Cursos de Teologia, Capelania, Psicanálise Clínica, Psicologia Pastoral, Formação Pastoral, Coordenação de encontro de casais, Básico em Teologia, Médio em Teologia, Bacharel em Teologia.
Quarta-feira, 04 de Abril de 2012

Na primeira parte deste artigo procuramos relatar apenas os efeitos mais brandos que a pornografia provoca em um relacionamento entre marido e mulher. Neste iremos falar sobre tudo o que ela traz de mais grave ao matrimônio. Quero também relatar que nestes mais de quarenta dias em que estivemos trabalhando e divulgando estes artigos, várias pessoas nos enviaram e-mail falando de seu envolvimento com a pornografia e solicitando ajuda, por isso na próxima semana postaremos o oitavo e último artigo que mostrará como se livrar do vício da pornografia.

Como a maioria dos consumidores de pornografia são homens, naturalmente quem sofre mais diretamente as conseqüências deste comportamento maléfico são as esposas.

Muitas delas se sentem traídas pela atividade do marido na internet, mas o mal não é só este. São várias as motivações que podem levar um homem a ver pornografia explícita, mas em quase todas, eles procuram manter esse hábito escondido da esposa e uma vez que o segredo é descoberto um monte de dor e angústia surge no meio do relacionamento e como resultado a esposa pode sentir-se magoada, alienada e insegura. Muitos maridos parecem ter dificuldade em compreender este fenômeno e em consequencia podem até se tornar agressivos, tanto por ter sido descobertos como pela reação demonstrada pela esposa.

O caminho da pornografia pode ser fatal para o casamento e para a vida espiritual daqueles que se escravisam, porque ela, literalmente é “um abismo que chama outro abismo”. Veja como é esse caminho: Muitos fatores podem levar à pornografia, além de levar ao vício, inevitavelmente a pornografia leva à masturbação que também pode se tornar vício. A masturbação por sua vez, é sustentata por fantasias sexuais pecaminosas e em muitos casos rouba a libido do homem.

Os encontros sexuais entre marido e esposa podem se tornar cada vez menos frequentes uma vez que o esposo recebe na pornografia e na masturbação a gratificação imediata de suas fantasias. A pornografia pode também gerar certa dificuldade para que o sexo seja visto como uma forma amorosa de comunicação, o que acabará diminuindo a satisfação sexual no casamento. Ela também gera um conjunto de expectativas sobre o sexo no casamento que literalmente são impossíveis de cumprir.

Existem muitas razões que podem levar uma pessoa a se refugiar na pornograria. Muitos acham mais seguro visualizar a pornografia e buscar sozinhos a satisfação sexual do que revelar suas fantasias sexuais ao conjuge.

Outros podem ser capturados pela pornografia por ter um tipo de obcessão compulsiva para atividades sexuais. Para essas pessoas o sexo é uma forma de dependência bem como uma droga, álcool ou vício do jogo. Tudo piora quando estes hábitos se associam ao vício de ver pornografia na Internet.

Vários homens, no contexto da psicoterapia, relataram que temem desaprovação se suas esposas souberem os tipos de pensamentos e fantasias sexuais que alimentam dentro de si. E bom lembrar que a pornografia também reforça outras fantasias levando mentes doentias a se tornem ainda piores. As fantasias sustentadas pela pornografia podem ir desde o desejo de sexo com outra pessoa a casos extremos como veremos a seguir:

Pedofilia – atração sexual por crianças;

Zoofilia – desejo de ter sexo com animal;

Sadomazoquismo- busca por prazer através da tortura, do domínio e do sofrimento,

Homossexualismo – desejo por pessoas do mesmo sexo

Grupal – desejo de se relacionar sexualmente com duas ou mais pessoas.

Voyerismo – desejo incontido de observar outras pessoas despidas ou em atos sexuais.

Bissexualismo – desejo pelos dois sexos

Swings e menage: Troca ou acréscimo de parceiros para satisfazer o desejo de ver o próprio conjuge se relacionando sexualmente com outra pessoa.

