quando não se dá a importância devida à prática do ATO CONJUGAL com qualidade. Com razão, alguém disse: “Depois que um casal aprende a ‘fazer amor’, nunca mais se contenta em apenas fazer sexo”. O grande problema é que muitos estão fazendo apenas “sexo”, e não “amor”. Fazer amor é uma arte que deve ser aprendida e praticada para que os dois, a cada encontro, ganhem mais habilidade e se realizem mutuamente.

5) Quando há um problema de saúde e, por causa do preconceito, medo, machismo ou qualquer outro motivo, o cônjuge não procura ajuda médica, prefere ir empurrando com a “barriga” uma vida conjugal infeliz;

6) Deve o casal algumas vezes sair sozinho para namorar, ter mais privacidade para realizar até uma nova lua-de-mel. Você já ouviu alguém dizer: “Para mim não dá, jamais eu vou deixar os meus filhos com os outros”. Quantos maridos ou esposas estão hoje frustrados(as) sexualmente por esse simples motivo? O casal precisa ter de vez em quando um tempo que seja só para os dois, e mais ninguém. Isso pode fazer toda a diferença no relacionamento.

Finalmente, nunca deixe de incentivar sua relação “afetiva-sexual”. Faça investimentos que resultem no crescimento da qualidade de vida na área sexual. Não se contente em apenas “fazer sexo”. Busque “fazer amor”. Lembre-se que o amor é paciente, benigno, educado, justo, verdadeiro e grato. Fazer amor é deixar que, na hora da intimidade mais profunda entre um homem e sua mulher, vaze, em forma de palavras, gestos, toques, suspiros e gemidos, o gozo que só é possível no encontro dos que se amam. Quem nunca experimentou isso dentro do casamento ainda não sabe o que é “fazer amor”.

Dicas para os dois fazerem amor e não apenas sexo:

Dicas para os maridos

Se você acordou com a alma desejosa por um encontro sexual diferenciado com sua esposa logo mais à noite, dê um “sinal” a ela. Deixe um bilhete romântico, mande um e-mail, passe uma mensagem pelo celular, ligue e deixe um recado na secretária eletrônica. Assim, os dois estarão se preparando para o melhor;

De vez em quando, busque um lugar diferente daquele onde sempre acontece o ato sexual. Seja criativo!

Se a mulher se excita mais com o que ouve, sussurre nos ouvidos da sua amada palavras que externem seu apreço, admiração, afeto, amor, carinho…
Gaste tempo com toques, afagos, abraços e beijos antes do coito. Prolongue o tempo de excitação;

Valorize os perfumes, os cremes, o banho, o fazer a barba…
Não se concentre apenas nos órgãos genitais da esposa. Descentralize o sexo. Há uma viagem a ser feita por caminhos que levam até onde você quer chegar, porém, quanto mais demorado for, melhor para ela. Lembre-se: tudo na vida deve ser feito com criatividade! Leia o livro Cantares, de Salomão.

Fique atento a tudo aquilo que possa desconcentrar a esposa. Verifique se a porta e a janela estão bem fechadas, se não há possibilidade de as crianças ou uma visita que esteja em casa estar ouvindo os sons espontâneos do encontro e outros cuidados. As mulheres se preocupam com essas coisas muito mais do que os homens, por isso, quando o homem não atenta a esses detalhes, a mulher não fica à vontade para “fazer amor”.

Dicas para as mulheres

· Ao perceber a intenção do marido, procure corresponder, a menos que você tenha uma razão que justifique adiar o encontro sexual;

· Se o homem se excita mais pelo que vê, procure vestir-se de forma sedutora ao seu amado;
· Se o seu marido não é do tipo afetuoso, ele pode aprender com você. Não apenas lhe dê carinho,
toques e afagos, mas também verbalize sobre a sua necessidade de ser tocada carinhosamente;

· Seja ousada no “fazer amor”, dê liberdade à sua imaginação, sem ferir o cônjuge e transgredir princípios;

· Valorize o perfume, o bom hálito, os cremes, a música romântica, as roupas adequadas para o momento, as frutas…

· Procure evitar pequenas manias. Não sucumba à “lei do capricho”, isso pode quebrar o clima romântico;

· De vez em quando, surpreenda seu amado, esperando-o de uma forma que ele seja estimulado sexualmente. Prepare a casa, o jantar, a sobremesa. Coloque uma música romântica, vista-se de forma sedutora, se penteie, calce uma sandália, passe o perfume que ele gosta e leve as crianças para ficar com alguém de sua confiança. Monte o cenário para uma noite inesquecível com o seu marido. Qual é o homem que não se rende diante de uma esposa assim?

Quando os instrumentos estão afinados e os músicos tocam bem, o relacionamento a cada dia vai se tornando mais doce, agradável e prazeroso. Repito, não basta fazer sexo, é bem melhor fazer amor.

A diferença entre “fazer sexo” e “fazer amor” está no que significa uma e outra coisa. Fazer amor é se entregar, é desnudar a alma, descobrir-se para o cônjuge, se deixar conhecer e conhecer o outro. A sexóloga Maria Helena Matarazzo diz que quando as pessoas se unem fisicamente sem revelar sua personalidade e sua individualidade, acordam depois do ato e se percebem dois estranhos. Segundo ela, isso acontece porque o amor não é apenas a revelação da nossa parte exterior, mas sim, mais que tudo, é a revelação do nosso mundo interior. “Se não fosse assim, qualquer relacionamento, mesmo o extra ou pré-conjugal, daria certo”, finaliza a sexóloga.

O apóstolo Paulo, instruindo os casais da igreja que estava na cidade de Corinto, escreveu sobre o porque marido e mulher devem buscar sempre um ajustamento nessa área:

“… mas, por causa da impureza, cada um tenha a sua própria esposa, e cada uma, o seu próprio marido.

O marido conceda à esposa o que lhe é devido, e também, semelhantemente, a esposa, ao seu marido.

A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim o marido; e também semelhantemente, o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim a mulher.

Não vos priveis um ao outro, salvo talvez por mútuo consentimento, por algum tempo, para vos dedicardes a oração e, novamente, vos ajuntardes, para que Satanás não vos tente por causa da incontinência”. (1 Co 7.2-5)

Só os casais que fazem amor sabem que a recompensa é encontrar, no prazer, o prazer que se proporciona ao cônjuge. Isso porque o laço que os une é o prazer.

A arte do diálogo sexual

Um olhar, um toque e um beijo
Faz brotar o doce desejo.

Bem antes, bem longe, foi ontem
Deitaram-se, aconchegaram-se, mas não fizeram…
Cansados, exaustos, deitados, adiaram…

Raiou o sol, a noite se foi
Amando, aquecidos, bem dormidos…
Ele quer, ela deseja, os dois decidem
É hoje…

Tudo depende de como foi ontem
Deram-se respeito, aconchego, perdão
Gentileza, carinho e atenção? Sim…
Podem ir, pois, assim construíram
A tenda e o leito do amor, sem peso e sem dor.

Que clima! Tem festa, tem fogo, não tem pressa
Quando se faz amor, se esquece de medir o tempo…

O banho, o cheiro, os dois por inteiro
Vestem-se, cobrem-se, descobrem-se
Não importa onde
Em casa, na sala, no quarto ou no banheiro
Tudo está cercado, protegido e fechado
Só os dois, amando, se entregando por inteiro.

Almas nutridas
Tentadas, não cedem, porque
Sabem viver, beber e absorver
A essência do amor…
Amor que alimenta,
Amor que sustenta.

Sexo no casamento
Só faz sentido
Quando movido
Pelo amor…

Extraído do livro: “23 Atitudes Para Revolucinar o Casamento”.
Autor: Josué Gonçalves


Fonte: www.padom.com
publicado por institutogamaliel às 17:12
tags:


tabus, preconceito e santidade

O que fazer, então, quando se descobre que o marido ou a esposa é uma bênção na Igreja, mas na cama não atinge aos anseios sexuais?
No estudo "UNIDOS EM UMA SÓ CARNE", mostramos a razão pela qual o sexo só deve ser praticado depois do casamento, segundo a Bíblia Sagrada. Hoje quero abordar um assunto muito delicado para a vida de muitos casais: a prática sexual no casamento. Infelizmente essa tem sido a causa de muito descontentamento e fracasso entre maridos e esposas, seja por diferenças de concepções e até mesmo por preconceitos ou medo por não se está agradando a DEUS. O que fazer, então, quando se descobre que o marido ou a esposa é uma bênção na Igreja, mas na cama não atinge aos anseios sexuais? Deve-se continuar o casamento pela vida inteira pelo simples fato da satisfação social? São perguntas que pretendemos responder ao longo do nosso estudo.

“Vos revistais do novo homem que, segundo Deus, é criado na verdadeira justiça e santidade”. (Efésios 4:24)

Antes, gostaria de trazer à luz um dado curioso: de muitos atendimentos que fiz nessa área, os grandes queixumes partiram das mulheres (acredito que 90%), que se diziam total ou parcialmente insatisfeitas com seus maridos. O mais desolador é saber que muitas dessas ou já haviam buscado satisfação sexual com outro homem ou pensavam em fazer. Esse dado é preocupante e curioso por dois aspectos: primeiro porque ao longo da história, da tradição e visão machistas, sabe-se que o homem sempre foi conhecido por seu grande apetite sexual; e segundo, que as mulheres como as mais fiéis. Parece-nos, pela estatística acima, que a situação mudou. A análise até que faz um certo sentido quando o ser humano é visto individualmente, nutrido de objetivos egoístas, instintivo, animal. E isto gera um grande problema se trouxermos a visão egoísta do prazer sexual para dentro do casamento. De uma forma geral, o homem, por sua natureza, é um ser extremamente insaciável. Ou seja, ele sempre está querendo mais e mais, e nunca está satisfeito com o que tem. Em alguns aspectos de vida, isso é muito bom, mas para o sexo no casamento é uma catástrofe iminente.

Quando se casam duas pessoas passam a relativar muitas coisas: deixam de comprar determinadas roupas de grife, não freqüentam mais todos os lugares, existe hora para chegar em casa, enfim, há a notória necessidade de conciliar gostos e prazeres diferentes, ainda que se tenha que abrir mão de muita coisa, por amor ao outro. E com o sexo não pode ser diferente. O sexo é produto do amor entre duas pessoas e, também, precisa ser moldado em algumas diferenças que porventura venham a surgir.

Quero começar o estudo chamando a atenção dos meus queridos leitores para duas palavras centrais presentes em nosso versículo de abertura: justiça e santidade. Ser justo, dentre as diversas atribuições do casal, é também agradar sexualmente o outro; ter domínio absoluto do corpo do cônjugue em santificação e honra. O que isso significa na prática? Significa proporcionar prazer e alegria ao companheiro ou à esposa, sem agressão moral e sem desrespeitar os princípios cristãos. O caráter de quem pratica o ato sexual em santificação jamais é instintivo ou autocontemplativo, egocêntrico. O sexo cristão é muito mais para o benefício do outro do que para o nosso benefício. Daí a razão pela qual o apóstolo Paulo escreveu: “O marido pague à mulher o que lhe é devido, e da mesma sorte a mulher ao marido” (1 Cor. 7:3). Sendo assim, não é apenas um dever de quem está casado, mas também um dos elementos da Justiça de DEUS. Quem não dar honras sexuais (não por obrigação, mas por amor), peca tanto por não atender a essa Justiça com plenitude, como por não cumprir uma responsabilidade matrimonial feita diante de DEUS. Já vimos em outro estudo que a vida sexual de uma pessoa reflete o estado espiritual da mesma.

E o que tem acontecido com boa parte dos casais casados? Um ou outro tem trazido para o leito de prazer comportamento e princípio sexuais completamente mundanos, de quem ainda não recebeu o Espírito de DEUS, tais como agressão moral e física consentida, certas práticas animalescas (assistir filmes pornográficos) etc. Em outro extremo, homens ou mulheres cristãos, que pensam ter se transfigurado em anjo, também deixam de viver a plenitude sexual no casamento por pensarem infringir as leis divinas de santidade. Por exemplo: conheci um caso em que o marido não permitia que a esposa nem olhasse para ele no momento do ato sexual e nem tocasse em seu corpo. Outro caso: quando a esposa sugeriu uma nova posição, o marido a taxou de “suja” e “cheia do espírito de Jezabel”. Tal postura é reflexo do modelo de igreja ortodoxa e ultrapassada, que influenciou o pensamento de muitos, e na qual o tema sexo era completamente ignorado. Um caso como esse só pode ser concebido pela ótica da ignorância e do preconceito com a companheira, onde a mesma é tratada como um mero objeto de reprodução e de satisfação de um apenas, e também se confunde submissão com escravidão. Uma pessoa que se casa com a idéia retrógrada do ato sexual tem muita dificuldade de deixar que o cônjugue participe desse espaço de comunhão. Por isso, o debate salutar da sexualidade, baseado na Santa Palavra de DEUS, entre jovens, homens, mulheres, casados e solteiros é tão importante e deve permear as prioridades essenciais das igrejas cristãs contemporâneas.

Uma grande falha na vida sexual dos casados é criar uma enorme expectativa de que o outro tem por obrigação de nos satisfazer plenamente. Esse é o sonho guardado durante o período do namoro e do noivado. O envolvimento íntimo jamais pode ser unilateral e se desenvolver repleto de certas cobranças indevidas. As descobertas dos caminhos que levam ao prazer; o aumento do desejo em estar e proporcionar alegria são fatores que vão amadurecendo e crescendo ao longo do tempo. Se o ato sexual deixar de ser encarado dentro de uma concepção egoísta, a relação se tornará muito mais saudável e o prazer próximo. O que não deve, repito, é uma das partes ser tratada com desleixo, desrespeito ou preconceito. Nos casos onde não há uma boa harmonia no ato sexual, sugiro ao casal buscar, o mais rápido possível, ajuda profissional e pastoral, além de participar de encontros de casais na igreja. Sexo é uma questão puramente pessoal, educacional, cultural e espiritual (para os cristãos), que não pode ser imposta como regra geral, mas que deve ser compartilhada com o companheiro. O que deve haver, são regras de conduta (moral), cada qual respeitando os anseios que ambos desejam atingir no ato sexual.

Por fim, é preciso saber que no casamento o sexo não pode ser partilhado apenas como “descarga das tensões” do dia-a-dia, mas como um exercício de amor e de prazer pelo próximo; e quando usado egoisticamente destrói o afeto e quebra o compromisso conjugal diante de DEUS. Que o Nosso PAI nos abençoe!!

Por: Fernando César Timóteo Alves
Ministério Interdenominacional Recuperando Famílias para Cristo - Brasília/DF

http://www.fernandocesar.com/

Fonte: Sexo Cristão


publicado por institutogamaliel às 17:10
tags:


Erra quem pensa que os jovens não têm problemas. E o maior deles, com certeza, está na área da sexualidade, mais especificamente, na área da virgindade. É um dilema que não escolhe classe social, raça, cor e nem religião.

Fato 1- Deu na revista Capricho em outubro/2002: as pressões da "turma" estão levando muitos adolescentes a iniciarem sua vida sexual com garotas de programa, prostitutas. A reportagem inclui relatos de quem transou pela primeira vez num bordel ou em "festinhas" particulares. E de quem foi levado a fazer isso pelo próprio pai, ou até pela mãe.

Fato 2- Há alguns dias, a revista Veja publicou uma matéria sobre a novela Laços de Família e usou como base dois "exemplos" de mães representados na trama: a Helena, que ficou grávida para tentar salvar a filha, e a Capitu, que se prostitui para ganhar dinheiro e garantir uma vida de mordomias e bem estar ao filho.

Fato 3- Uma outra reportagem, desta vez, na televisão, mostra que alguns pais do século XXI já admitem que os filhos durmam com suas namoradas, ou vice-versa, dentro de casa.

Fato 4- Uma propaganda do governo de prevenção à AIDS mostra um filho entregando uma camisinha ao pai, caso ele mantenha uma relação extra-conjugal.

Cada um desses é um caso isolado, mas revelam a mesma coisa: a sexualidade deixou de ser tabu e é tratada com muita naturalidade. A prostituição está ganhando ares de necessidade ou simples opção de vida. Assim como o homossexualismo, as relações extra conjugais, a vida sexual ativa de casais de namorados, a pornografia. Avanço? O fato de se falar de sexo sim, mas não a maneira como ele é encarado.


Mundo de lá X Mundo de cá

Erra quem pensa que os jovens não têm problemas. E o maior deles, com certeza, está na área da sexualidade, mais especificamente, na área da virgindade. É um dilema que não escolhe classe social, raça, cor e nem religião. Basta dar uma olhada aqui mesmo, no eucreio, nas perguntas enviadas ao Brother. Diariamente chegam dezenas delas. São adolescentes e jovens lutando contra seus desejos sexuais fora de hora. Namorados que trabalham ativamente na igreja e vivem em pecado. Gente que ora, jejua, lê a Bíblia e mesmo assim não consegue deixar de lado os relacionamentos ilícitos. Meninos que sofrem por ser o único virgem da turma. Garotas iludidas já aos 14, 15 anos de idade.

Na mídia secular, ocorre o mesmo. Diversos canais com perguntas sobre sexo mostram os turbilhões de conflitos que a sexualidade vem causando na adolescência. "Será que já estou preparada?", "Estou arrependido", "Não gostei da experiência" são alguns encaminhamentos constantes aos psicólogos e sexólogos.

A maneira como a sexualidade vem sendo difundida em nossos dias é um dos vilões dessa história. A libido sempre existiu, desde a criação do mundo, quando Adão olhou para Eva e a contemplou. Mas agora, a história é outra. Os apelos sexuais são mais fortes, as pressões também. Mesmo assim, nada justifica o erro.

Quem crê em Deus, precisa aprender a entender e viver Seus princípios, deixados na Bíblia, sua única regra de fé e prática. Em nenhum livro das escrituras fala-se sobre "a primeira vez", ou o "namoro cristão". Mas há fundamentos para uma vida santa, um comportamento que agrade a Deus. Começando pelo casamento, onde a relação sexual é um "privilégio", um presente aos casados. "Digno de honra entre todos seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula; porque Deus julgará os impuros e adúlteros." (Hebreus 13:4).


Com a relação à santidade, são muitos exemplos

"Pois esta é a vontade de Deus, a vossa santificação; que vos abstenhais da prostituição, que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo, em santificação e honra, não com o desejo de lascívia, como os gentios que não conhecem a Deus, e que, esta matéria, ninguém ofenda nem defraude a seu irmão, porque o Senhor, contra todas estas cousas, como antes vos avisamos e testificamos claramente, é o vingador, porquanto Deus não nos chamou para a impureza, e, sim, em santificação." (Tessalonicenses 4:3-7).

"Porém o corpo não é para impureza, mas para o Senhor, e o Senhor para o corpo... Não sabeis que os vossos corpos são membros de Cristo? E eu, porventura tomaria os membros de Cristo e os faria membros de meretriz?" I Coríntios 6:13

Porque tudo isso? Não porque Deus é carrasco, mas porque já sabia o que era melhor para seus filhos. E por mais que a modernidade tente dizer o contrário, uma relação sexual deixa marcas profundas ("e tornam-se os dois uma só carne..."). Se for na hora errada, com a pessoa errada, da maneira errada, vai deixar de ser um presente e virar um peso, um problema.

Há algum tempo, num programa de televisão para a juventude, o pastor Estevan Hernandes, da igreja Renascer em Cristo, foi confrontado sobre a virgindade. E veio o famoso questionamento: "As experiências pré-matrimonais não são boas para se aprender a lidar com sexualidade?" A resposta dele? A melhor possível. "Jogue um cachorro que nunca viu água num rio e veja se ele não sai nadando. Com a vida sexual é assim. Deus já preparou tudo", disse frente às câmeras.


"Falar é fácil, mas na prática..."

"Sou fraco, cai". "Deus mesmo deu o desejo, não pude resistir à Sua criação". São inúmeras as justificativas para o pecado. Mas Paulo foi enfático quando falou sobre o "resistir" às tentações. "Não vos sobreveio nenhuma tentação, senão humana; mas fiel é Deus, o qual não deixará que sejais tentados acima do que podeis resistir, antes com a tentação dará também o meio de saída, para que a possais suportar." (I Coríntios 10:13) Na prática, é preciso fugir daquilo que nos faz pecar. E isso pode ser feito, garante quem já passou pela experiência, de uma maneira agradável.

Uma delas, é sonhar. Sonhar muito com as maravilhas de um casamento perfeito, mesmo que a sociedade diga que ele não existe. Pense alto, voe como uma águia e acredite que para você, Deus tem o melhor. E tem mesmo. Tem para todos, mas alguns o desprezaram. Sonhe com uma lua-de-mel, sem achar que isso está fora de moda. Sonhe em descobrir junto ao seu parceiro as maravilhas e os prazeres da relação sexual, sem medo, sem culpa, sem pressa e com a benção de Deus.

Outra forma é, literalmente, deixar aquilo que te faz pecar. Fuja daquilo que produz pensamentos ruins em sua mente. Os pensamentos são incontroláveis, quando você menos espera, eles vêm, mas as influências externas têm muito poder sobre eles. Se o ambiente onde vive for de santidade, você não terá tempo e nem espaço em sua mente para aquilo que não vem de Deus. Fuja também de situações que o levem a destruir o sonho da "primeira vez". Se não dá para beijar sua namorada sem controlar os impulsos, beije menos, e nunca em lugares propícios à uma relação sexual. E tenha sempre em mente: cada carícia leva à mais intimidade, nunca a menos. Depois que se atinge um limite, é difícil voltar atrás, a tendência é ir sempre em frente.

Ame, desde já, mesmo sem conhecer, seu marido ou esposa. Ame tanto que queira dar o melhor a ele ou ela, não o resto. Queira dar-lhe as primícias, a única coisa que há em você e que uma vez tirada, jamais voltará: sua virgindade. Permita-lhe esse privilégio.

Faça a si mesmo um desafio. Um desafio de não ser levado pelas pressões, mas pelo Espírito Santo de Deus. Peça para que Ele te conduza, e deixe-se conduzir.

Queira ser diferente. E tenha certeza: Deus está do seu lado! Torcendo pela sua "primeira vez"...

Fonte: Sexo Cristão - Jesus Site
publicado por institutogamaliel às 17:09
tags:


Hoje em dia com o surgimento da Internet, tornou-se “EXTREMAMENTE FÁCIL” o acesso a qualquer tipo de material, seja qual tipo for, tanto para edificação como para ruína espiritual. Infelizmente este último parece estar prevalecendo cada vez mais. Existem muitas pessoas, até mesmo entre os cristãos, que estão arruinando suas vidas espirituais devido ao mau uso da Internet. Às vezes, por curiosidade, entram em sites de conteúdo pornográfico, baixam ou assistem vídeos e fotos eróticas, entram em salas de bate-papo erótico, e por ai vai... Sozinho, quarto fechado, ninguém por perto para ficar sabendo... É muito fácil ter acesso a tudo isso !Basta clicar e lá está !!! Tudo diante de seus olhos !!! Ainda mais se for Internet de banda larga. Isso sem falar nos DVD’s e VHS, que as bancas estão vendendo cada vez mais baratos e aos montes!Misericórdia!!!

Enfim, o fato é que nunca houve tanta abertura para se viver diante de tanta sensualidade explícita como se vive nos dias de hoje. É uma praga!!! Foi refletindo sobre este assunto que o Senhor colocou no meu coração o desejo de escrever esta matéria. O Senhor praticamente me intimou a escrever esta matéria!!! Escrever matérias nem é minha especialidade! É incrível, me sinto como o apóstolo Paulo, escrevendo uma carta para ajudar a diversas pessoas! Considero esta matéria como um tipo de “AJUDA DIVINA URGENTE” para ajudar a muitas pessoas a se libertar deste tipo de aprisionamento carnal.

Leia abaixo os motivos pelas quais não vale a pena viver no mundo da carnalidade, ou seja, da prostituição, do adultério, da sensualidade desenfreada, de ficar vendo imagens ou vídeos
pornográficos e ficar se masturbando praticamente quase que todo dia. Se você ler, absorver e praticar, você vai ver como vai ser muito mais fácil ser liberto deste mal que assola e destrói a vida daqueles que dão brecha para a atuação maligna nestes dias de extrema perversão sexual que estamos vivendo.

DESVANTAGENS DE VIVER NA SENSUALIDADE DESENFREADA
Quando uma pessoa dá brechas para viver na carne, ou seja, prática de sexo à vontade com quem der na cabeça (o famoso “ficar”), tanto na forma de adultério (entre casados) como de prostituição (entre solteiros), ou até mesmo a consumir pornografia, acontece uma espécie de reação carnal em cadeia, ou seja, uma descarga de hormônios da libido do cérebro para o corpo todo, fazendo com que haja uma sensação de “prazer”. Esta reação carnal, uma vez iniciada, é praticamente impossível detê-la. Por isso que, quando nos vemos envolvidos nesta prática, há a sensação de estarmos presos numa cadeia de escravidão, a escravidão do pecado.
O GRANDE SEGREDO NO ENTANTO, ESTÁ EM NÃO DAR INÍCIO A ESTE EFEITO DEVASTADOR!!!
As principais desvantagens que acontecem quando nos deixamos levar por estas
práticas sensuais, por meio de brechas que nós mesmos abrimos. (consumo de pornografia, sexo desenfreado, ficar com quem quiser, etc...)


Principais desvantagens de acionar a libido (sensualidade desenfreada):

1. Ocorre uma descarga de hormônios da libido pelo corpo todo, fazendo com que se pense apenas em sexo, sensualidade & cia (libidinosidade). Não há sensação de culpa nestes momentos. Há um prazer enganoso, enganoso porque embora se sinta um “prazer agradável” no momento que se pratica, imediatamente após ter consumado o ato em sí, segue-se geralmente a terrível sensação de culpa, o peso na consciência!!! Na verdade a sensação é de se viver como um animal irracional (Na natureza, apenas os animais praticam sexo com quem cruza o caminho deles). Nós, seres humanos, feitos à imagem e semelhança de Deus, não fomos feitos para vivermos assim! NÃO HÁ GOZO REAL EM SE VIVER ASSIM, pois a nossa alma não se sente preenchida tendo um instinto animal (libido) no comando o tempo todo. A VERDADEIRA SEDE DE NOSSA ALMA É
SACIADA APENAS BEBENDO-SE DA ÁGUA CRISTALINA QUE SÓ CRISTO TEM PARA DAR, como Ele mesmo disse:


"Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água a jorrar para a vida eterna." João 4:14 ! O resto é como se estivesse bebendo água de esgoto!!! Você já se imaginou bebendo água de esgoto??? Pois é exatamente isso que se faz quando se vive para satisfazer os desejos perversos da carne.

2. O ser humano não tem estrutura para viver o tempo todo sob efeito da libido (sensualidade
desenfreada), mesmo porque não nasceu para isso. Não há propósito nenhum em viver uma vida de promiscuidade!!! (prostituição, adultério, o “ficar”, etc...) Deus nos fez com o propósito de nos relacionarmos única e exclusivamente com a pessoa que Ele escolheu para viver ao nosso lado, que é o propósito do casamento. Neste caso sim, podemos desfrutar do verdadeiro propósito pela qual Deus criou a sensualidade, uma das alegrias do casamento, desde que desfrutada de forma
saudável.. O que passar deste propósito é adultério, prostituição, promiscuidade & cia!!!

3. Enquanto se está mergulhado nos prazeres perversos da carne, uma voz na consciência (que é o Espírito Santo convencendo-nos do pecado) fica em segundo plano, reprovando toda a prática de libidinosidade que a carne está desfrutando no momento e ao mesmo tempo fica dizendo toda
verdade sobre a prática, passando a sensação de estarmos sendo reprovados por uma comissão espiritual !!! Porém, uma vez sob efeito da sensualidade desenfreada, quem é que vai dar
importância pra essa voz da consciência??? Além disso, existe uma onda que se diz que "quanto mais proibido, mais gostoso fica!!!" - Misericórdia!!!

4. Perda de tempo útil, que poderia ser aproveitado em coisas úteis, como por exemplo, na realização de projetos de vida, entretenimentos saudáveis, conversas com amigos e familiares e até mesmo momentos para alimentar a alma com a palavra e louvores a Deus. É perda de tempo porque uma vez estando nesse estado, acontece um efeito bola-de-neve, que não se pensa em outra coisa, a não ser saciar-se cada vez mais deste alimento carnal. Misericórdia!!! Esta é uma característica típica de satanás, como ladrão, faz-nos perder tempo, saúde e até a salvação !!! Jesus Cristo já havia dito sobre isso em João 10:10 “O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância. ”
5. A prática destas devassidões carnais gera a gravação desses momentos (cenas) na mente, fazendo com que todo o corpo fique tenebroso, gerando o terrível e aprisionador efeito de laço, onde não há como parar e deter tal sensação!!! – Misericórdia !!! O próprio Jesus Cristo já havia dito sobre isso em Mateus 6:22,23 "a candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo terá luz. Se, porém, os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso.”
CONCLUSÃO:
Não há comparação em se viver LIVRE, LIBERTO DESTA PRISÃO ESPIRITUAL, pois não tem coisa melhor para a alma do que ser dirigida, controlada e alimentada pelo Espírito Santo, onde há harmonia, paz, domínio próprio, ou seja, O VERDADEIRO GOZO PARA A ALMA. É uma real sensação de se beber água cristalina !!! (mesmo!!!) É realmente como JESUS CRISTO disse em João 4:14 “Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água a jorrar para a vida eterna.”

Eneas T. de Oliveira
Contato (anitsircnerak@hotmail.com)


Fonte: GospelJovens.Net
publicado por institutogamaliel às 17:08
tags:


Por vivermos em um país de clima quente e úmido, e estarmos cada vez mais propensas a estresses que levam à queda da imunidade, não é raro sentirmos desconfortos vaginais. Um dos mais comuns é a Candidíase Vulvovaginal: estima-se que cerca de 75% das mulheres experimentarão pelo menos um episódio da doença durante a vida. Conversei com o ginecologista Fábio Muniz para entender esse problema um pouco melhor, vejam só:


O que é a Candidíase Vulvovaginal e quais são suas causas?

Trata-se de uma infecção da vulva e da vagina, causada pela proliferação de um fungo chamado Cândida albicans que, em muitos casos, já existe na flora vaginal da mulher, mas não é prejudicial em pequenas quantidades. Existem vários fatores que predispõem esta proliferação, como a gravidez, a obesidade, o Diabetes descompensado, as altas dosagens de anticoncepcionais e antibióticos, o contato com substâncias alérgicas (perfume, talco, desodorantes), o uso constante de biquínis molhados, absorventes diários e roupas íntimas de tecidos que diminuem a ventilação da região vaginal.


Quais são os sintomas dessa doença?

Os sintomas dependem do grau da infecção e eles podem apresentar-se isolados ou associados. O principal sintoma é a coceira vulvovaginal, mas a pessoa também pode sentir dor ao urinar e no ato sexual, vermelhidão na vulva, ter a vagina coberta por uma placa branca ou acizentada e perceber na calcinha um corrimento branco sem cheiro e com aspecto de leite coalhado. É importante lembrar que, ao sentir qualquer desconforto, a visita a um ginecologista é essencial.


Candidíase é considerada uma DST?

Não, pois a relação sexual não é a principal forma de transmissão. Porém, é sempre importante se preservar usando camisinha!


Como é possível evitar a Candidíase?

Algumas medidas bem simples, relacionadas à higiene íntima e ao vestuário, podem ajudar a evitar a Candidíase:

- Dê preferência às roupas íntimas de puro algodão e evite usar absorventes íntimos diariamente, pois prejudicam a ventilação local.

- Adquira o hábito de dormir com roupas confortáveis e largas, de preferência de puro algodão. Se possível, durma sem calcinha, para que a região íntima fique ventilada e menos propença à contaminação.

- Evite usar toalhas e roupas íntimas que ficaram secando no banheiro (isso facilita a manutenção dos fungos) e, principalmente, aquelas que pertencem a outras pessoas. As toalhas devem ser bem lavadas e sempre passadas a ferro antes do uso.

- Após as evacuações, a higiene local deve ser feita trazendo o papel higiênico no sentido da vulva para o ânus (da frente para trás), nunca ao contrário, evitando assim a contaminação da vagina por germes que habitam as fezes.

- Evite ficar períodos longos com o maiôs ou biquínis molhados, porque eles prejudicam a transpiração e deixam o ambiente úmido e quente, o que favorece a proliferação dos fungos.

- Duchas intra-vaginais são absolutamente desnecessárias, pois causam desequilíbrio na flora vaginal e podem levar os germes para outros órgãos genitais, como o útero, o ovário e as trompas.


Como é o tratamento para a Candidíase Vulvovaginal?

Ao sentir os sintomas, a pessoa deve procurar o ginecologista imediatamente, para que seja feito um exame ginecológico. Tratamentos com cremes e remédios via oral são os mais recomendados, lembrando que somente um médico pode prescrevê-los.


Fonte: http://meme.yahoo.com/fiquelinda/p/Wr02Z3W/?cid=brtd/

Serviço: O Dr. Fábio. Muniz é ginecologista, obstetra e mastologista no Hospital e Maternidade São Cristóvão - http://www.saocristovao.com.br/associacao/default.htm

Imagem: programasaudemulher.com.br
publicado por institutogamaliel às 17:07
tags:


Ele é um certificado de qualidade – antes, durante e depois – das relações prazerosas! Aproveite as várias modalidades desta deliciosa forma de carinho


Você acha que o beijo serve apenas para esquentar o clima? Se você acha que sim, nunca esteve tão enganada(o)! O toque dos lábios é um verdadeiro termômetro da paixão. Inclusive, a freqüência e a intensidade com as quais um casal se beija durante o sexo indicam se a relação vai bem ou se está morna. Logo, é preciso beijar muuuuito – antes, durante e depois da transa. A seguir, veja os diferentes tipos de beijos e escolha entre alguns (ou, quem sabe, todos...) seu tesão e o seu relacionamento agradecem!


ANTES

Quando se trata de preliminares, beijo é a palavra – e a ação! – chave. “Ele é essencial para esquentar a ‘máquina’, ‘’ explica a terapeuta do amor Claudya Toledo. Porém, para colar um lábio no outro a ponto de fazer a temperatura da relação subir é preciso uma forcinha do corpo todo. Então, durante o beijo, troque olhares de desejo e não deixe de abraçar e acariciar o outro. Enquanto isso, o movimento das línguas deve se tornar mais intenso. Aí, é só caprichar cada vez mais...

Aquecimento – Com o(a) seu/sua parceiro(a) de frente para você, segure-o(a) pela cabeça e dê-lhe um beijo bem longo na boca. Mas, claro, não pare por aí... Toque-o(a) delicadamente com os lábios na pontinha da orelha, pescoço, nuca, peito, pés, barriga, costas e onde mais a sua imaginação mandar. Explore o corpo dela(e) à vontade com lambidas, sugadas e mordidinhas.

DURANTE

No sexo, o beijo é fundamental para manter a conexão entre o casal. Por meio dele é possível sentir o gosto e o cheiro do(a) parceiro(a), turbinando a excitação. “O beijo deve ser interativo, espontâneo, quente e molhado, como uma dança harmoniosa e prazerosa a dois”, afirma a sexóloga Magda Gazzi. Com esse estímulo, o nível de serotonina (substância responsável pela euforia) aumenta, causando reações químicas que dão a sensação de prazer e confiança. Resultado: você se sente mais desejada(o).

Pegando fogo – Por várias vezes, passe a língua devagar no céu da boca dele(a), vindo de trás para frente. Esses movimentos ajudam o corpo a liberar serotonina, acelerando – e intensificando – a chegada de um orgasmo.

DEPOIS

Após a explosão de prazer a dois, é hora de demonstrar que gostou do ato sexual – claro, se de fato estiver satisfeita(o). Neste momento, o toque suave entre as bocas indica afeto e carinho. Segundo Magda Gazzi, essa atitude também estimula a produção da “substância do amor” ou da ocitocina, hormônio fundamental para o desenvolvimento do afeto e da necessidade de cuidado com o outro. Agora, depois de tanta adrenalina, curta esse instante de intimidade com toques suaves.

Aconchego – Dê selinhos no parceiro(a), alternando-os com beijos no canto dos lábios e outros locais do rosto. Um bom cheiro no(a) parceiro(a) ou um cafuné também podem colaborar para este momento delicioso.


Diferentes formas de colar os lábios

1) Superficial – Roce seus lábios devagar na boca dele(a). Faça isso com os lhos fechados e segurando o rosto do(a) parceiro(a) entre suas mãos. A prática é ideal para ser realizada logo após um beijo profundo.

2) Queixo com subida – Comece com beijinhos no queixo dele(a) e suba para a boca. Se quiser, pode dar um selinho nos canto dos lábios. Em seguida, arremate com um beijão. Também vale aquela mordida suave no lábio inferior.

3) Doce – Neste caso, as línguas devem se entrelaçar suavemente durante um beijo leve e longo. Para completar, abrace-o(a) com carinho.

4) Desperta paixão – Ele/ela fez algo que derreteu seu coração? Aproveite e roube um beijo! Encoste seus lábios nos dele(a) e pressione com força, de forma rápida. Isso vai gerar um prazer inesperado a aproximar o casal. Na Índia, é conhecido como “beijo desperta paixão”.

5) Comprido – Comece beijando as mãos do seu amor, alternado com chupadinhas. Isso ativará os pontos de prazer. Agora, vá subindo pelos braços até chegar à boca. Beije-o(a) ternamente aumentando a força e a velocidade.

6) Derretedor – Toque com a boca o lóbulo da orelha dele(a), com algumas leves mordidinhas. Com as mãos, acaricie a nuca – enquanto a língua passeia por trás da orelha dele(a)

7) De virar a cabeça – Comece a beijar o pescoço do(a) seu/sua amado(a) e, aos poucos, encostando a língua. Complete com mordidinhas. Em seguida, vire-o(a) de frente para você e beije-o(a) com suavidade.

8) Animal – Está com tesão? Beije seu amor com intensidade, dê mordidas, sugue o lábio dele(a)... Aqui, o segredo é atacá-lo(a) com vontade mesmo!

9) Asteca – Coloque um pedaço de chocolate em seus lábios. Espere derreter um pouco e dê um selinho molhado, espalhando o doce pela boca dele(a).

10) Arde e gela – Tenha à mão gelo e molho de pimenta. Passe uma gotinha do tempero em seu lábio e beije-o(a) lentamente. Assim que começar a arder, pegue o gelo e coloque entre as bocas. Porém, se algum dos dois não gosta de pimenta é melhor não arriscar a técnica, ok?

11) Anestesia – Pressione fortemente a gengiva dele(a) com a língua. Repita três vezes e peça que ele/ela respire profundamente. A boca dele(a) ficará anestesiada, deixando apenas a língua sensível. Beije-o(a) com voracidade. Acredite: ele/ela jamais esquecerá desse carinho feito por você.


CURIOSIDADES

Você sabia que o beijo...

• ... caliente de dez segundos é capaz de queimar até 15 calorias?

• ... caprichado movimenta 29 músculos da face?

• ... pode ser sinônimo de saúde? Segundo o livro Dossiê do Beijo (Ed Catedral das Letras), beijoqueiros sofrem menos de doenças do sistema circulatório e relatam menos casos de insônia e dores de cabeça.

• ... pode ser maternal, fraternal, apaixonado, roubado...? Entre todos esses tipos, uma pessoa troca, em média, 24 mil beijos ao longo da vida.

• ... eleva a média dos batimentos cardíacos de 70 vezes por minuto para 150 vezes?

