Cursos de Teologia, Capelania, Psicanálise Clínica, Psicologia Pastoral, Formação Pastoral, Coordenação de encontro de casais, Básico em Teologia, Médio em Teologia, Bacharel em Teologia.
Quarta-feira, 04 de Abril de 2012

Por Pr Ismael.
Quando falamos em batalha espiritual, o texto mais usual é o de Efésios, capítulo 6, onde Paulo fala da armadura do cristão para fazer frente ao inimigo que nos rodeia procurando uma “facilidade” para então nos tragar.

Acontece que esse texto, muitas vezes, é extraído do seu contexto, que sãos as relações conjugais, de família, e sociais, conforme se vê no capítulo anterior, Ef 5:21-33 e também Ef.6:1-4. Não que seja errado usar o texto de Efésios 6. 10-20 para outros momentos de reflexão, mas é preciso perceber a grandeza do tema para a família. Ele é uma ferramenta poderosa para a família superar suas crises, especialmente quando assume as armas ali descritas.
É interessante observar que houve um tempo em nosso ministério fazíamos nossas orações de batalha espiritual e aprendemos a nos apropriarmos misticamente das armas que ali em Ef 6:10-20 são descritas, como o capacete da salvação, a couraça da justiça, o escudo da fé, o cinto da verdade, e as sandálias da paz, e a espada do Espírito, e nós fazíamos assim sem discernir totalmente a profundidade daquilo que Paulo estava ensinando. Lembro que nós até encenávamos o vestir do capacete, da couraça, do cinto, das sandálias, e empunhávamos a espada, não que isso fosse um mal em si mesmo, mas que havia verdades maiores que estavam ficando para trás, e das quais falaremos logo adiante.

Paulo trata em sua epístola aos Efésios sobre coisas maravilhosas demais para a família, tendo no capítulo 6.10-20, tratado de batalha espiritual, sendo este tema precedido de seções sobre bênçãos espirituais dos cristãos em Cristo ( Ef 1.3-14) , sobre o fato de terem recebido vida em Cristo ( Ef 2.1-10) ,e agora serem um com Cristo e com os outros cristãos (Ef 2.11-22; 4.1-16), e sobre a vida como filhos da luz, que se desfizeram da velha natureza pecaminosa e se revestem da nova natureza, criados segundo Deus em verdadeira justiça e santidade ( Ef 4.17_5.20).
No pensar de Paulo, é no relacionamento entre as pessoas, seja no trabalho, em casa, entre cristãos e também com os incrédulos, que a batalha espiritual acontece e é preciso aprender a lidar com ela.
Todo cristão, precisa compreender plenamente o que significa:

* ser escolhido em Cristo para ser santo e irrepreensível ( Ef.1.4,11) ,
**ser predestinado a ser adotado como filho em Cristo (Ef1.5_6,11),
***ter a redenção pelo sangue de Cristo e o perdão dos pecados ( Ef 1.7) ,
**** e ter sido selado pelo Espírito Santo como garantia da nossa herança em Cristo ( Ef 1.13_14) .

Os cristãos precisam entender que sua conversão implica afastar-se do pecado, a fim de não fazer mais a vontade de sua natureza pecaminosa, voltar-se para Deus e servi-lo no poder do Espírito Santo ( Ef 2.1-10).

Precisam entender a união com outros cristãos em Cristo ( Ef 2.11-22; 4.1-16) e confrontar o pecado em sua própria vida, considerando a velha natureza pecaminosa morta em Cristo e a si mesmo como quem vive no Senhor ressurreto ( Ef 4,17-5.20).

E a ordem de Paulo para o casal e para a família é que se encham do Espírito ( Ef 5.18), como uma preparação para batalhar espiritualmente, empunhando a espada do Espírito ( Ef.6.17) e orar no Espírito (Ef 6.18), atentando sempre para o fato que não é contra as pessoas que temos que lutar, mas sim contra as forças espirituais da maldade ( Ef 6.12) , deixando claro, a importância dessa batalha para a família de uma forma integrada, ou seja, reconhecendo quem somos, nossa predestinação, a importância dos relacionamentos conjugais e de família, quem são os verdadeiros inimigos, as armas poderosas que temos, o enchimento com o Espírito Santo e aí sim, empunhar a Espada do Espírito e travar as batalhas fortalecido.
E nas questões de família é preciso lembrar que sem o enchimento do Espírito Santo, nossa natureza pecaminosa levará a nos rebelarmos contra os planos de Deus e que o inimigo procurará usar nossos desejos e inclinações pecaminosas para nos fazer desviar da verdade.