Para muitos, esses pensamentos e fantasias podem ser “seguramente satisfeitos” na Internet, mas não resta dúvida que a sexualidade é uma das colunas do casamento e ela poderá ser facilmente abalada se um dos cônjuges resolve se isolar para ver pornografia e se realizar sexualmente sozinho.

Quem faz uso da pornografia logo começa a comprar a idéia de que a maioria das pessoas, principalmente o cônjuge que têm ou terão, deve estar sempre pronto e disposto a ter relações sexuais. Não só isso, a mostra das variedades de comportamento sexual que a pornografia apresenta, faz com que esperem que seu parceiro também faça sexo de todas as maneiras possíveis, e podem querer ir ao extremo das aberrações. É normal também, a busca dos personagens da pornografia e a comparação dos mesmos com seus cônjuges. A pessoa em uma foto ou vídeo nunca envelhece, não importa quantas vezes o filme é reproduzido. No entanto, os cônjuges vão ganhando idade, peso, e rugas com o passar do tempo.

As pessoas reais em casamentos reais, não se comparam fisicamente aos da pornografia por isso, o uso constante elimina o potencial de atração exercido pelo outro cônjuge. É impossível agradar sexualmente alguém que tem seus desejos influenciados pelo pornô a menos que a pessoa se proponha a nunca trocar a idade, nunca se alterar fisicamente, pense e fale em sexo a todo instante, fale e aja sedutoramente, faça de cada sessão de sexo algo extraordináio e por fim faça tudo que qualquer um deles viu, ouviu ou imaginou.

No matrimônio, o sexo não deve ser confundido com a intimidade. A diferença é que sexo pode ser obtido com “qualquer um”, mas a intimidade como o próprio nome ja indica, existe para ser compartilhada com quem tem elos sentimentais nobres. O sexo foi criado por Deus para ser uma maravilhosa expressão de um profundo compromisso. A relação sexual não é apenas um dom de prazer que pode ser partilhado entre um homem e uma mulher, mas também é uma manifestação física de uma proximidade que deve existir espiritualmente, mentalmente e emocionalmente entre marido e mulher. A intimidade sexual é também o símbolo de um desejo que une um casal em um momento “final” onde um possa comprovar para o outro que como marido e mulher se tornou “uma só carne.”

O casamento precisa ter sexo, e quanto melhor for o sexo mais feliz as pessoas serão no matrimonio, mas o casamento também não foi criado por Deus para ser apenas focado no sexo. Antes dele vem o amor puro, o comprometer-se, a admiração, o respeito mútuo e todo tipo de bom relacionamento. Um casal deve se juntar para se fortalecer como família na sociedade, o homem ou a mulher não deve exigir absolutamente nada que seu companheito não lhe possa oferecer. Quem já aprendeu a conhecer o seu companheiro sabe que o sexo só tem qualidade e traz a satisfação correta se for realizado com amor, e como resultado de uma parceria onde um busca a felicidade e a realização do outro.

Bibliografia:

Partes compiladas de: Marriageabout.com

Entrevistas e levantamentos de Allan N. Schwartz – Site Mentalhelp.net

Publicações: Marriage/porn – Crosswalk.com

publicado por institutogamaliel às 12:43


mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
13
14

15
16
17
21

22
23
24
25
26
27
28

29


Últ. comentários
No seu site, vc esta citando o nome de MEU PAI, se...
Como não consegui encontrar um "Fale Conosco" no S...
Graça me Paz em Cristo amado. Esse termo devorador...
Edenilson da Silva (http://facebook.com/profile.ph...
Fumar é pecado? http://t.co/H7TH4xGGZ1
10 maiores mitos sobre homossexualidade http://t.c...
Porque o espiritismo atrai tanto??? http://t.co/hY...
O anjo massagista http://t.co/tvszR2eFR9
Organização Angelical http://t.co/rPCf0e8EgY
Ministerio Reobote (http://facebook.com/profile.ph...
arquivos