• ... tem sabor e indica se o/a parceiro(a) está envolvido(a)? Tradução para saliva sem gosto: beijo insosso. Sabor adocicado? Significa que está produzindo serotonina e ele/ela está gostando. Agora, se ele/ela está completamente entregue a você, a saliva terá um gosto mais salgado ou um pouco ácido.


por: roberta.figueira@abril.com.br

Fonte: Revista Viva – Edição 602
www.vivamais.com.br
publicado por institutogamaliel às 17:06


Dá para manter o desejo pelo parceiro num casamento longo?
Um livro garante que sim. Veja as dicas

Conservar a chama do desejo acesa dormindo e acordando ao lado do mesmo companheiro por décadas é uma arte. Mas há quem consiga dominá-la muito bem. Os truques dos casais que vivem um relacionamento longo – e picante – foram reunidos no livro Sexo no CasamentoDez Segredos Para Manter Viva a Atração (Editora Gente) da americana Pamela Lister. A autora fez uma longa pesquisa com milhares de pessoas casadas e ouviu os conselhos dos maiores especialistas no assunto. Veja abaixo os 7 segredos listados pela autora para recuperar o desejo quando a relação estiver morna demais para o seu gosto.

Aposte na ousadia - Esse é um dos segredos para não deixar o relacionamento na cama esfriar.


7 dicas quentíssimas

1) Parta para o ataque – Quando foi a última vez que você o procurou na cama? Se esse gesto sempre parte dele, saiba que tomar a iniciativa é um modo de mostrar entusiasmo e desejo. Quebre essa regra! Trocar os papéis de caça e caçador faz o casal se sentir mais atraente.

2) Não deixe para depois – Sexo não foi feito para acontecer só à noite, depois de o casal se deitar. Isso é muito monótono. Tente fazer a relação fluir mais espontaneamente. Se pintar um clima quando ele chegar da rua e as crianças ainda estiverem na escola, permita que role.

3) Abra-se para o novo – Não é preciso trocar de parceiro para renovar a vida sexual. Procure posições diferentes, faça amor em lugares inusitados, coloque a imaginação para funcionar! Essas são as melhores maneiras de tornar o velho, novo. Seja ousada.

4) Mude a cena na cabeça – A gente sempre ouve falar que fantasias na cama são muito bem vindas. Ok. Então, por que não se imaginar numa praia, dentro de um avião... Use a imaginação, pense naquilo que você tem vontade de fazer, mas por algum motivo não pode realizá-lo.

5) Diga o que deseja – muitos casais vivem insatisfeitos, simplesmente porque não falam abertamente sobre suas vontades. Seu marido não se comunica com você sobre outros assuntos por telepatia, e no anexo é a mesma coisa! Fale sobre seus desejos e necessidades porque ele não tem obrigação de ler seus pensamentos. E ouça-o também.

6) Aprenda a relaxar – Na pesquisa feita pela autora, cerca de 13% das mulheres admitiram nunca ter tido um orgasmo. Melhorar a própria capacidade de sentir prazer é uma atitude importantíssima. O primeiro grande passo para isso é aprender a relaxar. A autora recomenda outros: comece a se tocar mais, conheça o próprio corpo e não tenha vergonha de estimular o seu clitóris manualmente durante a transa.

7) Aumente sua autoestima – Mesma que você se sinta gorda e não seja mais uma jovenzinha, é bem provável que ainda se considere sexy – e seu homem também! Acredite na sinceridade dele para não travar sua sexualidade. Não deixe que a insegurança tome rédeas da situação. Melhore sua autoimagem dentro da sua cabeça. O seu maior poder na cama é o de se sentir gotosa. Portanto, invista nessa ideia: “Eu sou gostosa do jeito que sou!”

Por Filadélfia

Fonte: Revista Ana Maria – Nº 516
www.revistaanamaira.com.br
publicado por institutogamaliel às 17:05


Foto: www.farmadelivery.com.br
Descobertas reveladoras - e instrutivas! - sobre aquele momento 'ahhhh' que farão sua vida sexual atingir o clímax

Caminhos do prazer - Ele pode acontecer por meio do estímulo no clitóris, no ponto G, no ânus e há quem diga que até estimulando os seios é possível chegar lá!

1) 70% das mulheres nunca gozaram com parceiros
Eis o resultado de uma pesquisa da Universidade de Chicago (EUA). Então, se ainda não chegou lá, tranquilize-se, pois não está sozinha. “A sexualidade feminina trabalha mais como resposta do que impulso” diz a ginecologista Denise Coimbra. Logo, o primeiro passo é saber o que a excita.


2) Um orgasmo pode gerar descarga elétrica de até 244 mV (milivolts)
Uma baita descarga de energia - a energia de cinco orgasmos acenderia uma lâmpada! - seguida de contrações musculares involuntárias, em especial na genitália. Sem contar o aumento dos batimentos cardíacos, a aceleração da respiração e a intensa sensação de prazer. Assim é o orgasmo, que dura de oito a dez segundos.


3) Orgasmo na cabeça
Para Maria Helena Vilela, diretora do Instituto Kaplan de Sexualidade, clímax é um fenômeno mais psicoemocional que fisiológico. O estímulo ocorre na vagina, mas a sensação se dá no corpo todo. Assim, o que a impede de chegar lá geralmente são questões psicológicas. Os vilões? Ansiedade, medo e falta de concentração.


4) Clitoriano ou Vaginal?
O clitoriano é mais intenso e rápido. O vaginal, embora menos intenso, dura mais. Isso porque o clitóris é uma área muito sensível que responde mais rapidamente ao estímulo. O vaginal, por sua vez, exige estímulo constante e prolongado até a região ficar bem excitada. Fisiologicamente, no entanto, os dois orgasmos são iguais. Ou seja, uma resposta física e psicológica a estímulos eróticos.


5) Sim, mulher demora mais
Para que o homem fique excitado, seu organismo precisa bombear sangue para o pênis. "O corpo da mulher funciona de forma parecida, mas como nosso órgão sexual é mais complexo, precisamos de mais tempo para isso acontecer", explica Maria Helena Vilela. A excitação masculina é linear, cresce e atinge o ápice rapidamente. A da mulher é difusa; por isso, exige mais tempo e concentração.


6) Ela teve 222 orgasmo consecutivos!
A autora da façanha é uma dinamarquesa. Ficou com inveja? Apesar de incomum, orgasmo múltiplo é possível. Afinal, não precisamos de muito tempo para nos recompormos após atingir o clímax. Se o estímulo continuar, podemos gozar de novo. Mas a psicóloga e educadora sexual Laura Muller avisa: só 10% das mulheres nascem com predisposição para orgasmos múltiplos.


7) A ejaculação feminina não é só lenda
Não há muitas pesquisas sobre o tema e poucas mulheres conseguem ejacular - mas o fenômeno é real. Nele, a mulher libera, pela uretra, um líquido transparente e sem cheiro. "Para isso é preciso ficar muito excitada por um longo período", explica Maria Helena Vilela. Alguns especialistas assinalam que a ejaculação está ligada ao estímulo no ponto G, localizado cerca de 2 a 3 cm a partir da entrada da vagina.


8) Cochilo pós-coito é uma necessidade masculina
A mulher pode demorar mais para gozar, mas em minutos está pronta para outra. Já o homem necessita de mais tempo para se excitar novamente após o clímax, pois seu organismo demora mais para se recuperar do gasto energético e da descarga do hormônio endorfina. O fenômeno explica porque, depois da transa, os rapazes costumam sentir sono - é o corpo se recuperando.


9) Ovários e úteros não interferem no orgasmo
Mulheres que retiram útero e ovários têm tanta capacidade de chegar lá quanto às outras. “Não há relação com órgãos, apenas com hormônios, que alteram tanto a libido quanto a intensidade do orgasmo”, afirma a ginecologista Denise Coimbra.


10) Ahhhh... Que remedinho bom!
Ter um orgasmo queima calorias, favorece o metabolismo, faz bem ao coração, melhora o sono e a função imunológica, alivia cólicas menstruais e reduz o estresse. Efeitos colaterais? Possível dependência!


11) Homens podem ter orgasmo múltiplo
O orgasmo deles, em geral, vem seguido da ejaculação. Mas clímax é diferente de gozo. Por isso, segundo Maria Helena Vilela, no sexo tântrico (técnica ligada a uma filosofia indiana que trabalha com a energia sexual), os homens podem ter orgasmo sem perder a ereção.


12) Retarda a dor
Durante o orgasmo, o corpo libera uma dose extra de endorfina. "Além da sensação de bem estar, o hormônio anestesia o corpo" atesta Maria Helena Vilela. Explicada aquela dorzinha que você só sentiu no dia seguinte? Foi a bendita endorfina!


13) A idade influencia
Na maturidade, as mulheres passam a se conhecer melhor, tendo mais facilidade para chegar ao orgasmo. De outra parte, a menopausa desregula os hormônios, prejudicando a libido. A boa notícia? Com o devido acompanhamento médico, a menopausa perde a briga idade X sexo. E quem ganha é você!


14) Garanta o seu!
Há maneiras naturais de prolongar a ereção masculina. “Evite contato direto com o pênis se sentir que o parceiro está muito perto do orgasmo”, aconselha a sexóloga Maria Helena Vilela. Diminuir o ritmo até que você esteja quase gozando também é um jeito de retardar a ejaculação. Não deu para segurar? Então, peça ao seu parceiro que continue estimulando você por meio de carícias.


15) A posição faz toda a diferença...
"A dica número um é escolher a mais confortável", garante Lura Muller. No entanto, algumas favorecem o "ahhh" feminino:

• Deite-se de barriga para baixo e peça para o parceiro penetrá-la por trás.
• Sentada sobre ele, incline-se para trás.
• Deitada de barriga para cima, com uma almofada sob as costas, eleve o quadril e deixe as pernas sobre os ombros do companheiro.

Veja também: 12 passos para uma menopausa saudável

Por Filadélfia

Texto de Roberta Figueira [roberta.figueira@abril.com.br]

Fonte: Revista Viva [www.vivamais.com.br]
publicado por institutogamaliel às 17:04
tags:


Torne-se uma mulher ainda mais sensual e sedutora com as técnicas do pompoarismo.

Foto: groupon.com.br


Verão está aí: mulherada lotando academias para deixar o bumbum firme, o abdômen definido, as pernas torneadas. Querem garantir uma caminhada sem risco de turbulências até o mar. Legal. Mas, quando você tira a parte de baixo do biquini, continua sarada? Está na hora de se preocupar com a flacidez da sua coleguinha íntima (oi, você que já pariu!!!) e colocá-la para suar um pouco. Bati um papo sobre isso com a terapeuta tântrica Lu Riva para uma “Rapidinha”, sessão de entrevistas breves mas satisfatórias. Ela é espacialista em pompoarismo, uma técnica oriental milenar que consiste na concentração e relaxamento dos músculos vaginais. Lu Riva garante que a libido e o prazer aumentam tanto que você vai se impressionar com a vontade de fazer ginástica…

O pompoarismo é uma técnica milenar que consiste na contração e relaxamento dos músculos circunvaginais, buscando como resultado o prazer sexual. Para o domínio da técnica são realizados com o auxílio dos ben-wa, que consistem em pequenas bolas ligadas através de um cordão de nylon, conhecidas também como bolinhas tailandesas (no caso das mulheres), e na contração na musculatura no esfíncter e dos músculos do períneo (no caso dos homens). Afirma-se ainda que o pompoarismo pode ser benéfico contra incontinência urinária e na preparação do canal para partos mais fáceis.

O pompoar, no caso dos homens, está relacionado a levantar pequenos pesos, contraindo a musculatura do pênis a fim de obter melhores resultados sexuais.

Muitos dos exercícios propostos para o pompoarismo fazem parte "Exercícios de Kegel", sugeridos por ginecologistas a fim de prevenir flacidez pós-parto e evitar a incontinência urinária.

Ginástica semelhante foi desenvolvida na década de 1950 pelo ginecologista Arnold Kegel. Em 1952 Kegel "desenvolveu" alguns exercícios para mulheres que tinham problema de incontinência urinária. Com pesquisas ele descobriu que o músculo pubococcígeo estava fora de forma e não funcionava de maneira adequada. Exercitando esses músculos, o problema médico era resolvido e o potencial para sensações genitais e orgasmo era aumentado. Em parte porque o fluxo sangüíneo aumenta em músculos exercitados, e o aumento do fluxo de sangue está relacionado com a facilidade para excitação e orgasmo. Quando aumenta-se a força de um músculo, aumenta-se seu suprimento de sangue, o efeito colateral: o aumento do fluxo de sangue para a pelve implica níveis mais elevados de excitação e orgasmos mais intensos. [pt.wikipedia.org]


Benefícios do Pompoarismo:

• Fortalece os músculos vaginais aumentando o prazer sexual do casal.
• Regula os hormônios, pois ativa a circulação da área pélvica.
• Conserva por mais tempo a libido das pessoas que praticam os exercícios regularmente.
• Ajuda no tratamento de frigidez.
• Auxilia e previne problema de incontinência urinária, queda do útero, bexiga, flacidez vaginal.
• Proporciona orgasmos mais intensos.
• Dá maior mobilidade aos quadris e a área pélvica.
• Melhora a performance da mulher na cama.
• Eleva a auto-estima, pois você se sente mais segura e poderosa.
• As praticantes do pompoarismo ficam sexualmente mais preparadas, melhorando sua intimidade.
• Mulheres que têm parceiros com ejaculação precoce podem utilizar o pompoarismo para amenizar e, junto com a terapia, superar o problema. [vilamulher.terra.com.br]


Dúvidas

- Qualquer mulher pode malhar a vagina?
Qualquer mulher DEVE fazer isso pensando, primeiro, na saúde. É uma ginástica como outra qualquer, focada nos músculos pélvicos: trabalha muito o abdômen, os glúteos e as coxas. Até queima calorias!

- Ok. Como funciona?
Ensino mais de 70 exercícios para treinar os três anéis vaginais, alternando força e velocidade (todos no livro “Pompoar: Prazer & Saúde”). Em um deles, ela senta sobre a mão. Deve tirar a respiração do abdômen e tentar contrair o períneo, músculo que divide o ânus do vagina. Se percebê-lo mexendo sobre a mão, está praticando o pompoarismo. Não precisa estar nua, basta uma roupa de ginástica. Na minha aula, percebo se a mulher está fazendo direito porque cada anel mexe um ponto específico do baixo ventre. Acessórios como aquelas bolinhas ligadas por cordão ajudam a evoluir mais rápido.

- Não precisa ter medo de ficar com a dita cuja musculosa? Ela muda fisicamente?
A musculatura vai ficando flácida com a idade, assim como peito ou bumbum. Com o pompoar, a vulva fica mais bonita e forte porque está mais irrigada de sangue. Com tônus muscular, ela fica mais expressiva: consegue até mandar beijinho! Fora que a lubrificação e a libido também aumentam com os exercícios.

- O pênis percebe a diferença? Há chances de “estrangulá-lo” se a moça não estiver gostando da transa?
Sim! A mulher passa a movimentar a vagina de forma sensual e provoca sensações eróticas no pênis. Ela consegue literalmente estrangulá-lo: apertar as veias que estão pulsando na base do pênis, segurando a ejaculação. O sexo é mais intenso e tem maior duração. A maioria das mulheres tem o orgasmo clitoriano, com estímulo externo e intensidade 110W. Com o pompoar, ela trabalha o corpo de dentro para fora e sente orgasmos vaginais, os de 220w.

- O pompoar te livrou das crises de cistite, aquela inflamação que causa dor para urinar, conhecida como doença da lua de mel. Como foi isso?
Tive esse problema dos 24 aos 25 anos, tomava antibióticos fortíssimos e a bactéria ficou resistente. Depois que comecei o pompoar, não tive mais nada. Meu ginecologista deu duas explicações para isso. A primeira é que a prática fez com que a minha bexiga “subisse”: ela era baixa e tornava o canal da uretra curto, propenso à infecções. A outra possibilidade é que o pompoar aumenta o fluxo sanguíneo na região pélvica e, consequentemente, a minha imunidade. Pompoarismo não é pornografia, é qualidade de vida e saúde. [Lu Riva] Texto de Nathalia Ziemkiewicz do Sex Pedia

Veja também: Exercícios de Kegel melhora a incontinência urinária, o desempenho sexual e prepara a pélvis para o parto

*Lu Pompoar
Espaço da Sensualidade Feminina
Cursos, na Vila Mariana, em São Paulo.
Mais informações em www.lupompoar.com.br
publicado por institutogamaliel às 17:03
tags:


Foto: Reprodução
A alimentação tem um forte impacto sobre nosso corpo e também sobre a mente. O gosto, o cheiro e a textura dos alimentos podem afetar, direta ou indiretamente, nos desejos sexuais.

Mas quais os alimentos afrodisíacos que ajudam os casais a despertar a libido? Preparamos 20 opções de afrodisíacos para você curtir o seu amor. Escolha as suas e se entregue à paixão!

1. OSTRAS
São consideradas afrodisíacos devido ao seu alto teor de zinco, que ajuda a produzir esperma e aumentar a libido. Ostras cruas servidas com uma taça de vinho tornam a refeição muito romântica!

2. MORANGOS
Com o formato de um coração, o morango com chantily servido, tradicionalmente, em uma taça é muito sexy.

3. CAMARÃO
Suculento, o camarão é um alimento muito rico em iodo. Além disso, é conhecido por aumentar o desejo sexual.

4. AZEITONAS
Azeitonas e azeite de oliva são saudáveis para o coração e considerados alimentos saborosos para o amor. Talvez, por esse motivo, os italianos tenham fama de serem tão românticos.

5. AVEIA
Incentiva a liberação de testosterona em homens, aumentando seus impulsos sexuais.

6. ASPARGOS
Contém ácido fólico e vitamina B, itens muito importantes para as mulheres, pois ajudam a manter o coração saudável e, ainda, na fertilidade.

7. FRAMBOESAS
Sensualmente doce, essa fruta é ideal para sobremesa.

8. ERVAS E TEMPEROS
(manjericão, cravo, alho, gengibre, ginseng, pimenta asafetida)
Atuam como feromônios, estimulando as emoções pelo cheiro, além de estimular o sistema circulatório e o fluxo do sangue.

9. CAVIAR
Com vitaminas, fósforo e outros minerais, o caviar é um alimento elegante e afrodisíaco. Ideal para incluir em um jantar a dois.

10. MEL
Muitos medicamentos nos tempos egípcios eram feitos à base de mel e curavam esterilidade e impotência. O mel é rico em vitamina B, que é necessária para a produção de testosterona. Ele também contém boro, que ajuda o organismo a metabolizar hormônios estrógenos.

11. AMÊNDOAS
Consideradas símbolo de fertilidade, as amêndoas são ricas em vitamina E, nutriente importante para um corpo saudável e fértil.

12. ROMÃ
Este fruto vermelho-rubi com sementes suculentas é um dos símbolos da fertilidade. As romãs melhoram o fluxo sanguíneo, proporcionando um aumento considerável da sensibilidade genital.

13. ABACATE
O abacate é considerado uma fruta erótica pelo seu formato, que lembra o útero. Ele também é rico em ácido fólico, vitamina B6 e potássio, que ajudam a fortalecer o sistema imunológico.

14. BANANA
Banana é rica em potássio, magnésio e vitamina B, que são dois componentes para a rodução de hormônios sexuais. Também contém sais minerais quelantes e a enzima bromelina, que aumentam a libido masculina. Além disso, a banana possui carboidratos, dando energia suficiente para uma longa noite de amor.

15. PIMENTA
Estimulante para os sentidos, a pimenta contém capsaicina, uma substância química que estimula as terminações nervosas e aumenta o calor do nosso corpo. A pimenta também liberam endorfinas, que fazem aumentar nosso desejo sexual.

16. CHOCOLATE ESCURO
Contém uma série de compostos que incluem a anandamida, provocando uma sensação de bem-estar, e feniletilamina, a “química do amor”, que libera dopamina no cérebro durante os picos do orgasmo. Isso ajuda a induzir sentimentos de atração, excitação e euforia.

17. BAUNILHA
O aroma e o sabor inebriante da baunilha são ricos em poderes afrodisíacos alimente o seu amor com creme de baunilha enquanto queima uma vela perfumada com a mesma escência e veja o seu desejo sexual florescer.

18. FIGOS
Excelente fonte de ferro e potássio – dois minerais essenciais para a saúde sexual, os figos têm uma carne rosa muito exótica e doce. Existem diversas histórias associadas ao figo. Eles são mencionados na Bíblia - Adão e Eva usavam folhas de figueira para cobrir suas partes íntimas. Era também a fruta favorita de Cleópatra, e os gregos antigos o tinham como algo muito sagrado, associando-os ao amor e à fertilidade.

19. AIPO
Conhecido por conter androsterona, um hormônio masculino que é capaz de estimular o desejo sexual nas mulheres.

20. VINHO TINTO
Contém um antioxidante conhecido como resveratrol, que, segundo estudos, tem a capacidade de aumentar a produção de estrogênio. Isso leva a um aumento do apetite sexual. Um ou dois copos é o bastante para relaxar e estimular os nossos sentidos.

Veja também: Afrodisíacos naturais que estimulam o desejo sexual

Texto de Eliane Martins | Buquê de Noiva
publicado por institutogamaliel às 17:02
tags:


Desde o final da década de 60 que o jargão se fez notório: Sexo, Drogas e Rock Roll.

Este foi o grito requerendo ajuda de uma juventude em decadência profunda daquela época e é o mesmo grito nos dias de hoje.

Tudo o que precisavam era de um referencial e o buscaram de forma errada nas pessoas erradas, já que a própria estrutura familiar estava desabando frustrando os sonhos e gerando desequilíbrio emocional.

Nos dias de hoje não é diferente, a juventude esta em busca de referencial, tudo o que querem e paz e amor em suas vidas.


Porém Jesus disse em João 14:27:

"A minha paz voz deixo, a minha paz voz dou, dou não como o mundo a dá, não se turbe o vosso coração e nem se atemorize."

Conhecendo a raiz desta afirmação:

A Palavra paz liberada por Jesus é, Shalom que quer dizer, paz perfeita, sem barganhas, paz sem mistura, este nível de paz somente um ser perfeito em tudo pode conceber, e a paz que não depende de circunstâncias.

Por duas vezes no mesmo versículo o Senhor Jesus afirma que concebia a Paz, pois ninguém melhor do que ele para ser o referencial de alguém que caminhava debaixo deste principio de paz que o povo daquela época não conhecia.


Jesus estava nos chamando a caminhar debaixo de uma paz que o mundo não pode em hipótese alguma oferecer, pois esta paz gera alicerces para fé.
“A PAZ de Cristo gera alicerces para a fé do Crente”.

E o que isto tem haver com a juventude? Tudo! Pois a única classe que abertamente declara a sua busca pela paz é a classe juvenil, é a juventude.

Um jovem como referencial de Paz é um jovem que pode atrair multidões, por cauda da graça que naturalmente já lhe é concedida por meio de uma intimidade contínua com o Criador.

O príncipe deste mundo sabe exatamente o que um jovem busca.


O jovem busca a Paz, e esta não lhes é normalmente oferecida em seus lares que é a base social, e eles em sua própria linguagem buscam entre si soluções para resolverem seus problemas e questionamentos.

Um jovem sempre está disposto a mudanças e se ele estiver convencido de que a melhor forma de se viver é baseado na santidade ele vai procurar buscá-la, porém ele precisa de um roteiro a seguir e um referencial para imita-lo e uma inspiração para motivá-lo.

“Todo jovem está em busca de um referencial, um modelo"

Se a juventude perceber que aqueles que estão ao seu redor são santos será mais fácil para eles.

A criança e o jovem são perspicazes e extremamente inteligentes eles percebem quando algo está errado e respondem na mesa dimensão.

“A Juventude costuma responder ao Modelo"

Em sua existência é apresentada a juventude vários modelos a serem seguidos. Já sabemos que o principal deles é a família, mais especificamente o pai e a mãe.

“Na ausência do modelo ideal o jovem busca modelos paralelos"

Quando estes ou a ausência destes modelos não responde satisfatória mente dando-lhes a direção correta, o jovem sai em busca de outros modelos a seguir, e geralmente os mesmos modelos que os pais estão fundamentados: Novelas, filmes, conceitos impiedosos e princípios baseados no espírito deste mundo, costumes pagãos etc.

Porém se lhes for oferecido o modelo santo a probabilidade de obtermos uma resposta santa aumenta. E é a esse tipo de exposição que a juventude precisa ser submetida.

“Se oferecermos um padrão de santidade, o jovem responde"

Manter-se santo é um ato individual, porém gerar um estilo em santidade é esforço coletivo, onde há um santo deve haver mais.

Um rapaz ou uma moça tem total condição de se manter puros para um matrimonio de sucesso. Deus acredita nisto (Jovens eu vos escrevo porque sois fortes - I João).

Há uma força especifica observada por Deus na juventude para que este vença a sua carne e os apelos do mundo, isto é possível.


É possível um jovem caminhar em um estilo de santidade a tal ponto que incomodo de outros ao seu redor e desperte uma curiosidade e inspiração em outros jovens.

Porém creio que no que diz respeito à igreja isto terá que começar do líder e passar a repousar nos demais.

Dizer não para o pecado é uma questão de em primeiro lugar decidir que devo dizer: Eu decido caminhar em santidade, dizer não para o pecado.

Depois de ter decidido, ai começa a segunda fase, que é lutar, esmurrar o seu próprio eu para ver a glória de Deus.


“Fazer a vontade de Deus atrai a Sua Glória".
publicado por institutogamaliel às 12:47


A completa permissividade que vemos hoje é, certamente, conseqüência da Revolução Sexual iniciada da década de 1960. Os apelos sexuais da mídia geral levam muitas pessoas (principalmente adolescentes e jovens) a praticarem o sexo sem compromisso. Mas levam-nas também, inconscientemente, a sentirem nojo, aversão e culpa por essas práticas - e essa é uma estratégia diabólica para ofuscar a beleza do sexo, uma das coisas mais santas e prazerosas que Deus criou.

Os jovens evangélicos têm sobre si duplo peso: viver num contexto pós-moderno onde não há absolutos morais e os chavões mais populares (“Ah, o que é que tem?!” e “Isso não tem nada a ver!”) nasceram dos pensamentos acadêmicos relativizados e onde pais e líderes evangélicos não assumem a responsabilidade de desmistificar, des-satanizar e des-sujar a bênção do sexo.

Um dever bíblico e cívico que os pais e líderes têm é o de ensinar princípios morais aos adolescentes e jovens. Exigências podem ser feitas quando os direitos não são respeitados. Acredito que os jovens deveriam exigir dos pais e líderes maior atenção na área da sexualidade. Os pais, por outro lado, deveriam reconhecer humildemente seu erro de omissão e mudar de atitude. Ouvi uma frase, recentemente, que está reverberando em minha mente: “Não devemos ter vergonha de falar daquilo que Deus não envergonhou de criar.” (Clemente de Alexandria)

Os jovens estão escalando sozinhos montanhas íngremes e geladas sem conseguir conciliar os valores éticos bíblicos, a verdadeira ciência e o lixo da mídia. É essa mídia que ensina a excluir e rotular de quadrados todos aqueles que lutam para guardar os valores que conduzem à “boa, agradável e perfeita vontade de Deus”.

Nos atendimentos do Movimento pela Sexualidade Sadia (MOSES) temos recebido muitos jovens (rapazes e moças) sinceros que envolveram-se no homossexualismo a partir de sugestões externas (como apelidos na infância e na adolescência, por exemplo) ou abuso sexual, quando eles não tinham com quem desabafar e tirar suas dúvidas, pois “falar sobre sexo é senvergonhice”. Alguns desses jovens derramam lágrimas de vergonha e culpa pela humilhação que sofreram porque não sabiam como se defender.

Contudo, uma coisa é interessante nas respostas: a certeza que a maioria tem de que sexo antes do casamento e homossexualismo não são os ideais de Deus para a humanidade - por isso as conseqüências estão aí com as mães solteiras sofrendo as juras de amor não cumpridas, as doenças sexualmente transmissíveis e o total desconhecimento de verdades que nos preservam física, espiritual e socialmente .

As campanhas que só ensinam a usar preservativo para o “sexo seguro” são superficiais e incentivam a prática do sexo sem amor e compromisso. Nesse contexto, muitas autoridades da área de saúde já reavaliaram sua posição sobre essas campanhas e, hoje, afirmam que o mais importante no que se refere às DSTs – principalmente a AIDS - é uma mudança de comportamento. À nossa sociedade promíscua e perversa não interessa divulgar essa verdade.

Outro ponto que desperta nossa atenção é o enfoque “espiritualizado” que a maioria dá para o homossexualismo, como se só ele fosse alvo das influências de satanás. Ora, a Bíblia diz em Romanos 11.32 que “Deus a todos encerrou na desobediência, a fim de usar de misericórdia para com todos” e em 1 Coríntios 6.9 a 11 que adúlteros, mentirosos, idólatras, avarentos e bêbados são tão pecadores e alvos do diabo quanto os homossexuais. Acredito que os evangélicos deveriam ler mais livros cristãos sobre o assunto para ter uma visão de mais compaixão e menos preconceito com aqueles que sofrem com tendências homossexuais. O apóstolo Paulo nos mostra no último texto citado que, na igreja de Corinto, havia vários ex-homossexuais libertos pelo Sangue de Jesus e santificados pelo Espírito de Deus.

Outra coisa que observar é o ranço machista que também contaminou a igreja. Percebe-se claramente nas entrelinhas que a responsabilidade maior sobre a virgindade é da mulher. Ora, quando a Bíblia exige pureza, exige de homens também.

Graças a Deus, porém, que “se alguém está em Cristo, é nova criatura: as coisas antigas já passaram” (2 Co 5.17) O passado não pode mais escravizar nossa consciência e em Cristo todos temos possibilidade e motivação para mudar constantemente.

publicado por institutogamaliel às 12:46


A intimidade sexual é limitada ao matrimônio. Somente nesta condição ela é aceita e abençoada por Deus. Mediante o casamento, marido e mulher tornam-se uma só carne, segundo a vontade de Deus. Os prazeres físicos e emocionais normais, decorrentes do relacionamento conjugal fiel, são ordenados por Deus e por Ele honrados?. (bep)

UMA SÓ CARNE

Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne. Gêneses 2. 24 (nvi)

Deus presenteou Adão e Eva com o matrimônio. Eles foram criados perfeitos um para o outro. O casamento não foi uma conveniência, tampouco foi criado por qualquer cultura. Ele foi instituído por Deus e possui três aspectos básicos: (1) o homem deixa seus pais e, em ato público, promete-se a si mesmo à sua esposa; (2) o homem e a mulher são unidos, assumindo responsabilidades pelo bem-estar mútuo e amando um ao outro antes das outras pessoas; (3) ambos tornam-se um na intimidade e no comprometimento de união sexual que são reservados para o casamento. Casamentos sólidos incluem estes três aspectos. (beap)

MANTENHA O LEITO CONJUGAL PURO

Digno de honra entre todos seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula; porque Deus julgará os impuros e adúlteros.

Hebreus 13. 5 (ara)

Respeitar o casamento, seus votos sagrados e sua intimidade física é um outro aspecto da vida santificada à qual Deus chama o seu povo. O ?leito sem mácula? é um eufemismo para a intimidade e as relações sexuais entre o marido e a esposa. Ao contrário do estilo de vida sexualmente promíscuo do mundo, o alto padrão de Deus para a sexualidade humana consiste na pureza e na fidelidade. A união e a intimidade sexual são reservadas para o casamento, e Deus as considera como honradas e puras. A intrusão sexual de uma terceira pessoa na relação do casamento a contamina, e é condenada por Deus. (cbp)

A fim de prevenir-se contra a imoralidade sexual, Deus ordenou o sagrado relacionamento do matrimônio. SEM MÁCULA contém mais do que uma aprovação do relacionamento conjugal, mas também vincula a responsabilidade do casal de preservar sua intimidade das práticas perversas e degradantes de uma sociedade lasciva. (bep)

DESFRUTE DA INTIMIDADE SEXUAL

O marido deve cumprir os seus deveres conjugais para com a sua mulher, e da mesma forma a mulher para com o seu marido. - A mulher não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim o marido. Da mesma forma, o marido não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim a mulher. ? Não se recusem um ao outro, exceto por mútuo consentimento e durante certo tempo, para se dedicarem à oração. Depois, unam-se de novo, para que Satanás não os tente por não terem domínio próprio.

I Coríntios 7. 3 a 5 (nvi)

Estes são versículos notáveis porquanto revelam pontos de vista que parecem estar muito adiantados para o seu tempo: uma saudável percepção da sexualidade da mulher, e a compreensão da completa igualdade existente entre um homem e uma mulher, na área mais íntima de seu relacionamento. As Escrituras não dão qualquer apoio à noção de que as relações sexuais visam unicamente o aprazimento do marido. (beg)

A relação sexual é uma expressão íntima de afeição entre marido e esposa. O apóstolo sublinha sua importância no casamento declarando aquilo que, na verdade, é um dever: o marido deve estar disponível para sua esposa quando ela desejar, e a esposa, para seu esposo quando ele desejar. (bep) Dentro do casamento, a união sexual é natural, saudável e prazerosa, não somente durante um momento, mas durante toda a vida conjunta. (bm)

O LIVRO DE CANTARES

Cantares é uma canção de amor que honra o matrimônio. As alusões mais explícitas sobre sexo na Bíblia podem ser encontradas neste livro, que, muitas vezes, tem sido criticado por causa da linguagem sensual empregada pelo escritor. Contudo, a pureza e a santidade do amor representado nele são muito necessárias nos dias de hoje, nos quais o amor, o sexo e o casamento são banalizados. Deus criou o sexo e a intimidade; mas para serem desfrutados dentro do casamento. Um marido e uma esposa honram a Deus quando se amam e desfrutam um do outro (beap)

AME E SEJA FELIZ

Beije-me ele com os beijos da sua boca; porque melhor é o seu amor do que o vinho. Cantares 1. 2 (arc)

Essa vívida descrição de um relacionamento amoroso começa com a figura do próprio amor, que é ?melhor do que o vinho?; faz com que aqueles que se amam sejam felizes. O texto em Atos 10. 9-16 nos ensina que não devemos interpretar mal ou chamar de comum aquilo que Deus criou e purificou. Podemos desfrutar o amor. Deus o criou como um presente para nós e um deleite para todos os nossos sentidos. (beap)

TENHA TEMPO PARA SEU CÔNJUGE

Aparecem flores na terra, e chegou o tempo de cantar; já se ouve em nossa terra o arrulhar dos pombos. - A figueira produz os primeiros frutos; as vinhas florescem e espalham sua fragrância. Levante-se, venha, minha querida; minha bela, venha comigo. Cantares 2. 12 e 13 (nvi)

Aqueles que se amam celebram sua alegria na criação e em seu amor. Deus criou o mundo, a beleza da natureza, presenteou-nos com o amor e o sexo e nos deu os sentidos para que desfrutemos deles. Nunca deixe os problemas, os conflitos ou as assolações do tempo arruinarem sua capacidade de alegrar-se com os presentes de Deus. Tenha tempo para desfrutar aquilo que Deus criou. (beap)

PERTENCER E SER DESEJADA

Eu pertenço ao meu amado, e ele me deseja. Cantares 7.10 (nvi) Ver 7 a 13

Quando o relacionamento amadurece, deve haver mais amor e liberdade entre os cônjuges. Aqui, vemos que a jovem tomou a iniciativa de convidar seu esposo para o amor. Muitas culturas têm estereótipos sobre o papel que o homem e a mulher devem desempenhar no ato sexual. Porém a segurança do verdadeiro amor dá a ambos os cônjuges a liberdade de tomar a iniciativa de exprimir seus sentimentos e desejos. (beap)

PERTENCER UM AO OUTRO

Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu. Cantares 6.3a (nvi)

O amor que os dois enamorados têm um pelo outro é genuíno e fiel. Não há desejo nem espaço para outra pessoa. No casamento, deve haver tal amor mútuo e dedicação, que a fidelidade conjugal seja da máxima importância na vida do casal. (bep 2.16)

ELOGIE SEMPRE O SEU CÔNJUGE

Tu és toda formosa, querida minha, e em ti não há defeito. O seu falar é muitíssimo doce; sim, ele é totalmente desejável. Tal é o meu amado, tal, o meu esposo, ó filhas de Jerusalém Cantares 4. 7 e 5. 16; ver 4.1 a 7 e 5.10 a 16 (ara)

Como espectadores, é possível que fiquemos embaraçados ao ler estas passagens em que os amantes expõem sua intimidade. No êxtase de seu amor, eles se elogiam mutuamente, usando belas imagens. Suas palavras podem ser estranhas para os leitores de uma cultura diferente, porém o intenso sentimento de amor e de admiração são universais. Comunicá-los através de palavras e ações fortalecem qualquer relacionamento. (beap)

REFLETINDO

SEXUALIDADE, UM DOM DO CRIADOR: Embora a palavra ?sexo? não apareça na Bíblia, a linguagem bíblica descreve o plano de Deus para o comportamento sexual humano, inclusive para a geração de uma descendência e para o prazer sexual no casamento. O sexo foi planejado pelo Criador como um presente especial, que permite ao marido e à esposa expressarem sua unidade em amor íntimo e exclusivo e compartilhar do plano dele para a procriação. Os impulsos sexuais são dados por Deus como um meio de atingir o êxtase natural mais elevado que o corpo humano pode experimentar. (bm)

CÔNJUGES: Aprendam a arte perdida do amor verbal. Aprendam a dizer palavras de amor que acariciam a alma do seu/sua companheiro/a. Entenda e creia que o Senhor continua a ver o relacionamento sexual dentro da santidade do casamento como ?muito bom? e o abençoa. Exalte, no casamento, as virtudes do seu cônjuge acima das virtudes de outros. Reserve momentos regulares, periódicos, com seu cônjuge para revigorar e renovar o romance em seu casamento. (bep)
publicado por institutogamaliel às 12:45


A relação conjugal chega a ser um mistério profundo (Ef 5.32). Acredito que a qualidade e as implicações da intimidade de um casal, extrapolam nossa capacidade de assimilação. Depois de uma relação sexual, o casal nunca mais será o mesmo com respeito ao outro. O ato conjugal é tal, que a Bíblia chega a dizer que “aquele que se une a uma prostituta é um corpo com ela. Pois, como está escrito: Os dois serão uma só carne. Mas aquele que se une ao Senhor é um espírito com ele” (1 Co 6.16-17). Em outras palavras, apenas o intercurso sexual chega a ser comparado com a intimidade espiritual entre uma pessoa e Deus. E mesmo que esse ato seja com uma prostituta, o que não condiz com o padrão estabelecido por Deus para a prática sexual, mesmo assim não deixa de ter as devidas implicações.

Afirmo que a relação sexual é peculiar aos casados, pois assim Deus a definiu, que cada homem tenha sua esposa, e cada mulher o seu próprio marido, para que se evite a imoralidade, da qual a Bíblia ainda diz que devemos fugir (1 Co 7.2; 6.18). Assim sendo, quero fazer menção de alguns benefícios proporcionados pela prática sexual entre um casal. São idéias que me vieram à mente enquanto conversava com minha esposa na manhã de hoje. São algumas idéias que não resultam de nenhum estudo; são apenas expressão do que acho e do que tenho experimentado. É uma pena que ainda exista tantos preconceitos com respeito ao sexo. Poucos têm coragem de falar nele abertamente. A pornografia e a imoralidade em geral têm criado essa imagem negativa de algo tão bom e tão de Deus quanto qualquer outra coisa boa de Deus.

O ato sexual é, provavelmente, o maior fortalecedor do relacionamento conjugal. É difícil encontrar palavras que consigam descrever a sensação de prazer provocada por um orgasmo. Ele dura poucos instantes. Mas, até nisso Deus foi gracioso, pois se um orgasmo não fosse tão rápido em sua duração, é provável que a pessoa perdesse a consciência. O prazer é um dos benefícios permanentes da relação sexual. É por isso que a Bíblia diz: “Desfrute a vida com a mulher a quem você ama, [...] essa é a sua recompensa na vida pelo seu árduo trabalho debaixo do sol” (Ec 9.9). E mais: “Alegre-se com a esposa da sua juventude. [...] Que os seios de sua esposa sempre o fartem de prazer, e sempre o embriaguem os carinhos dela” (Pv 5.18-19). Diz ainda o texto sagrado: “Não se recusem um ao outro...” (1 Co 7.5); isto é, façam muito sexo.