Quero, agora, tratar das armas que Paulo está falando em Ef 6:10-20:
1- A verdade: Como todos os cristãos, os cônjuges devem abandonar a mentira, e cada um falar a verdade com seu próximo (Ef 4.25). Devem, contudo, dizer a verdade em amor e crescer em tudo naquele que o cabeça, Cristo ( Ef 4.15). Devem se esforçar para que não saia de suas bocas nada que provoque destruição, mas só o que for bom para a edificação ( Ef.4.29).Minha esposa, quando algo está errado no comportamento de nossos filhos ou mesmo no meu comportamento, ela se determina a não dar armas para que o diabo use contra nós mesmos, como dizer coisas que autorizem o diabo agir contra a família, então, ela se cala e repreende. No momento do nervosismo é a hora que se libera e autoriza a ação dele, o Diabo.
2- A justiça. Aqui fala da retidão de conduta do cristão, tanto diante de Deus como também diante das demais pessoas, conforme o salmo 15: ”SENHOR, quem habitará no teu tabernáculo? Quem morará no teu santo monte?Aquele que anda sinceramente, e pratica a justiça, e fala a verdade no seu coração.Aquele que não difama com a sua língua, nem faz mal ao seu próximo, nem aceita nenhum opróbrio contra o seu próximo; a cujos olhos o réprobo é desprezado; mas honra os que temem ao SENHOR; aquele que jura com dano seu, e contudo não muda. Aquele que não dá o seu dinheiro com usura, nem recebe peitas contra o inocente. Quem faz isto nunca será abalado. Quando o casal pratica a justiça dentro de casa, os filhos aprendem, e se comportam como tal. Onde há justiça há paz, do contrário, onde há injustiça, há conflito.
3- A paz: Como cristãos, marido e mulher receberam a paz de Cristo ( Jo 14.27; 16.33) e em tendo a paz devem distribuir dessa paz a todos, servindo como pacificadores e não contendores. ( Mt 5.9; 2Co5.17-18).

4- A salvação: Uma vez que são salvos, marido e mulher, sabedores de seu destino eterno, podem se amar de maneira intensa e abnegada, o marido sendo um líder coerente e amoroso, que não abusa e não violenta, é um protetor; e a mulher confia e se sujeita a ele em respeito e amor, tem o seu coração pacificado.( Ef.5-21-33).
5- A Palavra de Deus. Esta é a lâmpada para os pés do casal, ela não os deixará andar em trevas, será um norte seguro, uma direção, um ideal a ser buscado, devendo ambos permanecer nesta Palavra ( Jo 8.31), e mais, participar ativamente de uma igreja local onde esta Palavra seja pregada ( 2Tm 4.2).
6- A oração. Orar juntos é uma conquista do casal, há resistências, especialmente por parte dos homens, mas não deve ser deixada de lado, não pode deixar de ser buscada, pois ela faz o casal “manter o vínculo da paz” ( Ef 4.3). Eles devem apresentar seus pedidos e súplicas e crer que Deus ouve e atende as orações ( Fp 4.6-7; I Pe 5.7)

E para encerrar, todo cristão deve se lembrar:


“Pois não é contra a carne e o sangue que temos que lutar...”Por isso tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau, e havendo feito tudo, permanecer firmes” ( Ef 6.12-13).
publicado por institutogamaliel às 08:55
tags:


mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
13
14

15
16
17
21

22
23
24
25
26
27
28

29


Últ. comentários
Graça me Paz em Cristo amado. Esse termo devorador...
Edenilson da Silva (http://facebook.com/profile.ph...
Fumar é pecado? http://t.co/H7TH4xGGZ1
10 maiores mitos sobre homossexualidade http://t.c...
Porque o espiritismo atrai tanto??? http://t.co/hY...
O anjo massagista http://t.co/tvszR2eFR9
Organização Angelical http://t.co/rPCf0e8EgY
Ministerio Reobote (http://facebook.com/profile.ph...
Jonas Laves (http://facebook.com/profile.php?id=10...
Ismavete Rocha (http://facebook.com/profile.php?id...
arquivos