A relação sexual é, provavelmente, a melhor conservadora da intimidade, amor, carinho, respeito, e afeto entre um casal. É difícil imaginar um casal feliz, sem que seja feliz na vida sexual. O sexo é um protetor contra experiências sexuais extraconjugais. Um casal satisfeito sexualmente, é menos vulnerável a se atrair por alguém que esteja flertando do outro lado da cerca. Gosto de dizer que um casal bem resolvido na cama, tem força para resistir às tentações do Diabo na área do sexo (1 Co 7.5). Ao contrário do que muitos pensam, o sexo é algo bem espiritual e não carnal, ou pecaminoso.

Se é verdade que o sexo conserva a qualidade do casamento, como creio que é verdade, é bom ressaltar também que o coito é um excelente elo de conciliação entre um casal em discordância. Recentemente ouvi de minha esposa: “É interessante como a gente se sente mais próximo depois da relação sexual!”. E concordo com ela como sendo verdade. Por mais paradoxal que possa parecer, sábios são os casais que fazem as pazes numa relação sexual calorosa, quando em atritos. O sexo nos traz benefícios que não conseguimos explicar. Felizes os que assim viverem, pois poderão saber o que é ser um com uma pessoa e um também com o Senhor.
publicado por institutogamaliel às 12:44
tags:


Por que eu deveria ir a uma conferência sobre pornografia? Eu perguntava a mim mesmo: por que todo esse barulho? Com a pobreza, abusos de crianças, vícios de drogas, aborto e AIDS aparecendo nas notícias, por que juntar-me a outra "anti" causa? No entanto eu fui ao encontro. Depois de ouvir, chocado, as evidências dos malefícios da pornografia em nossa sociedade, eu decidi juntar-me à cruzada pela sobrevivência dos valores que me são tão importantes e do país que eu amo. Deixe-me explorar com você algumas razões porque cada cristão deveria se juntar à luta contra a pornografia.

PORNOGRAFIA LEVA À IDOLATRIA.

A verdade central da religião cristã é a fé em um único Deus Santo. "Ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto", disse Jesus (Mt 4:10). A história do antigo oriente médio documenta a decadência das nações que adoravam deuses da fertilidade usando órgãos sexuais como seus símbolos e protituição como forma de adoração. Deus, no final das contas, puniu estas nações sem misericórdia, como Ele fez com seu próprio povo quando ele caiu nestas práticas pagãs. Pornografia supre os símbolos, os rituais, os estímulo e o credo para adoração do corpo humano e de seus impulsos sexuais ao invés do eterno Espírito, o Deus Jeová.

PORNOGRAFIA É ANTI-CRISTÃ.

Deus abomina tudo o que é imoral, sexualmente pervertido, associado a idolatria e a luxúria. "Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, ... herdarão o reino de Deus ... o corpo não é para a impureza, mas, para o Senhor" (1 Co 6:9-13). As Santas Escrituras exortam em Ef 5:3 e Ef 5:11: "Mas a impudicícia e toda sorte de impurezas ou cobiça nem sequer se nomeiem entre vós, como convém a santos" e "não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as".

PORNOGRAFIA DESTRÓI AS RELAÇÕES HUMANAS NORMAIS.

Jesus ensinou que nós somos protetores de nossos irmãos. De fato, nós somos guardiães uns dos outros. Pornografia dita que a satisfação dos próprios desejos de alguém é tudo o que importa. Ignorando a praga da gravidez indesejada com seu resultado: o aborto. Deixa pelo seu caminho casamentos destruídos, crianças separadas e molestadas, jovens desiludidos e vizinhanças deterioradas. Os produtores, promotores e participantes não se preocupam com essas coisas.

PORNOGRAFIA ATACA MULHERES E CRIANÇAS.

O Cristianismo estabeleceu um lugar especial e de honra à mulher e a criança. Há séculos, quando ninguém olhava por elas nas sociedades pagãs, a Palavra de Deus deu-lhes dignidade e valor. Pornografia explora as mulheres como ferramentas descartáveis para a satisfação da luxúria masculina. Crianças são abusadas mentalmente, emocionalmente, fisicamente e espiritualmente para satisfazer as compulsões hedonistas dos viciados em sexo. Os seguidores conscientes do Senhor Jesus não podem dar as costas a este comportamento destrutivo. PORNOGRAFIA VICIA. Pornografia envolve seus usuários como uma corda sempre apertando mais através de seus impulsos sexuais. O apóstolo Paulo descreveu este processo assim: "obscurecidos de entendimento, alheios à vida de Deus por causa da ignorância em que vivem, pela dureza do seu coração, os quais, tendo-se tornado insensíveis, se entregaram à dissolução para, com avidez, cometerem toda sorte de impureza" (Ef 4:18-19).

PORNOGRAFIA É ANTI-SEXO.

A Bíblia descreve o sexo como um belo presente e cheio de propósito de Deus para o homem e a mulher. Ele projetou o enccontro sexual entre o marido e a esposa para se uma fonte de prazer mútuo, bem como o meio para perpetuar a Sua criação. Ele deu ao marido e a mulher a incrível capacidade de realizar o milagre de trazer a existência alguém à Sua imagem. Não é maravilhoso que este processo esteja "empacotado" em um relacionamento de intensa alegria, fisicamente, emocionaImente, espiritualmente e socialmente? Portanto, não seria de se espantar que Satanás atacasse justamente este ponto central da criação de Deus. Desde o início ele tem se determinado a destruir o sistema que executa o mandamento original de Deus "E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai" (Gn 1:28b). Na demoníaca contradição ao plano de Deus, a pornografia promove a satisfação física sem amor, sexo sem responsabilidade, união sem obrigação pelas conseqüências, e exercício do privilégio sem nenhum cuidado com as conseqüências eternas originalmente projetadas para acompanhá-lo.
PORNOGRAFIA E AMBIÇÃO SÃO PARCERIAS NA MALDADE.
Ambição, de acordo com as Escrituras, desgosta a Deus e é destrutivo para a humanidade. Em contraste, Deus exorta em Sua Palavra que nós vivamos pelo nosso trabalho honesto. Os poucos capitães da indústria pornográfica levam vantagem das massas para seu próprio ganho, apesar dos impactos destrutivos nas vidas e na sociedade. Tanto produtores como revendedores ganham altos lucros. Os cofres do crime organizado estão abarrotados com o ganho proveniente da pornografia. Todos os estudos governamentais documentam umas poucas famílias do crime organizado controlam a distribuição nacional de pornografia pesada (hard core). (Final Report, Attorney Generals Commission on Pornography, Volume 1 at 912-17.)

PORNOGRAFIA AMEAÇA A SOCIEDADE OCIDENTAL COMO NÓS A CONHECEMOS.

O sistema de valores judaico-cristão foi por muito tempo o fundamento moral e espiritual de nossa sociedade livre. Homens e mulheres são socialmente, economicamente e politicamente livres apenas onde eles também são livres das forças escravizadoras do mal. Pornografia é uma destas forças mais escravizantes. Coloca indivíduos e toda a sociedade longe de tudo que é bom e divino. Como o ex-chefe de justiça, Warren Burger, mencionou, "...pornografia pesada (hard-core) apodrece a base da sociedade."
PORNOGRAFIA DESVIA MILHÕES DE DÓLARES EM IMPOSTOS.
Ela corrompe vizinhanças, destrói casamentos e famílias e trabalha junto ao crime organizado. A razão mais forte para que a indústria da pornografia seja eliminada deveria ser seu desafio ao Deus Todo-Poderoso. Pornografia é aint-Deus em suas pré-suposições e anti-cristã em sua prática. Ela destrói tudo que é precioso aos olhos de Deus, que fez tanto o homem como a mulher para experimentar o amor e o sexo como um presente belo, alegre e produtivo. Ela destrói crianças que deveriam ser tanto fruto de um casamento amoroso como beneficiários de uma sociedade moral e sadia.

O QUE A BÍBLIA DIZ ACERCA DA PORNOGRAFIA Do Gênesis ao Apocalipse, Deus enfatizou os mesmos princípios várias vezes. Você não pode misturar trevas e luz, você não pode se juntar ou colocar-se debaixo de conselho de algo que não é de Deus sem se corromper. Lv 20:7, Sl 101:3, Pv 6:25-29; Pv 7:4-27; Pv 23:7; Pv 31:10 Mt 5:27-28; Jo 5:14; Rm 6:11-14; 1 Co 6:12-20; 1 Co 7:1 1 Co 7:8-9; 1 Co 7:37; 1 Co 10:13; Gl 5:16-17; Gl 24; Ef 2:3-6; Ef 4:18-19; Ef 5:3; Ef 5:11; Fp 4:8 1 Ts 4:3; Tt 2:11-12; Tt 3:3-5; Hb 2:18; Hb 4:15-16; Hb 13:4 Tg 1:12-14; Tg 4:1; Tg 4:7-8; 1 Pe 1:14-16; 2 Pe 1:4; 2 Pe 2:9 1 Jo 2:16,17; Jd 18-21; Ap 14:4 cinco razões para livrar sua comunidade da pornografia

ECONÔMICA.

Consumo de pornografia adiciona custos aos serviços de polícia, tribunais, cadeias, etc... especialmente em comunidades que têm lojas "para adultos", cinemas e lojas de "peep-show". Consumo da pornografia promove o o negócio da prostituição nas comunidades, e aumenta o custo de tratar com esse problema. Essas áreas da cidade onde a pornografia ilegal é consumida, outros negócios são afetados, transformando a área em lugar evitado pelos negócios sérios e deteriorando a vizinhança.
SEGURANÇA E SAÚDE PÚBLICA.
Pornografia promove comportamente sexual que espalha o vírus da AIDS e outras doenças sexualmente transmissíveis, muitas das quais estão crescendo em ritmo alarmante. Lojas e barracas de "Peep-show" e os chamados cinemas e teatros "adultos" são simplesmente locais de masturbação ou onde ocorre intercurso sexual ilegal. Eles proliferam as doenças e a saúde pública é ameaçada. Seqüestro, moletação de crianças e outros comportamentos sexuais agressivos são causados e promovidos pela pornografia, especialmente pela pornografia pesada (hard-core). Isto compromete a segurança de nossas famílias, já que muitas mulheres e crianças estão diariamente sob risco de serem atacadas por usuários de pornografia pesada.
SAÚDE MENTAL.
Pornografia é a professora de educação sexual de nossas crianças e adolescentes. O grupo etário que vê - consome - pornogrfia mais que qualquer outro grupo etá entre 12 e 17 anos de idade. Pode-se prever que este grupo etário é o mais negativamente afetado pela exposição à pornografia. Isto é pior se a pornografia é violenta, se a exposição se dá em pouca idades, e se a exposição resulta em uma experiência traumática ou experiência super-estimulante. Crianças e adolescentes, a menos que ensinadas com cuidado, de maneira sistemática, acreditarão que o comportamente anormal mostrada na pornografia é normal. Eles crescerão com a idéia irrealista, freqüentemente mórbida, do que esperar de um relacionamento sexual. Isto é extremamente perigoso perigoso para a saúde mental das crianças e adolescentes e é um dos fatores de predisposição e pré-condicionamento que levam a desordens, desvios e disfunções sexuais. A pornografia não ajuda mas causa casamentos instáveis, aumento dos divórcios e evita que jovens e adultos tenham a intimidade social que necessitam.

MORALIDADE.

Nossa sociedade caminha grandes distâncias no sentido de tirar o melhor de nós os cidadãos, para promover e desenvolver as melhores qualidade. A pornografia, no entanto, apela aos interesse sexuais mais baixos. Ela toca em nosso lado negro e traz para fora o que há de mais perverso. Ela promove a degradação da mulher. Isto é intolerável, inaceitável, um estigma social. É errado cultural e moralmente a promulgação desenfreada da propaganda degradante e desumanizadora. Isto não é a coisa certa a se fazer. É imoral tratar as mulheres como objetos para venda, uso e abuso. A mulher não é apenas um brinquedo. Nenhuma sociedade que tolera - permite ou promove - o abuso seletivo de mulheres e crianças pode chamar a si mesmo de boa. Está, na verdade, produzindo degradação e auto-destruição.

RELIGIÃO.

Igualdade não promovida pela pornografia; desequilíbrio de poder sim. Imoralidade sexual e promiscuidade são promovidos pela pornografia. Os comportamentos e atitudes encorajados pela pornografia são especificamente proibidos em virtualmente todas as religiões no mundo - e por uma boa razão. A imagem de Deus na humanidade não pode sobreviver junto com os desvios provocados pela pornografia. Como a Religious Alliance Against Pornography (Aliança Religiosa Contra a Pornografia) diz: "Pornografia é u mal que deve ser eliminado."

Resumido de National Coalition for the Protection of Children and Families
publicado por institutogamaliel às 12:44


É muito natural, hoje em dia, que um casal de noivos durma junto para testar o relacionamento dos dois: “Devemos ou não nos casar?” Esta maneira de agir do mundo é correta?

Há pessoas que estão vivendo juntas há 10 ou 15 anos e parece estar dando certo (isto é o que eles dizem).
Vejamos algumas razões que nos mostram que esta maneira de pensar do mundo está contra os planos de Deus para a nossa completa felicidade no casamento:

1) Por que Sexo Antes do Casamento Não Nos Fará Conhecer o Verdadeiro Amor?

Quando estamos fora do centro da vontade de Deus, aquilo que estamos planejando para nossa vida não pode dar certo. Em 1Tes 4:3 a Bíblia nos diz:

“Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação; que vos abstenhais da prostituição;”

Deus não aprova o sexo fora do casamento.

O homem pode até dizer que é liberal, que não acha nada demais haver o sexo pré-nupcial, mas, bem no íntimo de sua alma, ele prefere se casar com aquela moça pura, obediente à Palavra de Deus e que se guarda para o seu marido que a conhecerá na noite de núpcias.

Muitos desses noivos liberais, quando conseguem o que querem da noiva ficam achando que ela já praticou sexo com algum ex-namorado. O que prova o contrário?

Moça, procure chegar até seu esposo de cabeça erguida, sem ter de que se envergonhar, fiel não só a ele mas principalmente ao Senhor que foi o criador do sexo que é lindo e puro dentro do casamento.

2) Porque Sexo Antes do Casamento Nos Afasta do Perfeito Plano de Deus?

Não devemos ver o sexo como um simples prazer de momento, ou como um ato físico mas como a união entre duas pessoas numa só. É um ato tão íntimo que podemos dizer que parte de você fica com ele e parte dele fica com você.

Se você já teve relação sexual com outro, então quando você se casar não poderá dar a seu marido , ou vice-versa, 100% de você porque parte de você já ficou com outro (a). Deus fez você para ser única e exclusivamente de seu marido. É este o Seu plano.

3) Como Me Vejo Após Ter Relação Sexual Antes De Me Casar?

Em 1Cor 7:8,9, a Bíblia nos diz que é melhor casar-se do que abrasar-se. Ainda em 1Cor 7:32, ela nos diz que o corpo não é para a prostituição, senão para o Senhor. A Palavra de Deus chama de fornicação ao sexo pré-nupcial.

Tanto o homem como principalmente a mulher se desvalorizam se fazem sexo antes do casamento. Viver juntos antes de se casarem, faz com que apareçam um sem número de problemas. A situação se torna tensa. Surge um clima de insegurança e de desconfiança, aparecem pressões no relacionamento, auto desvalorização e o que é pior... aos olhos de Deus, eles fornicaram.

4) Como Me Sinto Após Ter Relação Sexual Antes De Me Casar?

Temos que admitir que o “sentimento de culpa” que, muitas vezes, vive dentro de nós, se deve ao fato de sermos pecadores, miseráveis e de não seguirmos os conselhos bíblicos de nosso Deus Santo que sempre quer o melhor par nós.

No livro “Resposta Francas a Perguntas Honestas” de Jaime Kemp, um jovem diz o seguinte: “Sou crente em Jesus, filho de pastor e presidente da União de Mocidade da minha igreja. Isto também é uma das causas do tremendo sentimento de culpa, do qual não consigo me libertar. Toda esta angústia deve-se a um fato ocorrido há quase um ano e meio atrás. Por alguns meses, mantive relações sexuais com a esposa do regente do coral de nossa igreja. Foi uma experiência amarga. O sentimento de culpa tornou-se insuportável e nos fez terminar com aquele vínculo ilícito. As conseqüências porém, têm sido terríveis. Perdi a paz, a alegria em servir a Deus e a ousadia de testemunhar sobre Jesus. Passei, inclusive, a sentir dúvidas sobre minha salvação. Por favor, me ajude!” Este exemplo não é, na verdade, sobre um fato que aconteceu entre dois noivos mas entre um jovem e uma mulher casada. Mas o que queremos focalizar aqui, é o sentimento de culpa que surge quando estamos fora da vontade de Deus, quando estamos em pecado. Mas graças ao nosso Deus que nos ama e nos perdoa se confessarmos os nossos pecados e mostrarmos um arrependimento genuíno (veja 1Jo 1:9).

5) O Que Surge Fatalmente Após Uma Relação Sexual Antes do Casamento? Uma Grande Decepção

Geralmente, é mais a mulher que sonha em um dia ficar a sós com a pessoa que “ama” e se entregar de corpo e alma pensando que vai ter momentos muito pazeirosos. Mas, com a pergunta: “Para vocês a experiência sexual foi agradável,desagradável ou uma decepção?”, num levantamento feito em uma clínica de mães solteiras, chegou-se à seguinte conclusão: 50% disse que foi uma decepção; 30% disse que foi desagradável e revoltante, enquanto só 20% respondeu que foi agradável. 1Tes 4:4,5 nos diz: “Que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra; Não na paixão da concupiscência, como os gentios, que não conhecem a Deus.”

6) Que Riscos Você Corre Se Tiver Relação Sexual Antes Do Casamento?

O sexo antes do casamento é arriscado sob vários aspectos: doenças venéreas, aids...

As doenças venéreas podem causar infecções sérias, cegueira e até a morte. A aids, depois de muito sofrimento, causa a morte. E o pior é que pode ser transmitida para os filhos com os mesmos efeitos. Veja o que pode acontecer com você: “Marta, uma jovem crente, era noiva de Tiago, presidente do jovens de uma igreja muito conceituada, de doutrina firme, e de comunhão invejável. Por causa do “amor” que havia entre ambos e dos carinhos, que cada vez ficavam mais audaciosos, decidiram dormir juntos e esqueceram qual era a vontade de Deus com relação a duas pessoas solteiras. E tudo foi mais ou menos assim:

MARTA dormiu com TIAGO que tinha dormido com HELENA e com MARIA que tinha dormido com JOSÉ que tinha dormido com 5 prostitutas (duas delas tinha AIDS). Por causa de uma noite de amor e prazer com o noivo crente (ela tinha certeza que não havia perigo nenhum), Marta contraiu o virus da Aids.

7) Será Que Sua Vida Pode Mudar Completamente Após Ter Relação Sexual Antes do Casamento?

Ao visitar um lar de mães solteiras podemos ver o desespero refletido em cada rosto. São jovens que não sabem como enfrentar o futuro; não sabem se um dia conhecerão o verdadeiro amor e se constituirão um lar.

A jovem crente deve colocar seu namoro nas mãos do Senhor. Quando ela começa a pensar que é senhora de tudo, que sabe o que está fazendo é, então, que o inimigo de nossas almas começa a agir. E é aí que ela começa a fazer o que não deve e, de repente, pode descobrir que está grávida.

A gravidez pode acontecer com qualquer pessoa e esta pessoa pode, até mesmo, ser você. E, quando isto acontece, você pode trazer dentro de você uma criancinha que já a partir do 28o dia de fecundação tem o coração já a palpitar. No 30o dia, quase todos os órgãos já começaram a funcionar. Antes mesmo de você descobrir que está grávida o seu bebê já é uma pessoa e se você pensar em abortar você estará matando o seu filho. Sl 139:13-16 diz: “Pois possuiste os meus rins; cobriste-me no ventre de minha mãe. Eu te louvarei, porque de um modo assombroso, e tão maravilhoso fui feito; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem. Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui feito, e entretecido nas profundezas da terra. Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia.”

Quando a gravidez é descoberta, começam a surgir os problemas: vergonha, despreparo financeiro e ressentimento mútuo.

Mesmo sabendo que Deus nos perdoa, devemos evitar tamanhos transtornos.

8) Será Que Imaginamos O Tamanho Dos Problemas Que Podem Surgir Se Tivermos Relações Sexuais Antes Do Casamento?

Nunca tenha certeza de que o rapaz que você “ama” e que diz que a “ama” se casará com você quando souber que você está grávida. O homem, mesmo aquele liberal, prefere se casar com a moça que guardou a sua virgindade para ele. Na sua maioria, o homem quer ser o primeiro.

Deus foi, é e será sempre o mesmo. Para Deus não existem frases como: “Agora é tudo diferente...!”, “Antigamente é que se pensava assim!”, “Agora é tudo natural, temos que nos conhecer bem para não darmos um passo errado!”.

Veja que problemão você arranjou: Você descobre que está esperando um filho de seu noivo e ele lhe diz: “Será que este bebê não é de outro?” ou “Não, não quero me casar com você, pois não a amo!”.

E quanto a seus pais? Como enfrentá-los?

E quanto a igreja? Como encará-la?

E quanto a Deus? De todos os problemas, este é o mais grave! O seu pecado não foi contra ninguém mas somente contra Deus. Veja o que o rei Davi disse a Deus em Salmos 51:4: “Contra Ti, contra Ti somente pequei, e fiz o que é mal à Tua vista.”.

9) Será Que A Incompatibilidade No Casamento Surge Quando Não Aceitamos O Plano De Deus Em Nossa Vida E Mantemos Relações Sexuais Antes Do Casamento?

Como nos enganamos em pensar que sabemos o que é o amor! Muitas vezes, nos entregamos de corpo e alma ao nosso noivo e pensamos que o que estamos fazendo é uma demonstração do amor verdadeiro. Puro engano!!! O que está havendo entre os dois é apenas uma atração sexual.

O amor verdadeiro é aquele de 1Cor 13 que diz que o amor é sofredor, é benigno, não é invejoso... é aquele que enfrenta fraldas e louça suja, cabelo despenteado, bebê chorando por toda uma (s) noite (s) , dificuldades financeiras, doenças... e mesmo assim os dois ainda se amam e seguem juntos enfrentando bons e maus momentos que surgem em suas vidas.

Quando você se casa e vê que está tendo um casamento infeliz é quando então você descobre que o que você sentia (e provavelmente ele também) era apenas uma atração sexual.

10) Será Que Seu Casamento E Sua Felicidade Estarão Ameaçadas Se Você Mantiver Relação Sexual Antes Do Casamento?

No livro “Love, Dating & Marriage” de George B. Eager, ele diz que “o sexo antes do casamento lança a semente da dúvida e da desconfiança”.

Alguns casais que mantiveram relações sexuais antes do casamento, aparentemente vão bem mas existe no coração do marido, ou da mulher, ou de ambos, sentimentos de desconfiança, rejeição, ressentimento, etc. Outros, mesmo casados, continuam procurando o verdadeiro amor, mantendo relações extra-conjugais. Estes estão sempre procurando novas experiências.

Vejamos alguns versículos que nos mostram o que Deus realmente pensa sobre o casamento: 1Cor 6:18; Heb 13:14; 1Cor 6:9,10.

Fugi da prostituição. Todo o pecado que o homem comete é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo. (1 Coríntios 6:18 BRP)

Porque não temos aqui cidade permanente, mas buscamos a futura. (Hebreus 13:14 BRP)

9 Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? 10 Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus. (1 Coríntios 6:9-10 BRP)

Do mesmo modo que Deus condena a fornicação, Ele nos perdoa se viermos a Ele arrependidos. Vejamos os versículos: 1Jo 1:7-9; Jo 6:37.

7 Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado. 8 Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. 9 Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça. (1 João 1:7-9 BRP)

Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora.
(João 6:37 BRP)
publicado por institutogamaliel às 12:43


Na televisão, internet, jornais, revistas, histórias em quadrinhos, cinema, é possível encontrar uma diversidade de materiais que remetem às atividades sexuais. Porém, isso não é sexualidade. Segundo o dicionário online Priberam, sexualidade é o "Modo de ser próprio do que tem sexo". Fazer compras, ir à escola, trabalhar, comer, viajar, amar, ter relações sexuais, enfim, todos os atos do homem, ou da mulher, são sexualidades.

Desde 1997, a partir do voluntariado em uma comunidade, a psicóloga Tonina Miraglia atua com adolescentes e jovens. Percebendo a necessidade de ampliar o tema "sexualidade", ela observou a importância de trabalhar de forma real e com valores cristãos esse assunto. Entre 1998 e 2008, Tonina viajava pelas igrejas, organizações e escolas, ministrando os seminários do Projeto Wait ('esperar' em inglês) -, o nome remete ao objetivo de incentivar os jovens a se manterem virgens até o casamento, aprendendo a conviver com impulsos, desejos e sentimentos naturais. Pais, líderes, professores e principalmente a juventude eram os principais alvos desse trabalho.

Em entrevista exclusiva ao Guia-me, Tonina Miraglia fala sobre sexualidade, igreja, pornografia e dá dicas aos pais para que eles auxiliem seus filhos a terem uma sexualidade saudável.

Guia-me: Qual a sua definição de um adolescente e jovem com uma sexualidade saudável?

Tonina Miraglia: São pessoas que sabem quem são, conhecem o próprio potencial, a partir do Criador, pensam de forma alinhada com o propósito da criação, existência e função. Alguém assim provavelmente vai ser emocionalmente mais equilibrado e a chance da maturidade na análise para tomada de decisão, com escolhas mais conscientes, consequentes e responsáveis, aumenta muito. Ninguém nasce assim. Ao longo da vida a informação que recebe, os estímulos do ambiente, da cultura e da mídia apontam para um caminho que leva a um alvo bem diferente. Precisamos nos preparar e informar nossos adolescentes e jovens com conteúdos que normalmente não estão disponíveis nos nossos dias onde a velocidade valorizada estimula decisões por impulso, que trazem consigo peso, dor, e adolescências literalmente interrompidas.

Guia-me: Como os pais devem abordar assuntos de sexualidade com os filhos de forma bíblica e atual?

Tonina Miraglia: Depende de como eles estão em relação a si mesmos quanto a esse assunto. Nós temos pensamentos, sentimentos e agimos em função disso tudo. Os filhos conhecem os pais. Acredito que nós, que somos pais, professores e líderes, precisamos estudar mais, ler, conversar, nos expor, para crescer nessa área e poder ensinar sem hipocrisia. De modo geral, ameaças, moralismo e religiosidade não ajudam em nada, mas em relação à sexualidade, essas práticas são especialmente nocivas.

Guia-me: Você acredita que a Igreja brasileira está preparada para falar sobre sexo com seus membros? Por quê?

Tonina Miraglia: Eu acredito que sim, mas não sei se estamos organizados o suficiente para fazer isso acontecer. De modo frutífero, precisamos nos unir e nos organizar melhor. Em fevereiro dei um curso para 30 professores em Itaperuçu(PR). Foi um dos trabalhos mais eficazes que realizei nos últimos anos. Trinta professores, que atingirão 900 alunos. Eficaz, não?

Guia-me: Como uma igreja deve tratar um jovem que mantém relações sexuais , porém, diz não encontrar forças para abandonar a prática? Acha correto a disciplina?

Tonina Miraglia: A gente precisa ver o que significa esse "não encontra forças para abandonar a prática". Isso pode significar muitas coisas, desde um comodismo até um transtorno no controle de impulso, que precisa de tratamento psicoterápico e, às vezes, farmacológico também.

Guia-me: Você acredita que pessoas que foram abusadas ou molestadas sexualmente têm mais tendência a uma vida sexual ativa antes do casamento? Por quê?

Tonina Miraglia: Isso pode acontecer. A tendência é muito provável, mas se vai acontecer ou não depende de outros fatores, como um ambiente permissivo ou um ambiente protetor. Mas pode acontecer, sim, como um efeito de violação que atingiu com grande impacto rebaixando a autoestima, trazendo uma distorção na autoimagem e outras consequências possíveis.

Guia-me: Qual o maior desafio que o projeto "Wait" tem encontrado nas igrejas por onde passa?

Tonina Miraglia: O maior desafio é encontrar líderes locais que se comprometam em orientar quanto à prevenção e apoiar e orientar os que já iniciaram, mas agora optaram pela sobriedade nessa área, digamos assim. A manutenção dessa decisão precisa de apoio e orientação.

Guia-me: Têm sido frequentes os testemunhos de cristãos que tiveram problemas com pornografia. Como trabalhar para prevenção? E como auxiliar as pessoas que ainda não conseguem resistir a esses tipos de materiais?

Tonina Miraglia: Sim. É relativamente comum. Na prevenção a gente tem que enfrentar o assunto e informar desde o universo da pornografia, que alimenta a prostituição, a pedofilia, está intimamente ligado ao tráfico de drogas e armas, até as consequências que essa prática pode trazer para a vida de uma pessoa. Sobre quem perdeu o controle, eu vejo bons resultados com terapias combinadas. No meio cristão você pode adotar o modelo de aconselhamento espiritual, chamado de teoterapia, combinada com psicoterapia, porque estamos diante de pessoas que têm crenças distorcidas a respeito de sexualidade, isso precisa ser questionado com bases sólidas e deve acontecer no melhor espaço que eu conheço para essa prática, que é o consultório de um sério e experiente psicólogo ou psicóloga.

Guia-me: Como você atua hoje no projeto "Wait"? A quem o interessado deve procurar?

Tonina Miraglia: Em 2008 meu desafio mudou para Treinamento de Instrutores que ministrarão esse Seminário. Os interessados devem entrar em contato comigo para conhecimento de datas e locais dos cursos que estão sendo organizados. Esse treinamento deve capacitar adultos que orientarão adolescentes e jovens de sua comunidade ou igreja, escolas da sua cidade e outras organizações locais. É preciso divulgar que sexualidade é algo saudável e existem alternativas para essa vivência.
publicado por institutogamaliel às 12:42
tags:


Tudo começou no paraíso. Um homem solitário, um Artista criativo e amoroso, uma mulher formada a partir de um pedacinho do homem — formas suaves e arredondadas, beleza incontestável, o par ideal para a masculinidade de seu companheiro. Mesma essência, diferente função. Mesma tarefa de dominar o restante da criação e cuidar dela como administradores sábios e bondosos, mas diferente visão. Aliados, amigos, amantes. Estava completa a obra perfeita do Criador.

Deus fez a mulher totalmente feminina desde os seus primeiros instantes de vida. Não existimos à parte do fato de sermos mulheres. Temos uma visão feminina, diferente, da vida, das pessoas, do mundo. A nossa sexualidade é uma parte integral das nossas vidas, pois assim que terminou de criar o homem e a mulher, o Senhor os abençoou e lhes disse: "Sede fecundos, multiplicai-vos", o que implicava a união sexual. E Deus disse que isso é bom, aliás, muito bom.

Somos pessoas sexuais. Isso é idéia de Deus. Mas também na área da sexualidade somos diferentes, e essa diferença é abençoadora. Para a mulher, a relação sexual é muito mais do que apenas a união física de dois corpos, pois sendo mais voltada para as pessoas, para os relacionamentos, ela vê o ato sexual como símbolo da união total que deve existir entre o homem e a mulher. Ela é mais romântica pois a união sexual se dá dentro do seu corpo, significando um envolvimento de todo o seu ser. Por isso se diz que a mulher sexualmente incapaz é frígida, isto é, não consegue sentir, ao passo que o homem incapaz é impotente, ou seja, não consegue desempenhar.

A vida sexual das mulheres é cíclica, porque os hormônios femininos se alternam em sua produção e função. Elas são atraídas mais pelo caráter e pela maneira como são tratadas do que pela mera aparência. Já tentaram diversas vezes lançar revistas femininas equivalentes às revistas eróticas masculinas, cheias de homens nus, e até hoje nenhuma delas vingou. A aparência realmente não é tão importante para as mulheres. Elas sabem instintivamente que seu relacionamento com um homem pode levar à geração de um filho e querem alguém responsável, que possa ser um bom pai.

Isso, todavia, não significa que as mulheres sejam menos sexuais. Significa apenas que somos mais focalizadas, que desejamos algo muito mais profundo do que apenas a união de dois corpos. Sexo bom, significativo para nós é com o homem a quem amamos. Deus nos deu essa visão quando nos fez. Não podemos descartá-la sem corrermos o risco de transgredir nossa própria maneira de ser e destruir a essência da nossa feminilidade.

Mas por que Deus nos fez tão diferentes se era para vivermos juntos, um homem para uma mulher? Complementaridade é a palavra. A pujança da sexualidade masculina foi feita para ser direcionada criativamente pela sexualidade mais pessoal, mais seletiva, mais focalizada das mulheres. Em outras palavras, quando um homem se apaixona por uma mulher e assume o compromisso de viver num relacionamento exclusivo com ela, canaliza suas energias e as usa mais construtivamente. O homem passa a ser também mais focalizado, mais direcionado na sua força sexual. Quando isso ocorre, ele concentra suas energias em trabalhar para o bem de toda a família e, eventualmente, a sociedade se beneficia com isso.

É por isso que o relacionamento sexual descompromissado que está sendo apregoado como libertação para as mulheres é um ataque à nossa essência, à maneira como Deus nos fez, e que ele fez com um propósito bom.

Esta é uma questão tão importante para as mulheres hoje que também estaremos falando sobre ela nos dois próximos artigos — o que é essa falsa liberdade e o que ela acarreta e qual é a intimidade verdadeira e bela que Deus projetou para nós quando fez dois para se tornarem um.
publicado por institutogamaliel às 12:41
tags:



John Piper mostra que, a raíz do problema da sexualidade não é a pornografia, masturbação ou adultério, mas a falta de alegria na nossa salvação, pois quando nos falta esta alegria, nós acabamos tentando nos preencher com prazeres superficiais como masturbação, pornografia e adultério por exemplo.

“Afastem as mãos desse mouse rapazes e moças, e o mundo se abrirá a vocês”

“Torna a dar-me a alegria da tua salvação, e sustém-me com um Espírito voluntário” [Sl 51.12]

Eu não tenho nada contra fazermos de tudo para rodear homens e mulheres com proteção contra pecados sexuais, até acho uma boa idéia, mas não é o ponto principal. Se sua luta for continuamente deste jeito, você nunca chegará à raiz do problema. A raiz do problema é um coração sem alegria e felicidade.

Os ossos que Deus quebrou se curam com a alegria da nossa salvação.

O mau uso do belo presente do sexo é o sintoma de uma doença, e não a doença em si. E é por isso que este Salmo não o menciona.

Isso é o principal problema: “Torna a dar-me a alegria da vossa salvação.” [Sl 51.12] Porque quando essa alegria desaparece, eu clico em pornografia. Quando essa alegria desaparece, eu começo a vagar pelo bairro. Quando essa alegria desaparece, eu dou em cima de outra mulher. Quando essa alegria desaparece, continuamente, cada pecado é um sintoma da ausência desta alegria!.

O que seu coração diz sobre Cristo?

Tarde da noite sozinho. Sozinho, de frente ao computador, mouse pronto para clicar.

O que seu coração diz sobre Cristo com relação à pornografia?

Porquanto Deus não nos chamou para impureza, e sim, em santificação. Portanto, quem rejeita estas coisas, não rejeita o homem, e sim, a Deus... [1Ts 4.7-8]

Eu oro para que pessoas venham a participar de reuniões, a realizarem uma obra que dure até o fim dos tempos, até o fim do mundo, em nome de Jesus Amém.

Milhares se afastam do sonho que uma vez sonharam de causar impacto mundial. Por causa de pecados sexuais em suas vidas e fracassos sexuais em seus passados. Milhares que tiveram um sonho de serem radicalmente significativos no mundo, fazendo alguma coisa, entregando suas vidas, sacrificando qualquer coisa para propagar o nome de Jesus Cristo pelas cidades, pelas nações, pelos campi, e então... Você perdeu esse sonho!

Uma das grandes razões da qual isto está se perdendo, é a grande culpa, no sentido de indignidade por causa do fracasso sexual. Finalmente isto transformou-se numa sensação incômoda de impotência espiritual. Culminando no beco sem saída. No sonho sem saída de segurança confortável e estável da classe média, a grande tragédia da vida dos jovens cristãos não é a masturbação, não é a fornicação, não ser alguém que gosta de “espiar” ou um curioso na internet.

A tragédia é que Satanás usa a culpa de todas essas falhas para arrancar você daquele seu sonho radical e colocar no lugar uma vida alegre, fora de perigos, com a segurança da classe média cheia de prazeres superficiais para que você um dia morra na sua cadeira de balanço à beira do lago enrugado e imprestável e deixando uma grande e gorda herança para seus filhos de meia idade para conformá-los em seus mundanismos, isso é o que ele quer lhe vender porque você falhou tanto, e a única alternativa e esta.

Não escrevi este texto para desperdiçar seu tempo ou o meu tempo. Eu vim com uma paixão para que você não desperdice sua vida. Nosso povo está dominado pela tentação sexual . Porque? Porque nossas almas se reduziram ao tamanho da tela de um programa de TV. Você pode imaginar? Embebedar-se de novelas e seriados horas a fio. E então ir para uma igreja, onde não se dá a mínima atenção para teologia e imaginar que você terá qualquer fibra na árvore da sua fé? Você só vai tombar. É isso que vai acontecer!

Então encontre o caminho certo, e leia a Bíblia e leia os livros certos.Teologia com paixão por Jesus pode conquistar a biologia...

Por John Piper
publicado por institutogamaliel às 12:40
tags:


É muito interessante não encontrarmos pessoas se perguntando por que não podemos matar, ou até mesmo por que não devemos roubar. Quando se fala em abstinência sexual, a coisa muda de figura. Como obedecer algo que para a maioria se torna tão difícil de cumprir? Muitos caem em tentação porque ignoram ou não compreendem a verdadeira vontade de Deus.

Nos dias atuais, fazer sexo fora do casamento se tornou algo bastante normal. Ter uma vida sexual ativa é tão importante para a sociedade que as pessoas entendem como sendo necessário para que sejam saudáveis.

O que muitos cristãos ignoram ou preferem ignorar é um mandamento sobre o assunto que veio diretamente da boca de Deus. Ainda que os argumentos tentem convencer o homem de que guardar-se para o casamento é uma atitude sem propósito e ultrapassado, a vontade de Deus é bastante clara.

O mandamento se encontra em Atos 15:20, 15:29, 21:25:

"Mas escrever-lhes que se abstenham das contaminações dos ídolos, das relações sexuais ilícitas, do que é sufocado e do sangue." (At. 15:20)

"Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e das relações sexuais ilícitas; e destas coisas fareis bem de vos guardar. Bem vos vá."(At. 15:29)

"Quanto aos gentios que creram, já lhe transmitimos decisões para que se abstenham das cousas sacrificadas a ídolos, do sangue, da carne de animais sufocados e das relações sexuais ilícitas." (At.21:25)

Se uma pessoa não abrir o seu coração para escutar aquilo que Deus está falando, jamais vai conhecer o que Ele quer. Deus é a favor do sexo. Ele o criou puro, limpo, bonito e deseja que o ser humano o desfrute plenamente no casamento. O propósito do sexo não é só a procriação, mas a comunicação que representa a unidade conjugal e a recreação que é o prazer conjugal.

Que Deus planejou o sexo para o casamento, isso é bastante claro. Vale a pena confirmar em Sua Palavra: Genesis 1.28, Hebreus 13.4, 1 Tessalonicenses 4.3-8, e também em 1 Coríntios 6.12-20.

"Honrado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; pois aos devassos e adúlteros, Deus os julgará." (Hebreus.13:4)

Observe o que o Senhor diz em I Tessalonicenses 4. 3 ao 8: "Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição; que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo em santificação e honra, não com o desejo de lascívia, como os gentios que não conhecem a Deus; e que, nesta matéria, ninguém ofenda nem defraude a seu irmão; porque o Senhor, contra todas estas coisas, como antes vos avisamos e testificamos claramente, é o vingado, porquanto Deus não nos chamou para a impureza, e sim para a santificação. Dessarte, quem rejeita estas coisas não rejeita o homem, e sim a Deus, que também vos dá o seu Espírito Santo."

A pressão vem da mídia e muitas vezes dos próprios? amigos". É preciso que as igrejas façam um estudo amplo, aberto e com respaldo bíblico, sobre estas questões. Muitos se perguntam aonde está o erro. A resposta é simples: como qualquer outro pecado, sexo antes do casamento, tem suas consequências espirituais.
publicado por institutogamaliel às 12:40


Quero deixar bem claro aos amados irmãos em Cristo que, como pastor pentecostal, jamais serei a favor de liberalismos e libertinagens que existem no meio dos que se dizem evangélicos, mas que vivem fazendo o que querem. Estes, não tem compromisso com a Seara, e com suas rebeldias desenfreadas, vivem em trevas, sem o conhecimento de Deus. O artigo abaixo destina-se a casais realmente casados, que buscam o esclarecimento de dúvidas em suas intimidades sexuais, e encontram-se turbados por ouvirem aqui e ali pregações de "...é proibido isso..."..."...é proibido aquilo...", sem nenhuma base bíblica que possa ao menos nos dar uma segurança do que somos restringidos.

A inclinação da carne é morte. Referindo-se aos frutos da carne que estão em Gálatas 5:19-21: "Ora, as obras da carne são manifestas, as quais são: a prostituição, a impureza, a lascívia, a idolatria, a feitiçaria, as inimizades, as contendas, os ciúmes, as iras, as facções, as dissensões, os partidos, as invejas, as bebedices, as orgias, e coisas semelhantes a estas, contra as quais vos previno, como já antes vos preveni, que os que tais coisas praticam não herdarão o reino de Deus". Nada tem a ver com o relacionamento sexual de um casal. Ou iremos todos aderir ao celibato dos padres, para não cumprirmos as "vontades da carne"??? O sexo oral tem sido, por alguns cristãos, abominado como um pecado mortal. Mas porque? Qual a base bíblica para tal proibição?? Estaríamos diante de uma real santificação, ou de um extremo fanatismo que enxerga as formas de carícias como pornografia e "pecado"?

A pornografia tem deturpado o verdadeiro significado do sexo, a verdadeira imagem de uma relação sexual sadia. Quando falamos em sexo oral, a primeira coisa que vem a mente da maioria das pessoas são as imagens repugnantes já vistas em revistas ou filmes pornográficas. É certo que não iremos, em nome da liberdade, fazermos "de tudo", mas se mantivermos o sexo numa relação de eterna monotonia, sem suas carícias, cairemos numa terrível decepção e frustração, achando que servimos a um Deus que "proíbe tudo", até mesmo depois de estarmos casados. Quem ama a sua esposa, ou esposo, acha nela ou nele a sua beleza, e jamais sentirá condenação em colocar a boca em qualquer parte do seu corpo, pois os dois já são uma só carne! Se não há base bíblica para proibir o sexo oral, isso não se oriunda de falsos moralismos, hipocrisia de pessoas que não conhecem a bíblia, dos achismos pentecostais que criam, sob línguas estranhas (algumas muito estranhas mesmo), falsas revelações, que ao invés de promoverem edificação só trazem confusões e intrigas?!

"Pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência, proibindo o casamento e ordenando a abstinência dos manjares que Deus criou para os fiéis e para os que conhecem a verdade, a fim de usarem deles com ações de graças". (1 Timóteo 4:2,3)

Uma das desculpas dos que acham o sexo oral um pecado, é que a "sua boca é para louvor e adoração ao Senhor", e não para "essas coisas". Se a boca é somente para orar, louvar e pregar, não vai se alimentar mais? Realmente os nossos lábios são mesmo para louvor e adoração ao Senhor, assim como todo o nosso corpo é templo do Espírito Santo. Se sexo oral é pecado, e a bíblia não menciona, o que dizer do beijo na boca? A bíblia também não menciona! É pecado?? Se essas pessoas alegam que a boca é para louvor e adoração, eles beijam a esposa na boca? Porque?? Porque é permitido o beijo na boca (uma forma de carinho que não deixa de excitar, dependendo da ocasião) e não é permitido o sexo oral?!

Se a boca é para pregar, orar e glorificar, e as MÃOS? Não são utilizadas para ungir? Para impor as mãos sobre os enfermos? Para orar pelos irmãos? A esposa não pode mais ser acariciada? A esposa não vai mais acariciar o seu esposo?? Vão fazer sexo como dois animais? Só encostam e pronto?

É difícil entender algumas proibições de alguns irmãos, que, movidos pela emoção de "santificarem" tudo, criam heresias e achismos, frutos da falta de conhecimento bíblico, muitas vezes movidos mesmo por invejas, ciúmes, pelo velho "ouvi dizer", e etc. Ao fim de tudo, a vida cristã vai se tornando um "fardo pesado" onde "não pode isso", "não pode aquilo", sem nenhum mover de Deus, e somente proibições, censuras, que criam mais apostasia, do que o crescimento do Reino de Deus. Ao invés de pregarem o Evangelho (ordem do Senhor Jesus: "Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura". Marcos 16:15) querem pregar outro evangelho. Um evangelho cheio de legalismos, onde se vê sexo como pecado e coisa suja. Esse não é o evangelho do Senhor Jesus Cristo. O Evangelho do Senhor Jesus Cristo é aquele em que as pessoas são livres, e são tocadas por Deus, e não pelo homem, para abandonar práticas que considerem pecado. E com base nas Escrituras.

"Se alguém ensina alguma doutrina diversa, e não se conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, é soberbo, e nada sabe". (1 Timóteo 6:3)

"Se, pois, estais mortos com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos carregam ainda de ordenanças, como se vivêsseis no mundo, tais como: não toques, não proves, não manuseies? As quais coisas todas perecem pelo uso, segundo os preceitos e doutrinas dos homens; as quais tem, na verdade, alguma aparência de sabedoria, em devoção voluntária, humildade, e em disciplina do corpo, mas não são de valor algum senão para a satisfação da carne". (Colossenses 2: 20-23)

"Fugi dos escribas, que gostam de andar com vestes compridas" (Marcos 12:38)

Denis de Oliveira é Pastor-Missionário pela World Missions Comunity, USA, Pastor-Presidente das Assembléias de Deus - Minist. Poder de Deus, RJ, Coordenador da AEERJ - Associação de Evangélicos do Estado do Rio de Janeiro, Bacharel em Teologia pelo IBVE
publicado por institutogamaliel às 12:39
tags:



A pureza é bela!

Um dos maiores presentes que se pode levar para um casamento! A beleza da santidade de um jovem deve ser se guardar para seu cônjuge e praticarem o ato sexual apenas na noite de núpcias.

Vivemos atualmente em uma cultura obcecada pelo sexo. As empresas de publicidade aproveitam esta força para atrair o público e vender seus produtos. Este interesse universal está sendo hoje explorado em detrimento da cultura e da sociedade. Vemos a decadência na perda da virtude e no endurecimento da sensibilidade moral dos jovens. Todo pecado começa na mente. Os pensamentos provocam ações. Os pensamentos estimulam as emoções e estas debilitam a vontade. A vontade responde às insinuações dos pensamentos e das emoções.

A Bíblia está cheia de ensinamentos sobre sexo. Por que tantas pessoas caem em pecados sexuais? Temos muitas e muitas razões para poder dar uma resposta mediante a esta pergunta, no entanto, dentre tantas, as razões ou motivos que são mais encontrados entre os jovens hoje em dia são:

1) Covardia: diante da "pressão da turma", alguns jovens caem neste pecado. Os "amigos" lhes dizem: "você não é homem"; "todo mundo faz"; "para que se guardar"; "somente você ainda não fez". E por covardia, medo, pressão da turma ele acaba fazendo sexo logo para acabar com essas gozações para consigo.

2) Avançar demais nas carícias: começam inocentemente tocando aqui e ali e quando menos se percebe os toques já são mais ousados e em lugares que antes eles sequer se atreveriam a tocar. Ao começar a avançar demais nas carícias ele percebe que não consegue mais parar e se envolve em sensações que não saberá mais como refrear e acaba por praticar o ato sexual.

3) Sentem-se apaixonados: alguns jovens praticam o ato sexual simplesmente pelo fato de que estão apaixonados por uma determinada pessoa e consideram isso um bom motivo para terem sexo. Afirmam que logo irão se casar mesmo, então por que adiar isso. Um tremendo erro, pois paixão nunca deve ser colocada como uma boa razão. Paixões passam. E paixões desenfreadas são como uma criança rebelde que precisa de disciplina e correção e não que sua vontade seja satisfeita.

4) Por ser excitante: quando o jovem entra em ação com as facetas desta misteriosa força criada por Deus, ele acaba se esquecendo de toda restrição moral por se sentir completamente envolvido num ?torvelinho? de emoções surpreendentes e perturbadoras, e essas emoções o arrastam para o inevitável ato sexual. O corpo corresponde ao excitamento e isto lhe vem como extremamente agradável e prazeroso. Logo mais tarde, descobre que tais emoções podem ser desastrosamente artificiais.

5) Ignorância: em muito dos sentidos, esta é a causa básica de muito dos tropeços e dos fracassos de nossa juventude. Porém, em se tratando de sexo, aparentemente todos acabam aprendendo de um jeito ou de outro. A ignorância aqui é que após se envolverem não conseguem mais parar. Acham que podem refrear este instinto quando quiserem, porém, na hora, percebem que não é bem assim.

6) Rebeldia: muitos adolescentes e jovens por serem extremamente rebeldes descaradamente ou abertamente resolvem praticar o ato sexual. Não se preocupam com o que outros pensam, querem apenas satisfazer o desejo de sua carne.

Muitos perguntam: É ou não é permitido ter relações sexuais antes do casamento? A resposta é um sonoro NÃO! A existência de um desejo não justifica sua satisfação ilimitada. Há limites e estes limites são fixados por Deus até mesmo na natureza criada por Ele. O sexo foi feito para ser expresso e experimentado. As relações sexuais são lógicas mas o sexo dever usado com responsabilidade. Seu lugar segundo o plano de Deus é dentro do matrimônio.


Amigo leitor!

A única coisa que você aprenderá através da prática do sexo antes do casamento é que os resultados da rebelião contra a vontade de Deus são sempre amargos. A única e desagradável lembrança que permanecerá gravada em seu subconsciente será a sordidez do seu egoísmo. Você terá mesquinhamente usado o corpo de outro ser humano para satisfazer o seu ego enfermo e irá arrepender-se disso até o túmulo (2Tm 2.22).

Se alguém não tenta enquanto é solteiro, não fracassará ao casar-se? Como um jovem pode saber se é capaz de ser um esposo(a) se não pratica antes?? Perguntas como estas e semelhantes a estas são feitas ao milhares e muitos a fazem com certa sinceridade, outros apenas para darem uma desculpa para a prática da relação sexual antes do casamento. Veja como Satanás é por demais astuto (2Co 11.14,15). Deus nos criou e nos moldou de tal maneira que o jovem e a jovem poderão desfrutar deste dom maravilhoso de Deus, o sexo, no matrimônio. E os comprometidos? E aqueles que já são noivos? Por meio de várias das pesquisas realizadas, a grande maioria dos compromissos que são desfeitos se rompem precisamente porque uma das partes está com sentimentos de culpa por terem cometido o ato sexual. Suas consciências foram contaminadas por meio das levianas e frívolas atitudes sexuais de um para com o outro. Essa consciência e essas atitudes provocam o rompimento do compromisso. O fato de se estar noivo não é motivo para ter relações sexuais entre si (Gl 5.21; Hb 13.4).


Pr. Cleverson de Abreu Faria
Igreja Batista Salém - Pinhais - Curitiba - PR
publicado por institutogamaliel às 12:38



Faça sol ou faça chuva, no frio ou no calor, com cansaço ou relaxado, não importa. O apetite sexual do brasileiro não encontra barreiras para se satisfazer. As pesquisas sinalizam, a mídia incrementa, os produtos estimulam. E o casal que busca viver dentro de princípios cristãos, com fidelidade conjugal e ética moral nem sempre consegue administrar desejos e possibilidades. Afinal, a própria Bíblia está cheia de orientações sobre comportamento afetivo e sexual entre casais. O apóstolo Paulo enfatizou que homem e mulher devem sempre manter um acordo sobre suas relações sexuais a fim de evitar tentações (1 Cor 7:5). Diante de tantas pressões, o escritor do maior número de cartas do Novo Testamento sintetizou muito bem: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convém. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por elas” (1 Cor 6:12).

Assim sendo, o que seria lícito ou não para um casal cristão nos momentos de intimidade?

Existe alguma recomendação específica sobre regras e práticas do que deve ocorrer entre marido e mulher dentro de quatro paredes?

O que mais tem afligido os casais na hora da relação sexual?

E por mais que o homem ou mulher brasileiros se mostrem despojados de pudores ou questionamentos, sempre há aqueles que querem esclarecer e discutir suas opiniões. Casais crentes, sejam mais liberados ou não quanto à sua performance com o parceiro, também necessitam de mais esclarecimento. Com o índice de separações cada vez maior em famílias evangélicas, não se pode desconsiderar que, muitas vezes, problemas no sexo são o estopim para um divórcio.

A freqüência do ato sexual é uma dessas questões sempre debatidas. Alguns reclamam de excesso, outros de falta de sexo no casamento. Saber reconhecer o limite do cônjuge na hora de determinar a freqüência nas relações sexuais é fundamental. É claro que a atração e vontade de fazer amor com a pessoa amada é saudável, desde que o desejo de um não se torne o tormento do outro. Mas como saber se o número de relações de um casal está além da conta? De acordo com especialistas, essa resposta é variável e deve ser dada pelo próprio casal. O excesso ocorre quando a freqüência ultrapassa uma média dentro do casamento, isto é, a quantidade de vezes com a qual os dois estavam acostumados começa a aumentar, ou quando supera a vontade do outro.

O médico Ademir Pacelli Ferreira, professor do Instituto de Psicologia da Uerj, explica que a expressão “excesso de sexo” não é um conceito psicopatológico. “É um termo que parte de uma norma, aparecendo como queixa de um”, afirmou. Ele diz que é difícil haver equilíbrio no apetite sexual, pois sempre haverá um mais estimulado que o outro. É a convivência e o perceber-se um ao outro que define quem vai ceder e o que vai ceder a fim de que o casal encontre um caminho comum. Identificar a raiz do comportamento é uma tarefa de marido e mulher. E se chegar a um acordo for complicado, procurar ajuda externa é a orientação.

O recém-casado Pedro Vieira, 25 anos, está sentindo na pele os efeitos do seu desejo. Casado há apenas oito meses, ele admite que sua esposa de 20 anos tem se queixado do seu apetite, sinalizado diariamente. “Por mim, eu manteria relações com minha esposa todos os dias, mas ela reclama”, reconheceu. O conflito tem algumas razões que já começam a aparecer. A primeira é a formação. Ela é evangélica de berço, e ele está freqüentando a igreja. Ambos têm, portanto, valores diferentes. Diante da negativa, ele diz que insiste e, quando não vê alternativa, vai dormir chateado. “Fico chateado só na hora, mas procuro entender. Depois passa. Às vezes, minha esposa também fica brava”, emendou. Apesar do desentendimento, garante que o casamento não foi abalado.

Tradicionalmente, o maior desejo vem do homem. E, diante da situação, a reação da mulher vai depender de sua orientação nas diferentes áreas do comportamento: sexualidade e espiritualidade, por exemplo.

Martha Gonçalves enfrentou o mesmo desafio da esposa de Pedro Vieira. Ela conta que os 15 anos de casamento não afetaram em quase nada o comportamento do marido, que a procura a cada dois dias, e, dependendo da semana, o convite pode ser diário. “Ele teve formação diferente da minha, converteu-se depois. Então, procurei entendê-lo, assim como ele também procurou me entender. Fiquei um pouco assustada no início, porque não esperava que fosse tão freqüente, mas vi que era uma necessidade dele. Como eu tinha saúde, fomos nos moldando”, lembrou Martha, que afirma que foram poucas as vezes que negou sexo. “Quando isso acontece, ele entende. Pensava também que, se ele não satisfizesse seu desejo comigo, poderia procurar fora de casa.” E de acordo com Pacelli Ferreira, há homens que justificam o adultério pela resistência da mulher.


PERSPECTIVA FEMININA

Sob a perspectiva feminina, a médica Esther Ribeiro explica que se a excitação for natural, não traz qualquer tipo de problema para o corpo da mulher. “Se a mulher for muito amada, ela não tem limite”, atestou. Para a especialista, que é ginecologista, terapeuta familiar e pastora, o único período em que a mulher deve evitar manter relações é o menstrual, quando o sangue é um elemento que facilita infecções e o colo do útero está muito aberto, possibilitando a subida de bactérias. Como terapeuta familiar, Esther diz que prejudicial não é o excesso em si, mas como a mulher (ou o homem) está desfrutando da relação. “Estamos vivendo em um mundo onde o que importa é o ‘meu’ prazer e não o ‘nosso’ prazer. Os casais não conversam, não namoram. Quando isso acontece, o prazer é um prazer egoísta, o que gera relacionamento anômalo”, alertou.

Outro ponto pouco discutido e que poderia ser mais explorado é o “mapa erógeno”. Muitos casais ainda precisam conhecer e saber desfrutar das zonas erógenas do seu corpo e do cônjuge para que a sexualidade no casamento seja mais prazerosa. Para dar e receber prazer, o casal deve explorar este “mapa” existente no corpo do seu esposo ou de sua esposa. Mas o que é zona erógena? São partes do corpo especialmente sensíveis às carícias, porque têm muitas terminações nervosas. Quando a pessoa está receptiva, a estimulação dessas áreas provoca sensações fortes, que desencadeiam reações sexuais. A pele, em si, é praticamente uma zona erógena em potencial, mas certas partes do corpo têm reações mais fortes, como lábios, pescoço, lóbulo da orelha, nuca, peitos, pés, dentre outras.


ZONAS ERÓGENAS

MULHERES

Frente: orelhas, boca, palmas das mãos, mamilos, barriga, parte interna da coxa, dedos dos pés
Ponto especial: clitóris
Costas: nuca, bumbum

HOMENS

Frente: olhos, cantos da boca, pescoço, dedos dos pés, mamilos, barriga, virilha, pés, glande (cabeça do pênis)
Costas: bumbum


FOCO SENSÍVEL

Os pontos erógenos mais sensíveis são diferentes para cada pessoa e provocam reações diversas à estimulação. A melhor forma para descobrir o próprio “mapa erógeno” e o do cônjuge é a exploração mútua. O modo como as carícias são feitas também provoca reações diferentes. É justamente a exploração sexual que o pastor Gilson Bifano orienta aos casais para melhorar a vida sexual. Partindo da teoria para a prática, ele recomenda um exercício chamado “foco sensível”: os cônjuges acariciam suavemente todo o corpo um do outro, sem intenção de penetração. Segundo Bifano, que é fundador do Ministério de Família Oikos, o objetivo é fazer o outro conhecer a sensibilidade de seu próprio corpo. “Pode usar uma pena ou pluma ou a mão de maneira suave”, ensinou.

O pastor alerta para o fato de que os casais, especialmente cristãos, devem aprender que o ato sexual não se reduz apenas ao binômio pênis–vagina. “Quando um casal restringe o ato sexual a isso, a relação, com certeza, se empobrece. Devemosmostrar a maridos e esposas crentes que a sensualidade, quando usada para atrair o cônjuge, não é pecado e é até recomendável”, ressaltou ele.

A psicoterapeuta e especialista em sexualidade Carmen Lúcia Otero Janssen diz que durante o ato sexual as pessoas precisam parar de se preocupar com o desempenho e priorizar a exploração das sensações dos cinco sentidos (tato, olfato, audição, visão e paladar). “A pessoa fica muito preocupada em mostrar habilidade e impressionar o parceiro. Ou seja: ‘Vou arrasar na cama.’ Em vez disso, deve sentir o toque e doarse mais para o outro e entrar em contato com a afetividade”, destacou ela, que já escreveu o livro “Massagem sensual para casais enamorados”. A publicação ensina os casais a usarem a massagem como veículo para o desenvolvimento da sexualidade amorosa.

Carmem Lúcia Janssen frisa que hoje a sexualidade está muito banalizada e muito rápida. “As preliminares são importantes tanto para homens quanto para mulheres. O ato sexual, para o homem, é muito genitalizado, e ele não percebe que perde com isso. Ao demorar nas preliminares (zonas erógenas), os parceiros ganham mais qualidade na vida sexual”, explicou ela, que é pós-graduanda em Sexualidade Humana pelo Instituto Brasileiro Interdisciplinar de Sexologia e Medicina Psicossomática de São Paulo (Isexp).

O fato é que quando o casal apresenta problemas na cama, o relacionamento pessoal também sofre conseqüências. Um exemplo disso é a contabilista L.S. “Sentia muita dor na relação sexual e por conta disso passei a evitar o meu marido”, disse. Assim, o casal começou a brigar. A solução foi procurar ajuda de um psicólogo cristão.
“Durante a terapia, aprendi a importância de me doar, e a psicóloga ensinou que devemos demorar nas preliminares. Melhorou bastante, e reduzimos as nossas brigas”, garantiu. Gilson Bifano afirma ainda que a comunicação – antes, durante e depois da relação sexual – é importante. “Os cônjuges devem perguntar onde o outro gosta e não gosta de ser tocado, o que causa maior e menor prazer.”


FETICHE

E o fetiche? Como pode interferir na vida sexual do casal?
Será um desvio, um comportamento anormal ou até pecaminoso?

Fetichismo, na psicanálise, significa “desvio do interesse sexual para algumas partes do corpo do parceiro, para alguma função fisiológica ou para peças do vestuário, adorno” (“Dicionário Houaiss”).

O termo começou a ser usado com essa conotação a partir dos estudos de Freud, pois, originalmente, a palavra vem de “feitiço” e designava um objeto a que se prestava algum tipo de culto, ou possuidor de poderes mágicos. O psiquiatra Albert Zeitouni, baseado na teoria freudiana, esclarece que “a criança, ao perceber que a mãe não possui um pênis, recusa-se a aceitar essa realidade porque acredita que o seu órgão masculino também poderá ser perdido, então cria um substituto para o pênis da mãe, que é o fetiche”. Segundo ele, o fetiche se estabelece como um estímulo sexual durante a infância, e quando o homem torna-se adulto não o abandona em troca da pessoa total, pois o fetichista acredita que precisa daquele objeto ou parte do corpo feminino para conseguir a ereção.

Os tipos de fetiches mais comuns são os relacionados às partes do corpo da mulher, como pés, unhas, mãos, além dos objetos femininos, como meias, sapatos de salto alto, “lingeries”. Na prática sadomasoquista – aquela que envolve a dominação de um dos parceiros – são utilizadas roupas e objetos de couro, além de chicotes. A psicóloga Márcia Bittar Nehemy, especialista em Sexualidade, realiza terapia de apoio e diz que a psicologia considera que todas as pessoas são fetichistas em algum grau, mas muitos não conseguem obter prazer sexual sem o seu fetiche.

O evangelista da Assembléia de Deus João Luiz Paim da Silva, estudioso do assunto, garante: “O fetiche moderno, que muitos julgam inofensivo, é uma porta aberta para o diabo”. Como exemplo, cita o fetiche por pés e pergunta: “Como será se o homem que gosta de pés encontrar e desejar outro pé, que não o da esposa, pela rua, e começar a segui-lo? Certamente, logo virá o adultério.” Pastor da Igreja Batista Nacional, Disney Macedo acredita que os fetiches que não desrespeitam a relação do casal podem fazer parte da vida íntima dos cristãos. Isso se houver um acordo entre eles, sem, no entanto, incluir o sadomasoquismo. Nessa perspectiva, o homem tem de ter domínio próprio e, por isso, pode utilizar um fetiche, mas nunca ser dominado por ele.

Quando atinge níveis patológicos, causando constrangimentos, o fetiche é visto como um problema. Outras vezes, pode “apimentar” a relação entre o casal, embora muitos cristãos considerem qualquer coisa ligada à sexualidade como pecado e não como algo prazeroso. A sociedade explora cada vez mais o fetichismo, mas o que acontecerá se as pessoas não amarem mais umas às outras em sua totalidade, pela sua beleza física, mental, intelectual e caráter, mas, sim, desejando apenas uma de suas partes ou um de seus objetos de uso pessoal? Esse questionamento é feito por Maria Andrade, 40 anos, que teve um marido fetichista. “Ele não me via como mulher. Eu era apenas um pé e, para agradá-lo, acabei ficando obsessiva em cuidar dessa parte do meu corpo.” Hoje, garante que minimizou bastante o problema, mas precisou passar por tratamento com um sexólogo.


EXEMPLOS DE FETICHES

No cinema: “A Insustentável Leveza do Ser”, Philip Kaufman, em que o personagme pede a suas parceiras que usem um chapéu durante o ato sexual.

Na literatura: “O livro de cabecira” (1996), de Peter Greenaway, mostra uma modelo que mantém o hábito de pedir a calígrafos que escrevam livros em seu corpo.

Na música: Madonna explora o sadomasoquismo, com seus chicotinhos, botas e lençóis de seda.


Muitas pessoas usam, de fato, a criatividade para “apimentar” a relação a dois, com a inclusão de carícias, “lingeries” sensuais, mudança de posições, etc. Até mesmo os casais evangélicos são estimulados, em muitas denominações, a ousarem no sentido de dar prazer ao parceiro e demonstrar o carinho e o amor que um tem pelo outro. Assim, marido e mulher são legitimamente motivados a erotizar a relação, isto é, investir em novidades.


CARDÁPIO DA ARTE SEXUAL

Vale um jantar romântico, uma viagem a dois. Até aqui não há muita polêmica, mas existem algumas práticas que geram discussão dentro da Igreja, como, por exemplo, o sexo anal: casais evangélicos podem usufruir dessa alternativa?

Como é vista a prática do sexo anal por alguns pastores, psicólogos e casais evangélicos?

Não há consenso na resposta, já que especialistas na área de saúde e pastores têm opiniões divergentes sobre o assunto. Muitos condenam a prática e são categóricos em afirmar que sexo anal é pecado, principalmente porque a sociedade está saturada de sexo pervertido, onde o ser humano busca a satisfação própria e não a do outro. Há psicólogos e médicos que dizem que o sexo anal é uma alternativa sexual que – se tomados os devidos cuidados de higiene durante o ato sexual – não traz problemas de saúde. Esse grupo também ressalta que a decisão de incluir ou não o sexo anal no “cardápio da arte sexual” do casal deve ser uma decisão de ambos.

O médico ginecologista e membro da Igreja Batista Sérgio Macedo explicou que o desejo de praticar o sexo anal tem uma explicação psicológica: essa manifestação sexual está presente nas relações heterossexuais porque os homens, buscando uma variação sexual com suas parceiras, fantasiam a penetração anal como uma grande realização de conquista, sem falar de um certo sentimento de domínio e poder. As mulheres, em sua maioria, têm na fantasia sexual o desejo anal mais como uma tentativa de satisfazer os impulsos sexuais do parceiro, agregando a essa experiência a possibilidade de demonstrar a entrega total, isto é, o quanto estão envolvidas na relação.

Evangélica há oito anos, a comerciante M.P. diz que sexo anal faz parte da sua rotina sexual há muito tempo. Ela o considera legítimo porque tal prática é feita com seu marido. “Não me sinto culpada. Nós dois gostamos e nos sentimos à vontade para, de vez em quando, inovar a nossa relação sexual”, revelou.

A inclusão da prática na vida do casal, segundo o médico e pastor da Igreja Maranata do Rio de Janeiro, Paulo César Brito, mostra que a sociedade está se corrompendo a cada dia. Para ele, os evangélicos têm na Bíblia um padrão de ética que tem de ser respeitado. “Não dá para deixar entrar na Igreja esses conceitos sociais e culturais que vão contra a Palavra”, esclareceu.

De acordo com Brito, a adoção de sexo anal entre casais evangélicos é pecado porque vai contra a natureza determinada por Deus: sexo entre um homem e uma mulher, cujo órgão principal é a vagina. “Esse orifício [o ânus] foi feito para eliminar fezes. A Bíblia diz que os sodomitas não entrarão no Reino dos Céus. O que é sodomita? Quem faz sexo anal”, definiu ele, baseando-se no texto de Romanos, capítulo 1. Ele acha que os casais evangélicos que fazem tal prática revelam desconhecimento bíblico. “Ou não querem ver a verdade porque não lhes interessa. Procuram variantes que justificam as suas práticas.”

O pastor Marcelo de Andrade e Silva endossa as palavras do seu colega, mas é mais comedido em relação ao texto bíblico que proíba literalmente o sexo anal. “Não temos um texto claro na Bíblia que seja contra a prática de sexo anal entre um homem e uma mulher. Porém o sexo anal constitui uma violência ao organismo porque Deus criou cada órgão no corpo humano com uma função. No caso do ânus, ele foi feito exclusivamente para defecar”, pontuou Andrade e Silva. Para o pastor, há outras formas de se obter prazer sexual. “O sexo é um manjar deixado por Deus para que possamos usufruí-lo.”

Para o casal E. e R., não há problema em seguir a orientação pastoral porque desde o curso de noivos, dado na Escola Dominical, os dois aprenderam que o sexo anal é contra a vontade de Deus. “Nunca sentimos qualquer curiosidade ou desejo de experimentar. Porém, para não cair no tédio, praticamos sem ‘neuras’ o sexo oral”, disse ela, que está casada há sete anos. Os dois pastores alertam ainda para o fato de o ânus não ter sido feito para o sexo – a prática pode provocar fissuras, infecção urinária, além de dor –, pois o órgão não tem lubrificação natural como a vagina.

O material contido na ampola retal, que é a última parte do intestino e que desemboca no ânus, é cheio de bactérias, cuja presença é normal no local, mas nas vias urinárias pode levar ao aparecimento de lesões e infecções, às vezes, graves. Além disso, é uma relação mais traumática, provocando freqüentemente escoriações por onde podem entrar microorganismos, atingindo a corrente sangüínea e causando diversas doenças.

O ginecologista Sérgio Macedo afirma que, fisiologicamente, não existe qualquer contra-indicação para a prática do sexo anal. “No entanto, lembro que não é um órgão com a mesma elasticidade da vagina. O sexo anal praticado com os cuidados necessários não causa nenhum dano, nem de alargamento do ânus, nem de perda do controle do esfíncter (músculo da região anal)”, garantiu ele. Para resolver a falta de lubrificação, o médico aconselha o uso de géis à base de água encontrados em qualquer drogaria.

Ele diz que a prática do sexo anal requer alguns cuidados, como o consentimento espontâneo de ambos, a necessidade do intestino estar limpo, e o homem deve ter o cuidado de urinar após a relação. E lembra ainda que o sexo anal não pode ser feito antes do vaginal por causa do risco de transmissão de doenças.

Ele assegura que a relação anal não pode substituir a vaginal, principalmente porque a falta de prazer naquele tipo de relação é muito usual. “A maioria das mulheres não tem orgasmo no sexo anal. O órgão erógeno da mulher é o clitóris”, ressaltou. Em relação à religião, para Sérgio Macedo, o casal deve ter bastante discernimento espiritual. “Se não há culpa, e o casal, de vez em quando, achar que o sexo anal pode ser algo diferente na rotina do dia-a-dia, não vejo problemas”, ressaltou.

Marcelo de Andrade e Silva acredita que as mulheres muitas vezes acabam cedendo aos maridos por medo de que estes busquem experiências extraconjugais.

“A mulher deve ser veemente nos seus princípios. A fidelidade é mais um traço de caráter do que de falta de atendimento de um desejo. O casal pode usufruir um com o outro, sem cair no desvio moral que é a busca pelo prazer a qualquer preço”, alertou. Segundo ele, se em algum momento a relação visa à obtenção narcisista e individualista exclusiva do próprio prazer, foge aos princípios determinados por Deus.


SEXSHOPS

E quanto às lojas especializadas em produtos eróticos que atraem pessoas em busca de mais prazer, as intrigantes “sexshops”?

A visita a esses estabelecimentos costuma ser vista como natural pela maior parte das pessoas, mas, para os evangélicos, a atitude pode ser um ponto de conflito. Sais de banho e óleos afrodisíacos, vibradores, cintas de couro masculinas e femininas, massageadores, elementos de sadomasoquismo e fantasias, alongadores penianos, próteses, roupas íntimas comestíveis para homem e mulheres, géis, pomadas, “lingeries” e toda sorte de produtos estimulantes para uma relação sexual são encontrados em “sexshops”, que já têm suas versões na internet e até por catálogo de porta em porta, estilo Avon. Com preços que estão longe de serem prazerosos, elas aguçam a curiosidade de muitos. É o caso de Paula Moura (nome fictício). Ela e o marido são evangélicos e não vêem qualquer tipo de problema em freqüentar uma dessas lojas. “Não gosto de produtos de sadomasoquismo ou fantasias, mas há coisas interessantes”, admitiu. Na opinião do psicólog e pastor batista Silas de Freitas, a curiosidade pode ser o início de um hábito.

“A curiosidade pode levar o indivíduo a ceder à vontade de experimentar artifícios que não podem melhorar o relacionamento”, disse. Para ele, é o ajustamento na relação conjugal que torna o sexo mais prazeroso. “Eu tenho mais de 30 anos de casado, e meu envolvimento é tão bom quanto antes. Talvez melhor”, acrescentou. Ele crê que, quando tudo está ajustado, o casal cria mecanismos excitantes.

Para a bispa metodista Marisa Coutinho, a criatividade faz parte do relacionamento. “Não vejo problemas no uso de óleos de massagem, por exemplo. Mas entendo que a questão não é se o casal evangélico deve ir à “sexshop” ou não. Mas por que razão quer ir”, argumentou. Ela entende que se a motivação for suprir uma carência que o casal esteja enfrentando, talvez as novidades possam até atrapalhar.

Silas de Freitas ainda diz que o ato sexual por si mesmo não satisfaz mais, precisa de novidades, de elementos inusitados para valer-se. Tudo isso também tem muito a ver com o tipo de vida imediatista que as pessoas têm levado. Em vez de investir no relacionamento dia após dia e aprender sobre o outro, sobre o que lhe dá prazer, o indivíduo prefere alternativas que lhe permitam pular essas etapas.


Por Virgínia Rodrigues
publicado por institutogamaliel às 12:37
tags:


Qual o capítulo da Bíblia que proíbe o sexo anal?

Considerando que os humanos são os únicos seres vivos conhecidos que fazem sexo pelo mero prazer e não apenas pela reprodução, que a atividade sexual humana não depende de um ciclo biológico e não se limita ao instinto, o homem se difere dos animais pela suas faculdades mentais, pela sua estrutura psíquica, e por conta disso, a libido está atrelada às necessidades de ordem psíco-afetivas que se percebe através do corpo. Isso implica que, muito do que se percebe nas preferências sexuais podem ser apenas sublimações dos incômodos psíquicos do sujeito. E nesse caso, o recomendável é que se resolva o problema sem paliativos...

Além disso, é sabido de todos que o comportamento humano não é regrado apenas pelas preferências e carências de cada um ou por distúrbios psíquicos quaisquer.

Hoje é muito comum ouvir das pessoas que as preferências sexuais é uma questão particular de cada um, e que nós outros temos que reconhecer essas preferências aprendendo a respeitar as diferenças de cada um. E isso implica que os valores morais dependem agora da vontade de cada um.

Porém, para os que acreditam em Deus e aceitam a Sua Palavra, há de convir que, no que tange às práticas sexuais, e, em particular, o sexo anal, há implicações morais que devem ser considerados inquestionavelmente. Primeiro porque há uma explicação Fisiológica, ao se afirmar que o ânus é parte do aparelho excretor, e em segundo lugar, não por ordem de importância, a Bíblia não aprova o sexo anal.

Do ponto de vista fisiológico desrespeita a higiene, e se desrespeita a higiene, agride a saúde. Em algumas pessoas compromete a saúde até por outras razões que por não ser o objeto da nossa resposta não vamos comentar.


E quanto a Bíblia, a Palavra de Deus é clara no que segue:

1. Em Romanos 1:26-29, o Apóstolo Paulo condena o sodomismo (sodomitas é um termo bíblico para se referir aos que praticam o sexo anal), o homossexualismo e todo tipo de perversão sexual.

2. Em Hebreus 13:4, o Apóstolo chega a chamar de adúlteros os casados que vivem em leito de mácula. Na língua grega, texto original do Novo Testamento, a palavra “adúlteros” é mais esclarecedora. A palavra no Grego é a palavra “pornéia”, cujo significado é o mesmo da palavra que está no 7º Mandamento. Ela não se refere apenas as práticas sexuais fora do casamento, se refere a qualquer atividade sexual proibida por Deus. Isso proíbe literaturas pornográficas, conversações pornofônicas e etc. É da palavra “pornéia” que deriva no Português as palavras: “pornô”, “pornografia” e etc.

3. Em 1º Coríntios 6:9, lemos uma lista dos que estarão perdidos, e entre eles, constam os sodomitas. (1º Timóteo 1:8-10).

4. Em Gálatas 5:19-21, e em Apocalipse 22:15, aparece outra vez a mesma palavra como sinônimo de pecado.

5. Em Gênesis 18:17-22, a Bíblia se refere à Cidade de Sodoma. O pecado que tanto incomodou ao Senhor era de sexual. A Arqueologia afirma que os sodomitas tinham maior preferência pelo sexo anal e por isso essa prática ficou conhecida como sodomismo. Em Gênesis 19:5, aparece o verbo conhecer, que significa ter relações sexuais. Os homens da cidade, de todas as idades, buscavam sempre novas experiências sexuais e porque viram homens diferentes na casa de Ló desejaram estuprá-los. Não sabiam que se tratava de Anjos e em Gênesis 19:6-11, lemos que Ló, sobrinho de Abraão, chegou oferecer as suas duas filhas, ambas virgens, para que os homens não molestassem os Anjos que estavam em sua casa. Não aceitaram e os Anjos fizeram que todos ficassem cegos e naquela mesma noite todos foram destruídos.

6. Em Colossenses 3:4-6, lemos que as inclinações pecaminosas (entre elas aparece à palavra pornéia), devem ser resolvidas antes da Volta de Jesus para não ter que enfrentar a ira de Deus.

7. Mas em Atos 17:30-31, afirma que Deus não leva em conta o tempo da ignorância, mas determina que todos, em todos os lugares, se arrependam antes do Juízo. Agora, em Tiago 4:17, diz que se alguém sabe fazer o bem e não faz, comete pecado. E mesmo que uma verdade não esteja tão clara para alguém, o Espírito Santo tocará na consciência dos sinceros e, no mínimo, ficará uma dúvida. Nesse caso, em Romanos 14:23, lemos que qualquer coisa que se faz com dúvida é pecado.

Como disse o Profeta Elias (1º Reis 18:21) quando se colocou diante do povo de Israel e perguntou: “Até quando estareis em dúvida entre dois pensamentos?”.


Pr. Graciliano Martins
publicado por institutogamaliel às 12:36
tags:



1. Santidade - Amarás teu cônjuge com todo teu coração com toda tua alma, com todo o teu corpo em plena santidade, sabendo que foi Deus quem fez a sexualidade sendo ela Limpa, Pura, e Santa dentro do casamento. Sexo é uma bênção de Deus.

2. Romantismo - Amarás teu cônjuge com toda consideração e sentimento, com todo o respeito e romantismo. Sabendo que uma relação sexual começa não somente a noite quando chegas e tiras a roupa, mas desde a manhã quando as veste para sair.

3. Responsabilidade - Amarás teu cônjuge de forma ativa e não passiva, pois tu és responsável por teu próprio prazer sexual, não podes transferir para teu cônjuge peso e a responsabilidade de tua sexualidade. Não espere, tome a iniciativa.

4. Comunicação - Amarás teu cônjuge com toda liberdade, expressando abertamente teus sentimentos, necessidades, gostos, preferências e desejos. Através de um diálogo expontâneo , sincero e descontraído. Converse com teu cônjuge.

5. Criatividade - Amarás teu cônjuge com toda criatividade, evitando a rotina e a monotonia. Use diferentes horários, diferentes locais, diferentes posições, diferentes situações. Uma música romântica, uma penumbra, uma roupa especial etc.

6. Humor - Amarás teu cônjuge com alegria, não levando o sexo demasiadamente a sério, lembre-se: fazer amor é um prazer, é um lazer, é um divertimento, é uma brincadeira, não um dever ou obrigação. O humor tira a tensão e o medo.

7. Privacidade - Amarás teu cônjuge com toda intimidade, garantindo toda segurança de não serem interrompidos por terceiros, a ameaça de uma interferência inesperada rouba a liberdade de uma total doação, não há liberdade sem privacidade, tranque a porta por dentro.

8. Higiene - Amarás teu cônjuge como um jardim, com o perfume das flores com suas pétalas limpas, coloridas, delicadas e cheirosas. O corpo todo é sexuado podendo ser desfrutado por inteiro como um instrumento de amor.

9. Realidade - Amarás teu cônjuge como ele é, sem ilusões ou fantasias, sem transferências de imagens eróticas ou românticas fantasiosas, procurando no parceiro o motivo certo e verdadeiro de uma excitação e satisfação sexual.

10. Reciprocidade - Amarás teu cônjuge com excelência, não preocupando-se apenas com a quantidade do sexo, mas também com a qualidade. Evoluindo do orgasmo egoísta ao altruísta até descobrir o caminhar juntos para uma qualidade de prazer.

O Amor jamais acaba, tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta, o amor é paciente, é benigno, não ciumento, não vaidoso, não soberbo, não inconveniente não interesseiro, não violento, não maldoso, é justo e verdadeiro. (2 Corintos 13)
publicado por institutogamaliel às 12:35


Existe cura para impureza sexual?

Outro dia tive uma conversa estimulante, mas também algo abaladora com um pastor, no final de uma palestra sobre educação. Na palestra eu havia mencionado um princípio do pensamento reformacional -- a ideia de que não há contradições estruturais na ordem criada. Assim, não há contradição essencial entre, por exemplo, a esfera da justiça e a da moral, ou entre a esfera estética e a esfera da fé, e assim por diante. Porém, uma das minhas alegações fez acenderem luzinhas no painel dos presentes, incluindo no do amigo pastor: a de que não haveria contradição estrutural entre as esferas biológica e psíquica e a esfera moral.

Ao término da exposição ele reagiu prontamente com uma questão muitíssimo prática: a tentação sexual: “Há pouco eu aconselhei um homem envolvido em adultério. O casal está aos poucos se refazendo, e a esposa está disposta a perdoar; quanto ao marido, ele deixou claro para mim que amava a sua esposa. Ele simplesmente foi fraco e caiu. Não lhe faltava amor; faltavam-lhe forças para resistir à tentação sexual. Mas isso não implica em uma contradição entre o nível biológico e o nível moral?”.

Sem dúvida, as impressões do pastor refletiam um lugar-comum da imaginação evangélica: a tentação seria uma fraqueza interna ao campo sexual, a ser vencida por meio de uma resistência ao desejo sexual, seja por uma intervenção diretamente biológica (arrancar os olhos, ou outra coisa, eventualmente) ou por uma equilibração psíquica. De um modo ou de outro, espera-se que o desejo sexual distorcido seja controlado. Mas se, enfim, perdemos o controle, é porque falta disciplina no trato com o desejo. Precisamos disciplinar o corpo, basicamente; dobrá-lo pela supressão do desejo.

Pois bem; essa é uma das mais falsas verdades que nós cristãos gostamos de espalhar. É uma verdade, sim, que o corpo deve ser disciplinado, e o desejo controlado; não é o “domínio próprio” um fruto do Espírito? Entretanto, é uma baita falsidade que possamos controlar os desejos assim mecanicamente, ou mesmo “cirurgicamente”.

Imagine o mundo sem o pecado

Façamos alguns exercícios de imaginação cristã; imaginemos o mundo sem pecado. Nesse paraíso, Adão tem desejos de todos os tipos, incluindo os desejos sexuais. Esses desejos têm uma base instintiva biopsíquica, e são acionados automaticamente por sinais óbvios: a forma do corpo da fêmea, certas cores, certos cheiros etc. Adão está sujeito a tais estímulos exatamente como qualquer outro macho de sua espécie, sendo que sua sexualidade, nesse nível, tem forte analogia com a de outros animais.

Porém, Adão não é apenas um animal, feito de pó como todos os outros. Adão é o pó com o sopro divino, é o portador da imagem de Deus. De algum modo essa imagem está impressa no mesmo pó do qual as outras criaturas foram feitas, e entre as características particulares que Adão apresenta está a sua função moral. Adão é capaz de um altruísmo perfeito, muito além do altruísmo de cães e golfinhos. Ele é capaz de amar de forma pura, reconhecendo na forma da fêmea não um corpo adequado ao acasalamento, mas a superfície material de uma pessoa; não como mero objeto, mas como evento dotado de profundidade pessoal, como um Tu que precisa ser amado incondicionalmente por meio do trato que se dispensará ao seu corpo.

Teríamos aqui uma contradição estrutural? Haveria aqui um choque da dinâmica biopsíquica contra a dinâmica moral? Penso que temos excelentes razões para crer que não; não apenas razões teológicas (tudo o que Deus criou é bom), mas também filosóficas. Vou lançar mão aqui da noção de sobredeterminação utilizada em ontologia (a teoria sobre a natureza da realidade). O conceito não é muito complicado, mas exige alguma atenção.

Sobredeterminações ontológicas

A ideia de sobredeterminação ontológica é a ideia de que a dinâmica própria de um nível superior da realidade não contradiz, mas sobredetermina a dinâmica de um nível inferior. Um exemplo clássico disso é a relação entre a dinâmica biótica seus processos químicos subjacentes. A matéria, como se sabe, se associa ou se desassocia segundo leis físico-químicas, e essas leis por si mesmas não produzem seres vivos. Por outro lado, seres vivos apresentam processos exclusivos em relação aos seres inanimados; processos como a reprodução, o metabolismo, e a conservação de informação complexa.

Naturalmente, para realizar todos estes processos, os seres vivos dependem de processos físico-químicos, que seguem leis físico-químicas. Porém, se as moléculas que compõe a estrutura de uma célula viva apenas obedecessem a leis físico-químicas, ela se desfaria. As moléculas da célula obedecem às leis físico-químicas dentro de restrições e especificações impostas pela dinâmica biológica do organismo, segundo modos absolutamente improváveis, de um ponto de vista puramente químico. Quando as moléculas da célula seguem apenas as leis físico-químicas, sem nenhum controle biótico, ela se desfaz -- porque, obviamente, ela está morta. Dizemos, portanto, que há na célula uma sobredeterminação das leis bióticas sobre as leis físicas.


A sobredeterminação moral

Ora, o mesmo vale para outros níveis da realidade. Há uma sobredeterminação psíquica sobre os processos biológicos do ser humano; e uma sobredeterminação sociológica sobre processos psíquicos; e no final da escala, uma sobredeterminação religiosa e moral sobre todos os níveis estruturais do ser humano. As normas de um nível superior de função humana não contradizem as normas do nível inferior, mas lhe dão formas particulares, habilitando-as a existirem no nível superior. Pense nas moléculas da célula: pela “obediência” às leis bióticas, elas deixam de ser apenas “matéria”, e se tornam parte de um ser vivo.

Ora, o que queremos dizer com isso é que é preciso ser um animal para ser um homem; no entanto essa é uma condição “necessária, mas não suficiente”. A vontade moral e a capacidade humana de amar opera por meio de sua estrutura sexual, mas a transcende, elevando o corpo do homem à condição de espírito, de pessoa. Porém, assim como a célula pode morrer entregando suas moléculas às leis brutas do mundo físico-químico, o homem pode morrer moralmente entregando o seu corpo aos estímulos biopsíquicos. O humano no homem pode ser negado e perdido por falta de vontade.

Onde se localiza, então, a falha da impureza sexual? Não no nível sexual, seja em seu aspecto biológico ou psíquico, mas no nível moral. Quando pecamos por impureza sexual, não pecamos por excesso de sexualidade, por excesso de desejo sexual, ou por excesso de estímulo sexual (primariamente falando), mas por falta, por ausência. E aqui estamos simplesmente sendo Agostinianos: o pecado é a privação do bem. O problema da impureza é a ausência moral, não o excesso sexual.

Um Truísmo?

Estaríamos nós dizendo o óbvio? Sim e não. Sim, porque isso é simplesmente o que as Escrituras e a tradição ensinam. Não, porque isso não é de modo algum a teologia moral popular no meio cristão. Pensemos na conversa com o pastor, que mencionamos antes. Ele afirmou com grande convicção que o marido traidor, no fundo, amava a sua esposa. Ele caiu por ser fraco, não por falhar no amor.

À luz do que acabamos de considerar, no entanto, eu diria que não. Com certeza, o marido traidor amava a sua esposa; mas ele não a amava o suficiente. Na verdade, ele não caiu por fraqueza sexual (ou excesso de desejo sexual), mas por falta de amor. Não foi isso o que nos disse o Apóstolo? “O amor não faz mal ao próximo”. Jesus não caiu e não cairia nessa tentação, não porque não tivesse os mesmos desejos sexuais, mas porque ele saberia olhar para cada pessoa envolvida com amor de verdade.

Sejamos específicos: aquele que adultera deixa de amar à sua esposa e de considerá-la como pessoa de valor infinito. E deixa também de amar à sua “amante”, tratando-a egoisticamente. Aquele que procura a prostituição, seja ela real ou virtual, não ama aqueles que estão escravizados ao mercado sexual, e tampouco ama a si mesmo; pois se sujeita a ser manipulado e explorado por indivíduos que não tem um pingo de respeito ou preocupação com o seu destino, desde que esvaziem os seus bolsos.

De modo algum eu pretendo dizer com este argumento que não exista o vício sexual; mas sustento que até mesmo o vício tem os seus começos na falta de amor genuíno pelo outro. Todo aquele que sofre com a impureza sexual deve saber, e dizer para si mesmo claramente, que ele não é um pobre coitado, aprisionado por impulsos sexuais e por uma dinâmica biopsíquica ultimamente má inventada por um Criador maldoso. Mil vezes não. A concupiscência existe, sim; mas é uma erva daninha. Ela só cresce quando o amor está ausente. E quando ele está presente, alguma coisa forçosamente mudará. É por isso que Santo Agostinho pôde declarar com tanta confiança: “Ama e faze o que quiseres”.

Problemas oftalmológicos

De acordo com Jesus, a impureza é uma doença dos olhos, de certo modo; um problema oftalmológico, mas altamente infeccioso, a ponto de ele receitar a amputação: “Se o teu olho de faz tropeçar, arranca-o”. Porém, Jesus sabia o que dizia. Ele deixou claro que o que contamina o homem é o que sai do seu coração, não o que entra pela sua boca. A doutrina da “amputação” é uma referência metafórica à mudança dos olhos.

O ser humano tem sérios problemas com os olhos. E eu quero chamar a atenção dos meus companheiros, os homens. Recentemente recebeu alguma cobertura o resultado de uma pesquisa feita na universidade de Princeton, sobre os padrões de resposta neurológica de homens diante de imagens de mulheres. O que Susan Fiske, a diretora da pesquisa descobriu, é que as imagens de mulheres com teor erótico ou sensual, e especialmente as imagens de partes específicas do corpo sem a revelação da face, despertam as mesmas áreas do cérebro masculino tipicamente associadas ao uso de ferramentas e objetos inanimados, ao mesmo tempo em que desativam as partes associadas às relações sociais.

Ou seja, de algum modo a nossa sociedade desenvolveu uma forma de desassociar o interesse sexual da sensibilidade moral a partir da nossa forma de olhar as mulheres. Fomos literalmente submetidos a um maciço treinamento pavloviano para nos acostumarmos a olhar mulheres como objetos, como superfícies materiais sem profundidade pessoal. Nas palavras de Susan Fiske, “eles não as estão tratando como seres humanos tridimensionais”.

Isso é o que acontece quando suprimimos a nossa intuição moral e deixamos de ver pessoas diante de nós. Restam apenas corpos impessoais.

Olhar com amor

Como, então, o amor se manifesta, no que tange à impureza sexual? De novo quero apelar para Paulo: “Não repreendas ao homem idoso; antes, exorta-o como a pai; aos moços, como a irmãos; às mulheres idosas, como a mães; às moças, como a irmãs, com toda a pureza” (1Tm 5.1).

Paulo sabia muito bem o que estava dizendo. Ninguém pode alegar (a não ser, é claro, em casos evidentemente patológicos) que não sabe o que significa olhar para uma mulher linda e não cobiçar. Basta ter mãe ou irmã -- ou filha, eu diria. Todos nós sabemos muito bem o que é olhar alguém que, biologicamente falando, poderia ser apenas um objeto sexual, mas simplesmente não sentir interesse sexual por causa do amor, de uma relação de respeito e cuidado em que o outro é verdadeiramente reconhecido como pessoa e valorizado incondicionalmente. O amor faz a gente ter um olhar diferente.

Como é que o jovem Timóteo olharia para uma moça com “toda a pureza”? Olhando-a como se fosse uma irmã de sangue. Paulo nos convida aqui a usar a imaginação, e considerar as moças como se fossem irmãs. Ou seja, tomando-as como pessoas, não como objetos. Isso demandará uma revolução, nos dias de hoje, em que somos ensinados a enxergar os corpos humanos como bonecos de plástico. Jovens e adultos, homens e mulheres, olhando para seus pares, amigos e semelhantes como pessoas -- não como nacos de carne, como pernas, bundas e peitos, mas como gente, como humanos com faces, como superfícies físicas de pessoas reais.

Honestamente, preciso dizer a todos os meus companheiros pecadores que não há uma cura completa para essas doenças do olhar, até que a nossa ressurreição seja consumada. Porém, há o que Schaeffer chamava de “cura substancial”. A impureza no olhar tem cura de verdade, embora seja um caminho difícil; pois amar de verdade é ainda mais difícil que reprimir desejos.

Mas, enfim, não há vitória na “pureza” obtida à custa de repressão do desejo. É inútil congelar uma célula morta para que ela não se desfaça. A única solução genuína e de longo prazo para o problema da impureza sexual é ter amor nos olhos.
publicado por institutogamaliel às 12:35


Uma prática que afasta o homem de Deus

Existem médicos que apontam como solução para ejaculação precoce. Há uns que dizem que não é pecado, há outros que afirmam de pés juntos que não está escrito na bíblia por isso não faz mal; Tenho certeza também que não existe um convertido que não se sinta longe de Deus após cometer tal "pecado".

Existem pessoas na igreja que são fofoqueiras, que destilam veneno assim que abrem a boca, destroem vidas com afirmações mentirosas e são incapazes de reconhecer que estão trazendo mal a alguém. Essas pessoas não se sentem mal em nenhum momento, pois elas não são convertidas, são convencidas, não nasceram de Deus são do capeta.

Se masturbar, ou seja, estimular com as mãos e dedos os genitais a fim de proporcionar prazer e, até ao gozo, é um ato comum, esperado, previsto e bom, no desenvolvimento humano. Crianças se manipulam, adolescentes, adultos e pessoas na terceira idade. A masturbação é algo possível tanto para meninos como para meninas , para homens e mulheres.

Quando nos masturbamos, além de sentirmos sensação de prazer, aprendemos a conhecer nosso corpo, nossas sensações, as partes do corpo mais sensíveis.


Mas e para o Cristão que mal tem?

"Eu, porém, vos digo, que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela." (Mateus 5:28)

Dá pra entender o versículo acima? aos que se masturbaram, há como se masturbar sem que na mente (algo quase incontrolável) não esteja passando imagens de sexo com mulher ou com homem? Impossível! Para a carne, tudo que dá prazer, a carne quer mais… E é muito comum acontecer com solteiros na igreja, que não se sentem seguros a comentar sobre o assunto e preferem esconder o vício a procurar uma solução para o problema.

É um pecado… traz adultério na mente… no coração… esfolação da genital pelo prazer solitário, rápido, inconstante e após aquele choro de remorso… Deus por que fiz… eu não quero mais.. até a próxima excitação.

"Fugi da impureza. Qualquer outro pecado que uma pessoa cometer é fora do corpo; mas aquele que pratica a imoralidade peca contra o próprio corpo. Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por preço. Agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo." 1Co 6.18-20

"Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição; que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo em santificação e honra, não com o desejo de lascívia, como os gentios que não conhecem a Deus; e que, nesta matéria, ninguém ofenda nem defraude a seu irmão; porque o Senhor, contra todas estas coisas, como antes vos avisamos e testificamos claramente, é o vingador, porquanto Deus não nos chamou para a impureza, e sim para a santificação." 1Ts 4.3-7


Polução Noturna

Polução Noturna é uma ejaculação involuntária que ocorre durante o sono.

Ela resulta de uma excitação física genital que se manifesta nas fases REM (Rapid Eyes Moviment, ou movimento rápido dos olhos). Essa fase ocorre de uma a nove vezes por noite, variam de um minuto a uma hora e são as mais propícias ao sono. Se os homens tiverem sonhos eróticos durante esse período, tais manifestações involuntárias podem ocorrer.

Elas são normais, saudáveis e não causam nenhum mal ao organismo. A natureza, situação envolvida ou personagens do sonho erótico não determinam necessariamente a preferência, orientação ou tendência sexual do indivíduo.

A polução noturna ocorre em todas as idades, mas é disparadamente mais comum dos 10 aos 20 anos, justamente no período de maior inexperiência sexual e energia sexual reprimida ou insatisfatoriamente resolvida. Com o aumento da freqüência de atividades sexuais, elas tendem a diminuir e até cessar.

O fenômeno parece ser uma maneira do organismo “se livrar” do excesso de sêmen acumulado já que é menos freqüente em quem ejacula regularmente por masturbação ou relação sexual.

Não se conhece uma maneira eficiente de evitar os sonhos eróticos e nem se deveria tentar fazê-lo já que se trata de um aspecto normal da sexualidade.

xxxxxx

Conclusão

A Masturbação é pecado. A polução noturna não. A masturbação vicia, algumas pessoas machucam suas genitais, não conseguem se aproximar de Deus, sentem vergonha do Espírito Santo e precisam de libertação.

Se você está passando por essa situação ou tem problemas com pornografia, seja jovem, líder, obreiro, diácono, membro, evangelista, missionário... Procure ajuda espiritual em sua igreja, converse com seu pastor ou alguém de sua confiança. Não tente enfrentar o problema sozinho. Peça perdão a Deus, arrependa-se e siga em frente.


por Alexandre
publicado por institutogamaliel às 12:33


O Sexo Oral e a Ciência

Primeiro vamos entrar na Ciência recolhendo opinião de especialistas, depois vamos adentrar na Bíblia para saber se é pecado ou não, se dentro de um casamento é permitido ou não.

Segundo a Ciência (medicina) os tecidos da cavidade bucal não têm condições de oferecer resistência à ação de microorganismo provindos do canal vaginal ou da uretra masculina. O que facilita a transmissão de doenças venéreas transportada para a boca, laringe ou faringe. Em consultas a dentistas atentos que não somente olham os dentes, enquanto alguns médicos somente a garganta! Rs, rs, Quando deveriam examinar todo o interior e exterior da boca. Assim poderiam encontrar algum indicio de HPV caso haja, nos abscessos nas gengivas provenientes de bactérias provindas do aparelho genital masculino e feminino. Geralmente só descobrem quando o caso está bem avançado, mas o HPV tem tratamento.

A Medicina faz um alerta sobre a relação sexual oral e anal.

O Centro Nacional de Estatísticas da Saúde dos EUA descobriram que um vírus sexualmente transmissível ligado ao câncer no pênis, ânus e colo do útero está relacionado cada vez mais com Tumores na Boca. Trata-se do HPV (Papilomavírus Humano) a principal causa desse tipo de cânceres é o aumento da pratica do sexo oral nas últimas décadas, especialmente entre jovens. Pesquisa em 2005 informa que 55% dos rapazes e 54% das moças com idade entre 15 e 19 anos já haviam experimentado o Sexo Oral.

Na década de 40 e 50 estudos de Alfred Kinsey, pioneiro no mapeamento dos hábitos sexuais dos americanos. Apontava números bem diferentes, 10% dos homens e 19% das mulheres declaravam haver praticado sexo oral antes do casamento. Por outro lado 50% das mulheres e 33% dos homens casaram virgens, segundo pesquisas daquele tempo. A Equipe do médico Hisham Mehanna, do hospital Universitário de Coventry, no Reino Unido constatou que após a segunda Guerra Mundial, os casos de câncer na base da língua, na amídala e no pescoço surgem a partir de lesões causadas pelo HPV. A Matéria foi publicada "British Medical Journal".

O Dr. Hisham Mehanna relata um trabalho feito com mais de 10 mil voluntários no qual concluiu que quem tinha feito sexo oral com 04 ou mais pessoas tem chance mais de três vezes de obter um câncer na orofaringe (inicio da raiz da lingua até a faringe), do que uma pessoa que não tinha. Noutro estudo o Dr. Mehanna realizado na Suécia com duração de quase 40 anos ele constatou um aumento drásticos dos casos de HPV, através de biopsia de tumores retirados da orofaringe, nos anos 70 o vírus foi encontrado apenas 23% dos casos de tumores, já em 2006 e 2007 quase quadruplicou o virus foi achado em 93% dos casos, a maioria dos especialistas atribuem esse aumento o sexo oral como principal causa.

O sexo Oral é uma porta direta para a transmissão o papilomavírus humano. Acompanhando relatos de especialistas da Odontologia, e diferentes áreas da medicina concluem-se que a Relação Sexual Oral, não é um ato seguro, a menos que faça-se o uso de preservativo, ou dentro de uma relação monogâmica, sem troca de parceiros(as), além é claro de higiene pessoal por parte de ambos os sexos, nesse caso o risco é extremamente reduzido.

O Papilomavírus humano também pode ser transmitido por meio do contato da pele e se encontra na mucosa do trato genital, na saliva, na urina e no sêmen. No entanto o papilomavírus não é a única doença que pode ser adquirida através da Relação sexual oral, existe uma lista imensa de Doenças Sexualmente transmissíveis, entre elas a AIDS.


O Sexo Oral e a Bíblia

Gn. 1: 27 Criou, pois, Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.
31 E viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom.
E foi a tarde e a manhã, o dia sexto.

Deus criou o Homem e a Mulher a sua imagem e semelhança, o corpo humano é perfeito e tudo nele tem suas finalidades a quais precisam ser observadas e respeitadas.

E viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom... Isto indica que não há nada no corpo do homem e da mulher, nada que não seja bom.

Também é necessário observar as funções de cada membro do corpo. Como estamos falando de sexo, vamos direto ao ponto: órgão sexual masculino e feminino é para o prazer e procriação (o sexo anal não está incluído nesse pacote de prazer e procriação). Vamos a uma prova científica? Sim! Período fértil procriar, período não fértil prazer. É sobre essa forma de prazer que vamos tratar aqui a luz da Bíblia.

Primeiro de tudo temos que considerar que o Sexo é coisa para gente casada segundo os padrões bíblicos:

Hebreus 13:4
Honrado seja entre todo o matrimônio e o leito sem mácula; pois aos devassos e adúlteros, Deus os julgará.

Ao Casamento devemos honrar a cama sem manchas de pecado, uma relação sadia e não doentia, pois os devassos {devassos = solteiros (as)} e adúlteros Deus os julgará.

Relação sadia, vai direto ao 'X' da Questão, Sexo Oral é permitido dentro de um casamento? A Resposta é sim! Apesar de muitos lideres condenarem, sem um respaldo Bíblico plausível, claro e direto. Do mesmo modo não temos uma passagem bíblica clara e objetiva que venha apoiar este ato diretamente.

“Pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência, proibindo o casamento e ordenando a abstinência dos manjares que Deus criou para os fiéis e para os que conhecem a verdade, a fim de usarem deles com ações de graças”. (1 Timóteo 4:2,3)

“Se, pois, estais mortos com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos carregam ainda de ordenanças, como se vivêsseis no mundo, tais como: não toques não provem, não manuseies?
As quais coisas todas perecem pelo uso, segundo os preceitos e doutrinas dos homens; as quais têm, na verdade, alguma aparência de sabedoria, em devoção voluntária, humildade, e em disciplina do corpo, mas não são de valor algum senão para a satisfação da carne”. (Colossenses 2:20)


Mas temos uma base para o sexo Oral dentro da Bíblia?

Mateus 15:10 - E, clamando a si a multidão, disse-lhes: Ouvi, e entendei:
11 Não é o que entra pela boca que contamina o homem; mas o que sai da boca, isso é o que o contamina.
18 Mas o que sai da boca procede do coração; e é isso o que contamina o homem.19 Porque do coração procedem os maus pensamentos, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias.

Esse trecho refere-se à hábitos alimentares, não precisamente sexo oral, mas podemos deduzir que dentro de um casamento o sexo oral com devido cuidados de higiene, uso de preservativos, não é tão grave e perigoso. É um ato opcional do casal e não compete a nós lideres interferir apenas orientar.

O Sábio Salomão recomenda uma higiene completa antes do ato sexual, isso inclui lavar os pés, rs, rs ! Vamos ao texto:


Cântico dos Cânticos

5:2 Eu dormia, mas o meu coração velava.
Eis a voz do meu amado! Está batendo: Abre-me, minha irmã, amada minha, pomba minha, minha imaculada; porque a minha cabeça está cheia de orvalho, os meus cabelos das gotas da noite.

3 Já despi a minha túnica; como a tornarei a vestir?
já lavei os meus pés; como os tornarei a sujar?

Uma Higiene completa para o ato nunca é demais, isto inclui escovar até os dentes para ficar com bom hálito para beijar e falar de perto, perfume e cama arrumada:


Cântico dos Cânticos

1:2 Beije-me ele com os beijos da sua boca; porque melhor é o seu amor do que o vinho.
3 Suave é o cheiro dos teus perfumes; como perfume derramado é o teu nome; por isso as donzelas te amam.
16 Eis que és formoso, ó amado meu, como amável és também; o nosso leito é viçoso.
13 O meu amado é para mim como um saquitel de mirra, que repousa entre os meus seios.
14 O meu amado é para mim como um ramalhete de hena nas vinhas de En-Gedi.

Higiene bucal bom hálito para um casal é sadio é bom para proporcionar mais prazer


Cântico dos Cânticos

4:2 Os teus dentes são como o rebanho das ovelhas tosquiadas, que sobem do lavadouro, e das quais cada uma tem gêmeos, e nenhuma delas é desfilhada.
3 Os teus lábios são como um fio de escarlate, e a tua boca e formosa;
As tuas faces são como as metades de uma romã por detrás do teu véu.
4: 11 Os teus lábios destilam o mel, noiva minha; mel e leite estão debaixo da tua língua, e o cheiro dos teus vestidos é como o cheiro do Líbano.


Cantares de Salomão

5:16 O seu falar é muitíssimo suave; sim, ele é totalmente desejável.
Tal é o meu amado, e tal o meu amigo, ó filhas de Jerusalém.

O Sexo Oral faz parte de um conjunto, onde ambos têm o compromisso de se cuidar e manter-se com saúde, isto requer cuidar do outro, compromisso, amor, carinho, respeito. A Higiene antes do ato para não comprometer a saúde do (a) Esposa(o).

A Esposa descreve o corpo do marido com detalhes no livro de cantares, ela ver o corpo dele de perto e toca, acaricia...


Cantares de Salomão

5:14 Os seus braços são como cilindros de ouro, guarnecidos de crisólitas; e o seu corpo é como obra de marfim, coberta de safiras.
15 As suas pernas como colunas de mármore, colocadas sobre bases de ouro refinado; o seu semblante como o Líbano, excelente como os cedros.

O Esposo descreve o corpo da Esposa, certamente ele percorre de algum modo o corpo de sua companheira, ponto por ponto e realiza seus desejos, e desperta suas curiosidades ao detalhes do corpo dela.


Cantares de Salomão

4:4 O teu pescoço é como a torre de Davi, edificada para sala de armas;
no qual pendem mil broqueis, todos escudos de guerreiros valentes.
5 Os teus seios são como dois filhos gêmeos da gazela, que se apascentam entre os lírios.
6 Antes que refresque o dia e fujam as sombras, irei ao monte da mirra e ao outeiro do incenso.
7 Tu és toda formosa, amada minha, e em ti não há mancha.

Embora tenhamos que admitir que os seios é uma verdadeira fonte de prazer para ambos, e com as mãos pode se fazer muito mais, o que é melhor e mais seguro do que usar a boca. Porém, cabe ao casal decidir isso, e não a nós.


Bispo Jéferson Fabiano
http://prjefersonfabiano.blogspot.com/
publicado por institutogamaliel às 12:33


A relação conjugal chega a ser um mistério profundo (Ef 5.32). Acredito que a qualidade e as implicações da intimidade de um casal, extrapolam nossa capacidade de assimilação. Depois de uma relação sexual, o casal nunca mais será o mesmo com respeito ao outro. O ato conjugal é tal, que a Bíblia chega a dizer que “aquele que se une a uma prostituta é um corpo com ela. Pois, como está escrito: Os dois serão uma só carne. Mas aquele que se une ao Senhor é um espírito com ele” (1 Co 6.16-17). Em outras palavras, apenas o intercurso sexual chega a ser comparado com a intimidade espiritual entre uma pessoa e Deus. E mesmo que esse ato seja com uma prostituta, o que não condiz com o padrão estabelecido por Deus para a prática sexual, mesmo assim não deixa de ter as devidas implicações.

Afirmo que a relação sexual é peculiar aos casados, pois assim Deus a definiu, que cada homem tenha sua esposa, e cada mulher o seu próprio marido, para que se evite a imoralidade, da qual a Bíblia ainda diz que devemos fugir (1 Co 7.2; 6.18). Assim sendo, quero fazer menção de alguns benefícios proporcionados pela prática sexual entre um casal. São idéias que me vieram à mente enquanto conversava com minha esposa na manhã de hoje. São algumas idéias que não resultam de nenhum estudo; são apenas expressão do que acho e do que tenho experimentado. É uma pena que ainda exista tantos preconceitos com respeito ao sexo. Poucos têm coragem de falar nele abertamente. A pornografia e a imoralidade em geral têm criado essa imagem negativa de algo tão bom e tão de Deus quanto qualquer outra coisa boa de Deus.

O ato sexual é, provavelmente, o maior fortalecedor do relacionamento conjugal. É difícil encontrar palavras que consigam descrever a sensação de prazer provocada por um orgasmo. Ele dura poucos instantes. Mas, até nisso Deus foi gracioso, pois se um orgasmo não fosse tão rápido em sua duração, é provável que a pessoa perdesse a consciência. O prazer é um dos benefícios permanentes da relação sexual. É por isso que a Bíblia diz: “Desfrute a vida com a mulher a quem você ama, [...] essa é a sua recompensa na vida pelo seu árduo trabalho debaixo do sol” (Ec 9.9). E mais: “Alegre-se com a esposa da sua juventude. [...] Que os seios de sua esposa sempre o fartem de prazer, e sempre o embriaguem os carinhos dela” (Pv 5.18-19). Diz ainda o texto sagrado: “Não se recusem um ao outro...” (1 Co 7.5); isto é, façam muito sexo.

A relação sexual é, provavelmente, a melhor conservadora da intimidade, amor, carinho, respeito, e afeto entre um casal. É difícil imaginar um casal feliz, sem que seja feliz na vida sexual. O sexo é um protetor contra experiências sexuais extraconjugais. Um casal satisfeito sexualmente, é menos vulnerável a se atrair por alguém que esteja flertando do outro lado da cerca. Gosto de dizer que um casal bem resolvido na cama, tem força para resistir às tentações do Diabo na área do sexo (1 Co 7.5). Ao contrário do que muitos pensam, o sexo é algo bem espiritual e não carnal, ou pecaminoso.

Se é verdade que o sexo conserva a qualidade do casamento, como creio que é verdade, é bom ressaltar também que o coito é um excelente elo de conciliação entre um casal em discordância. Recentemente ouvi de minha esposa: “É interessante como a gente se sente mais próximo depois da relação sexual!”. E concordo com ela como sendo verdade. Por mais paradoxal que possa parecer, sábios são os casais que fazem as pazes numa relação sexual calorosa, quando em atritos. O sexo nos traz benefícios que não conseguimos explicar. Felizes os que assim viverem, pois poderão saber o que é ser um com uma pessoa e um também com o Senhor.
publicado por institutogamaliel às 12:30


O programa Amor & Sexo da Rede Globo, exibido na última quinta-feira, 8, levou representantes do catolicismo, judaísmo e protestantismo para falar sobre sexualidade. Os convidados de Fernanda Lima foram: o padre Alessandro Campos, rabino Sérgio Margulies e o reverendo Marcos Amaral da Igreja Presbiteriana.

Os religiosos comentavam as respostas dadas pelo ator Daniel Boaventura. Entre elas o sexo antes do casamento, o uso da camisinha e etc. Sobre o sexo entre solteiros todos concordam de que a relação sexual deve acontecer depois do casamento, quando já conhece bem uma pessoa, mas pensando no que acontece nos dias de hoje se deve usar camisinha.

Outro assunto discutido foi a homossexualidade. O reverendo disse que na Igreja Presbiteriana o casal homossexual será muito bem vindo. “Uma coisa é ele e seu parceiro desejarem congregar e conviver na comunidade, mas certamente essa comunidade vai trazer informações sobre suas convicções. Nós discordamos, mas convivemos”, disse ele.

O rabino também disse que vai acolhê-los, mas como outras religiões mostrarão os valores que acreditam, mas a comunidade também precisa aprender a respeitar essas pessoas. O padre reiterou esse discurso dizendo que a Igreja Católica também acolheria esse casal “porque todos, sem distinção, são filhos de Deus”.

O único tema que dividiu opiniões foi o caso de traição. O pastor presbiteriano disse que o marido não precisava revelar a traição para sua esposa. O representante do judaísmo é favor de contar a verdade, pois o relacionamento não pode ser firmado na mentira. “Quem ama não trai”, disse o padre dando sua opinião a respeito dizendo que a fidelidade é indispensável.

Assista:


publicado por institutogamaliel às 12:29
tags:


http://lh5.ggpht.com/_qmjNMsRRbys/SGK9Drz4BSI/AAAAAAAAAE8/hj9FCszHRBQ/14.gif
A conversa informal durante o café da manhã foi mais uma oportunidade de aprendizado para os que ouviam aquela senhora de semblante calmo e cabelos embranquecidos pelas muitas primaveras já vividas.

Ela pôs o café e o leite na xícara e alguém lhe ofereceu açúcar. Mas a senhora agradeceu dizendo que não fazia uso de açúcar. Alguém alcançou-lhe rapidamente o adoçante, por pensar que deveria estar cumprindo alguma dieta.

Mas ela agradeceu novamente dizendo que tomava apenas café com leite, sem açúcar nem adoçante dietético.

Sua atitude causou admiração, pois raras pessoas dispensam o açúcar. Mas ela contou a sua história.

Disse que logo depois que se casara havia deixado de usar açúcar. Imediatamente imaginamos que deveria ser para acompanhar o marido que, por certo, não gostava de doce.

Mas aquela senhora, que agora lembrava com carinho do marido já falecido há alguns anos, esclareceu que o motivo era outro.

Falou de como o seu jovem esposo gostava de açúcar, e falou também da escassez do produto durante a segunda guerra mundial.

Disse que por causa do racionamento conseguiam apenas alguns quilos por mês e que mal dava para seu companheiro.

Ela, que o amava muito, renunciou ao açúcar para que seu bem amado não ficasse sem.

Declarou que depois que a guerra acabou e a situação se normalizou, já não fazia mais questão de adoçar seu café e que havia perdido completamente o hábito do doce.

Hoje em dia, talvez uma atitude dessas causasse espanto naqueles que não conseguem analisar o valor e a grandeza de uma renúncia desse porte.

Somente quem ama, verdadeiramente, é capaz de um gesto nobre em favor da pessoa amada.

Nos dias atuais, em que os casais se separam por questões tão insignificantes, vale a pena lembrar as heroínas e os heróis anônimos que renunciaram ou renunciam a tantas coisas para fazer a felicidade do companheiro ou companheira.

Nesses dias em que raros cônjuges abrem mão de uma simples opinião em prol da harmonia do lar, vale lembrar que a vida a dois deve ser um exercício constante de renúncia e abnegação.

Não estamos falando de anulação nem de subserviência de um ou de outro, mas simplesmente da necessidade de relevar ou tolerar os defeitos um do outro.

Não é preciso chegar ao ponto de abrir mão de algo que se goste por mero capricho ou exigência do cônjuge, mas se pudermos renunciar a algo para que nosso amor seja feliz, essa será uma atitude de grande nobreza de nossa parte.

Afinal de contas, o verdadeiro amor é feito de renúncia e abnegação senão não é amor, é egoísmo.

Se entre aqueles que optaram por dividir o lar, o leito e o carinho a dois, não existir tolerância, de quem podemos esperar tal virtude?

Se você ainda não havia pensado nisso, pense agora.

Pense que, quando se opta por viver as experiências do casamento, decide-se por compartilhar uma vida a dois e isso quer dizer, muitas vezes, abrir mão de alguns caprichos em prol da harmonia no lar.

Se você só se deu conta disso depois que já havia se casado, lembre-se de que a convivência é uma arte e um desafio que merece ser vivido com toda dedicação e carinho. Pois quando aprendermos a viver em harmonia dentro do lar, estaremos preparados para viver bem em qualquer sociedade.
publicado por institutogamaliel às 12:28
tags:



Tentarei apresentar os requisitos bíblicos que condenam a prática sexual fora do casamento, ou seja, que limitam a intimidade sexual ao matrimônio.

Gênesis 2.24 diz que homem e mulher se tornam uma só carne quando se casam, ou seja, quando deixam pai e mãe e vão viver juntos. A prescrição divina para o casamento é de um só homem e uma só mulher, unidos pelos laços do casamento. Não há como admitir a relação sexual, que é a maior intimidade entre um homem e uma mulher, sem que haja o mútuo compromisso, diante de Deus e dos homens, de consolidação da vida a dois.

A simples intenção de casar-se, ainda que com o vínculo do noivado, não abre a possibilidade para que os enamorados iniciem, já, a prática sexual. "Deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á à sua mulher, e SERÃO OS DOIS UMA SÓ CARNE". Aqui está a consumação do casamento. Somente mediante o matrimônio homem e mulher tornam-se uma só carne, e assim podem desfrutar das delícias do ato sexual.

Houvesse a exceção para o sexo livre, estaríamos diante de uma situação em que o homem, bem intencionado, praticaria o sexo com sua namorada. Passado algum tempo, se o casamento, por qualquer motivo, não se efetivasse, ele passaria a namorar outra moça com as mesmas "boas" intenções, e também praticaria sexo com esta. Não é outro o costume da sociedade depravada.

Em Cantares 4.12, lemos: "Jardim fechado és TU, irmã minha, esposa minha, manancial fechado, fonte selada". Nota da Bíblia Estudo Pentecostal: "As três figuras de linguagem deste versículo salientam a verdade de que a jovem Sulamita permaneceu virgem e sexualmente pura até casar-se. Manter a virgindade e a abstinência sexual é o padrão bíblico da pureza sexual para todos os jovens, do sexo masculino e feminino. Violar este padrão Santo de Deus é profanar o espírito, o corpo e a consciência, e depreciar o valor do ato da consumação do casamento". (cf Ct 2.7; 3.5).

Jesus disse: "Ouvistes que foi dito aos antigos: Não cometerás adultério. Eu, porém, vos digo: Qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração já cometeu adultério com ela" (Mt 5.27-28). Jesus referiu-se à mulher com a qual o homem não é uma só carne. Qual seria a intenção impura? A intenção de com ela praticar o ato sexual. Nesta palavra estaria aberta a possibilidade de o homem fazer sexo com a sua namorada? Nem com a sua namorada, nem com a mulher de outro homem.

O entendimento é que a proibição do adultério (Êx 20.14) abrange a imoralidade e todos os demais pecados sexuais. O adultério era punido com pena de morte (Lv 20.10); Dt 22.22).

A imoralidade dentro da igreja não pode ser tolerada: "Já por Carta vos escrevi que não vos associeis com os que se prostituem" (1 Co 5.1-13).

"Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas. Fugi da prostituição. Todo o pecado que o homem comete é fora do corpo, mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo" (1 Co 6.12,18).

Em Atos 15.29, em algumas versões da Bíblia, aparece a palavra fornicação: "Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e da fornicação; destas coisas fareis bem se vos guardardes. Bem vos fará". De acordo com o dicionário da Bíblia On-line, fornicação significa relações sexuais ilícitas.

Conforme o dicionário Aurélio, fornicar significa "praticar o coito; copular". Deus não iria proibir a prática sexual entre casados. A fornicação se estabelece entre não casados. Namoro não é casamento.

"Nenhum homem se chegará a qualquer parenta da sua carne para descobrir a sua nudez" (Lv 18.6-30; 20.11,17,19-21). A única interpretação que podemos fazer desses versículos é que proíbem, explicitamente, "descobrir a nudez" ou "ver a nudez" de qualquer pessoa a não ser entre marido e mulher legalmente casados. Tal proibição inclui, também, as carícias íntimas, ainda que não consumado o ato sexual propriamente dito.

O "domínio próprio" faz parte do fruto do Espírito, "e os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências". Entre as obras da carne estão a prostituição, a lascívia e a impureza (Gl 5.19-24).

Vejamos alguns exemplos de tradução da palavra grega "porneia":

Prostituição - "Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: a prostituição, a impureza, a paixão, a vil concupiscência, e a avareza, que é idolatria; por essas coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência" (Cl 3.5-6. V.1 Ts 4.3; 2 Co 12.21; Mt 15.19).

Impureza - "Fugi da impureza [prostituição]" (1 Co 6.18; Ef 5.3).

Relações sexuais ilícitas, uniões ilegítimas, imoralidade sexual, prostituição - Dependendo da versão utilizada, a palavra porneia é traduzida dessa forma. A Bíblia de Jerusalém usa a expressão "uniões ilegítimas" nos versículos de Atos 15.20, 29; 21.25. Em Mateus 5.32 e 19.9, usa o termo "fornicação".

Deus considera legítima a prática do sexo entre namorados, sem o vínculo conjugal? Vejamos o que Paulo diz: "Mas, por causa da prostituição, cada um tenha a sua própria mulher, e cada uma tenha o seu próprio marido" (1 Co 7.2). O apóstolo indica o leito conjugal como única forma de evitar-se o relacionamento ilegítimo, seja usado o termo fornicação, impureza ou prostituição. Ou seja: para que não cometam impurezas sexuais, casem-se. Mais adiante (v.9) ele arremata: "Se não podem conter-se, casem-se; porque é melhor casar do que ficar ardendo em desejos [abrasar-se]". Então, a única forma de darmos curso aos desejos sexuais é no matrimônio: "Digno de honra entre todos seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula, pois aos devassos [os que se dão à prostituição] e adúlteros Deus os julgará" (Hb 13.4). Logo, se os namorados não se sentem seguros na guarda da virgindade; se não há como conter os impulsos sexuais, melhor será que se casem.

"Se não podem conter-se..." - Esta condição revela a obrigatoriedade da abstinência sexual antes do matrimônio. Com essas palavras Paulo adverte os solteiros da necessidade de continuarem virgens. "Casem-se" - esta é a única forma de o crente satisfazer seus desejos sexuais.
Não se encontra na Bíblia nenhuma palavra que dê apoio a uma relação sexual fora do casamento. O conselho do apóstolo é que as "viúvas mais jovens se casem, tenham filhos, administrem suas casas, e não dêem ao inimigo nenhum motivo para maledicência. Algumas, na verdade, já se desviaram, para seguir a Satanás" (1 Tm 5.14). Embora se saiba que o assunto diga respeito a um caso específico na igreja de Corinto, a ênfase está no aconselhamento para que se casem.

"Esta é a vontade de Deus para a vossa santificação: que vos abstenhais da prostituição; que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo em santificação e honra; não no desejo da lascívia, como os gentios, que não conhecem a Deus" (1 Ts 4.3-5). Paulo compara a prostituição à lascívia. A palavra grega "epithymia" é traduzida com o significado de "desejo incontrolado" (Lc 22.15); "concupiscência" (Rm 1.24; 7.8; 13.14; Gl 5.16, 24; Ef 4.22; 1 Pe 4.3; 1 Jo 2.16,17), "inclinações da carne", (Ef 2.3), "paixões carnais e mundanas (Rm 6.12; 2 Tm 2.22; 3.6; Tt 2.12; 3.3). E, como vimos anteriormente, "porneia" é traduzida como "prostituição", "imoralidade", e "relações sexuais ilícitas". Logo, não cabe o argumento de que a prostituição se refere tão somente ao comércio do sexo.

Com o título "Padrões de Moralidade Sexual", a Bíblia de Estudo Pentecostal assim se define em alguns tópicos:

"A imoralidade e a impureza sexual não somente incluem o ato sexual ilícito, mas também qualquer prática sexual com outra pessoa que não seja seu cônjuge. Há quem ensine, em nossos dias, que qualquer intimidade sexual entre jovens e adultos solteiros, tendo eles mútuo "compromisso", é aceitável, uma vez que não haja ato sexual completo. Tal ensino peca contra a santidade de Deus e o padrão bíblico da pureza".

"O crente deve ter autocontrole e abster-se de toda e qualquer prática sexual antes do casamento. Justificar intimidade premarital em nome de Cristo, simplesmente com base num "compromisso" real ou imaginário, é transigir abertamente com os padrões santos de Deus. É igualar-se aos modos impuros do mundo e querer deste modo justificar a imoralidade. Depois do casamento, a vida íntima deve limitar-se ao cônjuge. A Bíblia cita a temperança como um aspecto do fruto do Espírito, no crente, isto é, a conduta positiva e pura, contrastando com tudo que representa prazer sexual imoral como libidinagem, fornicação, adultério e impureza. “Nossa dedicação à vontade de Deus, pela fé, abre o caminho para recebermos a bênção do domínio próprio: temperança (Gl 5.22-24)”.

"Fornicação (gr. pornéia), descreve uma ampla variedade de práticas sexuais, pré ou extra-maritais. Tudo que significa intimidade e carícia fora do casamento é claramente transgressão dos padrões morais de Deus para seu povo (Lv 18.6-30);20.11,12,17,19-21; 1 Co 6.18; 1 Ts 4.3)".

"A lascívia (gr. aselgeia) denota ausência de princípios morais, principalmente o relaxamento pelo domínio próprio que leva à conduta virtuosa. Isso inclui a inclinação à tolerância quanto a paixões pecaminosas ou ao seu estímulo, e deste modo a pessoa torna-se partícipe de uma conduta anti-bíblica (Gl 5.19; Ef4.19;1 Pe 2.2,18)".

O sexo livre, descomprometido, interessa ao diabo, que tenta por todos os meios invalidar o casamento instituído por Deus. O diabólico plano do Movimento Nova Era trabalha nesse sentido, pois ensina a criação de colônias ou núcleos onde todas as mulheres pertencem a todos os homens, e os filhos são criados pela comunidade. Nos anos 60, os hippies deram o primeiro passo nesse sentido.

Devemos ser guiados não pelo ensino do sistema mundano, pelo deus deste século, pelo modus vivendi dos devassos, incautos, incrédulos e inimigos da Palavra: "E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus" (Rm 12.2). O crente deve andar na contramão dos desobedientes. Tentar ajustar a Palavra aos nossos pecados é um sinal de rebeldia e falta de compromisso com Deus. Devemos, ao contrário, ajustar a nossa vida ao padrão da Palavra de Deus, como submissos à Sua soberana vontade.

"Não imitareis os costumes do Egito, onde habitastes, nem os da terra de Canaã, para a qual vos conduzo, nem andareis segundo os seus estatutos. Praticareis os meus juízos, e guardareis os meus estatutos, para andares neles. Eu sou o Senhor vosso Deus" (Lv 18.3-4).

Sabemos que a depravação está sem limites; que as crianças, desde a tenra idade, passam a receber uma enorme carga de mensagens eróticas; que elas chegam aos doze, treze ou catorze anos com grande desejo de se iniciarem no sexo; sabemos que a televisão, principalmente - afora teatros, livros, revistas, danças e músicas profanas -, ensina e estimula o relacionamento sexual entre não casados. Mas sabemos também que já saímos do Egito; que as vestes do velho homem caíram na caminhada; que agora não somos nós que vivemos, mas Cristo vive em nós; que fomos resgatados por elevado preço para um viver santo; para que possamos dizer com Paulo:

"A minha ardente expectativa e esperança é de em nada ser confundido, mas ter muita coragem para que agora e sempre, Cristo seja engrandecido no meu corpo, quer pela vida, quer pela morte, pois para mim o viver é Cristo, e o morrer é lucro" (Fp 1.20-21).

Autor: Pr. Airton Evangelista da Costa
publicado por institutogamaliel às 12:27


Na Câmara federal ele recebe moção de apoio dos deputados evangélicos
Juiz que anulou união gay é pastor da Assembleia de Deus e afirma que agiu por ordem de Deus
O juiz Jeronymo Pedro Villas Boas que anulou uma união estável gay em Goiânia e ainda proibiu os cartórios de fazer esse tipo de contrato sem autorização judicial afirmou nesta quarta-feira, 22, que é pastor da Assembleia de Deus.
Apesar de afirmar sua fé ele disse que a sua decisão foi amparada pela Constituição Federal que só reconhece como estável apenas a união entre um homem e uma mulher. Ele também disse que a decisão do Supremo Tribunal Federal, que garante aos homossexuais os mesmos direitos civis dos demais brasileiros, não é vinculante e o acórdão daquela sessão ainda não foi publicado.
“Sou pastor da Assembleia de Deus Madureira e não nego minha fé,” disse Villas Boas que também afirmou que só um juiz é que pode reconhecer os requisitos para que duas pessoas se unam. “As pessoas no Brasil para viverem juntas e se unirem têm que ter os requisitos formais da lei. Quem reconhece isso é um juiz.”
Essa semana uma desembargadora Beatriz Figueiredo Franco, do Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) cassou a anulação do casamento e ainda informou que vai pedir a Corte Especial do tribunal que abra um processo disciplinar contra o juiz.
Villas Boas foi então convidado pelos deputados evangélicos a participar de uma sessão solene na Câmara, onde foi entregue uma moção de apoio.
Fonte: Gospel Prime
publicado por institutogamaliel às 12:26


"Ouvistes que foi dito: Não adulterarás. Eu, porém, vos digo: Qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração já adulterou com ela. Se o teu olho direito te faz tropeçar, arranca-o e lança-o de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros, e não seja todo o teu corpo lançado no inferno. E se a tua mão direita te faz tropeçar, corta-a e lança-a de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros e não vá todo o teu corpo para o inferno".

Novamente os rabinos estavam tentando limitar o alcance do mandamento: Não adulterarás. Embora o pecado de cobiçar a mulher de outro homem esteja incluído no décimo mandamento, que trata da cobiça, eles evidentemente achavam mais confortável ignorá-lo. No seu ponto de vista, eles e seus alunos guardavam o sétimo mandamento contanto que evitassem o ato do adultério propriamente dito. Assim, davam uma definição convenientemente estreita ao pecado sexual e uma definição convenientemente ampla à pureza sexual.

Mas Jesus ensinou diferente. Ele estendeu as implicações da proibição divina. Antes, afirmou que o verdadeiro significado da ordem divina era muito mais amplo do que á mera proibição de atos de imoralidade sexual. Assim como a proibição do homicídio incluía o pensamento colérico e a palavra insultuosa, a proibição do adultério incluía o olhar concupiscente e a imaginação. Podemos cometer assassinato com nossas palavras; podemos cometer adultério em nossos corações ou mentes. Na verdade, (v. 28) qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração já adulterou com ela.

Talvez seja necessário destacar dois pontos antes de prosseguirmos. Não há aqui a mais leve sugestão de que as relações sexuais naturais dentro dos votos do casamento não sejam algo lindo que Deus nos deu. Podemos agradecer a Deus pelos Cantares de Salomão, que foram incluídos no cânon das Escrituras, pois ali não encontramos puritanismo vitoriano, mas, pelo contrário, o prazer desinibido de dois amantes, o esposo e a esposa, um com o outro.

Os ensinamentos de Jesus aqui referem-se ao sexo ilegal fora do casamento, praticado por pessoas casadas ou solteiras. Ele não nos proíbe de olhar para uma mulher, mas, sim, de fazê-lo concupiscentemente. Todos nós sabemos a diferença que há entre o olhar e o cobiçar.

Isto nos leva ao segundo ponto. A alusão de Jesus é a todas as formas de imoralidade. Argumentar que a referência apenas diz respeito a um homem cobiçando uma mulher e não vice-versa, ou que só se refere ao homem casado e não ao solteiro, uma vez que o transgressor está cometendo "adultério" e não "fornicação", é incorrer na mesma casuística que Jesus condenou nos fariseus. Ele enfatizou que toda e qualquer prática sexual que é imoral no ato, também é imoral no olhar e no pensamento.

O que é particularmente importante é assimilar a sua equação de olhar concupiscentemente para uma mulher e cometer adultério com ela no coração. É esta relação entre os olhos e o coração que leva Jesus, nos dois versículos seguintes, a dar algumas instruções muito práticas sobre como manter a pureza sexual. O argumento é o seguinte: se olhar concupiscentemente é cometer adultério no coração, em outras palavras, se o adultério do coração é o resultado do adultério dos olhos (os olhos do coração sendo estimulados pelos olhos da carne), então a única maneira de tratar do problema é no início, isto é, no nosso olhar. Jó, o justo, declarou que já tinha aprendido esta lição. "Fiz aliança com meus olhos", ele disse,"como, pois, os fixaria numa donzela?" Depois ele prossegue falando a respeito do seu coração: "Se o meu coração segue os meus olhos ... Se o meu coração se deixou seduzir por causa de mulher . . .", ele reconheceria que tinha pecado e que merecia o juízo de Deus. Mas Jó não fizera tais coisas. O controle do seu coração se devia ao controle dos seus olhos.

Este ensinamento de Jesus, confirmado na experiência de Jó, continua sendo verdade atualmente. Atos vergonhosos procedem de pensamentos vergonhosos, e a imaginação se inflama por causa da indisciplina dos olhos. Nossa vivida imaginação (uma das muitas faculdades que distinguem os humanos dos animais) é um precioso dom de Deus. Nenhuma das artes do mundo e poucas das mais nobres realizações teriam sido possíveis se não fosse ela. A imaginação enriquece a qualidade da vida. Mas todos os dons de Deus precisam ser usados com responsabilidade; podem facilmente ser aviltados e abusados. Isto certamente se aplica à nossa imaginação. Duvido que os seres humanos seriam vítimas da imoralidade, se antes não abrissem as comportas da paixão através dos seus olhos. Do mesmo modo, sempre que os homens e as mulheres aprendem a controlar o sexo na prática, é porque antes aprenderam a fazê-lo nos olhos da carne e do pensamento.

Este pode ser um momento apropriado para mencionar de passagem como as jovens se vestem. Seria tolo legislar sobre modas, mas sábio (creio eu) é pedir-lhes que façam esta distinção: uma coisa é fazer-se atraente; outra coisa é fazer-se deliberadamente sedutora. As jovens sabem qual ê a diferença; e nós, os homens, também.

Texto de John Stott, extraído do livro "Contracultura Cristã" pagina 42, ABU Editora Via:http://www.julianofabricio.com
publicado por institutogamaliel às 12:24


Os representantes do grupo LGBT vão protestar contra essa decisão
Juiz de Franca proíbe casamento gay e diz que entidade familiar e família são “termos inconfundíveis”
Os dois cartórios de registro civil da cidade de Franca estão proibidos de realizarem casamento entre pessoas do mesmo sexo. A decisão partiu do juiz corregedor dos cartórios Humberto Rocha, dizendo que “família” e “entidade familiar”, na lei, são termos inconfundíveis, já que casamento (…) é união de homem com mulher com o afã ou possibilidade de gerar prole”.
Humberto Rocha diz que não ignora a decisão do Supremo Tribunal Federal, que reconheceu a união estável entre homossexuais, mas diz que os ministros deram à “entidade familiar” um conceito elástico “a ponto de açambarcar a união entre homoafetivos, mas daí equiparar tal união à casamento vai um largo pego [abismo]“.
Diante dessa decisão os grupos gays da cidade estão planejando um protesto, pois para eles o ato do juiz trata-se de um preconceito. “É uma discriminação contra os gays,” disse Gilberto Mendes de Almeida, do movimento GLBTT de Franca.
De acordo com Adriana Galvão, presidente da Comissão de Diversidade Sexual da OAB de São Paulo, a decisão do STF acolhe diferentes posicionamentos quanto ao casamento civil, já que o texto assinado pelos ministros reconhece apenas a união estável.
Mas para o docente da USP em direito de família, José Fernando Simão diz que o STF previu, sim, o casamento homoafetivo. “Pela decisão, aplica-se para todos os efeitos a união estável. E “todos os efeitos” inclui o casamento.”
Fonte: Gospel Prime
Com informações Folha de São Paulo
publicado por institutogamaliel às 12:23


Durante a noite da segunda e durante toda a terça-feira a hashtag #EuEscolhiEsperar foi uma das mais comentadas no Twitter
#EuEscolhiEsperar Mobilização para sexo depois do casamento chama atenção na internet
A Mobilizando o Brasil, uma ONG sem vínculos denominacionais promove uma mobilização bastante relevante para os dias atuais, trata-se do movimento Eu Escolhi Esperar que encoraja jovens solteiros a ter relações sexuais somente depois do casamento.
A MOB trabalha com este tema há mais de 20 anos, promovendo acampamentos, cultos e seminários sobre esse e outros temas relevantes para adolescentes e jovens.
Esses encontros geralmente são ministrados pelo pastor Nelson Júnior, que também é teólogo e um dos coordenadores da Mobilização Eu Escolhi Esperar, além desse tema o pastor também trabalha outros projetos como “Amigos do Noivo”, “Pureza e Santidade”, “Adoração e Intercessão” entre outros.
Na última segunda-feira, 20, a MOB realizou uma Twitcam (transmissão de vídeo ao vivo pelo Twitter) do quadro chamado #PapoAberto, um programa web que fala exclusivamente sobre amor, relacionamentos, sexo, namoro, corte, noivado e etc. A transmissão começou por volta das 21h e logo a hashtag #EuEscolhiEsperar chegou ao topo dos assuntos mais comentados no microblog.
O programa teve a participação especial do cantor e compositor Marcos Almeida, da banda Palavrantiga que possuí uma música chamada “Esperar é caminhar”.
Entre mensagens de gozação e chacotas, muitos internautas se manifestavam dizendo que optaram em participar dessa escolha de esperar até o casamento para ter relações sexuais.
Aliás, o maior objetivo da MOB é ajudar os jovens que já decidiram esperar. “Muitas pessoas já tomaram a decisão de ‘esperar no Senhor’, porém não é uma decisão fácil. E manter o compromisso para muitos se torna um fardo pesado,” disse Nelson Júnior.
Para saber mais sobre essa mobilização acesse: www.euescolhiesperar.com.
Fonte: Gospel Prime
publicado por institutogamaliel às 12:21


http://geracaosemface.files.wordpress.com/2011/09/por1.jpg?w=420
Armando Luis Francisco
O mercado pornográfico é um dos mais rentáveis negócios de todos os tempos. Larry Flynt, empresário e dono do império Hustler, retratado por Milos Forman e Oliver Stone no filme "O povo contra Larry Flynt, Bob Guccione, da revista Penthouse e Hugh Hefner, dono do Império Playboy, compõem alguns desses milionários da exploração da fantasia sexual. Não esquecendo, porém, que uma fatia gigantesca dessa mercado é dominado pelo crime organizado.
Entretanto, a mais nova, rentável e promissora ferramenta desse mercado é a Internet. Com um sucesso devastador e arrecadação bilionária, esse novo negócio aumenta cada vez mais o impulso pornográfico no planeta. Demonstrando, com isso, que, nos próximos anos, boa parte dos lares, com acesso a WEB, estarão conectados em páginas com conteúdo pornográfico. Desfrutando das imagens de corpos nus, sexo e prazeres oferecidos.
Porém, essa ferramenta tem causado problemas e constrangimentos diversos. A Pedofilia, considerada a mais grave infração permeada pela web, tem fortalecido um mal, inigualável, aos jovens e crianças deste mundo.E pessoas tem sido encarceradas pela prática e divulgação de imagens de sexo com crianças. Além do que, outras aberrações tem sido demonstradas , como, por exemplo, a zoofilia. Aliás, dia desses, um americano morreu por ter sido sodomizado por um cavalo. Entretanto, essa prática é legal em alguns estados americanos, onde existem ranchos e fazendas para concretizar o sonho sexual de algumas pessoas com animais.
O problema mais grave, entretanto, é a divulgação e disseminação da pornografia. Pois, alguns empresários da pornografia, usam métodos parecidos com o tráfico de drogas. Primeiro eles oferecem de graça. Depois eles começam a cobrar. Aliás, é desse jeito que o império das ilusões e da criminalidade tem florescido. Agora, qualquer pessoa obtém imagens e vídeos da pornografia, de maneira fácil e gratuita. Onde, muitos milhões de incautos, têm seguido o roteiro dos sonhos proibidos e não sabem que estão doentes. Sim, doentes e viciados, pois o mecanismo da pornografia é o mesmo do Alcoolismo. Mesmo porque, clínicas psiquiátricas e psicológicas, de atendimento desses problemas, já estão sendo espalhadas pelo planeta. E terapeutas familiares têm travado uma batalha árdua nos lares.
Assim, interessados nessa manobra, estão alguns donos de Revistas pornográficas - que controlam, muitas vezes, impérios de publicação ou canais de televisão, a Máfia dos diversos paises, o crime organizado, o narcotráfico, empresários da prostituição, o mercado dos filmes adultos, a indústria do divertimento, alguns grandes conglomerados da internet, algumas empresas de chats e telefonia celular, etc.
Dezenas de milhões de lares no planeta já foram invadidos, sem que as pessoas, pais e mães, ou um ou outros, saibam. E é tão grave o assunto, que a maioria dos que acessam a pornografia da rede mundial de computadores é adulto, masculino, dos 18 anos para cima, com picos nos da meia idade. Pessoas muito inteligentes e que desenvolveram aptidão para olhar imagens e textos pornôs.
Na realidade, a pornografia tem destruído muitos lares. Pois quando o outro cônjuge, pais,familiares, descobrem, já parece, irremediavelmente, tarde demais. Portanto, em menos de 4 anos, mais lares foram destruídos pela pornografia do que o comparativo dos últimos 50 anos. Isso acontece, sem distinção de nacionalidade, cor, etnia ou credo religioso.
Aliás, começa assim: - Por pura curiosidade, a pessoa envolvida, acessa uma vez. Ai, geralmente, motivadas por um e-mail de conteúdo pornográfico ou oferecimento de um produto com conotação sexual; ou algumas produtoras da WEB que trazem garotas nuas para serem vistas pelos seus assinantes; aquele negócio da garota da semana, começam a ver mais e mais vezes. Isto mesmo, só curiosidade. Logo depois, começam a acessar os diversos mecanismos de buscas. Usando palavras, frases, palavrões, órgãos do corpo, partes íntimas, adjetivos, etc, acessam imagens que levam às páginas dos produtores dessas fotos, que podem ser copiadas. Depois, já nessas páginas, outras imagens, mais fortes e mais fortes. Levando ao frenesi do pensamento de alguém que sabia disso, mas não havia visto ou sentido isto. Porém, o gratuito começa a ser cobrado por cartão de crédito, débito ou boleto bancário.
Esse sentimento a que me referi, foi-me contado por um amigo que não chegou aos 25 anos. Religioso, Adventista do Sétimo dia, bom moço, exemplar, estudioso e que descobriu essa fantasia e agora quer libertar-se e não consegue. Aliás, já fez de tudo. Consegue ficar até 30 dias sem olhar, mas de repetente, não consegue mais e olha e se perde nas imagens que lhe ofuscam a mente. John, o nome que estou dando a ele, me informou que, após o contato com tantas páginas, o que é comum em outros relatos, demonstrou um sentimento de culpa muito grande, ao ponto de quando pensa em oração, as milhares de imagens instantâneas e rápidas, pululam pelo seu pensamento, gerando insatisfação, descontentamento, confusão, desânimo e angústia.
Mas o perigo é muito real para os jovens. Encontros são marcados pela internet. Namoros e sexo são virtuais e , depois, carnais. A juventude se afunda sem que os pais saibam. Não há grandes sintomas, marcas no corpo, ou mudanças bruscas de comportamento. Há, até, uma certa mudança. Mas desconhece-se a profundeza do assunto na família. Primeiro porque os pais desconhecem esses mecanismos. Depois, que os pais desconhecem os filhos. E, ainda, os pais não têm tempo para eles.
Assim, a primeira coisa que temos que fazer é o reconhecer de que nós não estamos tendo esse tipo de problemas. Os sintomas são conhecidos: perda da libido ou prazer sexual com o cônjuge, descontentamento da performance do parceiro, ou a ida a esse mecanismo pela falta de convívio ou contato intimo com o parceiro, o stress do dia à dia, o relacionamento familiar, a falta do que fazer, o excesso de trabalho, as brigas dos pais, a falta de acompanhamento dos filhos, os colegas, no ambiente escolar, os companheiros(as) de trabalho, a amizade de pessoas casadas com outros fora do relacionamento conjugal, a busca de novas experiências sexuais, a timidez desenfreada, a personalidade doentia escondida, a falta de carinho e amor, a falta ou pouco contato com DEUS.
Todo mundo sabe que existe um só DEUS. E a maioria das pessoas acreditam nEle. Assim, esse é o momento de esquecermos as diferentes doutrinas e tratar um assunto muito sério para a integração social e familiar de maneira única. Todos, os que crêem, devem buscar a DEUS e pedir ajuda sobre esse assunto. Esse é o primeiro e melhor conselho. Depois disso, vem a nossa parte da vontade exercida e com todo afinco!
Não se pode deixar um alcoólatra trabalhar num bar. Assim, não pode uma pessoa, com esse tipo de problema, viver na frente de um computador com internet. Depois, outros aspectos que devem ser acrescentados. Entretanto, fale com o seu cônjuge e informe o que está acontecendo, pedindo ajuda. Pois ele é o melhor ouvido e ombros para você chorar. Aliás, se notar o comportamento diferente do marido ou esposa, desconfie, questione e ofereça ajuda e solidariedade; ou busque ajuda. Mesmo assim, procure conhecer a internet e os programas de acesso. Depois veja se não está acontecendo no seu lar. Mas se tiver acontecendo, separação não resolve. Vale nessa hora o amor, compreensão e ajuda.
Evite, também, filmes pornográficos. Não traga para o seu lar tamanho mal. Aliás, tem pessoas que não olham mais para o seu cônjuge. Muitas vezes forçam o outro a ver algo que não gostaria de ver. E o mais terrível é que famílias vão as locadoras, inclusive com a presença de filhos, buscar filmes pornôs, para assistir na sala de casa.
Uma excelente maneira de ajudar é conhecer sobre o assunto. Por isso leia muito. Aliás, todo comportamento familiar diferente tem seus culpados e ninguém se isenta disto. Pois nenhum parceiro que esteja recebendo carinho, amor, atenção, sexo saudável e prazeroso, vai procurar algo fora de casa. Geralmente, a culpa deve ser dividida. Porque o sexo é prazeroso e instituído por DEUS. Para elevar os lares e recriar a felicidade. Sexo é muito bom e, também, uma oração. Mas não do jeito que se demonstra hoje.
Alguns passos:
-Não seja curioso.
-Não entre em sites de busca com essa intenção.
-Não abra e-mails estranhos ou de estranhos.
-Não leia noticias ou histórias sensuais.
-Não deixe de ter bons relacionamentos sexuais com o seu cônjuge.
-Aumente o número de vezes de relacionamento e prazer sexual com o seu cônjuge.
-Observe os seus filhos. Esteja presente e atento quando estiverem na web e procure deixar o computador em um ambiente comum e aberto da residência ( sala, cozinha, corredor, etc) de e nunca no quarto dos filhos, ou do casal.
-Não deixe seu cônjuge sozinho na Internet. Fique com ele,; ajude-o a terminar o que está fazendo ali.
-Bloqueie as tvs de sexo e não forneça a senha para os seus filhos. O melhor exemplo é o exemplo. Se não serve para eles, não serve para você.
-Se não tiver nada para fazer, saia da frente do computador. Dê um passeio ou vá para casa.
-Não acesse internet a noite. Fique com sua família.
-Lembre-se, esse mundo da internet pode ser, em alguns casos, não generalizando, um submundo do crime. Acontecem mortes.
-Ensine e espalhe sobre isto, para o maior número de conhecidos, instituições, clubes,etc...Demonstrando que estão preocupados.
-Troque o que você faz na internet, sem necessidade, por algo saudável.
-Estude a melhor forma de deixar seu cônjuge feliz.
Algumas advertências:
- Alguns sites pornográficos contém vírus.
- Alguns sites pornográficos copiam o seu endereço de I.P.
- Alguns sites pornográficos, geralmente de outros países, enviam cavalos de tróia para descobrirem senhas bancárias e de cartões de crédito.
-Nunca forneça senhas ou acredite em conteúdos de e-mails que peçam isso. Contate o provedor.
-Entrando em sites pornográficos, você pode correr o risco de receber SPAMs com oferecimentos diversos.
-Entrando em sites pornográficos, você poderá conhecer pessoas que estão querendo negociar prostituição. Abalando a sua vida afetiva, financeira .
-Entrando em sites pornográficos, você pode estar deixando a sua família e casamento de lado.
-Alguns homens que entram em sites pornográficos ficam impotentes. Essa impotência é psicológica e em referência ao parceiro. Pode se dar pela culpa ou pela pessoa que não é um modelo daqueles vistos na web ou em filmes pornôs.
-O Tratamento é caro e, geralmente, eficaz. Apesar que, a maioria das vezes o sintoma passa em pouco tempo.
-Divórcio pode significar: infelicidade, doenças, separações, divisão de bens, pobreza, incerteza, agressões, filhos perturbados, lares partidos, suicídios, etc...
Entretanto, ler livros de orientação familiar é importante. Leia a Bíblia, certamente ajudará você nesse ponto também!
Terminando: se bem que muito se pode falar, quero dizer que a intenção desse escrito, simples, foi produzir um sentimento no leitor, de aversão a pornografia de toda espécie, principalmente à internet. Aliás, eu quero pedir um favor: Que você, se quiser, divulgue para o maior número de pessoas possíveis. Pois, de alguma maneira, você poderá estar ajudando a salvar uma vida, uma família, um lar! E se você fala ou lê em outro idioma, traduza e envie para os conhecidos e desconhecidos.
Um forte abraço para você e fique com DEUS.





publicado por institutogamaliel às 12:19


tpm

É, o assunto hoje é a TPM, a super conhecida tensão pré menstrual.. O fato é que nós, cristãos, temos que tratar de todos os assuntos, afinal, Deus tem opiniões e soluções para esses assuntos, as mulheres tem que saber lidar com a TPM para que seus “sintomas” não prejudiquem suas vidas pessoais, e até mesmo sua fé.


Eu estava conversado com uma amiga sobre isso, e então percebi que nós precisamos falar sobre isso, tratar disso. A TPM é um período no qual a mulher sofre mudanças hormonais que causam alguns sintomas físicos, psicológicos, dermatologicos… enfim, sintomas como irritabilidade, vontade de chorar (por nada ou por qualquer coisa, né?), dificuldade de concentração, aumento ou perda do apetite (geralmente, aumento rs), insônia, dores, acne, entre outros.


Não é fácil sofrer todas essas mudanças derepente e não é fácil ter que lidar com isso todo mês, afinal esse é só um dos nossos desafios mensais. Mas Deus está pronto para te dar paciência e sabedoria para lidar com isso, afinal…

http://4.bp.blogspot.com/-b_30DRyxQKQ/TgIsBmyZKDI/AAAAAAAAAVI/SwcJ17aPecE/s1600/tpm.jpg



É melhor morar numa terra deserta do que com a mulher rixosa e irritadiça.
Provérbios 21 :19


Seja lá qual for o grau de intensidade da sua TPM, lembre-se que você tem o poder do autocontrole e não permita que ela seja uma brecha para o diabo te tentar a “quebrar o pau” com tudo e todos. Deus te conhece por inteira; corpo, alma e espírito. Ele te ama e quer cuidar de você! Se você reconhece que tem perdido o controle quando está com TPM e tem trazido e causado problemas para você mesma, busque a ajuda de Deus agora e mude isso.

Se for preciso, procure um médico, o fato de você se preocupar com o templo do Espírito Santo (seu corpo) agrada a Deus. Ele capacitou os médicos para nos ajudar quando preciso. E quando sentir que está com TPM, procure fazer atividades físicas, caminhadas, se alimente de forma saudável, tudo isso pode aliviar os sintomas e ajudar você a dominar a TPM (e não deixar que ela te domine).


Fiquem com Deus

Fonte: Vida Jovem Cristã.
publicado por institutogamaliel às 12:18
tags:


Frigidez é o nome dado a um problema sexual feminino caracterizado pela indiferença em relação ao estímulo sexual e pela conseqüente incapacidade para atingir o orgasmo.

É natural sentir o desejo sexual. Se a pessoa não tem nenhum problema físico, não está em depressão ou em grave tensão emocional, a resposta ao estímulo deveria ocorrer. Se não ocorre é porque há algum mecanismo de inibição. O mecanismo neurológico é constituído de tal maneira, que pode ser “desligado” quando o cérebro “decide” que não quer mais sentir prazer.

A mulher não tem consciência de que seja ela a responsável pelo que ocorre. As causas podem ser várias. Uma das hipóteses é que trata-se de desejo primário, isto é, uma pessoa que nunca sentiu o erótico, nunca praticou o auto-erotismo. Não sente atração por ninguém. A pessoa está como que assexuada. O sexo não faz parte da sua existência. É mais provável que esta reação seja provocada por causas remotas, como o medo do que significa um sucesso sexual, o medo do desaponto, o temor da intimidade ou um conflito edipiano não resolvido (o pai é visto no marido, inconscientemente, o que não permite aproximação pelo temor ao incesto). A associação do sexo com o feio, negativo e culposo pode, também, pode ser uma das causas. A criança, dependendo de como é tratada, aprende de berço a se sentir culpada e reprimir seus impulsos sexuais.

A cura está na pessoa desaprender o que assimilou de errado, e aprender o que a Bíblia fala sobre a beleza do sexo e sua importância para a vida do casal. O capítulo sobre “Sexualidade Feminina” pode ajudar. A Bíblia diz: “E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (Jo 8:32).

publicado por institutogamaliel às 12:16
tags:


No relacionamento conjugal cada pessoa participa do estabelecimento do padrão sexual à luz do que a Escritura ensina e do que cada pessoa gosta. Nenhum dos dois deve ter poder sobre o outro na prescrição do que é seu padrão. O Novo Testamento ensina que os homens e as mulheres são iguais em termos de valor, capacidade e posição diante de Deus. Os homens não têm direitos sexuais que as mulheres não possuem. Cada um tem tantos direitos quanto o outro.

As passagens do Novo Testamento que ensinam sobre o relacionamento sexual entre marido e esposa começam ou terminam com uma ordem de mutualidade. Cada um deles precisa ter suas necessidades satisfeitas, e isso significa que ambos devem descobrir o que é agradável para o outro.

Uma das barreiras no relacionamento se­xual é a ignorância, tanto das Escrituras quan­to do processo sexual. O que você tem lido que afirma clara e objetivamente o que a Escritura diz sobre o sexo? O que vocês dois já leram sobre a resposta sexual? Vocês já leram O Sexo É Um Presente de Deus, de Joyce e Cliff Penner? Essa é uma leitura obrigatória para casais de todas as idades, mesmo aqueles que já estão casados há trinta anos ou mais. Por quê? Por­que tenho descoberto mais falta de informação com casais que estão casados há mais tempo do que com aqueles que são mais jovens.

Provavelmente, a pergunta feita com mais freqüência sobre sexo é sobre sexo oral. Sexo oral refere-se ao estímulo oral dos órgãos sexuais por qualquer dos cônjuges usando a língua ou boca nos órgãos do outro. Cliff e Joyce Penner demonstram em seu livro, The Joy of Sex (A Alegria do Sexo), que Cantares de Salomão refere-se ao casal estimulando-se mutuamente dessa forma (Cantares 4.16 – 5.1). Isso pareceria indicar que, de acordo com a Escritura, não há nada errado com esta prática. Mas essa é apenas uma inferência, já que a Escritura não fala claramente que isso é certo ou errado.

Qualquer erro com relação a isso pode­ria ocorrer quando um cônjuge tenta forçar sexo oral sobre o outro. Nada deve ser feito que ofenda a outra pessoa. Sexo oral pode ser um problema se perder seu propósito de aumentar o estímulo com vistas a completar o ato sexual e se tornar um substituto para a relação sexual. Em alguns casos, mesmo quando a mulher não sente prazer com o sexo oral, cederá aos pedidos do marido. E aí ele perde interesse em satisfazer as necessidades dela através da relação sexual.

O sexo oral é tão natural quanto a estimulação dos seios, boca ou ouvidos. Alguns expressam preocupação sobre ele ser um ato anti-higiênico. Se o corpo estiver lavado e limpo, a contaminação não se espalhará dos órgãos genitais ou da boca. O mais importante princípio a ser seguido é o de descobrir do que seu cônjuge gosta, e não pedir ou forçar nada que o ofenda. O livro O Sexo É Um Presente de Deus, de Joyce e Cliff Penner, inclui uma discussão mais detalhada deste assunto.

Via: Amo Família

publicado por institutogamaliel às 12:15


No dia 8 de Março é comemorado “Dia Internacional da Mulher”.

De fato, a mulher merece tal homenagem. O próprio Deus, ao criar o homem, deixou bem claro que “Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea.” (Gênesis 1:18). Pela lógica, o homem sem a mulher nunca iria se completar, e por isso Deus providenciou para ele uma companhia mais que especial, a mulher.

Sou grato a Deus pela minha amada e querida esposa, que tem me amado e cuidado de mim. O que seria de mim sem ela? O que seria de você filho, sem sua mãe, de você esposo, sem sua esposa? O que seria de nós homens, sem as mulheres? Na Bíblia, o que seria de Adão sem Eva, de Isaque sem Rebeca, de Elcana sem Ana, de Áquila sem Priscila, de Abraão sem Sara? Homem, você que é casado e está em uma aventura amorosa denominada adultério, saia dessa e peça a Deus para restaurar seu casamento.

Você que tem o hábito de contar certas piadas que difamam e denigrem a imagem da mulher, gostaria que insultassem sua mãe, irmã ou filha? A mulher foi feita para ser amada, respeitada, protegida e amparada pelo homem. Ela nasceu para a glória de Deus, mas por causa do pecado, infelizmente, muitas tem se inclinado sem limites ao mundo da sensualidade, banalizando assim seu próprio ser. Foi o caso da mulher de Potifar, por exemplo, que assediou sexualmente, sem tréguas, a José. (Gênesis 39:1-18).

A mulher foi projetada por Deus para santidade e não para sensualidade promíscua. Muitas buscam conquistas e fama na base da sensualidade e exposição da nudez. Mas graças a Deus que ainda existem mulheres virtuosas, sábias, educadas, que mantém sua postura de integridade perante Deus e perante os homens. Mulheres que não corromperam sua moral, que não expuseram sua nudez para alcançar algum ibope, que disseram não a tudo que poderia ferir sua imagem e personalidade. A única coisa que estraga a beleza da mulher e do homem é o pecado.

Mas Jesus é a solução para tal problema. O segredo está em 1 João 1:9: “Se confessamos nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a injustiça”. Mulher, vale a pena se cuidar fisicamente, emocionalmente e espiritualmente.

Em relação à criação do homem e da mulher, o Pr. Cláudio Duarte finaliza a declamação de uma poesia com a seguinte declaração: “Algumas mulheres se irritam e afirmam de arma em punho que a vida da obra prima vem sempre após o rascunho, mas há também homens que falam e há quem acredite, que Deus fez Adão primeiro para Eva não dar palpite. Mas isso é irrelevante para o sucesso da vida a dois, para ser feliz não importa quem veio antes ou depois, porque Deus fez tudo perfeito e discorde quem quiser, mas o melhor da mulher é o homem e o melhor do homem é a mulher.” Parabéns pelo seu dia, mulher! Louvado seja Deus por sua vida!

Via: Gospel Prime Por: Ademir Almeida

publicado por institutogamaliel às 12:15
tags:



Ela se tornou um sucesso na internet, recentemente, com os vídeos em que convocava moças para seu 'culto das princesas', em Copacabana, para pregar a 'contenção sexual' e a abstinência total de relações íntimas antes do casamento. "Deus adormeceu o meu desejo porque pedi", revela a missionária e pastora aspirante Sarah Sheeva, filha de Baby do Brasil e Pepeu Gomes, em entrevista a Marília Gabriela, no 'De frente com Gabi' que vai ao ar neste domingo (29).
Sarah Sheeva conta que sua conversão foi feita em 1999, mas no melhor estilo '007': ninguém sabia

A integrante da Igreja Celular Internacional ainda revela que jamais fez qualquer uso de drogas, mesmo antes da conversão, quando integrava com as irmãs Nãna Shara e Zabelê o grupo SNZ). "Eu acredito que tem gente que não frequenta igreja e tem um caráter muito melhor do que alguns que estão lá dentro", comentou Sarah, durante a entrevista, afirmando também que 'terapias' apenas ensinam a enxergar nossos problemas pessoais. E para expurgá-los? "Somente Deus", aponta a também escritora, que já lançou dois livros sobre 'castidade'.

O guarda de israel, com informações do: JB
publicado por institutogamaliel às 12:12


http://www.zuojiang.com:899/uploadfile/text/uploadfile/201107/20110718095126626.jpg

Muitos dos problemas no casamento podem começar na cama.

1) O homem quer chegar em casa e quer encontrar um ninho sem espinhos.
A mulher deve saber a hora em que deve ficar calada, deve reconhecer no seu esposo o seu estado de espírito.
  • É melhor morar numa terra deserta do que com a mulher rixosa e irritadiça. Provérbios 21:19
  • O gotejar contínuo em dia de grande chuva, e a mulher contenciosa, uma e outra são semelhantes; Provérbios 27:15
  • É melhor morar num canto de telhado do que ter como companheira em casa ampla uma mulher briguenta. Provérbios 21:9
  • Melhor é morar só num canto de telhado do que com a mulher briguenta numa casa ampla. Provérbios 25:24
2) O homem quer atenção exclusiva quando está na cama com sua esposa.
Se há algo que o homem detesta é que a sua esposa traga para a cama assuntos de problemas de terceiros, como filhos, parentes, vizinhos.

Feche a porta do quarto, desligue o telefone, e entregue-se ao seu marido.

Preste atenção no comportamento da mulher adúltera: Provérbios 7 :15-18
  • Por isto saí ao teu encontro a buscar diligentemente a tua face, e te achei.
  • Já cobri a minha cama com cobertas de tapeçaria, com obras lavradas, com linho fino do Egito.
  • Já perfumei o meu leito com mirra, aloés e canela.
  • Vem, saciemo-nos de amores até à manhã; alegremo-nos com amores.
Quer conquistar seu esposo?
...Digam-lhe que estou doente de amor. Cântico 5:8

3) O homem quer encontrar a sua esposa bonita e bem disposta.
No escritório, na rua, elas estão sempre bem arrumadas, cheirosas... ele chega em casa e o que encontra?
Uma mulher mais peluda que um urso, mais mal humorada que o Mike Tayson quando perde um round.
O seu esposo deve estar sempre ansioso para chegar em casa, e encontrar você!
  • Toda mulher sábia edifica a sua casa; mas a tola a derruba com as próprias mãos. Provérbios 14:1
  • ... a casada cuida das coisas do mundo, em como há de agradar ao marido. 1 Coríntios 7:34
4) A mulher deve atender aos desejos do esposo na cama.
  • A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no o marido; e também da mesma maneira o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no a mulher. 1 Coríntios 7:4
  • Venerado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula... Hebreus 13:4

5) A mulher não deve desvalorizar o seu esposo na frente de outras pessoas.

  • Levantam-se seus filhos e chamam-na bem-aventurada.... Provérbios 31:28
  • Muitas filhas têm procedido virtuosamente, mas tu és, de todas, a mais excelente!
6) A disposição para o sexo é diferente para o homem e para a mulher.
A cultura atual masculiniza a mulher, e femiliniza o homem! Vejam os filmes a mulher é quem pede o homem em casamento e êle é quem chora e diz que não está pronto...

Mas, na verdade:

  • a mulher move-se no emocional, ela preocupa-se com o hoje, ela se sacrifica em função dos seus dependentes, seu trabalho é delicado
  • O homem move-se pelo racional, vive planejando o futuro, seu trabalho é bruto.
  • Uma mulher é capaz de carregar uma criança no colo por horas, mas ser incapaz de abrir uma lata de compotas.
  • O homem tem facilidade para fornecer altas quantidades de energia(força) num curto espaço de tempo, veja-o jogando futebol...
  • Também no sexo, o homem tem pressa, enquanto a mulher precisa de tempo.
  • O desejo para o sexo no homem é praticamente imediato. O desejo para o sexo na mulher começa ao levantar da cama, e deve ser preparada durante todo o dia, com palavras de carinho, atitudes...
  • O homem se desestressa na cama... a mulher estressada não quer cama!
  • O homem pode enterrar sua mãe e de noite querer sexo... a mulher, nem pensar...

7) Sexo é conhecimento, é conhecer seu cônjuge, e o conhecimento só vem através do diálogo.
Este é o segredo.
Está bem claro nas escrituras:
  • E não a conheceu até que deu à luz seu filho, o primogênito; e pôs-lhe por nome Jesus. Mateus 1:25
  • E conheceu Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu e deu à luz a Caim, e disse: Alcancei do SENHOR um homem. Gênesis 4:1
  • E tornou Adão a conhecer a sua mulher; ... Gênesis 4:25
Conhecer no sentido bíblico, o mundo diz que é fazer sexo, possuir.
Mas o verdadeiro sentido ultrapassa o sexo. É o sentido exato da palavra conhecer.

Vejamos o que diz o dicionário:

  • Ter a idéia, a noção mais ou menos precisa de alguma coisa: conhecer o nome, o endereço de alguém.
  • Manter relacionamento com alguém: conhecer um ministro, um embaixador.
  • Saber: conhecer o grego.
  • Ter grande prática em certas coisas: conhecer o mundo.
  • Provar, experimentar: conhecer a miséria.
  • Considerar: só conhece seu próprio interesse.
  • Distinguir, apreciar, observar.
  • Fazer-se conhecer, declinar o nome; fazer-se apreciar, adquirir reputação.
  • Direito: Ser competente para julgar.
Conclusão:
Só conhecemos(temos idéia precisa, apreciamos, observamos, julgamos, coinsideramos, experimentamos) nosso cônjuge na intimidade da nossa cama!

A mulher é feliz no casamento quando obedece à instrução:

  • ...o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará. Gênesis 3:16
A mulher segundo os olhos de Deus:
  • Uma esposa exemplar: Feliz quem a encontrar... Provérbios 31: 10-31

Tema para casa, ou melhor, para a cama: Ler e meditar todo o livro de Cânticos.

Paz e Prosperidade!


AVIVAMENTO TAMBÉM É SEXO!
CASAMENTOS SÓLIDOS, ESPOSAS AMANTES!
SACERDOTES HONRADOS!
HOMENS ADMIRADOS PELAS SUAS ESPOSAS!
FAMÍLIAS ESTRUTURADAS!
CHEIAS DO ESPÍRITO SANTO!
ORA VEM, SENHOR JESUS!
publicado por institutogamaliel às 12:11
tags:


http://2.bp.blogspot.com/-krEowKCV8BE/TYgPiObjhZI/AAAAAAAAAKU/-MdiXMox3C0/s1600/75690.jpg

Toda vitória do diabo sobre a igreja, sempre foi a destruição da família.

Pois onde o povo adora, Deus mora! A família é uma das colunas da igreja!
O diabo destrói primeiro a família... Depois o ministério!
Se oro pouco, o diabo me vê. Se oro muito, Deus me vê!
O inimigo sabe que se a família estiver dividida, não há oração, nem adoração, a igreja será também dividida! Cessará a oração e a adoração!

O que vemos hoje, nas igrejas? Como consertar?

O que a mulher gostaria que o homem soubesse:

1- Eu preciso ser escutada... Ou tú me entende, ou alguém vai me entender.
- Cuida dela que ela não vira uma cadela.
- Todo avivamento foi destruído por um(a) amante!

2- O homem tem duas cabeças, a mulher duas bocas!
- A mulher pensa, o homem age.
Quando a mulher está ferida, não chega ao orgasmo.
95% das mulheres fingem que chegam ao orgasmo.
A mulher não se desinteressa do esposo. Ela precisa é de um amigo.
O problema é que tem muitos homens de Deus, mas não tem servos de Deus.
- Homens usam a Deus. Servos são usados por Deus.
Se o esposo não der orgasmos para sua esposa, o diabo vai providenciar quem dê. Ec 9:7
Somos uma só carne com nossa esposa, respeite e honre sua esposa. Quem ama sua esposa a si mesmo ama.

3- Eu quero o homem mais lindo do meu lado.
Que me atraia.

4- Quando serás boa companhia para sua esposa?
No futebol és companheiro... Em casa...
Quando me curarás? Quando cuidarás de mim?
Antes de tocar o meu clitóris, toca na minha alma. Conquiste-me!

5- Diga que a ama. A mulher precisa ouvir. É romântica. Leva pro hotel...
Se leva pra motel é porque não tem dinheiro pra hotel.

6- Quer um leito sem espinhos? Dá uma mansão para ela.
Trabalha, seja bem sucedido.
A mulher quer homem bem sucedido, que lhe dê um lar para cuidar.

7- Amor, mãe é pra honrar, mas eu sou tua esposa.
Deixa de ser filinho da mamãe! Cresce!

8- Se depois de aceitar a Jesus, ser crente, adulterar, perdoa e manda embora.
Acabou.
Quem é fiel jamais será derrubado.

Pergunte à sua esposa: Esposa! Sou teu sacerdote ungido, ou seu boi mugido?
Cuidado, pois ela pode um dia lhe dizer:
Se eu sou assim, é porque você me fez assim.

Os homens ferem as mulheres.
É hora de parar!
É hora de obedecer a Deus e sua palavra.


Pensem nisto, enquanto lhes digo

AVIVAMENTO SÃO FAMÍLIAS ESTÁVEIS, ALICERÇADAS NA PALAVRA!
SÃO HOMENS SACERDOTES!
SÃO MULHERES DEDICADAS!
SÃO FILHOS OBEDIENTES AOS PAIS!
SÃO PAIS QUE APÓIAM SEUS FILHOS.
AVIVAMENTO É FAMÍLIA FELIZ!
publicado por institutogamaliel às 12:08
tags:


Por Rev. Hernandes Dias Lopes


publicado por institutogamaliel às 12:07
tags:



Um dia, uma amiga minha descobriu que estava grávida. Acho que ela tinha uns 19 anos ou 20, no máximo. A gravidez dela era proveniente de sexo antes do casamento e, além disso, sem responsabilidade – uso de drogas, sexo sem camisinha, sexo com o namorado. Sexo como o mundo nos apresenta: Livre.
Mas eu venho aqui te trazer uma notícia ruim: o sexo como o mundo nos apresenta NÃO É LIVRE.
Como qualquer outro pecado, sexo antes do casamento tem suas conseqüências. Deus nos fala em 1 Co 6:18-20 que aquele que comete a imoralidade sexual peca contra o seu próprio corpo. Abaixo podemos ver uma pequena e humilde lista de consequências contra nós mesmos, que vem de brinde quando praticamos sexo antes do casamento:

- Gestação inesperada;
- Filho ilegítimo;
- Casamento forçado;
- Doenças venéreas;
- Relacionamentos desfeitos;
- Aborto.


A minha amiga ficou grávida por uns 4 meses. O aborto dela foi ‘natural’ – uso de drogas – mas não foi contra a vontade dela.
O aborto é a forma mais simples que pessoas como a minha amiga vêem de ‘dar um perdido’ no problema. Afinal, ter um filho aos 19 anos e ‘perder a juventude’ não parece ser uma coisa agradável pra ninguém.

Os dados mostram que, a cada ano, mais de quatro milhões de mulheres, na América Latina, submetem-se a um aborto induzido. O aborto induzido é aquele ilegal (inclusive) segundo a nossa lei.
Além disso, o aborto causa sérios problemas na vida da mulher que o pratica.

O aborto ilegal mata 70 mil mulheres por ano e quando não mata deixa distúrbios e problemas psicológicos de aceitação e culpa.
Mas, é lógico que não poderia deixar ‘rastros’ bons. O aborto é um pecado e é consequência de outro pecado.

É pecado porque é assasinato: “Não matarás”(Êxodo 20:13). A Bíblia mostra que a vida começa na concepção. Deus nos forma quando estamos ainda no ventre da nossa mãe (”Tu criaste cada parte do meu corpo; tu me formaste na barriga da minha mãe” Sl 139.13). O profeta Jeremias e o apóstolo Paulo foram chamados por Deus antes deles terem nascido (”Antes do seu nascimento, quando você ainda estava na barriga da sua mãe, eu o escolhi e separei para que você fosse um profeta para as nações” Jr 1.5; “Porém Deus, na sua graça, me escolheu antes mesmo de eu nascer e me chamou para servi-lo” Gl 1.15).

É pecado porque é contra a lei: “Sujeitai-vos, pois, a toda a ordenação humana por amor do Senhor; quer ao rei, como superior; quer aos governadores, como por ele enviados para castigo dos malfeitores, e para louvor dos que fazem o bem. Porque assim é a vontade de Deus, que, fazendo bem, tapeis a boca à ignorância dos homens insensatos; como livres, e não tendo a liberdade por cobertura da malícia, mas como servos de Deus.” (1Pe 2:13-16)
É consequência de outro pecado porque o sexo antes do casamento é pecado, mas isso é um assunto mais complexo que merece um post único e exclusivo.
publicado por institutogamaliel às 12:06




Se você conseguir se masturbar pensando em uma cachoeira ou numa paisagem, você é uma espécie digna de ser estudada.
Nossos olhos O que nossos olhos vêem e lêem produz e controla a maior parte de nossos pensamentos. As Escrituras ensinam que os olhos são a “candeia do corpo” (Mt 6:22, 23) e que se os “olhos forem maus”, o corpo “será tenebroso”. Esta verdade descreve mais do que um fato físico. Refere-se ao que os olhos deixam entrar na mente.
Reflita sobre as seguintes observações:

1. Vejamos a definição de lascívia e luxúria: “Gratificação dos sentidos ou indulgência para com o apetite; dedicado ou preocupado com os sentidos” e “desejo sexual intenso”. A masturbação encaixa-se definitivamente nestas definições (veja Gl 5:19). Pode-se praticar a masturbação sem lascívia ou luxúria?

2. O teste seguinte é o de sua vida mental. Jesus disse: “Eu, porém, vos digo que todo aquele que olhar para uma mulher para cobiçá-la, já em seu coração cometeu adultério com ela” (Mt 5:27, 28). Quando uma pessoa pratica masturbação, o que se passa em sua cabeça? As cachoeiras de Paulo Afonso? Pode alguém se masturbar sem imaginar um ato sexual ou ao menos cenas sensuais? O que você acha? Se você pratica a masturbação, pode sua mente permanecer pura?

3. Em seguida, reflita sobre a santidade e a intenção da relação sexual no casamento. Sem sombra de dúvida, a masturbação é uma tentativa de experimentar as mesmas sensações que são atribuídas ao casamento. É um substituto do ato verdadeiro – uma farsa, uma falsificação, um dolo.

4. A masturbação é também totalmente egocêntrica. Uma das características do egocentrismo é a auto-indulgência. Paulo descreve o modo de vida de quem é controlado por Satanás, dizendo: “Todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos” (Ef 2:3).

5. Finalmente, a masturbação pode nos levar à escravidão. Quando uma pessoa é dominada por uma indulgência carnal, ela peca. “Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para obedecerdes às suas concupiscências” (Rm 6:12).
Paulo também diz: Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas” (I Co 6:12).
Você é escravo da masturbação?
publicado por institutogamaliel às 12:05


ALIANÇA é uma das coisas mais importantes no relacionamento entre duas pessoas do sexo oposto. E quando falo em aliança, não estou me referindo ao anel de ouro que nossos pais usam. O anel é um símbolo desse pacto, mas aliança em si é a decisão de que eu vou amar a outra pessoa para o resto da minha vida. Nada, além da morte, pode quebrar uma aliança. Ela não pode ser desfeita. E a sua origem está na aliança que Deus fez e continua mantendo com o seu povo, de

que Ele nunca nos deixará. Ele nunca nos abandonará (Hb 13:5). Ela é inquebrável. E é por isso que está em extinção nos dias de hoje. Com os divórcios e separações, a aliança tornou-se “quebrável”, “clausurável” e “discutível”, tornando-se um mero contrato.

Agora, onde entra a virgindade nisso tudo? O que o fato de me guardar virgem até o meu casamento tem a ver com a aliança? E é aí que está uma das coisas mais belas e tremendas que eu ainda não havia percebido. Se você está por dentro das histórias da Bíblia, sempre que alguém fazia uma aliança com Deus, havia um derramamento de sangue, um animal era morto. Por exemplo, na aliança que Deus estabeleceu conosco teve que ter o sacrifício e o derramamento do sangue de Jesus. É através disso que podemos ter a certeza de que Deus nunca nos deixará, porque Ele deu Seu único Filho para morrer por nós.

Pensando nisso, você já imaginou o porque da virgindade ser tão importante para nós? Quando o rapaz e a moça se guardam sexualmente até a primeira noite de núpcias e têm a sua primeira relação sexual, geralmente ocorre um sangramento devido à ruptura do hímen da mulher. Você já pensou nisso? Nesse momento, é estabelecida uma aliança entre esse homem e essa mulher que não é simbólica, mas real. Há um verdadeiro derramamento de sangue.

Por isso, quando a Palavra nos adverte a nos guardarmos sexualmente puros, ao contrário do que muita gente pensa, Deus não está querendo “cortar o nosso barato” ou sendo “muito quadrado”, mas Ele está nos protegendo para que possamos desfrutar de uma bênção muito maior. Existe bênção por trás de uma aliança verdadeira. Existe bênção por trás da virgindade. E ela deve ser considerada uma das coisas mais importantes da sua vida. Uma vez que você a perde, mesmo que Deus te perdoe e te purifique interiormente, não há como restituí-la fisicamente. Sua virgindade é a sua jóia preciosa, que deve ser guardada e protegida como tal.

Sei que hoje, a coisa mais comum num namoro é transar e que nos manter puros sexualmente é muito difícil. É luta Brava! Sei que a pressão é grande e que a virgindade é considerada fraqueza e “babaquice”. Um homem e uma mulher são muito mais homem e mulher quando dizem “não”, e ser um homem ou ser mulher não depende de quantas vezes a gente vai para cama, mas está inteiramente ligado com a nossa firmeza e determinação.

Agora uma palavrinha com os RAPAZES
Sabiam que vocês foram criados para serem os protetores da pureza? Infelizmente, hoje em dia, muitos homens e rapazes são considerados os violentadores. Muitos namorados têm forçado suas namoradas a perderem sua virgindade. Essa não foi a função designada por Deus para vocês. Essa é a função designada pelo inimigo de Deus que deseja, com todas as suas forças destruir a aliança de casamento antes mesmo do casamento ocorrer. Rapazes, suas irmãs de sangue, suas primas, suas irmãs em Cristo, suas amigas de escola e suas namoradas devem ser protegidas por vocês. E não violentadas.

O que Paulo recomendou ao jovem Timóteo sobre isso? Que ele tratasse as moças com todas pureza, como se elas fossem suas irmãs (I Tm 5:2). Creio que isso diz tudo, não é?
Não se deixe levar por essas mentiras, de que “Se você não transa, você não é homem” ou “Se você não for para cama com o seu namorado, você não o AMA de verdade”. Mas creia que você vai estar amando de verdade sua futura esposa ou seu futuro marido ao dizer não aos seus desejos. “O verdadeiro amor é paciente, é benigno, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses. O verdadeiro amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.” I Co 13:4-7.

Que possamos desejar estabelecer essa aliança! Que ao olharmos para as vidas dos nossos pais, possamos ver o modelo do que é ter um relacionamento baseado na aliança de Deus. Pode até ser que nosso pais tenham passado por experiências ruins ou tenham errado, mas creio que Deus tem feito a Sua obra, tem restaurado e tem feito maravilhas.

Que possamos aprender com nossos pais aquilo que o Senhor já lhes ensinou e que sejamos pais ainda melhores quando tivermos nossos filhos, para que o Nome do nosso Deus seja glorificado.
publicado por institutogamaliel às 12:02



FERTILIDADE.jpg (400×300)
Por Pastor Ismael.
Pouca importância se tem dado a esse tema em meio aos evangélicos, mas quem quer viver um casamento segundo a vontade de Deus precisa estar atento a essa questão.
Outro dia uma jovem perguntou se a “pílula do dia seguinte” poderia ser usada por uma cristã. Outra queria saber se a igreja católica tem razão quando condena até mesmo o preservativo ( “camisinha”),e ainda, outra tinha dúvidas se seria pecado passar por uma cirurgia de “ligadura” de trompas, ou não.
Ora, voltemos às escrituras Sagradas. Deus fez do casamento um relacionamento de uma só carne ( Gn 2.24), tendo aí uma conotação sexual. Depois emana a sua primeira ordem ao casal, eles devem frutificar e se multiplicar ( Gn 1:28). De fato, na Bíblia , a fertilidade é apresentada como um benção ( cf. Ex 23.265,Dt 7.14, Sl113.9, 127.4-5,128.3,4) . E poderíamos ainda ver a ordem de Deus para os homens que se casavam, eles deveriam permanecer em suas casas, não poderiam ir à guerra e nem lhes ser exigido trabalhos forçados, como uma medida para que procriação acontecesse, e isso num período de um ano ( Dt 24.5). Havia também a Lei do Levirato, onde o propósito era de que um irmão gerasse filho para um homem casado que morreu sem ter deixado descendência. Fica claro, que está é a vontade de Deus, a procriação, a multiplicação.
A esterilidade, no Velho Testamento, era vista como uma maldição, resultante do pecado pessoal, caso de Abimeleque (Gn 20.17-18) e de Mical, mulher de Davi (2Sm 6.16-23). E em outras passagens a esterilidade é registrada como algo natural, próprio da realidade humana, como no caso de Sara, Rebeca e Raquel (Gn 11.30; Gn 25.21; Gn 30.1).
Vemos também Deus respondendo orações e tornando férteis essas mulheres e outras ( ver Gn 15.2-5; 20.17; Gn 25.21, Gn 30.17; 1Sm 1.9-20), deixando claro que é possível solucionar tal problema a partir da fé, porém a Bíblia não apresenta essa alternativa como uma promessa.
Dessa forma, entendemos que quando o casal provoca alterações na sua condição de fertilidade, tornando-se estéril, isso se choca com os valores e princípios de Deus. É tratar com descaso aquilo que Deus nos dá como uma benção, é o mal sendo chamado de bem ( Is 5.20).
Métodos contraceptivos devem ser recursos que evitam uma concepção, não devendo ser abortivo como é o caso de alguns métodos como a “pílula do dia seguinte”.
Veja o importante artigo do Dr.Albert Mohler Jr.(presidente do Southern Baptist Theological Seminary – a principal escola da Convenção Batista do Sul e um dos maiores seminários do mundo.)
“ A efetiva separação entre sexo e procriação talvez seja uma das mais importantes marcas definidoras da nossa era. E uma das mais deploráveis. Esta percepção está se alastrando entre os evangélicos americanos e promete provocar uma verdadeira explosão.
A maioria dos protestantes evangélicos recebeu o advento das modernas tecnologias de controle de natalidade com aplausos e alívio. Desprovidos de qualquer teologia significativa do matrimônio, sexo ou família, os evangélicos deram as boas-vindas ao desenvolvimento da "pílula" da mesma forma que o mundo celebrou a descoberta da penicilina - como mais um marco na inevitável marcha do progresso humano e da conquista da natureza.
“....Para muitos cristãos evangélicos, controle de natalidade é um assunto de preocupação somente para católicos. Quando o Papa Paulo VI publicou a sua famosa encíclica considerando errado o controle de natalidade artificial, “Humanae Vitae”, a maioria dos evangélicos respondeu com descaso, talvez agradecidos porque evangélicos não têm nenhum Papa que pudesse proclamar um edito semelhante. Casais evangélicos tornaram-se dedicados usuários das tecnologias de controle de natalidade indo desde a pílula até métodos de bloqueio e dispositivos intra-uterinos [DIU]. Tudo isso está mudando e uma nova geração de casais evangélicos está fazendo novas perguntas.
Um número crescente de evangélicos está repensando o assunto "controle de natalidade", e encarando as duras perguntas propostas pelas tecnologias reprodutivas. Vários desenvolvimentos contribuíram para esta reconsideração, mas o mais importante deles é a revolução do aborto. A primeira resposta evangélica ao aborto legalizado foi lamentavelmente inadequada. Algumas das maiores denominações evangélicas aceitaram, em princípio, pelo menos alguma versão de aborto a pedido.
A consciência evangélica foi despertada no fim da década de setenta, quando a realidade homicida do aborto não podia mais ser negada. Um forte rearranjo da convicção evangélica ficou evidente na eleição presidencial de 1980, quando o aborto funcionou como estopim para uma explosão política. Protestantes conservadores emergiram como importantes personagens no movimento pró-vida, enquanto se levantavam lado a lado com os católicos em defesa dos ainda não-nascidos.
A realidade do aborto forçou, por sua vez, uma reconsideração de outros assuntos. Ao afirmar que a vida humana deve ser reconhecida e protegida desde o momento da concepção, os evangélicos crescentemente reconheceram os Dispositivos Intra-uterinos [DIU] como abortivos e rejeitaram qualquer controle de natalidade com qualquer objetivo ou resultado abortivo. Essa convicção está lançando agora uma nuvem de dúvida sobre a pílula também.
Dessa forma, em uma virada irônica, os evangélicos americanos estão repensando o controle de natalidade até mesmo em um momento em que a maioria dos católicos romanos da nação demonstra uma rejeição ao ensino da igreja deles. Como os evangélicos deveriam pensar sobre a questão do controle de natalidade?
Primeiro, devemos começar com uma rejeição da mentalidade anticoncepcional que vê gravidez e filhos como imposições a serem evitadas em vez de presentes a serem recebidos, amados e nutridos. Essa mentalidade anticoncepcional é um insidioso ataque à glória de Deus na criação e ao dom da procriação dado pelo Criador ao casal casado.
Segundo, precisamos afirmar que Deus nos deu o dom do sexo para vários propósitos específicos e um desses propósitos é a procriação. O matrimônio representa uma perfeita rede de presentes divinos, incluindo prazer sexual, vínculo emocional, apoio mútuo, procriação e paternidade. Nós não devemos desconectar estes "bens" do matrimônio e escolher somente aqueles que desejamos para nós mesmos. Todo casamento deve estar aberto à dádiva de filhos. Até mesmo onde a habilidade de conceber e dar à luz filhos porventura esteja ausente, o desejo de ter filhos deve estar presente. Buscar prazer sexual sem abertura a ter filhos é violar uma responsabilidade sagrada.
Terceiro, nós deveríamos olhar de perto para o argumento moral católico da forma como se acha em Humanae Vitae. Os evangélicos ver-se-ão em surpreendente acordo com muito do argumento da encíclica. Como advertiu o Papa, o uso difundido da pílula levou a "sérias conseqüências" que incluem infidelidade matrimonial e imoralidade sexual desenfreada. Na realidade, a pílula permitiu um quase total abandono da moralidade sexual cristã na cultura em geral. Quando o ato sexual foi separado da probabilidade de gravidez, a estrutura tradicional de moralidade sexual desmoronou.
Para a maioria dos evangélicos, o principal rompimento com o ensino católico está na insistência de que "é necessário que cada ato conjugal permaneça ordenado em si mesmo para a procriação da vida humana". Ou seja, que todo ato conjugal deve estar completa e igualmente aberto à dádiva de filhos. Isso é ir longe demais, e coloca importância desmedida em relações sexuais individuais, em lugar da integridade mais abrangente do laço conjugal.
O foco em "cada ato conjugal" dentro de um matrimônio fiel que está aberto à dádiva de filhos vai além da exigência bíblica. Considerando que a encíclica não rejeita todo e qualquer planejamento familiar, este foco requer a distinção entre métodos "naturais" e "artificiais" de controle de natalidade. Para a mente evangélica, esta é uma distinção bastante estranha e artificial. Olhar para a posição católica ajuda, mas os evangélicos também têm que pensar por si mesmos, raciocinando a partir das Escrituras em uma cuidadosa consideração.
Quarto, casais cristãos não são ordenados pela Bíblia a maximizar o número de filhos que poderiam ser concebidos. Dado nosso estado geral de saúde em sociedades avançadas, um casal que se casa com vinte e poucos anos e tem uma vida sexual saudável e regular poderia produzir tranqüilamente mais de quinze descendentes antes da esposa chegar aos quarenta e poucos anos. Tais famílias deveriam ser corretamente honradas, mas este nível de reprodução certamente não é ordenado pela Bíblia.
Quinto, com tudo isso em vista, casais evangélicos podem, às vezes, escolher usar contraceptivos para que possam planejar suas famílias e desfrutar dos prazeres do leito matrimonial. O casal deve considerar todos estes assuntos com cuidado e deve verdadeiramente estar aberto à dádiva de filhos. A justificativa moral para usar contraceptivos deve estar clara na mente do casal e ser completamente consistente com o seu compromisso cristão.
Sexto, casais cristãos têm que assegurar-se de que os métodos escolhidos são realmente anticoncepcionais em seus efeitos, e não abortivos.
Nem todo o controle de natalidade é contraceptivo, já que algumas tecnologias e métodos não impedem o espermatozóide de fertilizar o óvulo, mas impedem o ovo fertilizado de implantar-se com sucesso na parede do útero. Tais métodos não envolvem nada menos que um aborto extremamente prematuro. Isto é verdade a respeito de todos os DIU e de algumas tecnologias hormonais. Atualmente tem havido um debate acirrado quanto ao fato de pelo menos algumas formas da pílula também poderem atuar através de um efeito abortivo, em lugar de prevenir a ovulação. Casais cristãos precisam exercer a devida cautela para escolherem uma forma de controle de natalidade que é inquestionavelmente anticoncepcional, em lugar de abortiva.
A revolução do controle de natalidade literalmente mudou o mundo. Os casais de hoje raramente param para pensar no fato de que a disponibilidade de anticoncepcionais efetivos é um fenômeno muito recente na história mundial. Esta revolução provocou uma explosão de promiscuidade sexual e muita miséria humana. Ao mesmo tempo, também ofereceu aos casais pensantes e cuidadosos uma oportunidade de desfrutar a alegria e satisfação do ato conjugal sem estar o tempo todo igualmente aberto à gravidez.
Portanto, os cristãos podem fazer uso cuidadoso e apropriado dessas tecnologias, mas nunca devem se deixar levar pela mentalidade contraceptiva. Nós nunca podemos olhar para os filhos como um problema a ser evitado, mas sempre como um presente a ser recebido com alegria.
Para os evangélicos, muito trabalho precisa ser feito. Nós precisamos construir e cultivar uma nova tradição de teologia moral, extraída das Escrituras Sagradas e enriquecida pela herança teológica da igreja. Até que o façamos, muitos casais evangélicos não vão nem mesmo saber onde começar o processo de pensar a respeito de controle de natalidade em um contexto totalmente cristão. Já está na hora dos evangélicos responderem a esse chamado.”
Para finalizar, o que se espera dos casais cristãos evangélicos é que saibam qual é ação do método contraceptivo que estão usando e certifiquem-se de que não seja abortivo.”
Aqui enumeramos métodos contraceptivos que,salvo melhor juízo, podem ser usados pelos casais cristãos:
-Camisa de Vênus, camisinha.
-Pílulas que agem antes do encontro do espermatozóide com o óvulo, evitando assim a concepção, e não pílulas que desprendem das paredes do útero o óvulo já fecundado.
-Espermicidas,
-Abstinência sexual,
-Tabelinha, controle dos dias férteis.

Este tema não é um tema comum, do dia a dia dos evangélicos, e mexe com suas vidas, e pode, de repente, ser um tanto controverso, mas a ideia aqui, não é aborrecer ou colocar um fardo sobre os irmãos, mas sim , nos levar a uma reflexão e assim, decidir com mais clareza, quando for o caso.



publicado por institutogamaliel às 12:00
tags:


Para o mundo, parece algo sem sentido


Sexo somente no casamento, como falar isso para alguém que é descrente? Por que eu quero chegar nesse tópico? Para nós evangélicos, castidade parece algo bem simples, pois é a vontade de Deus e Ele irá nos honrar por causa disso, mas para quem é descrente, falar apenas que é a vontade de Deus pode até ser visto como um argumento fraco, pois eles não acreditam em Deus, mas nesse texto iremos mostrar o porque a vontade de Deus é a melhor, nós fazemos votos de castidade por que é a vontade de Deus sim, mas além disso, se olharmos com uma visão não só do agora, mas para o nosso futuro, veremos que essa é a melhor decisão que alguém pode fazer.

Morrer para frutificar

Vou começando com um exemplo paralelo, que depois farei a ligação com o texto principal. Esse exemplo pode ser o castigo em cima das crianças (para quem não sabe, sou contra a lei da palmada), uma criança diz "Eu quero aquilo" e o seu pai diz "NÃO, NÃO É HORA DE VOCÊ USAR ISSO", a criança começa a chorar, berrar para conseguir o tal objeto, se o pai não tem muito amor ao filho, ele simplesmente dá para a criança, mas se o pai ama ao filho, ele não vai dar o objeto de jeito nenhum e se for preciso, discipliná-lo verbalmente ou fisicamente. A criança que tem tudo na mão acaba achando que a vida é tudo na mão, é tudo fácil - No dia que ela não ter alguém para fazer as coisas para ela, ela não saberá o que fazer, ficará sem reação e terá dificuldade DOBRADA para voltar a conseguir o que ela tinha com facilidade.

Como isso é passado para o texto que está sendo passado? Uma pessoa pode fazer sexo hoje, mas haverão dias em que fazer isso não será possível, como fica? Um garoto de 16 anos que namora e faz sexo com sua namorada, pode ter isso hoje, mas no dia que ele não tiver (terminar o namoro, por exemplo), ficará em uma ABSTINÊNCIA terrível, por quê? Intimidade não tem volta sem dor, toda vez que avançamos em um relacionamento, não queremos continuar fazendo só o que fazíamos, exemplificando, um casal que só dava selinho, no dia em que derem um beijo de língua, quando forem sair de novo não vão querer dar só selinho, então quando avançamos muito e se de um momento para outro voltamos para o zero (pois terminou o namoro por exemplo) isso acarreta em uma dor terrível, uma abstinência, diferente do casamento, em que o sexo será constante. Então primeiro ponto, sexo em algo não fixo (algo que pode acabar a qualquer momento), como uma amizade ou namoro, causa abstinência.

Segundo ponto relevante, tudo tem seu tempo, um adolescente hoje em dia pensa em sexo o tempo todo, por que estamos em uma era em que fala-se mais de sexo do que educação. Mas naturalmente adolescente não é para pensar em sexo, não é tempo de se masturbar nem nada, é sim o tempo em que começamos a conhecer melhor o nosso corpo e vemos a mulher com outros olhos. Achamos atraente, interessante, mas de primeira não sentimos vontade de fazer sexo (quando é uma menina que nós amamos) - Aliás, as pessoas fazem diferenciações das mulheres para amar e mulheres para fazer sexo, e quando chega a mente fazer sexo com a menina que está nas listas de serem amadas, soa até estranho. Eu só fui saber sobre sexo mesmo por quê todos os meus amigos falavam de sexo, por que na tv falava de sexo, na revista falava de sexo, e eu achava super estranho (isso eu com uns 14 anos) - Se não fossem esses meio, eu não teria conhecimento de sexo de forma fútil, mas apenas na forma biológica na aulas de biologia. O que quero dizer é que esse "Subindo pelas paredes" é fruto dessa era sexual que estamos vivendo. Diferente de alguns anos atrás, em que a dança do Elvis já era considerada erótica (haha). O tempo de fazer sexo não é na adolescência, em que ainda estamos engrossando a voz e as meninas estão ganhando curvas, e nem quando jovem solteiro, em que você ainda não não fixou seu relacionamento, mas quando está casado, quando onde eramos pra ver o corpo da mulher com outros olhos, não antes, produto dessa era pornográfica.

Fidelidade, domínio próprio, amor em primeiro lugar são vários outros pontos que poder ser lembrados e ressaltados, mas isso é bem simples de aplicar. Então pesquisem, estudem, e vejam que a vontade de Deus é a melhor, não é uma coisa boa passageira, é algo que vem na hora certa e é eteno. Só os fracos não querem viver para o sempre.
publicado por institutogamaliel às 11:59


Edir Macedo diz:


“Sou a favor do direito de escolha da mulher. Em casos como estupro, má-formação do feto ou quando a vida da mãe está comprovadamente ameaçada pela gestação, não há o que discutir. Sou a favor do aborto, sim. A Bíblia também é. Olhe só [Ec 6.3]: ‘Se alguém gerar cem filhos e viver muitos anos, até avançada idade, e se a sua alma não se fartar do bem, e além disso não tiver sepultura, digo que um aborto é mais feliz do que ele’ [...] O Brasil deveria se unir pelo direito da mulher de optar pelo aborto [...] Certamente grande parte de nossas mazelas sociais diminuiria. Pense comigo: é melhor a mulher não ter filhos ou ter e jogar o bebê na lata do lixo? [...] Vamos ser frios e racionais: é preferível a criança não vir ao mundo ou vê-la nos lixões catando lixo para sobreviver? Eu creio na Bíblia. Nesses casos, eu credito que o aborto é melhor do que nascer. A mulher precisa ter o direito de escolher” (“O Bispo”, 2007, p. 223).


Edir Macedo prega a favor do aborto!

A Bíblia diz:

O bispo Macedo influencia milhões de brasileiros através do poder midiático, por ser tido como ministro da Palavra de Deus. Poderia contribuir para uma cultura de vida, justiça, paz e de solidariedade simplesmente sendo fiel ao que as Escrituras expõem. Mas, quando admite, ensina e estimula uma prática elástica do aborto, como sendo uma questão de direito de opção da mulher, se alia às forças da anti-vida que saem das trevas e obscurecem a razão, insensibilizam corações e tornam nosso mundo cada vez mais cínico, frio, sem alma. Muitas legislações, apoiadas por eminentes teólogos, mesmo reafirmando a primazia do direito à vida, admitem o aborto em casos excepcionais, como em gravidez decorrente de estupro ou quando há indiscutível risco de vida para a mãe. Outra excepcionalidade que envolve muita polêmica entre peritos trata do estatuto do feto com má-formação. Estas três situações são objeto de controvérsia por envolver limites éticos e científicos e não podem ser uma questão fechada prematuramente. Envolvem demasiado sofrimento e requerem decisões de comitês de ética. Mas o que espanta é Macedo sacar a Bíblia como arma de morte. Faz uma apropriação indébita do texto de Eclesiastes (6.3), forçando-o a dizer o que não diz, mas o que Macedo deseja dizer. Isto não é “exegese”, e sim “eixegese”, violência ao texto.

A passagem bíblica em questão, em seu contexto, é como uma sátira, uma ilustração da pobreza do dinheiro em satisfazer plenamente ou espiritualmente uma pessoa. Em todo o capítulo 5 o sábio alerta sobre sua frágil base. Na maioria das vezes é mal repartido (5.9), dilapidado por estranhos (5.10). Mesmo que você disponha de riqueza, bens e honra (6.1,2), um estranho poderá desfrutá-los em seu lugar (6.2) e você acaba ficando com sofrimento. Imaginemos alguém com muitos bens, filhos e tempo de vida, ou seja, com todas as condições para desfrutar da existência e mesmo assim não a desfruta, e chega até a morrer em miséria e ficar insepulto. Temos aqui o alerta sobre o absurdo de depender de coisas, de trabalhar em vão, sendo infeliz pelo impasse de sentido e vazio existencial. Assim, até um não-nascido, um aborto, de fato é mais feliz por nunca vir a sofrer tais absurdos. Mas o texto jamais legitima o aborto.

Macedo é coerente com sua pregação segundo o espírito do capitalismo, atuando como os que transformam tudo em mercadoria avaliada pelo valor utilitário. Tratar questões humanas desta forma resulta num tipo de eugenia já praticada por déspotas sanguinários em busca de tipos ideais, com descarte dos deficientes e não-competitivos. É chocante sua afirmação sobre a razoabilidade do aborto como prática preferível ao abandono ou morte de bebês, ou como medida desejável para melhorar os indicadores socioeconômicos! Heil Hitler! Ave César! Viva Herodes!

Não conceder ao embrião abrigado no útero o direito de desenvolvimento pleno, por razões de conveniência e ordem utilitária e subjetivista, é negar a ordem natural da vida, é reforçar a pulsão de morte. A onda abortista é parte de uma cultura de dessacralização do corpo, de banalização do sexo, de afirmação ética narcisista, primado do gozo individual. O estímulo a qualquer forma de gozo sexual, com qualquer parceiro ou parceira, sem perguntas incômodas, é massivamente incutido na população e defendido por políticas públicas preocupadas apenas com a assepsia física. O que exige compromisso e permanência é exorcizado por indivíduos infantilizados que não assumem a plenitude de seus gestos. Nega-se a conexão da sexualidade com uma potencial gestação, fazendo o corpo negar a alma. Quando acontece uma gravidez, afirma-se, então, não se estar preparado para assumi-la; era apenas sexo esportivo, esqueceu-se a camisinha, enfim, algo deu “errado”! E que falácia o argumento que pretende considerar o feto como parte do corpo da mulher! O ainda não-nascido é sabidamente um outro ser. Mulheres que abortam voluntariamente ou por pressão do macho fujão não estarão livres de questionamentos da consciência, nem de lembranças, sonhos e sentimentos de perda. Quase sempre o aborto é vivenciado como trauma e compromete a auto-estima. De fato, a gestante é, arquetipicamente, guardiã da vida e qualquer violação deste princípio resulta em sofrimento; portanto, ela deve receber todo apoio do genitor masculino, de familiares e da rede social.

É sabido que grávidas abandonadas por parceiros e decididas a abortar, quando apoiadas por amigas e instituições, em sua maioria decidem manter a gestação; portanto, é digno de louvor o trabalho samaritano do Cervi (Centro de Reestruturação para a Vida, www.cervi.org.br), em São Paulo, e abrigos do Exército de Salvação e da Igreja Católica, que oferecem apoio social, psicológico e médico, revertendo situações de desespero. Já nos primeiros documentos da Igreja cristã, o Didaquê, temos ensinamentos de defesa da vida intra-uterina. Reconhecer que o humano procede do humano, desde o instante da fecundação e em contínua evolução, é a base ética mínima que protege a possibilidade e a dignidade da existência. A própria justificativa para utilização de células-tronco com vistas a salvar ou curar outras vidas tem por base este “continuum”. Segundo o poeta bíblico, Deus tece o ser humano no ventre de uma mulher (Sl 139.13-16). Quem ousará interromper sua obra? A razão bíblica — a lógica do Espírito e a ação de Cristo — defendem a vida em todas as suas formas e fases. Se nossa civilização acorda, ainda que tardiamente, para a questão ambiental e esforços são feitos para a defesa de peixes, animais e florestas em extinção, quanto mais a espécie humana merece igual dignidade e proteção! Que loucura é esta reduzir o humano a um mero aglomerado de células sujeito ao capricho humoral de alguém?

Finalmente respondo ao bispo que o melhor é caminhar no espírito de Jesus. Nos casos já consumados, seguramente ele acolheria graciosamente uma mulher que cometeu aborto e diria algo como “não te condeno, mas veja que não peques”. Quem imagina Jesus aconselhando alguém a abortar, ele que é a ressurreição e a vida?

• Ageu Heringer Lisboa, psicólogo e terapeuta familiar, é mestre em ciências da religião. É autor de Sexo: Espiritualidade, Instituto e Cultura (Editora Ultimato).
Fonte: Ultimato
mais...

DEPUTADA BRASILEIRA AFIRMA:
"Nasci depois de um estupro. Não posso ser a favor do aborto!"


A Deputada Fátima Pelaes durante reunião que aprovou o Estatuto do Nascituro na Comissão de Seguridade e Família, na última quarta-feira, 19, comoveu os deputados na Comissão de Seguridade e Família que aprovou o texto substitutivo deste projeto ao compartilhar que ela mesma foi concebida depois de uma violação e ainda assim sua mãe optou por não abortá-la. Por isso hoje, Fátima luta pelo direito à vida desde a concepção seja qual for a circunstância em que esta seja ocasionada. O projeto define o direito à vida desde a concepção e protege o nascituro contra qualquer forma de discriminação que venha privá-lo do seu direito a nascer.

A deputada conta que veio à luz num presídio misto e viveu aí por três anos após um ato de violência sexual sofrido por sua mãe. Fátima Pelaes, deputada pelo Estado do Amapá, militante pelas causas das mulheres, das crianças e dos adolescentes foi quem relatou a CPI sobre o extermínio de crianças e adolescentes (1992), presidiu a CPI que investigou a mortalidade materna no Brasil (2000/2001) e criou a lei, de 2002, que estendeu a licença-maternidade para mães adotivas.

É lamentável ter que ouvir isso, por uma pessoa que se intitula ministro, propagando a heresia e a deturpação da Palavra de Deus!
Comprova-se que a IURD é uma seita que só tem disseminado heresias e teologias contrária as escrituras!

Anderson da Paola
publicado por institutogamaliel às 11:55


Temas polêmicos, que marcaram a campanha presidencial deste ano, foram abordados em pesquisa Vox Populi encomendada pelo iG

Eleita presidenta com 55 milhões de votos, a petista Dilma Rousseff pode ter dificuldade em conseguir apoio popular se quiser fazer mudanças nas leis que tratam de temas polêmicos como aborto, direitos dos homossexuais e consumo de drogas. Pesquisa Vox Populi encomendada pelo iG para mapear as expectativas dos brasileiros em relação ao futuro governo mostra que a maioria da população não aceitaria mudanças nas regras que regem atualmente essas áreas.

O aborto deve deixar de ser crime no Brasil?

O aborto, em especial, entrou na pauta da disputa eleitoral deste ano e levou tanto Dilma quanto o presidenciável José Serra (PSDB) a prometerem que, caso eleitos, não promoveriam mudanças nas regras relacionadas ao assunto.

Dilma, que antes de ser candidata havia dado declarações favoráveis à descriminalização do procedimento, viu aumentar, na reta final da campanha, a resistência de setores religiosos à sua candidatura. A petista acabou escrevendo uma carta se comprometendo a manter as leis sobre o tema e “de outros temas concernentes à família e à livre expressão de qualquer religião no País”.

Para 82% dos entrevistados pelo Vox Populi, o aborto não deveria deixar de ser crime no País. Entre os habitantes das regiões Norte e Centro Oeste, 89% defendem a punição de quem pratica o ato, contra 77% no Sudeste, o menor índice. De acordo com o instituo, é mais fácil encontrar quem defenda mudanças na lei do aborto em grandes cidades (19%) do que em municípios menores (9%).

O índice de rejeição à prática do aborto não varia significativamente entre gênero, idade e renda – é maior apenas entre eleitores com nível superior: 19%, contra 10% de quem estudou até a quarta série, por exemplo. Os índices de rejeição também são os mesmos entre eleitores de Dilma e Serra (82%) e atingem altos patamares tanto entre eleitores religiosos (86% dos evangélicos rechaçam a ideia) como entre os que dizem não ter religião (78%).
Para 72% das pessoas, o governo Dilma não deveria sequer propor uma lei que discriminalize o aborto – ideia compartilhada tanto por católicos (73%) como por evangélicos (75%) e membros de outras religiões (69%).



União civil entre homossexuais

O Vox Populi mostra que, para 60% da população, a união civil entre homossexuais não deveria ser permitida no País - como prevê a lei atual - contra 35% que defendem o direito. A maior resistência é observada nas regiões Centro Oeste e Norte (69%) e em municípios pequenos (66%); a menor resistência é observada no Sudeste – onde 39% defendem os direitos.
A pesquisa mostra que quanto mais velha é a população, menor a aceitação sobre o assunto (69% dos que tem 50 anos ou mais não aceitam a mudança). Quanto maior a escolaridade, maior também a aceitação: 44% dos quem têm ensino superior apoiam a mudança na lei – e 63% dos que estudaram até a quarta série dizem que homossexuais não podem se unir legalmente. O menor índice de aceitação à união entre gays é identificado entre evangélicos: 19% (contra 37% dos católicos praticantes e 41% dos católicos não praticantes). Com pessoas de outras religiões, a aceitação chega a 59%.
A rejeição não é exclusiva apenas a entrevistados que se declaram religiosos: 56% dos que afirmam não ter religião também se dizem contra a união civil entre gays – o maior índice, entretanto, é entre evangélicos: 78%. Eleitores que declararam voto em Dilma e Serra têm praticamente os mesmos índices de rejeição à ideia: 36% e 33%, respectivamente.
A pesquisa aponta também que os brasileiros rejutam qualquer proposta de lei para ampliar o direito civil entre homossexuais e igualar a união ao casamento: 63% dos entrevistados se dizem contrários à ideia – entre os evangélicos, o índice chega a 79%.


Ainda segundo o Vox Populi, a adoção de crianças por casais homossexuais não deve ser permitida no País para a maioria dos entrevistados: 61%. A maior rejeição é identificada no Nordeste (70%). A ideia enfrenta maior resistência também em cidades menores e entre eleitores mais velhos.
Quando a pergunta é se o governo deveria propor uma lei que facilite a adoção de crianças por casais gays, a maioria dos entrevistados (64%) diz ser contra. No Nordeste, o índice é de 71% e entre evangélicos, de 77%.

Uso de drogas

O Vox Populi mostrou também na pesquisa que praticamente nove em cada dez brasileiros (87%) são contra a descriminalização do uso de drogas. O índice chega a 93% no Nordeste.
A ideia é quase igualmente rechaçada entre entrevistados de diferentes religiões, idades, escolaridade e preferências políticas. Para a maioria (72%) o governo nem sequer deveria propor uma lei prevendo a descriminalização das drogas – no Sul, a rejeição à ideia de mudança na lei alcança 81% da população.
A margem de erro do levantamento, que contou com 2.200 entrevistas feitas entre os dias 19 e 23 de novembro, é de 2,1 pontos percentuais.


publicado por institutogamaliel às 11:53



Selecionando a árvore de Natal com as crianças, cantando hinos de Natal na igreja, ensinando meus filhos sobre o nascimento de nosso Salvador… Eu poderia continuar falando de muitas coisas que trazem alegria para mim durante a época de Natal; é uma época verdadeiramente cheia de encanto no ano.

Passo também boa parte da época de Natal sofrendo, triste e angustiado ao observar o que está acontecendo com nosso mundo. O Natal é um tempo para amor falso, paz fajuta e para as pessoas se iludirem na ideia de acharem que amam a Deus. A maior parte do que vemos é blasfêmia e não agrada nem um pouco a Deus.
Deus conhece os nossos corações e sabe que a maior parte das celebridades que nos fazem mamar veneno e sujeira o ano inteiro só estão celebrando os feriados da boca para fora. Esse tipo de elogio fajuto e fé indiferente não agrada a Deus; não está de forma alguma enganando a Ele.
A época de Natal parece tornar todo mundo “cristão” por duas semanas; infelizmente, não funciona desse jeito. Às vezes acho que Deus se entristece mais na época de Natal do que em qualquer outra época do ano. O terceiro mandamento é que não devemos tomar o nome do Senhor em vão, e é exatamente isso que acontece quando o que falamos para Deus ou de Deus é da boca para fora.
Alguns de vocês podem estar pensando que preciso apenas me alegrar; afinal, é época de Natal. “Vamos lá, Bryan, apenas veja o lado bom de tudo e goze os feriados; não seja tão ‘ranzinza’”. Garanto-lhe que estou gozando meus momentos em casa neste exato momento, e toda a beleza e encanto desta época do ano.
Meu problema é que quando realmente penso na essência desta estação, não consigo ignorar as mentiras que estão fazendo com que a escuridão engula a sociedade. Se eu continuar a olhar para essa escuridão com cegueira nos olhos e apenas fingir que tudo está bem, então desperdicei minha oportunidade de brilhar a Luz da Verdade e da Esperança.
Um dos dizeres mais famosos que se ouve na época de Natal é de Lucas 2:14: “Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens”. (Lucas 2:14)

“Paz na terra”: tal simples sentimento é algo que ouvimos tantas vezes nesta época do ano. A maioria das pessoas parece querer paz na terra nesta época do ano: nada de guerras e nada de crimes, só todo mundo amando uns aos outros.
O problema com muitos que pedem paz na terra é que eles também defendem uma epidemia de violência que está varrendo a terra e tirando vidas inocentes aos milhões todos os anos. Na semana passada um tão chamado tribunal de “direitos humanos” ordenou que um país que protege a vida humana inocente comece a permitir a destruição da vida.
Nosso atual presidente foi eleito com a promessa de continuar a deteriorar as proteções aos nossos cidadãos americanos que estão ainda em gestação e até fortalecer as forças que querem matar esses americanos. O presidente Obama, que afirma ser seguidor de Cristo, na verdade louva e apoia uma das organizações mais malignas, destrutivas e cheias de ódio do planeta terra, a Federação de Planejamento Familiar*.
Anos atrás, a Federação de Planejamento Familiar zombou publicamente do conceito de “Paz na terra” ao distribuir cartões de Natal que declaravam “Escolha** na terra”. Neste ano, a Federação de Planejamento Familiar está vendendo cupons que as pessoas podem usar para cobrir as despesas para matar seu próprio filho [em gestação numa clínica de aborto].
O lugar mais seguro para todas as crianças deveria ser, de fato, o útero de suas mães. Contudo, para milhares de crianças nos EUA todos os dias, esse é o lugar mais perigoso de se estar.
Como é que podemos verdadeiramente esperar ter paz na terra quando não há nenhuma paz no útero? Como podemos falar de amar uns aos outros e acabar com as guerras quando travamos guerra contra os seres humanos mais inocentes e vulneráveis do planeta terra?
Desde 22 de janeiro de 1973, nós como nação estamos roubando a oportunidade de mais de 53.000.000 de bebês de terem seu primeiro Natal. Mais de 53.000.000 de menininhos e menininhas nunca conhecerão a alegria de desembrulhar papéis de presente e gritar de alegria ao verem o que está dentro.
O que está acontecendo é o contrário. Eles estão gritando, sem que ninguém os ouça, enquanto são despedaçados do útero de suas mães. Eles nunca serão embrulhados num cobertor e colocados nos braços de seus pais. Eles, como os papéis de presente na manhã de Natal, acabarão no lixo: jogados fora.
Enquanto isso continuar acontecendo na terra, não dá mesmo para haver paz.
Uma semana depois do Natal vem outro dia importante, o Dia de Ano Novo. Todo ano, milhões de pessoas fazem decisões e promessas de Ano Novo de fazerem mudanças para o ano que está chegando.
Vou pedir que você faça comigo uma decisão de Ano Novo. Passei os últimos vinte quatro anos de minha vida lutando para acabar com o holocausto do aborto e vou me comprometer a continuar essa luta até dar meu último suspiro.
Quero saber se você quer fazer uma decisão comigo de assumir uma posição mais forte do que nunca antes, de levantar a voz mais do que nunca antes, de clamar mais alto do que nunca antes e de brilhar a luz de Cristo mais do que nunca antes.
Você tomará essa posição conosco?
Bryan Kemper
Este artigo foi publicado com permissão de BryanKemper.com
* Nota do tradutor: A Federação de Planejamento Familiar, fundada por feminista marxista Margaret Sanger, é a maior rede de clínicas de aborto dos EUA.
** Nota do tradutor: “Escolha” (do original em inglês “choice”) é termo usado por ativistas e grupos pró-aborto dos EUA. “Escolha” se refere à “escolha de matar o próprio filho em gestação”. Em vez de se apresentarem como grupos ou indivíduos pró-aborto, eles preferem o termo “pró-escolha” (pro-choice).
publicado por institutogamaliel às 11:52



Você é contra o aborto? Usa o argumento de que a vida começa a partir da fusão nuclear de óvulo e espermatozoide? Então, não pode ser a favor da fertilização in vitro (FIV), no molde como é praticada, na maioria das vezes, em um número crescente de clínicas de fertilidade. Com raras exceções, a FIV se baseia na superovulação materna e resulta na formação de um número maior de embriões do que o que pode ser implantado no útero materno.

O que é feito dos embriões excedentes? São congelados para uso futuro, caso a primeira tentativa de implantação não tenha sucesso (o que, infelizmente, é muito comum). Já não é, digamos, muito cômoda a ideia de congelar os próprios filhos, não é? Mas o que fazer com filhos congelados que já não são mais destinados à gestação pelo casal responsável? Destruí-los? Entregá-los à pesquisa com células-tronco? Incinerá-los? A opção mais amena ainda seria ofertá-los a um casal infértil que não pode ter seus próprios embriões. (Nesse caso, é como entregá-los para adoção, e a possibilidade de encontrar um filho com metade da sua constituição genética chamando outras pessoas como pais não é tão remota assim).

O que fazer, então? O conselho que dou a todos os casais amigos que já se depararam com essa alternativa é: não o faça. Confie em Deus! Deixe-o trabalhar. A FIV gera expectativas imensas no casal, especialmente na mulher, e a frustração que se segue a um tratamento infrutífero é gigante e, muitas vezes, pesada demais. Durante o período em que trabalhava em meu doutorado, conheci uma doutoranda que se tornou uma das minhas melhores amigas na Alemanha. Eu a conheci em meio a um momento angustiante, em que ela e o marido haviam decidido optar pela FIV depois de uma gravidez ectópica que resultou na perda de uma das trompas. Embora a outra trompa estivesse íntegra e, portanto, uma gravidez continuasse viável, o médico recomendou a FIV. Pensei comigo: “não faça isso!”, mas o seu tratamento já estava em pleno andamento. Orei e o Senhor me respondeu: “Ela engravidará, mas não será por mãos de homens”.

Acompanhei todo o processo: os efeitos colaterais pela superdosagem hormonal, a alegre sensação de gravidez, seguida pela profunda frustração de uma nidação embrionária malsucedida. Choramos juntas. Contei a ela o que o Senhor havia-me dito e ela o recebeu dizendo: “A minha mãe diz a mesma coisa que você!” Entregamos o sonho de um filho aos pés do Senhor e poucos meses depois, ela estava grávida!
Ainda outro casal muito amigo nosso, que perdeu uma trompa por razão semelhante à anterior e apresentava a outra trompa definitivamente entupida, engravidou semanas depois de a médica recomendar-lhes a FIV.
Entregue a sua situação ao Senhor! Para Ele não há impossíveis. Poderia contar ainda casos e mais casos de tremenda graça e milagres nessa área, e todos, sem exceção, são os resultados da entrega incondicional do “sonho de um filho próprio”.

No entanto, também há casais que sinceramente oraram e ainda aguardam o cumprimento da sua promessa. Deus é o Autor da Vida. Ele a dá e Ele a tira, e tudo faz conforme a sua perfeita vontade. Se optar pela FIV, ao menos não gere embriões pelos quais não pode se responsabilizar. Conheço a história de um casal que precisou retirar uma biópsia do testículo contendo uma só espermatogônia (célula capaz de gerar espermatozoides). O casal não quis ter embriões excedentes. O risco de ter de se submeter à outra biópsia era grande, mas ambos resolveram confiar no Médico dos Médicos, e o embrião resultante da FIV foi implantado com sucesso logo na primeira tentativa!

Finalmente, é importante lembrar: a FIV não é coberta pelos seguros saúde. O fluxo financeiro gerado por esse tratamento é imenso e explica o lobby em torno das células tronco embrionárias. Essas células, ao contrário das células retiradas da medula óssea de um adulto, têm um potencial muito maior de multiplicação. Esse potencial é difícil de controlar. Em outras palavras, é cancerígeno, fato, obviamente, pouco divulgado. Porém: sem FIV com embriões excedentes, não haveria células tronco embrionárias para pesquisa, não haveria polêmica.

O grande problema é: (novamente) nos metemos onde não fomos chamados. Como vamos arcar com essa responsabilidade? O que vamos responder diante do grande Trono Branco? Deus nos guarde, como raça humana, de sermos assim irresponsáveis e egoístas! Filhos não trazem felicidade (assim como o casamento não faz ninguém feliz). Jesus Cristo é o único capaz de nos preencher, e, através do Espírito Santo, nos fazer verdadeiramente felizes. Essa felicidade independe das circunstâncias e está fundamentada numa paz que não é como a paz dada por este mundo. Vamos olhar para Jesus e buscar os seus propósitos, ao invés dos nossos, e “todo o resto nos será acrescentado”! Ele é fiel e justo para nos perdoar e fazer tudo novo! Ele, o Autor da Vida, cria e transforma, e faz da nossa vida uma fonte de água viva. A Ele toda a glória!

Angelica Boldt Mãe de três filhos (leia-se “milagres” — o pai é considerado infértil e foi advertido, ainda antes de se casar, que jamais teria filhos por meios “naturais”). Doutora em Genética Humana pela Universidade de Tübingen, Alemanha. Atualmente realizando o pós-doutorado em Imunopatologia Molecular no Departamento de Patologia Médica do Hospital de Clínicas, UFPR, Curitiba.
publicado por institutogamaliel às 11:51
tags:


Jessica e Clint Council com seu filho.
Em agosto do ano passado Jessica Council — uma bela mulher de 30 anos de idade, mãe de um filho — notou que estava com dor na garganta. Mais ou menos na mesma época, ela começou também a suspeitar que estivesse grávida.

Quando depois de duas semanas a dor de garganta não havia sumido, Jessica decidiu fazer um exame médico. O médico dela lhe disse que provavelmente era algum problema de aumento da tiroide, e que em análise final não era nada com que se preocupar muito. Só para se certificar, porém, ele realizou um teste, que ele disse confirmou suas suspeitas iniciais. Tudo ficaria bem, disse ele.

Mas tudo não estava bem. O médico interpretou mal o teste.
Em 15 de novembro, Jessica começou a ter dificuldades para respirar. Em 21 de novembro ela foi parar na sala de emergência de um hospital. Então, em 22 de novembro, sua garganta se fechou tão estreitamente que ela não conseguia respirar, mas nesse ponto os médicos deram um jeito de introduzir uma sonda na garganta dela, e a colocaram numa máquina de respiração artificial.

No dia seguinte, 23 de novembro, Jessica foi informada de que estava com câncer. Naquela altura, ela também sabia com certeza que estava grávida.
Assim começou uma jornada que imporia o teste máximo à fé e convicções pró-vida de Jessica e seu marido, Clint.

“Valeu cada dia”

Jessica e Clint se conheceram na Universidade Greenville, [uma instituição evangélica de ensino]. Numa entrevista longa para LifeSiteNews.com, Clint disse que ele havia descoberto a deslumbrante ruivinha sentada um dia no refeitório da universidade, e perguntou se ele podia se juntar a ela. Ela recusou. Mas Clint não desistiu.

Aliás, somente depois de um ano e meio de amolações de Clint Jessica concordou em sair para um encontro; o casal se casou dois anos e meio depois disso. “Suponho que entendemos quando chega a hora do casamento”, disse ele. “Eu tive de lutar muito por ela, mas valeu cada dia”.

O casal mudou para Traveler’s Rest, na Carolina do Sul, onde tiveram um filho e trabalhavam como mentores de adolescentes numa instituição evangélica de caridade. A vida era boa: eles eram jovens, apaixonados, saudáveis e gozando a vida.

Jessica Council
Clint aponta para o fato de que sua esposa sempre cuidava meticulosamente de si mesma. “Ela tinha sempre sido extremamente, extremamente saudável”, disse ele. “Ela tomava muito cuidado com o que comia. Ela procurava honrar a Deus com seu corpo. Ela fazia exercícios regularmente”.


Por esse motivo, a última coisa que um deles esperava era o câncer que ocorreu em agosto passado.

Sem mais opções

Clint descreve a reação de sua esposa à notícia do câncer na garganta dela como “um misto de medo e surpresa”. Quanto a si mesmo, ele diz que sentiu “praticamente todas as emoções que dá para se pensar… exceto alegria. Eu me sentia como se tivesse sofrido amputação de todos os membros”.

Mas, é claro, Jessica não era a única ameaçada pelo câncer: ela estava grávida, e qualquer tratamento que ela fizesse quase que certamente prejudicaria, e possivelmente até mataria, seu bebê em gestação.

Em 25 de novembro, o obstetra do hospital ofereceu a realização de um aborto para o casal. Clint diz que Jessica nunca hesitou. “Isso nunca foi uma opção”, disse ele. “Isso era muito claro para nós”.

Mas o que era menos claro era se ou não aceitar os tratamentos: embora o oncologista tivesse dito que a quimioterapia provavelmente mataria o bebê, o obstetra discordou, dizendo que o bebê provavelmente sobreviveria, mas sofreria danos cerebrais.

“Jessica olhou para mim, e levou alguns segundos para ela”, diz Clint, “e ela balançou a cabeça e disse ‘não’”. Ela também recusou terapia de radiação por causa de riscos semelhantes.

“Nós realmente não tínhamos muitas opções de tratamento depois disso”, disse Clint, apontando que a cirurgia jamais foi uma opção por causa do local onde o câncer estava.

“Ela não despertou”

A questão do tratamento surgiu de novo quando o bebê alcançou o terceiro trimestre. Naquele ponto, diz Clint, a decisão era muito mais difícil, com os médicos afirmando que os riscos eram mínimos porque o bebê já estava quase inteiramente desenvolvido.

Entretanto, Jessica ainda recusava os tratamentos por amor ao seu bebê em gestação — uma decisão que Clint diz deixou os médicos dela “muito confusos”.

Clint conta em segredo que nem ele nem sua esposa sentiam que os médicos estavam sendo completamente francos acerca dos riscos. Mas ele também diz que sua esposa tinha outra razão para recusar os tratamentos.

“Ela sabia que de todo jeito ia morrer”, diz ele. “Ela só falou isso comigo pouco antes de morrer… Mas eu acho que ela sabia, e ela estava pensando em dar a este bebê toda chance que ela pudesse”.

Embora o casal tivesse tido algum sucesso com métodos alternativos para deter o crescimento do câncer, inclusive uma dieta rigorosa de sucos de verduras orgânicas e suplementos, sem tratamentos mais agressivos era só uma questão de tempos antes que o câncer prevalecesse.

Um milagre de 23 semanas

Na noite de 5 de fevereiro, Jessica foi dormir com dor de cabeça e náusea. “Ela não acordou”, diz Clint.

No dia seguinte o hospital declarou Jessica cerebralmente morta, e Clint deu aos médicos o sinal verde para fazer o parto cesáreo. Em 6 de fevereiro, o pequeno “Jessi” nasceu, pesando 535 g.

Os médicos haviam pensado que Jessica estava com 25 semanas de gravidez, mas depois que fizeram o parto eles perceberam que ela provavelmente estava com uma gravidez de apenas 23 semanas e meia — o limite absoluto da viabilidade.

“Só posso testificar acerca da graça de Deus nisso, pois Jessica morreu no momento exato em que o bebê estava viável para viver fora do útero”, diz Clint. Os médicos dizem que o bebê Jessi está indo bem.

“Emocionalmente brutal”

Clint descreve a experiência toda como “emocionalmente brutal”, e confessa que apesar de suas firmes convicções cristãs e pró-vida, foi a vereda mais sofrida que ele e sua esposa tiveram de trilhar.

“Sim, eu realmente lutei”, diz ele, “porque na Bíblia a única pessoa que temos ordem de amar mais do que a mim mesmo, essa era ela. Eu realmente lutei”.
“Às vezes é mais fácil ser altruísta com qualquer coisa que nos acontece”, ele aponta, “mas quando atinge com a perda da pessoa que você mais ama, é muito difícil”.

Foi também difícil para seu filho de dois anos e meio. Clint reconta que depois que Jessica foi internada, seu filho não pôde vê-la durante um mês, e durante esse tempo ele não queria nem mesmo olhar ou falar com seu pai. Mas depois que ele pôde visitar sua mãe, “ele começou a agir melhor”, diz Clint.

Depois da morte de Jessica o menino sofreu um período de aguda “ansiedade de separação”, embora seu pai dissesse que ele começou a se ajustar.

Quanto ao próprio Clint, mal se passaram dois meses após a morte de sua esposa, ele diz que está fazendo tudo como se estivesse em piloto automático, permanecendo ocupado com o trabalho e cuidando de seus dois filhos.

Nesse ponto ele faz uma pausa. “Vou ser muito franco”, diz ele, notando que ele quer fazer tudo o que puder para ajudar outros que podem estar em situação semelhante. “No primeiro mês, eu não conseguia — e quero dizer isso como numa incapacidade literal — eu não conseguia ler minha Bíblia, eu não conseguia orar”.

Ele descreve o sentimento como parecido ao de uma criança que está sendo disciplinada pelo pai: “Muito embora eu soubesse cognitivamente que o relacionamento estava ali, eu sabia que [Deus] me amava, eu aceitei essas coisas de um ponto-de-vista mental. Eu não sentia nada, espiritualmente. E não é sobre os sentimentos, mas a alegria em Deus havia desaparecido completamente de mim por um mês. Eu estava levando a vida exclusivamente com base no que eu sabia era verdade de um ponto-de-vista mental”.

Ele diz que agora, porém, avançou para além dessa primeira fase, e começou a orar de novo, inclusive por outras pessoas.

Apesar disso, ele diz que chegará provavelmente um tempo em que ele terá de deixar tudo, e fazer um luto apropriado pela perda de sua esposa.

“Deus seja louvado”

Muito embora o cansaço e o sofrimento sejam palpáveis na voz de Clint, ao falar com ele dá para se detectar algo mais também — uma profunda resignação nascida não do desespero, mas de uma fé autêntica e enraizada que aceita que esse sofrimento teve em análise final um significado, e que há tragédias piores até mesmo do que a morte.

Numa nota escrita menos de duas semanas depois da morte de Jessica, e postada num blog sobre a luta dela contra o câncer, Clint escreveu as últimas palavras que muitos esperariam ouvir de um homem que acabou de perder uma jovem esposa a quem ele muito amava.

“Que Deus seja louvado, meus amigos”, disse ele. “Não duvidem de Deus; não se irem contra Ele por mim. Tive o privilégio de ter tido uma esposa que estava cheia do amor do Pai. Regozijem-se comigo, irmãos e irmãs. Deus abençoou Jessica ao levá-la para um lugar de perfeita paz e sem dor. Devo ser grato pelo tempo que tive com ela em vez de ser ingrato por todas as coisas que nunca pudemos fazer juntos. Devemos dar graças em todas as coisas pois essa é a vontade de Deus em Jesus Cristo.

“Graça e Paz para todos”.

Traduzido por Julio Severo
Fonte: Notícias Pró-Família
publicado por institutogamaliel às 11:50
tags:




No Antigo Testamento, a Bíblia se utiliza das mesmas palavras hebraicas para descrever os ainda não nascidos, os bebês e as crianças. No Novo Testamento, o grego se utiliza, também, das mesmas palavras para descrever crianças ainda não nascidas, os bebês e as crianças, o que indica uma continuidade desde a concepção à fase de criança, e daí até a idade adulta.

A palavra grega brephos é empregada com freqüência para os recém-nascidos, para os bebês e para as crianças mais velhas (Lucas 2.12,16; 18.15; 1 Pedro 2.2). Em Atos 7.19, por exemplo, brephos refere-se às crianças mortas por ordem de Faraó. Mas em Lucas 1.41,44 a mesma palavra é empregada referindo-se a João Batista, enquanto ainda não havia nascido, estando no ventre de sua mãe.

Aos olhos de Deus ele era indistinguível com relação a outras crianças. O escritor bíblico também nos informa que João Batista foi cheio do Espírito Santo enquanto ainda se encontrava no ventre materno, indicando, com isso, o inconfundível ser (Lucas 1.15). Mesmo três meses antes de nascer, João conseguia fazer um miraculoso reconhecimento de Jesus, já presente no ventre de Maria (Lucas 1.44).

Com base nisso, encontramos a palavra grega huios significando "filho", utilizada em Lucas 1.36, descrevendo a existência de João Batista no ventre materno, antes de seu nascimento (seis meses antes, para ser preciso).

A palavra hebraica yeled é usada normalmente para se referir a filhos (ou seja, uma criança, um menino etc.). Mas, em Êxodo 21.22, é utilizada para se referir a um filho no ventre. Em Gênesis 25.22 a palavra yeladim (filhos) é usada para se referir aos filhos de Rebeca que se empurravam enquanto ainda no ventre materno. Em Jó 3.3, Jó usa a palavra geber para descrever sua concepção: "Foi concebido um homem! [literalmente, foi concebida uma criança homem]". Mas a palavra geber é um substantivo hebraico normalmente utilizado para traduzir a idéia de um "homem", um "macho" ou ainda um "marido". Em Jó 3.11-16, Jó equipara a criança ainda não nascida ("crianças que nunca viram a luz") com reis, conselheiros e príncipes.

Todos esses textos bíblicos e muitos outros indicam que Deus não faz distinção entre vida em potencial e vida real, ou em delinear estágios do ser – ou seja, entre uma criança ainda não nascida no ventre materno em qualquer que seja o estágio e um recém-nascido ou uma criança. As Escrituras pressupõem reiteradamente a continuidade de uma pessoa, desde a concepção até o ser adulto. Aliás, não há qualquer palavra especial utilizada exclusivamente para descrever o ainda não nascido que permita distingui-lo de um recém-nascido, no tocante a ser e com referência a seu valor pessoal.

E ainda, o próprio Deus se relaciona com pessoas ainda não nascidas. No Salmo 139.16, o salmista diz com referência a Deus: "Os teus olhos me viram a substância ainda informe". O autor se utiliza da palavra golem, traduzida como "substância", para descrever-se a si mesmo enquanto ainda no ventre materno. Ele se utiliza desse termo para se referir ao cuidado pessoal de Deus por ele mesmo durante a primeira parte de seu estado embrionário (desde a nidação até as primeiras semanas de vida), o estado antes do feto estar fisicamente "formado" numa miniatura de ser humano. Sabemos hoje que o embrião é "informe" durante apenas quatro ou cinco semanas. Em outras palavras, mesmo na fase de gestação da "substância ainda informe" (0-4 semanas), Deus diz que Ele se importa com a criança e a está moldando (Salmo 139.13-16).

Outros textos da Bíblia também indicam que Deus se relaciona com o feto como pessoa. Jó 31.15 diz: "Aquele que me formou no ventre materno, não os fez também a eles? Ou não é o mesmo que nos formou na madre?"

Em Jó 10.8,11 lemos: "As tuas mãos me plasmaram e me aperfeiçoaram... De pele e carne me vestiste e de ossos e tendões me entreteceste".

O Salmo 78.5-6 revela o cuidado de Deus com os "filhos que ainda hão de nascer".

O Salmo 139.13-16 afirma: "Pois tu formaste o meu interior, tu me teceste no seio de minha mãe. Graças te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste... Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui formado, e entretecido como nas profundezas da terra. Os teus olhos me viram a substância ainda informe".

Esses textos bíblicos revelam os pronomes pessoais que são utilizados para descrever o relacionamento entre Deus e os que estão no ventre materno.

Esses versículos e outros (Jeremias 1.5; Gálatas 1.15, 16; Isaías 49.1,5) demonstram que Deus enxerga os que ainda não nasceram e se encontram no ventre materno como pessoas. Não há outra conclusão possível. Precisamos concordar com o teólogo John Frame: "Não há nada nas Escrituras que possa sugerir, ainda que remotamente, que uma criança ainda não nascida seja qualquer coisa menos que uma pessoa humana, a partir do momento da concepção".[1]

À luz do acima exposto, precisamos concluir que esses textos das Escrituras demonstram que a vida humana pertence a Deus, e não a nós, e que, por isso, proíbem o aborto. A Bíblia ensina que, em última análise, as pessoas pertencem a Deus porque todos os homens foram criados por Ele.
E se você já fez um aborto?

Você já fez um aborto? Onde quer que se encontre, queremos que você saiba que o perdão genuíno e a paz interior são possíveis, e que uma verdadeira libertação do passado pode ser experimentada.
Deus é um Deus perdoador:

"Porém tu [és]... Deus perdoador, clemente e misericordioso, tardio em irar-te, e grande em bondade" (Neemias 9.17b).

"Pois tu, SENHOR, és bom e compassivo; abundante em benignidade para com todos os que te invocam" (Salmo 86.5).

Aliás, Deus não apenas perdoa, Ele, de fato, "esquece":

"Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim, e dos teus pecados não me lembro" (Isaías 43.25).

Você poderá encontrar perdão agora mesmo simplesmente colocando sua confiança em Jesus Cristo. Você pode confiar nEle, virando as costas para os caminhos que você tem seguido, reconhecendo e confessando seus pecados a Ele, e voltando-se para Cristo com a confiança de que através do Seu poder, Ele haverá de lhe conceder perdão e uma nova vida. Se você deseja ter seus pecados perdoados, se deseja estar livre da culpa, se quer ter nova vida em Cristo, se quer conhecer a Deus, e se você sabe que é amada por Ele, sugerimos a seguinte oração:

Querido Deus, eu confesso o meu pecado. Meu aborto foi coisa errada e eu agora venho à Tua presença em busca de perdão e de purificação. Peço que não apenas me perdoes esse pecado, mas que me perdoes todos os pecados de minha vida. Eu aceito que Jesus Cristo é Deus, que Ele morreu na cruz para pagar a penalidade pelos meus pecados, que ressuscitou ao terceiro dia, e que está vivo hoje. Eu O recebo agora como meu Senhor e Salvador. Eu agora aceito o perdão que Tu providenciaste gratuitamente na cruz e que me prometeste na Bíblia. Torna o teu perdão real para mim. Eu peço isso em nome de Jesus. Amém.

Extraído do livro Os Fatos Sobre o Aborto –
Respostas da Ciência e da Bíblia Sobre Quando Começa a Vida


Adaptação: Pr. Adelcio Ferreira (semenadoapalavra.net)
Fonte: Vivos
publicado por institutogamaliel às 11:49
tags:




Pesquisa da USP diz que em 13% dos casos a doença é grave.

O aborto pode afetar seriamente a saúde psíquica das mulheres. Uma pesquisa da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, vinculada à USP (Universidade de São Paulo) com 120 mulheres que passaram por aborto indica que mais da metade apresentara algum nível de depressão e a maioria sofre de baixa a méd